Connect with us

Brazil Australia – Estudar e Trabalhar na Austrália

Ninguém Reconhece a Aninha

Vida na Austrália

Ninguém Reconhece a Aninha

A Aninha do título do tópico já existiu como pessoa, mas ao mesmo tempo existe em muitas pessoas que vem para a Austrália ou simplesmente mudam de país. Todo brasileiro na Austrália acaba de um modo ou de outro sendo um pouco Aninha, e todos, dos quais me incluo, vez por outra viram Tieta.

Aninha foi uma menina que veio pra Austrália mais ou mesmo na mesma época que nós. Era conhecida como a Aninha tímida e educada que estava namorando há 4 anos e já pensando em se casar. Em suas primeiras semanas de Austrália telefonava pro namorado, irmão, família e amigos chorosa de saudades querendo voltar.

Aos poucos foi fazendo amigos na escola, se enturmando, conhecendo pessoas formando grupo. Aninha foi ficando mais vaidosa, emagreceu rapidamente, foi mudando o modo de se vestir e falar. Já não se preocupava mais tanto em estudar, as festas foram ficando mais constantes e os telefonemas para o Brasil mais raros.

Em um destes telefonemas o namorado questionou sobre o modo estranho como Aninha vinha se portando e já atrasada pra mais uma balada Aninha resolveu terminar o namoro logo ali. O namorado que estava juntando dinheiro para vir a Austrália estudar com sua namorada já não sabia mais se vinha ou se ficava.

Em sua família o assunto era como a Aninha tinha mudado. Alguns acharam ótimo ela deixar de ser a menina meiga pra virar uma cachorra sem coração (que palavras pesadas…), já outros com mais bom senso sentiam saudades da Aninha que um dia ela havia sido.

Sua avó reclamava por Aninha ter sumido e seu inconsolável namorado passava os dias relendo as cartas, os e-mails, vendo as fotos e os cartões tentando recuperar, ainda que na memória, a antiga namorada.

E assim Aninha foi pouco a pouco se transformando numa babaca arrogante e interesseira que não conseguia pensar além do seu próprio umbigo.

As Aninhas e Zézinhos (uma versão masculina da Aninha) são muito comuns por aqui. Na verdade, Aninha é (como dizem no Brasil) café pequeno se comparado com os monstros que são formados aqui e é preciso tomar muito cuidado pra você mesmo não se tornar um deles.

Ninguém sai Incólume

Impossível morar fora do seu país, longe de sua cultura, família, amigos e até a língua sem mudar, ainda que um pouco, quem você é. Como disse Coco Channel: Não sou quem eu era, devo ser quem eu me tornei”

Muita gente muda pra melhor e muitas outras pra pior.

É ilusão achar que a pessoa vai vir pra cá e continuar a mesma pessoa. Não continua. Talvez não seja perceptível para quem convive com a pessoa diariamente, mas certamente para quem revê depois de um tempo a mudança é óbvia.

Além disso uma vez em outro país há a necessidade de aprovação e de passar para os que ficaram que você foi bem sucedido, mesmo que isso não seja propriamente verdade.

Durante meu tempo de escola eu acompanhei de perto esta mudança na vida de muitas pessoas. Você não precisava nem conhecer a pessoa antes para saber que ela tinha mudado. Algumas vezes esta mudança acontecia logo nas primeiras semanas.

A Oportunidade ou a Falta de.

Eu tinha um amigo de adolescência que vivia se gabando que amava muito a namorada e nunca a havia traído. Contudo ele passava o dia inteiro com a namorada e nunca tinha se visto em uma situação onde a traição pudesse realmente acontecer. Da primeira vez que eles tiveram que viajar separados ele acabou vivendo um “romance de verão” com outra menina.

Usei esta história pra exemplificar muito do que acontece aqui. Certamente nem passa na cabeça de muita gente que vem pra cá muitas coisas absurdas que costumam acontecer aqui quando eles ainda estão no Brasil, principalmente por que a realidade lá é diferente da realidade aqui.

