Pra quem nos acompanha no Instagram já sabe que nós estamos radiantes com a chegada da nossa filhinha. O nome dela é Felicity, sim, um nome nada comum pro Brasil. A escolha foi fácil, por que eu e o Jerry adoramos o nome e já tínhamos decidido há alguns anos. Não vou negar que a maioria dos parentes e amigos brasileiros estranham o nome, perguntam como é a pronuncia correta, mas sabíamos que, depois de um tempo, todo mundo se acostumaria e ficaria tudo certo. Aqui na Austrália já é o contrário, todo mundo conhece o nome dela, eles sabem como se escreve e eu não tenho que soletrar na maioria das vezes. Um alívio!

felicity  Minha Gravidez na Austrália felicity

Olha que fofura o primeiro porta retrato da Felicity!

Mas voltando ao assunto do post, a minha gravidez foi ótima. Diria que foi uma gravidez clássica, com um pouquinho de todos os sintomas normais. Um pouco de enjoo no início, cansaço e sono no final do dia, hormônios desbalanceando as emoções, segundo semestre super tranquilo e com o último mês mais chatinho e desconfortável. Fiz o pré natal e o parto Royal North Shore Hospital em St. Leonards e nós optamos pelo sistema público de saúde.

rnsh maternidade  Minha Gravidez na Austrália rnsh maternidade e1429857700125

Recepção da maternidade do RNSH.

Por que eu escolhi o hospital público?

Eu utilizei o sistema público de saúde por causa de algumas emergências que tive no passado e me apaixonei pela equipe e pelo hospital. Fui tão bem tratada que não tinha dúvidas que queria ter minha filha ali com aquele time tão competente e amoroso.

Eu pesquisei muito antes de escolher, falei com muitas australianas, brasileiras, falei com australianos que tiveram um bebê no sistema privado e no público e ficou decidido que, se eu tivesse uma gravidez saudável, nós optaríamos pelo sistema público. Se surgisse qualquer problema de saúde no meio da gravidez, nós iríamos contratar um médico pra ter um acompanhamento mais especializado. Já que, no sistema público, quem cuida de você é uma midwife (Parteira).

Mas a maior reclamação das brasileiras que optam pelo sistema publico de saúde é que você não tem um acompanhamento sempre com a mesma midwife ou médico, funciona assim, quem estiver escalado pra trabalhar no dia da sua consulta vai te atender. Mas eu descobri em minhas pesquisas que existe na maioria dos hospitais, um programa chamado Midwifery Support Program, onde uma midwife acompanha você a gravidez inteirinha e você tem acesso aos médicos especialistas do hospital conforme vai surgindo a necessidade.

As vagas são limitadas e você tem que se cadastrar até a 6a semana de gravidez pra ter maiores chances de ser aceita no programa. O pré natal do hospital só começa na 12a semana de gravidez. Você liga lá e deixa seus dados e depois de algumas semanas elas entram em contato marcando a primeira consulta. Até começar o programa eu fiz o acompanhamento com o médico da família (o famosos GP) e foi ótimo.

Eu tive a benção de cair nas mãos de uma das melhores e mais experientes midwifes do programa a Robbie e sua assistente a Elie. O maridão tirou uma foto:

Além disso existem outras vantagens de escolher o hospital publico, como:

– A acomodação da mãe e as vezes do pai no hospital caso o bebe tenha alguma complicação ou caso venha a nascer prematuro. Se você escolher o sistema privado, só o bebe da entrada no hospital como paciente a mãe não. Então você tem que ficar indo e voltando de casa pro hospital, caso seu bebe tenha alguma complicação.

– O hospital acabou de ser construído, então a infra estrutura do público é muito melhor do que o privado. Tudo novinho e lindo!

– Eu tinha o plano de saúde que cobria o hospital para gravidez. Não sei se foi coincidência e se isso ajudou, mas eu fiquei em um quarto individual.  E mesmo quem não tem o plano de saúde com essa opção elas nos explicaram que existem 18 quartos (sendo 8 individuais e 10 duplos) e eles esperam encher com uma pessoa por quarto pra depois começar a colocar 2 mamães em um quarto só. E as chances de nascer esse tanto de bebe por semana são pequenas.

