Torta Australiana

Toda mudança geográfica traz em si mudanças pessoais e de comportamento. Não é incomum eu ouvir de amigos brasileiros aqui que quando vão para o Brasil em alguns aspectos não se sentem mais brasileiros, mas aqui, em muitos outros, não se sentem australianos.

Eu também me sinto assim diversas vezes. Muitos hábitos que eu tinha no Brasil mudaram radicalmente aqui, enquanto outros hábitos que vejo entre o povo aqui não consigo me adaptar de modo algum. Entre eles.

Andar Descalço

Screen Shot 2013-03-11 at 12.39.30 PM  O que Eu Me Acostumei (ou Não) na Austrália Screen Shot 2013 03 11 at 12

Aqui na Austrália todo mundo anda descalço. Quando eu falo andar descalço você pode imaginar algo como andar descalço na praia ou perto dela, mas aqui eles andam descalços em absolutamente todos os lugares. Não é raro você entrar em um banco, supermercado e até oficina e encontrar alguém descalço. Diversas vezes vejo adolescentes saindo da escola aqui perto de casa apenas de meias e andando pela calçada sem tênis, apenas de meia, da escola para casa.

Amor aos Insetos

Aqui na Austrália parece que eles possuem uma espécie de simpatia por insetos. Algo que já passei aqui dezenas de vezes foi estar na casa de algum amigo e uma barata entrar pela porta ou pela janela. Eles não fazem nada e no máximo, se você se mostrar extremamente incomodado, vão pegar uma folha de papel e calmamente colocar a barata para fora. Fazem o mesmo com aranhas e outros insetos. Semana passada conversei com uma brasileira que matou uma aranha gigante no seu quarto. Ao chegar na escola e comentar o fato foi repreendida pela professora.

Chegar na Hora

Eu sempre fui bastante pontual para o padrão brasileiro, mas aqui entendi a importância da pontualidade. Os brasileiros são totalmente relapsos quando o assunto é chegar na hora. Aqui entendi que atrasar para um encontro é demonstrar total falta de respeito com a pessoa (ou pessoas) com quem você vai se encontrar. Uma vez um amigo chegou atrasado a um compromisso aqui e ao explicar que tinha pego um trânsito absurdo foi repreendido pela outra pessoa: Você faz este caminho toda semana, sabe que existe trânsito. Você deveria ter saído mais cedo como todo mundo aqui para chegar na hora. Trânsito não é desculpa para atraso.

Don’t Touch Me

Quando estive no Brasil da última vez fiquei impressionado em quanto as pessoas se encostam. Você está na fila do supermercado tem gente esbarrando em você, gente encostando em você para pedir algo, e gente mostrando todo tipo de intimidade com você que eles não tem. Aqui na Austrália ninguém se encosta muito e sempre que alguém esbarra em você ouve um “I’m Sorry”.

Falar da Vida Alheia

Outro ponto que fiquei impressionado no Brasil. No Brasil basta você sentar perto de alguém conversando que você já sabe que a prima engravidou do namorado que está desempregado e não tem um dente do fundo, sabe que ela alisa o cabelo, mas que aquele cabelo não ficou bom nela, principalmente depois que o pai dela foi embora e traiu a mãe com uma mulher do trabalho.

Parece brincadeira, mas bastava eu encostar 3 minutos perto de alguém que logo ficava sabendo da vida inteira de alguma outra pessoa. Tudo isso só por ouvir uma conversa. Ouvi cada coisa absurda que não pegaria bem reproduzir aqui.

Aqui na Austrália não se ouve muito sobre alguém falando da vida alheia. Um hábito maravilhoso que muitos brasileiros precisam aprender.

Rotina

Aqui na Austrália me sinto como um velho de 90 anos. Aqui existe rotina para tudo e você logo se adapta a ela. Aqui todo mundo tem hora de comer, dormir, treinar, trabalhar e assim por diante. No Brasil cada dia é meio como um dia diferente. Um dia você dorme às 11 no outro à 1 da manhã, um dia sai a noite e volta às 10, no outro às 4 da manhã e assim por diante. Aqui todo mundo tem horário pra tudo. Algo que me adaptei e foi bom para minha vida, mas que leva a algo que não me adaptei nem quero me adaptar conforme você pode ver abaixo.