Tirando pessoas já sem nenhum caráter, dificilmente alguém vem pra Austrália pensando em dar um pé na namorada, trair, ou causar qualquer mal intencional a alguém.

Porém aqui, de cara com a oportunidade e com muitas mudanças a situação muda pra muita gente. Gente geralmente com um caráter mais duvidoso, mas muda.

Não estou dizendo que todo mundo que vem pra cá deve ficar pra sempre com o namorado ou a namorada, mas sim ser sincero consigo mesmo e com o outro. Quem está com alguém que realmente ama certamente não age desta maneira. O problema é que tem muita gente que nunca amou nem vai amar ninguém a não ser a si próprio.

Não é raro meninas de classe média alta, de boas famílias e até com namorados começarem a fazer programas, trabalhar como strippers, “massagistas” ou até mesmo lingerie waitress por aqui. Certamente nunca passou pela cabeça da menina fazer algo de tão baixo nível quando ainda estava no Brasil, mas aqui, por alguma razão, tudo muda.

É claro que ninguém que faz isso sai por ai contando, mas tirando os casos em que se descobre (por que se um descobrir todo mundo vai saber), é evidente que quando uma menina que mal conseguia pagar o aluguel, muda de um dia pro outro pra um apartamento maior, aparece com Iphone, Ipad, camêra digital profissional, roupas novas regularmente e você nunca vê esta pessoa falando do trabalho, alguma coisa deve estar errada.

Pessoalmente fico muito chateado quando sei de alguém que está fazendo isso por aqui, pois sei que apesar de aparentemente ser algo que se faz pra ganhar uma grana “extra”, tal trabalho destrói pra sempre a moral e a confiança de qualquer mulher. Uma menina que aos 20 poucos anos faz isso vai sofrer pelo resto da vida as consequências de tal atitude. Fazem isso para terem uma liberdade ilusória para poderem suprir suas vaidades, mas caem numa armadilha que vai mudar suas vidas para sempre.

Perdendo os Valores

É muito fácil perder qualquer valor em outro país. Em outro país geralmente você não tem seus pais, seus familiares, seus amigos e em alguns casos nem sua igreja pra lhe cobrar. Todo mundo chega aqui um pouco mais “livre” pra fazer o que quiser. Se eu fosse contar apenas um terço das histórias que vi aqui nestes meus 6 anos de Austrália, tenho certeza que ia ter muita gente repensando sua vinda pra cá ou mandar a filha ou o filho pra Austrália.

Quem vai saber se você passou a noite bebendo, saiu com várias pessoas, experimentou de tudo e foi carregado pra casa às 5 da manhã em semi-coma? Quem no Brasil vai saber de qualquer coisa que você esteja fazendo aqui?

Esta liberdade facilmente se torna libertinagem.

Ai o cara larga a esposa no Brasil pra se juntar com uma australiana aqui, a menina abandona o namorado de longa data sem dar qualquer satisfação, uns roubam, outros traficam drogas (muitos brasileiros por sinal), outras ainda se prostituem e muitos ficam a procura de um casamento para se conseguir um visto ou qualquer segurança.

Por que Estou Falando Isso.

Estou falando isso, pois estes casos tem se tornado cada vez mais comuns aqui e espero que este post lembre algumas pessoas que estão vindo pra cá de não cometer este grande engano, pois tudo isso tem uma boa aparência, mas não passa de um engano e espero que você não caia nisso.

Todo e qualquer crescimento na vida de qualquer pessoa exige esforço. Na vida não há atalhos. Como diz um provérbio judáico: “O atalho é o caminho mais longo para se chegar qualquer lugar”.

Não conheço uma pessoa que escolheu atalhos na vida e foi bem sucedida, por outro lado conheço várias que se dedicaram, se esforçaram, pagaram o preço e foram bem sucedidas. Cresceram não apenas profissionalmente, ou financeiramente, mas melhoraram ainda mais seu caráter.

Um sábio provérbio judaico diz: “A tentação é doce no início e amarga no fim.”

