Garoto enfrentando choque cultural

Em 2012 uma amiga voltou para o Brasil. Ela havia passado 5 anos na Austrália, havia estudado aqui, teve um namorado inglês por 3 destes anos, trabalhou durante todo seu período na Austrália e chegou a trabalhar 2 anos como babá para uma família Australiana que a tratava quase como uma filha. Depois de terminado seu terceiro ou quarto visto, sem ver possibilidades de ficar por aqui e pelo fato de não ter conseguido juntar muito dinheiro por conta das altas mensalidades da faculdade que concluíra, acabou voltando para o Brasil.

homesick1  Choque Cultural na Austrália e no Brasil homesick1Encontramo-nos com ela nesta última visita ao Brasil. Ela já estava há quase 2 anos de volta ao Brasil, mas não conseguia mais se adaptar com absolutamente nada do país. Não estava namorando, não estava trabalhando, tinha conseguido apenas alguns empregos esporádicos aqui e ali como professora de inglês e tradutora e sua vida social se resumia a assistir filmes depois do trabalho com sua amiga com quem dividia um apartamento. Sinceramente não conseguia entender como uma menina inteligente, que tinha se formado em uma faculdade na Austrália, falava inglês fluente e era super capacitada estava vivendo este tipo de situação.

Foi quando ela começou a contar o que estava vivendo. Segundo ela cada segundo que ela passava no brasil era uma tortura. Ela tinha medo de sair a rua, odiava tomar ônibus, não gostava do jeito como as pessoas a abordavam, não gostava dos programas sociais dos seus amigos, odiou todos os empregos onde trabalhou, não gostava nem do jeito com que era paquerada e só estava tentando alguma coisa para conseguir dinheiro para voltar para a Austrália. Confesso que me surpreendi, afinal o Brasil não estava tão mal assim.

Contudo ela me fez lembrar de outra amiga, que depois de passar 3 anos no Canadá voltou para o Brasil. Lembro que nos 11 meses que ela passou no Brasil aguardando voltar para o Canadá ela praticamente não colocava o pé na rua. “Tenho medo até de ir ao supermercado”, me confessou ela uma vez. De fato ela morava em um bairro perigoso, mas apesar disso as pessoas do bairro seguiam a vida fazendo tudo o que ela evitava fazer.

O inverso também é verdadeiro.

Screen Shot 2014-04-10 at 6.18.37 pm  Choque Cultural na Austrália e no Brasil Screen Shot 2014 04 10 at 6

Quadrinho satirizando a vida de estudantes na homestay

Já vi muito brasileiro chegando à Austrália, odiando absolutamente tudo por aqui e muitas vezes voltar antes mesmo do visto expirar, chegando até a perder parte do curso. O caso mais dramático deste tipo que vi foi de um garoto que chegou em um dia e foi embora literalmente no outro. Chegou, dormiu, acordou, foi trabalhar com um amigo que já havia lhe garantido um emprego, voltou pra casa, remarcou a passagem e no dia seguinte voltou para o Brasil. Isso que ele tinha comprado um curso de 6 meses. Mas por que isso acontece e como evitar que isso aconteça com você.

Mono Cultural Myopia.

right  Choque Cultural na Austrália e no Brasil right

Mono Cultural Myopia, ou miopia mono cultural é um modelo de ver a vida definido em cada um desde cedo. Ela faz com quem vejamos apenas o que é importante para nós. Um exemplo típico é a queda de um avião. Se um avião cair na Rússia é capaz que você não se importe muito, mas se neste avião houver 10 brasileiros ou 10 australianos é bem provável que a notícia lhe cause um impacto muito maior.