Caso minha gravidez tivesse qualquer risco já tinha escolhido o médico e escolheria o Royal North Shore Private. O custo do médico obstetra particular aqui vai de AUD$ 4.000 à 8.000 aqui em Sydney + o anestesista que vai de AUD$ 900,00 a 4.000. Mas como eu optei pelo público meu custo foi zero para o hospital, médicos e parteiras. Só tive que pagar os exames de ultrasom.

O plano de saúde das estudantes cobre o parto no sistema público de saúde. Caso você opte pelo particular os custos são iguais aos dos residentes australianos acima. Nenhum plano de saúde aqui cobre todos os exames, então você pode adicionar um gasto de em média uns AUD$ 700 na gravidez inteira para os exames adicionais.

O Pré Natal na Austrália

A primeira consulta com a Midwife ela faz um milhão de perguntas. Ela pergunta sobre todo seu histórico de saúde, pergunta sobre sua vida pessoal com o seu marido e faz uma avaliação da suas condições psicologias, vendo se você tem depressão ou algo do tipo. E claro, tira pressão, temperatura e essas coisas mais básicas.

Nas outras consultas você recebe um Yellow Card, onde todo o seu histórico e consultas vão sendo marcados e você tem que andar pra cima e pra baixo com esse cartão, pois caso algo aconteça eles tema cesso a todas suas informações rapidamente.

Você também fica com o número de celular da midwife e pode ligar 24 horas por dia, caso tenha alguma dúvida ou alguma preocupação na gravidez.

O que mais me impressionou foi como eles respeitam as escolhas das mães. Toda consulta eu tinha um monte de panfletos, livrinhos e folhetos explicativos e eu tive que ler e concordar e assinar as autorizações de vários procedimentos no bebe e em mim. Era tudo uma questão de escolha. Eles só forçam muito a barra para o parto natural e a amamentação.

Fotos da sala de parto do Royal North Shore Hospital em St. Leonards.

rnsh maternity4  Minha Gravidez na Austrália rnsh maternity4 Eles não tiram o bebe de dentro do quarto depois que ele nasce e fazem todo os exames com o bebe próximo a mãe. Dentro desses armários tem equipamentos hospitalares e eles ficam escondidos pra dar um aspecto melhor pras mamães. Por exemplo, essa portinha a esquerda vira uma mesinha onde a Felicity foi examinada nos primeiros minutos de vida.

rnsh maternity1  Minha Gravidez na Austrália rnsh maternity1 e1429877496612

Existe uma banheira em todos as salas de parto e dependendo da especialidade da midwife você pode optar por um parto na banheira ou somente utilizá-la pra ajudar no relaxamento. Essa banheira foi desenvolvida por uma midwife e enche e esvazia super rápido.

 

rnsh maternity2  Minha Gravidez na Austrália rnsh maternity2 Esse sofazinho vira cama pros papais, você também pode levar suas músicas pra tocar na hora do parto.

rnsh maternity3  Minha Gravidez na Austrália rnsh maternity3

TV e esses “seguradores” pra ajudar nos agachamentos na hora da dor. Além disso ainda tinha um banheiro individual. Os quartos foram desenhados por profissionais da saúde pra ser a sala de parto dos sonhos e eles conseguiram!

Aiaiai sempre reclamei que o Jerry fazia posts gigantes e esse ficou enoooorme, bom tenho tanta coisa pra falar, mais tarde eu volto e conto mais…

Solicite Orçamento 160×160

27 COMMENTS

  1. Maravilhoso o post, super detalhado.
    É incrível, chega a ser surreal como as coisas funcionam mesmo que sejam públicas, no Brasil temos a certeza de que se é público algo deixará a desejar.
    Parabéns novamente pela linda Felicity, e felicidades para a família.

  2. Ótimo post!!! Obrigada por compartilhar essas informações Michelle 🙂 Aaa e parabéns pra vocês pela Felicity! Muitas felicidades à familia.

  3. Parabéns mamãe e papai!
    Adorei o post, muito obrigado por compartilhar a sua experiência.
    Um abraço e muita saúde para a Felicity.

  4. Michelle, que lindo seu post! AChei demais… Planejo ir pra Austrália também com meu namorado e termos filhos por lá, como funciona a legislação neste caso? Precisamos antes conseguir a cidadania? Sei que pode demorar anos pra conseguirmos… 🙁 Obrigada!

    • Olá Thaynann.