Todo sucesso leva tempo e tudo que é duradouro precisa ser cultivado com paciência. Vejo pessoas casando ou se juntando com pessoas com quem não tem nenhuma afinidade ou que nem ao menos gostam a troco de uma segurança ou de um visto… É muito melhor, mais nobre e recompensador lutar pelos seus objetivos e conseguir pelo seu esforço, pois pode ter certeza que o “porto seguro” um dia ou outro vai fazer você pagar pelo “porto” seja pela humilhação ou até pela cobrança e você jamais se sentiraá completo, realizado e muito menos feliz.

Conheci uma menina aqui uma vez no curso que namorava um cara legal, bonito, gente boa no Brasil, mas estava querendo largar o cara pra ficar com um cara feio de quem ela não gostava nem um pouco só por que o cara era Australiano e tinha uma boa condição social. Que furada. Esta pessoa vai se arrepender todos os dias da sua vida. Não tem dinheiro ou condição no mundo que pague abrir mão de estar com alguém que você realmente ama, e mais que isso, que pague a tortura de acordar todos os dias ao lado de uma pessoa que você não ame realmente. Casar ou mesmo se juntar com alguém que não se ama deve ser a maior prisão do mundo.

Outra coisa é que aqui vira e mexe você ouve um brasileiro na rua ou na escola falando que precisa arrumar um idiota pra se casar e conseguir um visto. Entenda que é normal casar com alguém por amor e consequentemente se a pessoa possui uma cidadania Australia você obtê-la através do casamento. O que não é normal é que o visto ou qualquer outra coisa vire o motivo.

Não tem nada melhor do que poder passar a vida com alguém que você realmente ama, a vida fica muito melhor, ambos crescem juntos e se completam e consequentemente ambos atingem seus objetivos.

Não importa se você tem, 20, 30 ou até 40 anos, sempre é tempo de ir atrás dos seus sonhos, buscar o que você quer, lutar pelos seus ideais e tudo isso sem precisar se vender. Não busque segurança em nada, a busca pela segurança é que faz as pessoas não sairem do lugar. Tem gente que chega aqui, quebra a cara, cai, mas levanta e vai a luta que no final acaba vencendo e gente que chega aqui tentando sempre se enconstar aqui ou ali, buscando um porto seguro e que nunca sai do lugar.

Quer ser bem sucedido na Austrália? Vá a luta, não se acomode, lute pelos seus sonhos, não se rebaixe, não busque atalhos, não faça para os outros, seja seu namorado, amigo ou familiar, aquilo que você não gostaria que fizessem com você e não se deslumbre por aquilo que é perecível. Honre a sua honra e não perca seu caráter.

Se alguém que foi seduzida pela vida “fácil” na Austrália (que na verdade é a vida mais difícil do mundo), ainda é tempo de mudar esta situação, se ver livre de tudo isso e começar de novo.

Como eu disse, não falo por achar, mas por que já vi isso acontecer dezenas de vezes aqui. Ë cada história que se conto aqui ninquém acredita, pois são inacreditáveis mesmo. Depois conto algumas como alerta.

A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido. Não na vitória propriamente dita. – Mahatma Gandhi

Continue Reading
Advertisement
You may also like...
20 Comments

20 Comments

  1. Bruno

    February 23, 2009 at 11:41 pm

    Olá, estou em sydney apenas 4 dias e acho q já está dando p perceber como as coisas funcionam por aqui. Bom, queria te parabenizar pelo o texto..adorei e até salvei para ler qdo precisar de motivação. Obrigado

  2. Michelle

    February 24, 2009 at 12:05 am

    Falou tudo. Muito lindo o texto!