Screen Shot 2014-04-10 at 5.53.20 pm  Choque Cultural na Austrália e no Brasil Screen Shot 2014 04 10 at 5

Desde pequenos somos treinados psicologicamente e culturalmente a selecionar o que é importante. Isso começa sendo ensinado pelos nossos pais, depois pelo nosso ambiente e cultura. Acreditamos que não só devemos permanecer como somos, sem comprometer a nossa herança cultural, mas também, todos os povos da terra, a fim de tornarem-se pessoas de verdade, devem também tornarem-se semelhante a nós. Foi dai por exemplo que nasceu o jeitinho brasileiro. Não é algo que o brasileiro nasce sabendo, mas que ao longo da vida, ele vai aprendendo que é um modo de lidar com as coisas e resolver situações de uma maneira mais efetiva.

aus-alcool  Choque Cultural na Austrália e no Brasil aus alcool

Outro exemplo é o hábito de consumo alcoólico do Australiano. Eu pessoalmente não conheço (pode existir, mas eu não conheço) uma brasileira casada ou que namora um Australiano que não ache que o marido ou namorado bebe demais. Isso acontece por que no Brasil o consumo de álcool só é aceito quando é bastante moderado. Depois de um certo limite ele é rejeitado pela sociedade e extremamente mal visto. Na Austrália acontece o oposto, o consumo exagerado de álcool não só não é recriminado, como muitas vezes até incentivado. Isso cria um choque cultural tremendo para uma boa parte dos brasileiros recém-chegados, enquanto outros se adaptam rapidamente a este novo aspecto cultural. Apesar disso tem diminuido o consumo de álcool entre adolescentes aqui e um estudo recente mostrou que uma em cada 8 mortes na Austrália é relacionada ao consumo de álcool.

Screen Shot 2014-04-10 at 6.22.31 pm  Choque Cultural na Austrália e no Brasil Screen Shot 2014 04 10 at 6

Quadrinho mostrando como o consumo de alcool melhora o inglês dos estudantes estrangeiros.

Os Australianos estão errados? Não, nós não nascemos aqui e fomos criados com os padrões deles para julgar ou entender, mas aos nossos olhos, baseado em o que nos foi ensinado desde cedo como sendo errado, estão. Da mesma forma, quando você leva um australiano para o Brasil ele acaba se chocando com coisas que para nós são normais. Lembro que um amigo Australiano tirou uma foto do outdoor da propaganda de uma marca de calcinha e mandou para os amigos a foto da bunda da mulher dizendo: “Olha o que fica exposto no meio da rua aqui”.

Para nós, nada mais era do que uma propaganda de calcinha. Para o ele era quase como se um filme adulto estivesse sendo transmitido em um telão de 500 polegadas no meio da rua. Estes são exemplos bem específicos, mas levando isso para uma esfera maior, imagine a enorme diferença cultural experimentada. Um australiano nasceu e cresceu em um país seguro, nunca teve que se preocupar se teria emprego ou se teria dinheiro para pagar os estudos, foram profundamente influenciados pela cultura inglesa, jamais tiveram que pegar ônibus lotado, ou tiveram que se virar para pagar a conta do hospital.

Screen Shot 2014-04-10 at 6.23.05 pm  Choque Cultural na Austrália e no Brasil Screen Shot 2014 04 10 at 6

Fish & Chips é um dos pratos mais comuns da Austrália. Herança inglesa. Aqui eu pago $5 por um Fish & Chips + Refrigerante

Nunca viram uma inflação de mais do que 6% ao ano e cresceram sabendo o que esperar do dia seguinte. Isso por si só cria um padrão de comportamento e expectativas totalmente diferente do brasileiro. Um outro exemplo específico, é o da forma de conquistar do brasileiro. Desde cedo o homem brasileiro aprende que ele precisa conquistar a parceira, por isso ele desenvolve ao longo da vida skills para isso. Na Austrália a conquista ocorre de uma maneira muito diferente. Desta forma não raramente vejo brasileiros aqui que cada semana estão com uma namorada diferente, pois são considerados conquistadores e possuem uma habilidade que culturalmente lhe foi embutida desde cedo.

veja abaixo um diagrama que explica um pouco mais da Cross Cultural Perspective

Mas Por que Muita Gente Não Se Adapta aqui ou Não se Adapta ao Voltar para o Brasil?

Justamente por isso. Muitas vezes a pessoa vem pra cá, passa 5 anos aqui, absorve muitos aspectos culturais e por uma questão de personalidade se adapta rapidamente a eles e começa a considerar tudo o que é diferente deste padrão de comportamento como errado. Eu mesmo em minha última visita ao Brasil fiquei chocado com comportamentos que antes de eu vir para a Austrália me eram normais.