      Você pode ter filhos aqui com o visto de estudante, mas eles não vão ser reconhecidos como Australainos, somente brasileirinhos nascidos no exterior. Assim que vc virar residente, todos os filhos que nascerem aqui já são automaticamente australianos e brasileiros, ou seja, possuem dupla cidadania.

  5. Oi Michele,
    PARABENS pela sua pequena! Eu adorei sua historia e entrei em contato com o hospital e pq eu moro fora da area deles eles nao me pegam.
    Como vc conseguiu? Obrigada

  6. Amei o post Michele, bem esclArecedor. Parabens pela Felicity. Você sabe me dizer se o programa Midwifery Group Practice, é somente para residente?

    • Eles não me pediram nada além dos meus dados pessoais e a data prevista pro nascimento da Felicity. Então eu acredito que seja pra todo mundo que esta interessada no programa.

  7. Michele, pode me passar seu email p/ conversarmos? Tenho muitas duvidas, se preferir podemos falar via skype? Tks.
    Beijo!

  8. Olá Michelle! Post mais do que excelente, e pra mim, veio na hora certa pra tirar algumas dúvidas. Descobri que estou grávida, com apenas dois meses de Austrália, meu marido como estudante e eu como dependente. Um pouco frustrante a princípio, mas sei que vai dar tudo certo. Nossos planos são de continuar aqui durante e depois da gravidez. Mas temos algumas dúvidas. Nosso plano de saúde é o Medibank OSHC Essentials, e já vi que ele tem uma carência de um ano pra usar os serviços de pré natal e parto. Você sabe se mesmo assim posso usar o sistema público, ou se existe algum outro plano que não tenha carência ou ao menos uma carência menor? Essa é minha principal preocupação no momento, pois se tivermos que desembolsar uma grana muito alta com os procedimentos, teremos que reconsiderar nossa estadia aqui. De qualquer forma, você e o Jerry sempre tem nos ajudado com suas experiências. E mais uma vez parabéns pela princesa! Abraços!

    • Parabéns Andressa.

      Obrigada pelo carinho.

      Ahhh é bom saber que esta grávida, mas assusta um pouco, né! Vc pensa minha vida nunca mais será a mesma. Vai dar tudo certo tenho certeza, muitos estudantes passaram por isso e outros estão já no segundo filho.

      Olha eu não sei te falar com precisão, vc já veio grávida do Brasil ou engravidou aqui. Sei que teve uma brasileira que engravidou aqui sem pleno de saúde e ela conseguiu fazer um planos de pagamento parcelado com o hospital público com um valor bem baixo. O hospital que fez isso foi o de Manly.

      Qualquer coisa me add no Facebook e eu tento ver a que eu consigo descobrir algo pra vc,

      Bjs Mi

  9. Oi Michelle

    Logo depois que li esse teu post (em maio) já liguei pro RNSH e comecei meu pré-natal lá. Muito bom mesmo.

    🙂

    Marta

    • Que coisa boa, fico feliz em ter ajudado.Espero que vc tenha um ótimo parto.
      Volte pra nos contar como foi!
      Bjs,
      Mi

  10. Olá Michelle,

    Muito informativo seu post. Estou indo para Australia com meu marido e irei com visto de estudante e tenho dúvida se caso eu engravide enquanto estou estudando, se eu corro o risco de perder meu status de estudante por não poder ir a aula por um tempo. Você saberia como são as regras para estudantes? Ja estudei nos EUA e lá quando você perde uma certa porcentagem das aulas perde o status do visto não pode mais ficar no país. Como é na Australia? Eu poderia trancar o college por um semestre, por exemplo, e depois voltar a estudar sem ter que sair do país ou perder meu visto de estudante? Agradeço se puder me ajudar! Obrigada e parabéns pelo post e pela filha!

  11. Olá Michelle!

    Adorei seu post, muito esclarecedor principalmente pq minha melhor amiga está na Austrália há 1 ano e acabou engravidando.

    Gostaria de entender melhor como é o esquema do pré natal! Ela está com 8 semanas.. Ela já pode começar o pré natal?
    Obrigada!!

    • Olá Carolina, Sim ela deve começar o pré natal procurando um médico GP (médico da família) Ele vai pedir vários exames de sangue e vai pedir o primeiro ultrassom. Ai ele também vai fazer uma carta pra encaminhar ela para um hospital próximo a casa dela.

LEAVE A REPLY