  3. francisco

    February 24, 2009 at 5:29 am

    Jerry, concordo com tudo que disse, mas realamente a enfase que se dá pode ser perigosa, pois se uma pessoa tem 22 anos e vai para a australia e tem um namorado aqui no Brasil , fica difícil não buscar se enturmar e quem sabe conhecer outras pessoas, isso não quer disser que vá traír seu ou sua namorada(o), mas uma pessoa com 22 anos não tem condições de dizer que já tem um carater formado…. muitas vezes o ideal e que realmente conheça outras pessoas e cresça pessoalmente e não fique inseguro quanto ao namorado ou namorada e aí se decidir casar com alguém que viva bem , com responsabilidade e amor….., o que eu vejo é que muitos jovens casam com 23 anos e separam depois de 3, e aí….., o que leva esse povo a isso, será que aproveitaram a juventude para conhecer e decidir o que realmente querem da vida…. a vida é umae escola de experiencias multiplas e que serve de alicerce da formação do s]nosso carater, nosso carater não é formado apenas pelo que nossos pais ensinaram, pois assim não existiriam bandidos, e sim pelo aprendizado e experiencias vividas…

    chico

    • Jerry

      February 24, 2009 at 5:55 am

      Olá Chico, é verdade . É que decidi não citar alguns casos aqui no blog, mesmo não citando nomes ou detalhes, mas terminar o namoro é o de menos por aqui. O povo pega pesado mesmo. Por exemplo, do namorado trabalhar um ano e meio pra juntar dinheiro pra namorada vir pra cá e depois ficar no Brasil trabalhando pra também poder vir e logo na primeira semana aqui a menina começa a sair com outro cara e o cara descobre (Sydney é muito pequena) por que a irmã do cara que estava aqui (e onde ela morava) pega ela com outro cara num pub. O nível é disso pra pior.

      Terminar tudo bem,mas muita gente age sem pensar (ou muio bem pensado) e praticamente acaba com a vida de muita gente que se importa com ela. Já vi gente largar tudo (casa, amigos, fam;ilia, emprego) no Brasil pra vir pra cá ficar com a NOIVA, e chegar aqui e descobrir depois de um tempo que ela já estava há um tempo com outro cara. É muita sacanagem enganar alguém desta maneira, mas infelizmente este tipo de caso não é raro por aqui.

  4. Thais Corby

    February 24, 2009 at 7:16 am

    Nossa, fico impressionada com essas estorias. Felizmente, nao conheco ninguem aqui com estes historicos,nao que nao tenha, mas eu nao conheco. Talvez seja este pessoal jovem que vem pra ca estudar e badalar, as pessoas que eu conheco aqui sao adultas e muito serias, ainda bem.

    • Jerry

      February 24, 2009 at 2:59 pm

      Olá Thais. É que isto acontece mesmo geralmente mais com estudantes, que são o grupo que em alguns casos acaba passando maiores dificuldades por não conseguir bons empregos ou não poder trabalhar mais. Não é a maioria que faz isso, nem grande parte, mas tem aumentado a cada ano. Tem escolas que você ouve 3, 4 casos de brasileiras na mesma escola e no mesmo período. Resolvi criar este post pra tentar evitar que isso aconteça com outros brasileiros que vem pra cá.

  5. Pedro

    February 24, 2009 at 6:51 pm

    Oi Jerry. Estou em Sydney há 2 semanas e gostaria de saber se vc frequenta a hillsong church?
    ainda to morando meio longe e tal… mas assim que puder quero ir nos cultos. gostaria de algumas dicas da cidade. se puder me passar um contato seu por email. agradeço.

  6. Atila City

    February 25, 2009 at 9:57 am

    Olá Jerry que texto maravilhoso, não estou na Australia e para falar a verdade ainda não sai do Brasil e por enquanto nada de programar viagens. Eu encontrei seu blog pelo google, gostei muito do que vi por aqui.
    Sobre a postagem, bom meu caro não somente ai quanto aqui sabe bem que tem muitas pessoas que acreditam no “FAcil” como modo de se levantar, de conquistar as coisas e sustentar seus “vicios”. Infelismente como relata no texto nem sempre essas pessoas evoluem na vida, acabam passando por momentos horriveis mais pra frente dessa tragetória.
    Sobre casamento, não acrecento nem uma virgula em seu pensamento. Afinal, o que vale mais uma segurança financeira e dupla cidadania ou a felicadade?
    um grande abraço
    e boa sorte por ai… continuarei visitando