Horário

Qualquer evento aqui tem hora para começar e acabar. Isso é excelente para igreja, eventos de negócios, palestras e atividades semelhantes, mas é muito chato quando se trata de uma festa ou jantar. Quando um australiano te convida para um jantar ele já avisa que o jantar vai começar às 7:30 e acaba às 9:30. Pode ter certeza que a comida será servida pontualmente às 7:30 e às 9:30, se você ainda não tiver ido embora ele vai dar todas as indiretas possíveis para que você se dirija a porta de saída.

Neste sentido ainda prefiro os eventos brasileiros que começam entre 4 e 6 da tarde e não tem hora para acabar. Muitas vezes quando dou uma festa aqui tem gente que vai embora às 10 da noite, como tem quem vá às 2 da manhã.

Regras e mais Regras

Meu sobrinho é australiano e mesmo com 5 anos de idade parece um inspetor da polícia de Sydney. Toda vez que vamos fazer algo ele define o que é ou não permitido. Lembro que uma vez, quando ele tinha apenas 4 anos, fui pegá-lo de carro e no meu carro não tinha uma espécie de banquinho para ele ficar mais alto. Antes que eu ligasse o carro ele me disse: “I’m not allowed to travel in any car without my child’s seat” (Eu não sou autorizado a andar de carro sem meu assento para crianças).

As regras são importantes para muitas coisas, mas quando ela começa a envolver cada pequeno detalhe da sua vida ela lhe priva de pensar por si mesmo. Muitas vezes em grupos que participo eles tem um modelo que você deve seguir para cada coisa e se você ousa sugerir algo diferente eles olham assustados como se você tivesse querendo quebrar a lei da gravidade.

Lembro uma vez em que estávamos na academia esperando uma aula começar. Estava todo mundo com o equipamento montado sentado no chão esperando a aula. Passaram-se 3 minutos, 5 minutos, 10 minutos e nada do professor chegar. Como sei que ninguém se atrasa aqui sai sozinho da sala e fui ver na recepção o que estava acontecendo. Fui informado que a aula mudou de horário e ela havia esquecido de avisar.

Subi e disse pra todo mundo que o professor não viria, pois a aula havia mudado de horário. Ninguém se mexeu. Então falei novamente: Gente, não vai ter aula. Podem ir embora. Não vai ter aula. Ai todo mundo começou a levantar e guardar as coisas.

Se eu não tivesse descido e perguntado é provável que eles ficassem mais meia hora ali. Isso por que desde pequenos eles aprendem a seguir regras e se a aula estava marcada para aquele horário e ninguém veio à sala dizer que a aula não ia acontecer era por que eles deveriam ficar ali esperando a aula começar. É um processo quase binário.

Jogar Comida Fora

Quem vem do Brasil aprende desde cedo que não se deve jogar comida fora. Aqui não é incomum você ver gente indo ao restaurante, pedindo um prato de 40 dólares, dar três garfadas, deixar o resto na mesa e ir embora. Já vi um cara uma vez ir na pizzaria, pedir uma pizza grande com uma Coca 600ml, comer duas fatias, dar um gole na Coca e jogar o resto fora. Acho que ter plenty nem sempre é muito bom.

Pedir Desconto

O povo aqui não pede desconto ou pergunta o preço de nada. Ninguém aqui chega à um café e ao não ver o menu pergunta quanto é um café. Eles compram e pronto. Também não pedem muitos descontos quando vão comprar algo. Eu peço desconto até para os produtos mais baratos. Quase sempre consigo um bom desconto, e também pergunto o preço de tudo antes de comprar, até mesmo de um café.

Não vou não

Aqui na Austrália rola muito bairrismo, isso por que cada região é geralmente bastante distinta da outra. Aqui muitas vezes você não vai a um evento simplesmente por que tem que cruzar a ponte. Eu mesmo me adaptei a isso. Moro em Northern Beaches e toda vez que tem um evento depois da ponte eu tento cancelar ou só vou se for algo extremamente importante. Não é a toda que cada bairro aqui possui seu próprio centro comercial, pois quando você escolhe morar em uma região isso significa que raramente você vai sair dali pra algo.

Churrasco na Praia

Aqui muitas praias possuem churrasqueiras onde as pessoas organizam festas. As churrasqueiras funcionam com moedas de 2 dólares e fazem a alegria de muitos brasileiros aos finais de semana. Picnics também são muito comuns aqui, além de muito agradáveis.

Sem Necessidade de Agradar

Aqui na Austrália o povo não sente aquela necessidade de agradar todo mundo como acontece no Brasil e isso é bom. Se você pede algo a um australiano e ele não quiser ou não puder fazer ele simplesmente vai dizer NÃO! Você não vai ouvir desculpas ou vai vê-lo dizendo que queria ir, mas não pode por que tem que dar mingau pra vó. Eles não tem esta necessidade de agradar todo mundo. Por um lado é bom, por outro nem tanto.

Tem muitas outras coisas com que me adaptei (ou não aqui). Depois volto pra contar mais. A Austrália é um país com hábitos muitos saudáveis e fáceis de se adaptar, nada que seja difícil se acostumar ou que possa ser chocante como em certas culturas.

Leia também:

http://www.brazilaustralia.com/choque-cultural-na-australia/

Solicite Orçamento 160×160
SHARE
Previous articleA Comunidade Brasileira na Austrália
Next articleJerry Responde: Cai numa Furada! E Agora?
Jerry Strazzeri
Jerry Strazzeri vive na Austrália com sua esposa desde 2006. Trabalha como Analista Digital na Austrália já tendo trabalhado em empresas no Brasil e Estados Unidos. Cidadão Australiano, junto com seu trabalho está concluindo uma graduação em Leadership. Junto com sua esposa Michelle, foi responsável por diversos sites na área de educação e TI e criaram o Brazil Austrália em 2006 para ajudar aqueles que estavam imigrando ou vindo estudar na Austrália. "Mas eu e a minha família serviremos ao Senhor" ~ Josué 24:15 Veja meu outro blog - Siga-me no Quora

13 COMMENTS

  1. Legal jerry

    Estou indo agora em agosto, vou estudar na Navitas bondi e tentar um emprego para juntar uma grana e curtir esse pais maravilhoso..

    • Jerry, em continuação ao comentário anterior quero aqui fazer um adendo.

      A pior coisa é deixar que nos espere ou ter que esperar. O que mais me agrada é saber que há hora pra tudo. Mas creio que, no âmbito domiciliar cada um há de ter seu hábito.

      Eu tenho visto inumeros vídeos no youtube e pelo que vejo há ordem. Ora, morar ou estar num lugar ordeiro é muito bom. Amo meu BR, mas por aqui tudo é muito bagunçado pro meu gosto.

      Acho que a ordem educa, impõe a disciplina e issso ajuda muito no progresso. Claro, há casos diversos e sempre heverá algo errado. O ser humano ñ é perfeito. Todavia, ao que parece a cultura aussie é algo que se deve ter como um bom exemplo.

      Gostaria muito de saber como vivem ai os portadores de nessecidades especiais, como os def visuais etc. Acredito a estes há da parte da sociedade uma atenção muito especial. E escolas para estes? Aqui no BR o fim de uma pessoa que tenha tais limitações é a aposentadoria por invalidez. Ora, bom é investir na qualificação profissional e dar a estas pessoas oportunidade de estudo e trabalho. E como é na Austrália?

      Eu aqui, por ter 5% de visão sofro muito para andar sozinho, pois calçadas ñ nos são adequadas, carros ñ respeitam faixas de pedestres e, se eu resolver usar uma bengala como auxília a baixa visão, no mínimo vou ouvir piadas e, até podem me chamarem a atenção por ñ ser cego. tal fato aconteceu em São Paulo.

      Cleber boa sorte e que vc seja muito feliz nessa nova etapa. Obsereve bem o jeito australiano de ser e tire gde proveito desta oportunidade. Um gde abraço do Claudio PY4ESH (Radioamador)

  2. Sinceramente nada disso me assusta. Estar num lugar onde há regras pressupõe haver EDUCAÇÃO. Ora, o BR é um paraíso para os que gostam de abusar do direito de abusar, e no fim tudo se torna chato, desagradável, incômodo etc. Imagine-se vc sendo um médico com clientes com hr marcada e um resolve chegar 15 min atrasado? Todo o seu cronograma de trabalho desanda e ai aquele que é pontual vai reclar. E tem toda razão. Acho ótimo que tudo tenha regras, regulamentos e, o melhor, que cada um cuide de sua vida pq a dos outros é dos outros. Eu hj, com meus 60 anos me adaptaria muito bem ao jeito de ser dos australianos. No BR a bandeira tem um lema; ORDEM E PROGRESSO. Será que na bandeira australiana tem espaço para este lema? No BR qto maior a bagunça melhor. Me envergonho de ver tanta mediocridade. Bom é que cada um viva a sua vida e deixe que vivam em paz. Acho que cada um é como é e vive-se como bem desejar. Amei a matéria!

  3. Jerry, li e prestei muita atenção na parte de ‘Afeto com os insetos” e uma pergunta.. essa história de que na Austrália é minado de aranhas é mesmo verdadeira? Tenho aracnofobia desde sempre, e claro, nem todos os tipos de aranhas me amedrontam, as menores ainda passam, mas tenho PAVOR de tarantulas, caranguejeiras e semelhantes, mas como tu havia comentado da aranha gigante na casa de uma amiga, isso é comum? 😮

  4. daudhasudhasudhasudhasudhaus Muito bom texto, me identifiquei em 80% das coisas aí! como disse uma Argentina eu sou um falso brasileiro… O “andar descalço” é o que mais gostei, agora queria perguntar, eles também tem costume de andar sem camisa? só de bermuda ? gosto de andar como se tivesse em casa.

    • Olá Jerry, bem interessante esses toques sobre costumes e cultura. Quais filmes ou documentários você indicaria, que podem nos ajudar a conhecer mais sobre esses aspectos?

  5. Rsrs imagina a craca que fica no pé da pessoa!!! Muito legal esse hábito de andar descalço Jerry!! Ah, só comentando, ontem na band passou um programa chamado “O mundo segundo os brasileiros” e a cidade escolhida foi Sydney, putz me lembrei na hora do blog, pensei “bem q o Jerry podia ter participado desse episódio”…ia ser muito legal, hehe…

  6. Jerry, existe padrão de beleza para o homem Australiano?
    No Brasil, geralmente a preferência é por mulheres de corpão.
    Existe esse padrão para eles?
    Outra coisa, o “ficar” com alguém sem compromisso é algo que acontece também aí?
    Ou é algo inventado pelo brasileiros?

  7. Jogar comida fora: aqui no Brasil é mais comum do que se imagina… e na maioria das vezes nem são pessoas de classes mais abastadas, o que me causa revolta das mesmas se fazerem vítimas de um sistema injusto de distribuição de renda. Sem falar da inadimplência (vão à restaurantes com certa frequência mas não têm dinheiro para pagar seus credores)… falta de respeito total.

    Don’t touch me AND sem necessidade de agradar: definitivamente os brasileiros deviam encostar e cutucar menos além de parar de tentar agradar o tempo todo… isso muda 99% pra melhor a qualidade de vida de todos;

    Pedir descontos: é exigir seus direitos civis… mas parece que os Aussie não se preocupam tanto com isso… eu sim, e muito rs!

  8. Acho que não vou me adaptar com a comida… O que na verdade nem é muito australiana, né? Tá mais pra “misturas orientais”. Não gosto muito dos temperos…
    Sobre as fofocas… tb tinha essa impressão de que o australiano era mais sério qt a isso. Mas minha filha adolescente disse que os colegas da escola fofocam muuuito. Ela fica extremamente incomodada pq eles falam mal de algum colega que há poucos minutos antes estavam conversando “de boa”.

  9. A vida na AUSTRALIA faz com que sejamos EDUCADOS e disciplinados. As regras são sempre importantes. Eu ñ vejo nada nesta linda matéria que me contrarie. Cada um é como é e vive como quer. Mas jamais atrapalhe a vida alheia. Sonho ter um dia a honra de habitar este fantástico país. Jerry, eu fiquei na UTI por 4 dias e vi um festival de desordem. Me senti no inferno, e tudo por causa da baderna. Sou pontual, amo viver e deixar que vivam. Hoje, depois de ter iniciado o tratamento desde 2014 tomo o Espironolacstona cuja dose já é de 100 mg, e tenho por conta dele uma ginocomastia gráu 2, o que me faz ter “seios”. Creio que na Austrália jamais alguém se incomodaria com isso. Aqui, vai eu andar na rua sem camisa? Ora, em tudo e por tudo I am australian!!!!!!!!!!!!

LEAVE A REPLY