Screen Shot 2014-04-10 at 6.17.13 pm  Choque Cultural na Austrália e no Brasil Screen Shot 2014 04 10 at 6

Eu dirigindo nas minhas primeiras semanas na Austrália

Aqui mesmo na Austrália, durante minhas primeiras semanas eu levava pelo menos 1 buzinada por dia quando estava dirigindo e olha que o povo aqui não buzina pra nada. Se eu contar os motivos das buzinadas, muita gente vai achar exagero, o mais comum deles é por que eu não esperava pelo menos 5 segundos antes de mudar de pista após dar seta. Na época eu ficava inconformado com a impaciência do Australiano, hoje o contrário me deixa inconformado.

Desta forma, quando a pessoa passa um tempão aqui e se identifica com os padrões compartimentais e se adapta a eles, assim como facilmente e rapidamente assimila os aspectos culturais, ao voltar para o Brasil e ter que enfrentar novamente padrões e comportamentos tão diferentes (e muitas vezes, convenhamos, realmente não funcionais), acaba entrando em pânico. O mesmo acontece com muitas pessoas (numa proporção bem menor) que vem para cá. Estão muito acostumadas com a família e com o padrão comportamental brasileiro e acabam tendo uma dificuldade de se adaptar.

Gostamos de Onde nos Faz Bem

homesick  Choque Cultural na Austrália e no Brasil homesick

Quando eu era criança eu tinha um amigo que tinha um pai super gente boa. O pai dele nos deixava perambular pela sua casa, assistir filmes, mexer nos discos, nos levava ao McDonalds e estava sempre criando alguma coisa legal para eu e pelo menos mais umas 10 crianças que moravam no prédio, fazermos. Naturalmente eu passava bastante tempo na casa deste amigo.

Assim é mudar de país. Não existe o país melhor ou pior, mas existe o país melhor ou pior para você. O lugar ideal para cada um é o lugar onde você se sente bem, se sente valorizado ou bem tratado. Se você está no Brasil e está tudo ótimo, por que mudar de país? Se você está na Austrália e não gosta, por que ficar? Porém, se você está no Brasil e questões fundamentais lhe incomodam demais, talvez seja uma boa opção considerar ir para outro lugar.

Screen Shot 2014-04-10 at 6.15.46 pm  Choque Cultural na Austrália e no Brasil Screen Shot 2014 04 10 at 6

Tirando tudo o resto tá bom…

Tirando a Austrália os EUA é o país onde estive mais vezes, chegando até a morar por um tempo por lá. Quando me perguntam sobre os EUA eu falo do país com tanta empolgação que todo mundo acha que estou de mudança pra lá. Isso acontece por que fui bem tratado e recebido todas as vezes estive lá . Além disso a cultura do país é em muito semelhante aos valores que possuo. E não só isso, muitas coisas que o país oferece me agradam bastante, entre elas a boa qualidade de vida e a estrutura. Por causa disso não seria nenhuma dificuldade para mim hoje se por qualquer motivo tivesse que mudar para lá. Em contra partida, caso a mudança fosse para outros lugares talvez não ficasse muito animado.

Como Evitar o Choque Cultural

get-around-in-english-how-to-be-polite  Choque Cultural na Austrália e no Brasil get around in english how to be polite

A primeira dica é se adaptar aos poucos. Mudar de país é uma das maiores mudanças da vida de qualquer pessoa. De uma só vez você muda de país, de casa, de emprego, de cultura, de tipo de comida, de lifestyle, de rotina, de horários, de obrigações, muda a língua, muda a moeda, muda a maneira como você interage com as pessoas e muda até o seu jeito de ser. Se você não fizer isso da maneira correta pode ser que acabe também querendo ir embora ou ao menos passe muito dos seus dias homesick.

Comece como um turista – Não caia de cabeça na rotina de trabalho e vida na Austrália. Comece sua vida aqui como turista. Vá visitar lugares turísticos e fazer atividades comuns de quem está em férias na cidade.

Evite o que você não gosta – Não importa que seu flatmate Aussie acha que você tem que comer Vegemite de café da manhã. Continue tomando seu café com leite com um pão na chapa.

Faça Amigos – Coloque-se me contato com grupos onde você pode formar novas amizades. Participe de eventos, atividades e qualquer coisa que sirva como desculpa para conhecer novas pessoas.

Coma Comida Brasileira – 70% da comida australiana é asiática e depois de um tempo seu organismo pode começar a sentir falta de um prato de arroz, feijão e bife. Existem muitos restaurantes brasileiros que vão lhe fazer se sentir em casa.

Planeje sua vida – Comece a planejar seu futuro no país e estabeleça rotinas.

Fale com os Brasileiros – Não tem nada mais idiota que eu vejo aqui do que brasileiros dizendo que não querem ter contato com outros brasileiros. Geralmente evitam contactar outros brasileiros até precisarem de algo, ai procuram brasileiro até na embaixada da China.

Estude a Cultura – Comece a estudar a cultura Australiana e busque aspectos que você pode se identificar.

No mais, aproveite cada dia aqui e não tenha medo de lutar para ficar aqui para sempre, tentar a vida em outro país, ou voltar para o Brasil se esta for a sua vontade.

 

Solicite Orçamento 160×160
SHARE
Previous articleEverything is Gonna Be Alright
Next articleChecklist Para a Austrália
Jerry Strazzeri
Jerry Strazzeri vive na Austrália com sua esposa desde 2006. Trabalha como Analista Digital na Austrália já tendo trabalhado em empresas no Brasil e Estados Unidos. Cidadão Australiano, junto com seu trabalho está concluindo uma graduação em Leadership. Junto com sua esposa Michelle, foi responsável por diversos sites na área de educação e TI e criaram o Brazil Austrália em 2006 para ajudar aqueles que estavam imigrando ou vindo estudar na Austrália. "Mas eu e a minha família serviremos ao Senhor" ~ Josué 24:15 Veja meu outro blog - Siga-me no Quora

27 COMMENTS

  1. Jerry, também sou da área de TI. Fui pesquisar empregos na área e encontrei a seguinte descrição salarial “$80,000 – $120,000 pkg”…
    O que significa esse pkg ??

    Não pretendo ir agora, também não espero chegar e já de cara conseguir um emprego na área, porém é sempre bom ir se informando..

    Obrigado por qualquer ajuda.

  2. Muito legal, muuuuito legal esse post !! Jerry, de que forma os aussies paqueram, se os brasileiros são considerados conquistadores ?? Ah, Jerry gostei tanto das figurinhas, posso copiar uma pra por no meu face ? Uheuehueheuehe

  3. http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/04/apos-assaltos-somente-um-carro-da-pm-patrulha-presidente-vargas-rio.html

    Quem estiver na Austrália e puder assistir essa matéria assista. É impressionante a segurança do Brasil, a mulher foi roubada justamente quando era entrevista pela Globo ao vivo e na mesma hora passava um carro da polícia civil. Se puderem mostrar para os brasileiros que estão na Austrália, para terem noção de como está aqui serei grato!

    Obrigado. logo logo bye bye Brasil.

  4. Esse post é como todos os outros do Jerry: perfeito!
    Vou pra Austrália no fim desse ano e cada post, fico mais empolgada!

    Parabéns pelo blog!
    É super famoso por aqui! 😉

  5. Gostei muito esse parte – ´Assim é mudar de país. Não existe o país melhor ou pior, mas existe o país melhor ou pior para você. O lugar ideal para cada um é o lugar onde você se sente bem, se sente valorizado ou bem tratado. ´
    Eu to fazendo o oposto de voces – sou australiana, mas moro no Brasil com meu marido brasileiro. Muitos pessoas, quando sabemos que ele é casada com uma australiana, perguntam porque ele ficar no Brasil quando Austrália e ´melhor´. mas pra nos, no nesse momento, Brasil é a melhor opção (enfim, o visto não e fácil ou barato, mesmo quando é casado) e nos estamos feliz com nosso vida aqui. fico muito chato quando pessoas não entendiaram que um pais não é melhor que um outro, mas somente diferente. Todos os lugares tem coisas boas e maus, é voce que criar sua vida.

    (desculpe com meu português, espero que pode entender o que eu queria falar!)

    • Antes de mais nada, parabéns pelo seu português! Deu pra entender claramente o que você queria dizer (é a segunda australiana que eu vejo nos comentários que escreve muito bem em português). Realmente o conceito de “melhor lugar” é algo relativo para cada um, depende da adaptação ao novo lugar. Pelo visto você se adaptou muito bem. Apesar de ser um pouco crítico com o Brasil e com o lugar onde eu moro, sei que existem lugares incríveis no nosso país e que tem uma boa qualidade de vida. Não sei em que cidade você mora, mas espero que esteja feliz morando no Brasil.

  6. Boa Jerry. Mais um post muito interessante. E muito bem desenvolvido.

    A quantidade de material bruto que você tem, daria tranquilo para fazer um livro com tutorial (simulações de opções entre estudantes, casais, profissionais, faixa de idades, etc) COMO NASCER NOVAMENTE, NA AUSTRALIA, by JERRY.

    Já estou vendo isso virar um best seller no Brasil.

    Abraços, Bruno.

  7. Gostei muito do seu ponto de vista otimista!
    Acho que essa deve ser a maneira pela qual as nossas escolhas (de permanência ou mudança) devem ser encaradas.

    Parabéns pelo blog, já me esclareceu muitos aspectos da decisão de imigrar!

  8. Post bastante interessante sob dois aspectos: Culturais e Pessoais.
    Para os aspectos culturais é claro que existem diferenças abismais muitas delas relacionadas a diferença de colonização. Cada país tem as suas particularidades , as suas coisas boas e as ruins, mas querer dar “jeitinho” é pedir para ser mal visto em qualquer lugar do mundo. É claro que existem brasileiros que são aversos a esse tipo de comportamento e que está relacionado com os maiores problemas que vemos diariamente aqui : corrupção, pagamento de propina , desprezo pela coisa pública, etc. Para quem gosta de dar jeitinho em tudo, Austrália pode ser um dos piores lugares para ir .
    Do ponto de vista pessoal , acredito que uma experiência fora do país pode acrescentar muito sob a ótica de valores e mostrar como é a realidade. Ótima oportunidade para desenvolver habilidades: como cuidar da sua casa , das suas roupas ,da sua alimentação , da sua socialização, das suas finanças … enfim, você aprende a se virar sem PAPAI e MAMÃE. OS MIMADOS sempre terão dificuldades e logo, logo querem voltar para a casa.
    Resumindo, Austrália é um ótimo lugar para quem realmente está disposto a andar na linha e para pessoas que tem maturidade, ou seja, para os responsáveis.
    Desculpe , mas é a realidade.
    Abs

  9. Olá Jerry!
    Excelente post, parabéns! Tenho acompanhado frequentemente seu blog, pois meu marido e eu amadurecemos a decisão de nos mudar para a Austrália. Suas informações têm me ajudado muito.
    Se possível, gostaria de umas dicas suas (ou da galera que acompanha o blog).
    Inicialmente, nós tínhamos a ideia de aplicar para o visto de trabalho. Porém, a situação no Brasil está cada vez pior, como todos vêm comentando. Principalmente porque acabamos de voltar do Hawaii em lua de mel, e o choque cultural é gritante. Isso porque ficamos lá por apenas 10 dias. Como você mesmo disse num post anterior, percebemos que não é nosso perfil SOBREVIVER rodeado de pessoas mal educadas. Por isso, queremos nos mudar o mais rápido possível.
    Consideramos, então, estudar inglês aí e trabalhar as 20 horas semanais, e ir procurando um emprego na área durante esse tempo (especialmente meu marido, que é formado em IT). Daí, tentar um sponsor e entrar com o visto permanente.
    Mas estamos na dúvida sobre o que fazer, e se devemos arriscar como estudantes.
    Gostaria de informações e experiências que possam nos ajudar a tomar essa decisão.
    Muito obrigada!

  10. Caro Jerry, tá na hora de voce escrever um livro cara. Tantas histórias e “causos”. Acho que voce deve estar bem atarefado, mas quanto tiver um tempo escreva um livro.
    Jerry, estou em uma duvida em escolas em Adelaide, Sace ou Kaplan. Ouvi relatos que a Sace é meio relaxadona na limpeza e falta de wifi e a Kaplan é muito comercial, pouco objetiva.
    Voce conhece a Kaplan da Tasmania??
    Obrigadão

  11. Oi Jerry,
    Adorei o post. Leio o blog com frequência. É bom saber que não estamos sozinhos em diversas situações. Eu morei 1 ano nos EUA e 4 anos na Europa e realmente tem sido muito difícil a readaptação no Brasil. Tão difícil que cansei e agora meu próximo destino é a Austrália.
    Vamos meu marido e eu, e apesar do medo e apreensão estamos bem ansiosos com a mudança e a nova fase.
    Parabéns pelos ótimos posts e obrigada por todas as dicas!!!

  12. Jerry, ótimo post como sempre.

    Você conseguiu colocar em palavras o que estou sentindo ultimamente sobre minha vida aqui no Brasil, “Porém, se você está no Brasil e questões fundamentais lhe incomodam demais, talvez seja uma boa opção considerar ir para outro lugar.”.

    Minha ida para Sydney está marcada para 15/07/14. Nesses últimos meses estou enfrentando várias barreiras em relação aos meus familiares, ao meu trabalho, educação etc.

    Na verdade só quero lhe dizer que, através do seu blog, encontro força para lidar com os eventuais “problemas” que poderei encontrar nessa nova fase da minha vida na Austrália. Sempre que pensamentos negativos sobre minha ida à Austrália surgem para me atormentar, ligo meu notebook e abro o seu blog para me lembrar de que apesar de todos os “problemas” que podem existir por aí, ainda sim, a vida parece ser um pouco mais justa.

    Muito obrigado
    Abraço

  13. Olá Jerry!

    Acabei de chegar em Sydney. Vim sozinha e estou passando pela fase de adaptação aqui. Estou sofrendo com o jet lag !

    A cidade é realmente muito linda e tenho certeza que será uma experiência incrível para mim.

    No entanto está sendo difícil ficar muito tempo sozinha , já que cheguei há apenas 4 dias e conheci poucas pessoas. Essa está sendo minha maior dificuldade.

    Mas espero que quando minhas aulas se iniciarem em 22/04 eu possa fazer muitos amigos.

    Parabéns pelo blog! Todos os posts são excelentes, venho acompanhando desde o ano passado .

    Abraços !

  14. Olá para todos,

    Pretendo mudar para a Austrália e estou começando a pesquisar como fazer.
    Tenho 51 anos e sou engenheiro civil, tenho também a cidadania espanhola, mas não sei se isso pode ajudar.
    Meu primeiro passo será tentar validar meu diploma.
    Alguém pode me dar alguma dica dessa validação?
    Alguém sabe se é possível com a minha idade conseguir visto para trabalho?

  15. Olá Jerry, parabéns pelo seu blog, é muito instrutivo e gostoso de ler. Já morei no Canadá por um ano, mas a Austrália realmente me encanta.
    Tenho uma opinião em relação as duas colegas que chegaram do exterior e não se adaptaram ainda a vida no Brasil. Acredito que o quê elas estão apresentando esteja mais para fobia social do que choque cultural, afinal todas duas são Brasileiras e passaram a maior parte da vida delas aqui. Tenho um bom conselho para as duas enquanto esperam algo acontecer na vida delas: saiam de casa! Distribuam currículos, façam um trabalho voluntário, principalmente essa que mora num bairro considerado perigoso. As coisas nunca irão acontecer se ficaram somente escondidas em casa, com fobia do mundo que acontece lá fora. Ora, principalmente elas que já até conheceram o outro lado do mundo. Permanecendo nesse estado de inércia e de fobia só ajudará a desenvolver um quadro emocional ainda pior. Assim, rompendo essa barreira elas terão muito mais chance de conquistar o que elas mais querem: morar fora do Brasil! No meu caso especificamente, gostei muito de ter morado fora, pois conheci novas pessoas e aprendi o inglês. Vi um mundo quase perfeito para se viver no Canada com toda sua organização e justiça social.Acredito que a Austrália não seja diferente. Mas também cheguei a conclusão que sou um indivíduo muito mais de Pessoas do que de Lugares. Ficar longe dos meus tenros amigos aqui do Brasil, dos meus familiares e dos meus parentes seria um preço muito mais alto do que eu estaria disposto a pagar…
    Grande abraço.

  16. Jerry, muito legal as informações deste artigo, bem ponderadas. Parabéns e gratidão pela generosidade.
    Estou pesquisando onde posso fazer um intercâmbio por 6 meses, a princípio.

    Abraços fraternos

LEAVE A REPLY