  7. Likalika

    February 25, 2009 at 6:27 pm

    Olá,

    Concordo e assino embaixo!! É uma pena os inúmeros casos de prostituição que vem ocorrendo, principalmente com as meninas brasileiras. Na Europa, principalmente em Portugal, as mulheres brasileiras já estão sendo bem mal vistas. São chamadas de ladras de homens mais velhos, pais de família, que largam tudo pra ficar com elas…
    Sou seguidora da frase “Faça aos outros, o que gostaria que fizessem a ti”, ou “não faça aos outros, o que você não gostaria que te fizessem”…
    E caráter é algo que a pessoa carrega, seja aqui, seja na Austrália, em qualquer lugar do mundo… Quem se deixa levar pelas ilusões da vida, pelos caminhos mais “fáceis” , é pq já não tinha uma boa índole no próprio país… uma boa formação, bons princípios.

    Em breve chego na Austrália, e espero encontrar pessoas de boa índole e fazer boas amizades…

    Sempre olho seu blog, vc já deve ter visto! hahah… é bom se manter informada!

    abraços

    • Jerry

      February 25, 2009 at 10:07 pm

      oi likaLika. Você tem razão. Acho que quem se deixa levar por isso geralmente já não tinha boas intenções. legal que você está vindo pra Austrália. Você vem pra Sydney ou pra outra cidade?

  8. Rafael

    February 25, 2009 at 9:45 pm

    Olá. Realmente, muitas pessoas ficam diferentes quando saem de seus países. Digo que “ficam diferentes”, mas não que “mudam”. Tudo bem, é verdade que o ser humano tem a capacidade real de se modificar internamente, não o nego. Mas em relação às histórias que você narrou, meu ponto de vista é que nestes casos específicos a pessoa não mudou, mas sim mostrou quem realmente era.

    Quem abandona um namorado ou namorada assim com essa facilidade é porque no fundo não gostava tanto assim da pessoa, se é que gostava. Quando amamos alguém de verdade, a coisa MAIS DIFÍCIL que existe no mundo é abandoná-la por outro ou outra. Tem garotos e garotas que mal chegam na Austrália e já vão pra bares, festinhas e boates e na mesma noite esquecem qualquer “amor” que deixaram no Brasil. Essas pessoas tiveram no Brasil um relacionamento superficial, embora pudesse parecer outra coisa, e quando viajam para outro país é que têm a oportunidade de mostrar quem realmente são. O que ocorre é menos uma “mudança” e mais uma “revelação” de quem relmente eram. Ninguém “muda” tão intesamente porque está em outro país, porque no fim das contas o caráter viaja junto com a pessoa.

    • Jerry

      February 25, 2009 at 10:03 pm

      É Rafael. Concordo totalmente com você. Acho que a pessoa não mudou simplesmente, mas teve mais oportunidade de mostrar quem ela realmente era.

  9. Rafael

    February 27, 2009 at 2:00 pm

    post expetacular

    show!!

  10. Splay

    March 7, 2009 at 7:18 am

    Muito interessante e oportuno esse seu texto, tem muita gente perdida e olha que com boa “indole”, “ótima familia”…no final não é só na prostituição mas no uso de drogas, pequenos furtos, etc, etc.
    Muita gente influenciada pelos “perdidos profissionais”, aqueles que ficam em um vacuo, só renovando visto e cursos esquema, sem objetivo algum.
    No final é um problema mais amplo, é a cultura do brasileiro médio que chega na Austrália imaginando que vai vencer nem que seja pisando e aprontando, no trabalho, com o namorado(a), e por ai vai…

  11. Christiane Vieira

    March 27, 2009 at 1:40 pm

    Parabéns pelo texto. Muito sábio e animador!
    Quero muito ir praí um dia, por enquanto é sonho… Mas dia desses vira verdade.
    Boa sorte!

  12. Christopher

    July 15, 2012 at 10:43 am

    ola, sou novo ak descobri seu blog hoje e gostaria de perguntar a respeito de empregos e custo de vida ai na australia, oq paga mais e tals quero fazer intercambio cerca de 6 meses oq me sugere, qual suas dicas e tals obrigado espero resposta bjs.

  13. Bianca

    July 16, 2012 at 11:20 am

    Muito bom este texto!
    Realmente acho que é muito difícil (talvez impossível) ter um namoro a distância, ainda mais quando se trata de Australia/Brazil.
    Acredito que a maioria dos jovens comete erros no trajeto de suas vidas, e, infelizmente, na maioria das vezes nós somos lembrados por estes erros cometidos que mudam completamente a vida de alguém.
    É preciso ter a consciência de que estamos indo realizar um sonho e se a pessoa com quem convivemos não pode ir junto talvez temos que abrir mão desta relação, terminar enquanto ainda é algo bonito e puro, para depois não haver brigas e intrigas de qualquer lado.
    Que muitos leiam este texto e abram suas mentes!

    Cheers!

    • Jerry

      July 18, 2012 at 6:33 am

      Oi Bianca

      Realmente é bastante difícil, mas já vi casos que deram certo, mas neste caso o casal sempre investia bastante no relacionamento para poderem estar juntos de novo.

      Contudo, é o que você falou, se a pessoa não está interessada em continuar é melhor terminar antes e não deixar que a vida aqui na Austrália seja uma desculpa pra isso.

      Valeu.

      Abraços

      Jerry

  14. Pamela

    July 18, 2012 at 3:42 am

    Ola Jerry,

    Mais uma vez, otimo texto. Cara, realmente e o que acontece muito por aqui. Caso de prostituicao existe muito. Claro que de qualquer nacionalidade, mas, como somos brasileiros, claro que vamos dar enfase as brasileiras. Meses atras os amigos do meu namorado (todos australianos) fizeram uma despedida de solteiro e tiraram fotos da stripper que contrataram.. Mandaram no celular do meu namorado a foto e adivinha? Era brasileira. Fiquei bem envergonhada quando ele me mostrou e contou.
    Sobre o lance de se casar para obtencao do visto, isso existe e muito. E muito triste. Meu namorado e australiano, mas eu o amo (e ele e um gato! rs). Mas o mais importante e que ele me trata como uma princesa, com muito respeito. Somos muito felizes. Mas, as pessoas (brasileiros daqui), nao tem nenhum respeito e dizem: “poxa, que bacana que voce tem um visto agora”. Isso e muito baixo! Sempre conto pro meu namorado isso, ele so da risada, pois sabemos do amor qe sentimos um pelo outro.
    Ha tambem aqueles que dizem: “preciso arrumar alguem pra casar, pra me dar o visto”. Acho isso muito triste, desperdicar a chance de ser feliz com alguem a quem se ame de verdade so por causa de um “negocio”.
    Sobre o lance das drogas, ja presenciei os brasileiros “negociando” drogas. Cara ate com a plantacao de maconha. Sem comentarios. Triste demais.
    Legal mesmo voce escrever esses artigos no seu blog com o intuito de alertar e ajudar a galerinha que esta vindo.
    Abracos!
    Pamela

    • Jerry

      July 18, 2012 at 6:31 am

      Oi Pamela

      Histórias como as suas já vi muitas vezes por aqui. De gente que conhece um australiano ou cidadão legal, namorar, ou casar apenas por amor e consequentemente ganhar o visto também.

      Legal que você viu coisas semelhantes as que vi por aqui, pois as vezes quando comento ninguém acredita.

      Um dia vou começar a fazer um post com uns casos que vi por aqui para alertar mais o povo e quem sabe contribuir para alguma pessoa não caia na mesma besteira uma vez aqui.

      Obrigado pelo comentário.

      Abraços

      Jerry

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

More in Vida na Austrália

Jerry Strazzeri no Youtube

Posts da Austrália




To Top
%d bloggers like this: