Este post foi uma idéia de um leitor do blog publicada nos comentários recentemente e que achei interessante compartilhar aqui. Antes de tratar do assunto preciso primeiro deixar bem claras duas informações. A primeira é que este post tem como ponto de partida minha visão e minhas experiências pessoais e abrange também as experiências de muitos brasileiros que conheci aqui. A segunda é que quando me refiro a brasileiros não estou falando dos brasileiros na Austrália de um modo geral, mas sim daquele grupo específico que depois de não se adequar mais ao lifestyle no Brasil, decidiu largar tudo e arriscar viver em outro país com a intenção de não mais voltar (para exercer sua residência permanente) para o Brasil.

Desta forma neste post vou tentar tratar de algumas questões específicas e outras mais genéricas que mudam na vida deste brasileiro e mudaram em alguns casos na minha vida depois de mudar para a Austrália e como é a experiência de quem volta para o Brasil de férias depois de muitos anos aqui. Vamos a ela.

Qualidade de Vida tem a Ver com Segurança

Screen Shot 2014-03-19 at 11.43.57 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Você pode dizer que tem a melhor qualidade de vida do mundo no Brasil. Seus pais são milionários, você dirige uma Ferrari, vai passar os finais de semana em Fernando de Noronha e mesmo assim você jamais irá entender o que é sair de casa as 11 da noite, passar tranquilamente no caixa eletrônico no centro da cidade, sacar 300 dólares sem sequer olhar para trás, sair andando contando nota por nota, entrar em um ônibus cheio de gente ainda colocando as notas no bolso, tirar seu Ipad e passar o caminho todo lendo um livro ou acessando a internet sem ficar nem por um segundo com medo de ser assaltado, sequestrado ou sofrer qualquer tipo de violência.

O Brasil não é para principiantes”. Tom Jobim

Aqui na Austrália fazer isso e outras coisas impensáveis para qualquer brasileiro são habituais. Ainda lembro que na primeira vez que minha esposa (na época namorada) pegou ônibus aqui ligou para me contar que tinham umas 10 pessoas com Notebook no ônibus. Aquilo foi tão absurdo que brincando falei para ela não “dar mole” e roubar os “caras”.

Se eu saio à meia noite para andar de bicicleta em frente a praia com minha esposa a única preocupação que temos é de ser atropelado e mesmo isso é bastante raro, principalmente neste horário. Aqui na Austrália você percebe que aquele sonho americano de vida só é sonho para quem vive no Brasil, aqui ele é a realidade do mais pobre ao mais rico.

Screen Shot 2014-03-19 at 11.47.31 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Por isso, toda vez que vou ao Brasil fico entristecido ao ter que falar ao telefone dentro do meu carro com o telefone escondido e meio abaixado, em não poder tirar um telefone na rua sem ficar com medo de ser assaltado, não poder andar com meu notebook sequer solto no banco de trás do carro, quanto mais sonhar em pegar um ônibus com um Ipad na mão.

Depois de uns dias no Brasil você começa a ser tomado por uma credibilidade enorme por uma frase que eu ouvi outro dia que diz que: “Todo brasileiro é um ladrão em potencial. Mas a frase não é minha, roubei de alguém aí..”. Da última vez que estive no Brasil liguei o Malandragem Mode On e andei extremamente cauteloso e mesmo assim escapei de um assalto por que os velhos instintos nunca morrem e consegui pensar rápido para sair daquela situação. Ao parar 5 minutos depois para considerar por que quase havíamos acabado de ser assaltados, olhamos um para o outro e vimos que minha esposa estava de brinco, anel, bolsa e eu de relógio e tenis, algo absolutamente comum aqui, mas que nos causou um susto em um dos bairros mais tradicionais de São Paulo chegando a uma importante feira gastronômica.

Cada Um Lava Suas Roupas, Arruma Sua Casa e Cozinha Sua Comida

Screen Shot 2014-03-19 at 11.45.31 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Na Austrália as crianças muitas vezes ajudam nas tarefas domésticas

Houve uma pequena confusão aqui nos comentários do blog há duas semanas sobre o termo filhinho de papai. Primeiro é preciso entender o que um brasileiro na austrália considera um filhinho ou filhinha de papai. Não é quem nasceu em uma família rica ou tem muito dinheiro. Deste grupo muitos aqui poderiam ser considerados filhinhos de papai. Este termo na verdade é usado para pessoas frescas, com dinheiro mais uma mentalidade pobre, atrasada e delirante. São bem explicados no ótimo texto do publicitário Nizan Guanaes sobre os Novos Ricos do Brasil. (retificando, o link anterior estava apontando para o endereço errado – Corrigido!)

“O Brasil precisa explorar com urgência a sua riqueza – porque a pobreza não agüenta mais ser explorada”. Max Nunes

Aqui na Austrália muitos brasileiros e a maioria dos australianos, lavam e passam as próprias roupas, arrumam a própria casa, limpam o próprio chão, cozinham a própria comida, cuidam dos próprios filhos, levam seus filhos para a escola e vão buscá-los, pagam as próprias contas, carregam as próprias malas, e em alguns casos, como o meu, lavam o próprio carro. Este último tenho que confessar que sou um pouco exceção, pois sempre que estou lavando o carro na garagem do meu prédio sou abordado por pelo menos uns 2, ou 3 Australianos que vem elogiar meu carro, meu trabalho e puxar papo.

Então, quando algum brasileiro aqui ouve alguém achando o fim do mundo não ter empregada ou faxineira, naturalmente pensa quem isso é mentalidade de Filhinhos de papai.

Eu mesmo tive empregada em minha casa (quando morava com minha família no Brasil) desde a infância. Hoje acho isso absolutamente desnecessário. Desnecessário, pois o brasileiro muitas vezes diz que não tem tempo para lavar o próprio copo, mas passa horas no shopping fazendo compras. E quando digo isso incluo minha própria família, pois em minha última visita no Brasil fiquei inconformado o quão dependente eles são de uma empregada ou outros funcionários.

Screen Shot 2014-03-19 at 11.46.41 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Aqui na Austrália trabalhei para uma empresa em que os donos não moravam numa casa, mas sim em quase um sítio no bairro de Dural, mesmo bairro onde mora o tenista Australiano Lleyton Hewitt. Tinham 2 filhos, 9 carros, entre eles um Porsche RS3 e uma Mercedez AMG, um estábulo em casa e acreditem ou não, não tinham empregada. Tinham uma babá que pegava os filhos na escola, mas mesmo esta trabalhava apenas 3 vezes por semana.

Minha cunhada mora em uma casa de 5 quartos, 2 banheiros com vista para a praia de Manly e, em mais de 13 anos na Austrália, jamais teve empregada. Isso que ela tem dois filhos.

Na minha casa não é diferente. Nunca tive alguém um dia para ajudar na limpeza. E não só isso. Eu e minha esposa pintamos nossa própria casa. Quando fui instalar a TV na parede, eu mesmo assisti vídeos no Youtube e fiz a instalação., quando precisamos tapar um buraco que fiz no Dry Wall para passar os cabos da TV eu fiz também, além de instalar todas as Roller Blinds (cortinas) aqui de casa.

Eu pintando a casa

O que quero dizer com isso é que o povo aqui na Austrália se vira para coisas que o povo no Brasil nem sonha em fazer. Ainda lembro minha revolta quando conversei com uma amiga no Brasil e ela me disse que precisava contratar uma faxineira para o escritório (DELA) de 20 m2, pois estava com muita poeira no chão.

Quem vier pra cá e tiver dinheiro para ter empregada, babá e motorista, excelente. Não tem nada demais. O problema é falar que não vive sem isso. Assim, não é uma questão de ter dinheiro ou não, ou de ter uma empregada ou não. Todo mundo tem direito de ter uma empregada se quiser e puder pagar e ninguém é culpado por ser rico (muito pelo contrário, deve ser muito bom nascer em uma família muito rica, eu adoraria). O problema é quando a pessoa acha que não vive sem empregada ou faxineira ou trata a empregada como uma Empregada e não como uma funcionária que merece ser respeitada e tratada com humanidade.

No mais, tem muita gente pobre, de família pobre que é 100 vezes mais filhinho de papai que qualquer Rico filhinho de papai que você já conheceu aqui. Ser filhinho de papai não é uma questão financeira, mas de atitude.

Screen Shot 2014-03-20 at 12.16.27 am  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 20 at 12

O resultado final depois da pintura e da instalação. Não deve nada para o trabalho de um profissional que teria me cobrado pelo menos $5000,00 dólares para pintar a casa, instalar a TV e passar os cabos.

Mais uma vez recomendo que leiam o texto sobre os Novos Ricos do Nizan Guanaes. Muito bom, mas dá pra um incluir muito, mas muito pobre mesmo no mesmo bolo. De fato, sem atacar ou defender qualquer classe social, os melhores clientes que eu já tive foram pessoas que são ricas há muito tempo, ou seja, a riqueza vem de gerações. Trabalhei dando consultoria para empresas da área de educação, principalmente universidades, nos EUA e no Brasil e a diferença que percebi entre os antigos ricos para os novos ricos ou classe média alta, é que coincidentemente estas pessoas ricas há gerações me tratavam como um amigo ou colega. Já uma boa parte dos demais me via como alguém que eles estavam pagando para fazer um trabalho.

Qualidade de Vida Tem a Ver com Se Divertir Gastando Pouco (ou Nada)

image-966-644  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta image 966 644

A maioria das melhores diversões na Austrália são gratuitas ou custam muito pouco. Aqui é comum fazer picnics com os amigos e familiares, fazer um churrasco na praia utilizando as churrasqueiras públicas que custam 2 dólares por hora (algumas são de graça). Ir andar de bicicleta nas ruas ou nos parques.

Aqui a maioria dos bairros tem pelo menos 3 parques além de várias outras diversões em um raio de 1 km. Só aqui onde more há 2 parques e pelo menos 3 praias que posso ir a 1, 1.5 e 2 km de distância.

Aqui você não precisa levar seus filhos para o shopping no Sábado a tarde, pois não tem para onde ir. O que não falta em Sydney são lugares para ir e se divertir com segurança, tranquilidade e gastando nada ou muito pouco.

Educação e Respeito tornam a Vida Melhor em Qualquer lugar do Mundo.

Screen Shot 2014-03-20 at 12.01.49 am  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 20 at 12

Depois de quase oito anos na Austrália, na minha segunda vez no Brasil (a primeira foi depois de 3 anos e meio aqui) fiquei impressionado com a falta de educação e respeito que cerca a maior parte da população brasileira. Do modo que dirigem no trânsito a total falta de respeito pelo espaço alheio, no Brasil diversas vezes me perguntei se as pessoas tinham noção de privacidade e respeito ao próximo.

No Brasil, quem tem ética parece anormal”. Mário Covas

No trânsito ninguém respeitava faixas de trânsito, faixas de pedrestre, businavam a meia noite, fechavam, paravam em lugar proibido, em cima da faixa, em vagas de deficiente e assim por diante. No voo da Tam do Espírito Santo para Vitória voltei com a pessoa do acento ao lado ouvindo um filme a todo volume em um Macbook de 17 polegadas sem fones de ouvido e com uma mulher com uma criança de 3 anos no banco de trás chutando meu acento durante todo o voo e que chegou ao cúmulo de gritar com toda força dos pulmões em meus ouvidos. A mãe? Nem esboçou um pedido de desculpas ou pediu para a criança parar. E eu, não sabia se queria atirar a mãe do avião ou o comissário que veio umas dez vezes pedir para a criança se comportar, mas sem impor qualquer autoridade.

Uma criança destas em um voo dos EUA para qualquer lugar do mundo certamente iria amarrada. Entendo que as crianças não podem nem devem ficar paradas em um voo, mas cabe aos pais (os educados) exercer limites.

qqq  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta qqq

No meu voo dos EUA para a Austrália vim ao lado de um casal de americanos com 3 filhos pequenos. Eles brincaram, andaram, pediram comida e em absolutamente nenhum momento incomodaram. Seus pais, entendendo a necessidade de respeito pelo espaço do próximo e certamente por serem mais educados fizeram a viagem confortável não somente para eles como para os demais passageiros.

Aqui na Austrália há um enorme respeito pelo próximo. Eu nunca em nenhum lugar do mundo vi tantas crianças como vejo aqui. Elas estão aos montes em absolutamente todos os lugares. Praias, cafés, restaurantes, lojas, shoppings, supermercados e nunca, em 8 anos aqui, passei por qualquer tipo de situação em que fui incomodado. Muito pelo contrário. Fico feliz em ter meus filhos aqui, pois desde cedo, seja em casa, como na escola eles aprendem disciplina e respeito, seja pelos pais, pelos professores, pelos parentes e amigos. As crianças na Austrália são calmas e educadas de uma maneira difícil de descrever. Estão sempre brincando, correndo em parques, fazendo esportes e mesmo assim, se você não prestar atenção, pode ser que nem perceba que elas estão lá.

Isso mostra que a educação que o Australiano adulto tem pelo próximo vem de cedo e isso torna a vida em qualquer lugar muito mais agradável, pois não importa a situação (salvo raras excessões) você sabe que terá seus direitos respeitados.

Qualidade de Vida tem a Ver com Salários Justos

Screen Shot 2014-03-19 at 11.35.57 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Qualquer pessoa pode ganhar o suficiente para ter uma excelente qualidade de vida com a família

Não vou nem explicar este ponto. Só vou dizer que uma amiga acabou de sair de casa agora e me contou que o marido dela está ganhando $26.00 dólares por hora para embalar produtos. Semana passada estava na praia com uns amigos e um deles me disse que tem um amigo que ganha mais de $100 mil dólares por ano dirigindo caminhão de entregas.

Acesso à Saúde, Educação e Suporte Governamental Sério Tornam a Vida Muito Melhor

Screen Shot 2014-03-19 at 11.58.40 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Hospital público na Austrália – Melbourne

Você pode ter mais dinheiro que o Bill Gates, mas se tiver um ataque cardíaco será levado para um hospital público. Não existe atendimento de emergência em hospitais particulares. Isso não apenas torna o país mais democrático, como melhora a qualidade dos hospitais e atendimento público.

Recentemente fomos atendidos em um hospital aqui de Sydney e a qualidade do atendimento, a educação e respeito dos médicos, enfermeiros e funcionários foi algo inimaginável. Dois dias depois de deixarmos o hospital a enfermeira principal ligou para perguntar como minha esposa estava, se ela estava tomando os medicamentos e ainda passou o resultado dos exames. Além disso ela se comprometeu de ligar toda semana por 4 semanas até ter certeza que está tudo bem.

Screen Shot 2014-03-19 at 11.59.35 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

As escolas públicas nem se fala. Mais da metade são muito boas e muitas das melhores escolas da Austrália são públicas. Existem excessões, mas a Austrália ainda possui escolas especiais por mérito em diversos bairros onde somente os melhores alunos estudam e possuem uma estrutura ainda melhor, tudo isso pago pelo governo.

Também tem o Medicare que é o sistema de saúde do governo que apesar de muita gente reclamar é um paraíso perto dos sistemas da maioria dos outros países, Tem o Centrelink que provê ajuda financeira e inclusive moradia gratuita para pessoas sem renda, que estão passando por problemas de saúde, desempregadas, aposentados, mães solteiras ou pessoas que estão passando por qualquer tipo de problema.

Apesar de eu possuir plano de saúde aqui você fica tranquilo ao saber que independente do problema de saúde de emergência que você tenha você será tratado e atendido imediatamente em um hospital público com qualidade que você só encontra nos mais caros hospitais particulares do Brasil.

O Jeitinho Brasileiro é Um Atraso de Vida

Screen Shot 2014-03-19 at 11.39.44 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Bondi beach

Já dizem que o atalho é o caminho mais longo para qualquer lugar, mas parece que no Brasil esta máxima nunca esteve na moda. Aqui na Austrália não existe jeitinho pra nada e os brasileiros aqui muitas vezes ficam inconformados com isso. Tudo aqui é feito By The Book, ou seja, de acordo com as regras. O Jeitinho Brasileiro é Torna a Vida Insuportável.

“Assim como o brasileiro foi educado para perder, o americano foi educado para ganhar”. Tom Jobim

Você sabe por que você come no McDonalds toda vez que viaja para outro país?  (tirando pessoas que não comem no Mc de jeito nenhum) . Não é por que você ama McDonalds e não consegue ficar sem, mas sim por que você sabe o que esperar ao fazer um pedido no McDonalds. Você sabe qual será o gosto do sanduiche, qual será a temperatura da Coca Cola, quão crocante estarão as batatas, mais ou menos quanto irá custar e como será seu atendimento. Isso por que a rede faz tudo By The Book em todos países do mundo.

Mas até isso o Brasil conseguiu estragar. Fui super bem atendido em praticamente todos restaurantes onde fui no Brasil, exceto no McDonalds.

Mas o ponto é que a vida se torna tão melhor quando você sabe o que esperar do serviço de saúde, dos atendentes do RTA (O Detran daqui), da empresa de telefone, de luz, de gás, da pessoa que vai te atender na loja. Onde você sabe que se ligar para polícia ela vai aparecer, se chamar uma ambulância ela vai chegar, se for assaltado eles irão investigar, se baterem no seu carro o seguro vai pagar.

Recentemente um policial bateu no meu carro que estava estacionado. Apenas liguei pro meu seguro, expliquei o que aconteceu, ela me pediu a placa do carro que bateu em mim e não precisei fazer absolutamente mais nada. No dia seguinte deixei o carro em uma oficina autorizada perto da minha casa, o seguro mandou um taxi para me levar de volta pra casa e mandou outro pra me pegar quando fui buscar o carro. Sabe quanto gastei por tudo isso? Nada. Não tive dor de cabeça, não tive que discutir com ninguém nem me estressar. Todo mundo fez o que tinha que fazer e isso já faz toda diferença.

Você Não É é Branco

Screen Shot 2014-03-19 at 11.53.53 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Existe uma frase que exemplifica isso do filme American History X, depois que o Skin Head representado pelo ator Edward Norton e que pregava a superioridade branca vai pra prisão, um afro-descendente vira pra ele diz: “Brother, fica na sua, pois aqui o preto é você”.

Na América uma gota de ancestralidade negra faz você preto. No Brasil, a mentalidade do povo é tão absurda que é quase como se uma gota de ascendência branca te fizesse branco.” Henry Louis Gates

Uma vez aqui na Austrália ouvi de um brasileiro bem moreninho, mas bem moreninho mesmo, pense um sujeito moreno até para o Brasil, dizer que o problema do Brasil eram os nordestinos e outras vezes ainda o ouvi fazer piadas preconceituosas contra afro-descendentes.

No Brasil existe um infeliz sentimento de superioridade por pertencer a um grupo que na Austrália você não somente não pertence, mas está literalmente do lado oposto. Aqui nem 2% da população brasileira que mora aqui é considerada branca. Mesmo estes 2% de “brancos”, 99.9% das vezes são tidos como europeus, jamais como Australianos.Se são confundidos e se passam por Australianos são somente por estrangeiros sem noção que não nasceram aqui.

Screen Shot 2014-03-19 at 11.55.52 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Minha esposa é branca, tem cabelo castanho claro liso e olhos azuis e mesmo assim ela jamais foi confundida como Australiana, a não ser por brasileiros e outros estrangeiros.

Eu na maioria da vezes dizem que sou italiano, espanhol, mexicano ou South American. Somente australianos que convivem com brasileiros acham que sou brasileiro. Muitos estrangeiros e pouquíssimos Australianos já me confundiram com americano, mas isso mais pelo meu accent falando inglês e por que nos EUA tem gente de tudo quanto é tipo. De fato tenho ascendência italiana, mas aqui não sou considerado branco, mas Olive Skin.

Só que a diferença é que aqui isso não é um problema, eles fazem isso mais como uma ferramenta de identificar as culturas do que gerar qualquer preconceito.

Aqui você vê gente de todas as culturas, de todas as cores em qualquer tipo de cargo. Você vê Australiana loira de olho azul que poderia ser modelo no Brasil desempacotando caixas no supermercado como vê indianos recém-chegados em altos cargos em empresas. Assim como o oposto é verdade. Aqui você não é julgado pela sua cor ou pelo dinheiro que tem. Preconceito, existe sim, mas são casos isolados.

Mas Sou Brasileiro

Pretendo morar na Austrália pelo resto da minha vida. Só pretendo sair daqui para passar uma temporada em outros países, mas quero sempre voltar pra cá.

Porém, independentemente de onde eu more sei que sou e sempre serei brasileiro. Não digo isso pelo fato de ser reconhecido pelos outros como brasileiro, mas por me sentir brasileiro. Continuo torcendo para o Brasil, amando o Brasil, me identificando com o Brasil e tirando estes pontos ruins que na sua grande maioria foram mudados em mim por morar aqui, jamais vou deixar de ser brasileiro.

“Everybody that went away suffered a broken heart. “I’m coming back some day,” they all wrote. But never did. The old life was too small to fit anymore.” ― Annie Proulx, The Shipping News

Meus filhos serão Australianos, falarão com este sotaque ininteligível, vão competir pela Austrália, cantar o hino australiano no pódio, usar chapéus gigantes para ir para aula, comerão vegemite e falarão No Worries Mate, mas certamente ao chegarem em casa encontrarão seu pai sentado no sofá com a camisa verde amarela gritando vai Brasil assistindo UFC, Formula 1 ou Futebol. Irão me ver comendo feijoada, tomando guaraná, comendo beijinho, abraçando meus e até cumprimentando com um beijo alguns deles (somente os quase irmãos). Vão ter um pai que não bebe e os ensinará a não beber, apesar da cultura australiana ser movida a etanol e vão me ver por alguns dias chateado se decidirem que o esporte que querem seguir é Rugby ou Netball.

Screen Shot 2014-03-19 at 11.51.55 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Vão ouvir um “Porra Moleque” de vez em quando quando aprontarem e terão que me aguentar contando histórias e mostrando fotos dos seus avós, bisavós e parentes no Brasil, Vão ouvir o pai contar com saudade da vida no Brasil e vez por outra reclamar que os brasileiros são muito mais calorosos. Vão ter que me aguentar os beijando e abraçando o tempo todo e ouvir minhas piadas sem graça em português.

Screen Shot 2014-03-19 at 11.52.15 pm  A Mente do Brasileiro na Austrália e a Experiência de Quem Volta Screen Shot 2014 03 19 at 11

Vão ter que me aguentar falando das proezas do Senna semanalmente e assistir comigo gravações do GP do Brasil de 1991 me ouvindo dizer que eu estava lá no paddock acompanhando ao vivo a primeira vitória do Senna no Brasil e como fiquei rouco por quase uma semana de tanto gritar. De como vi a seleção ser Tetra e Penta, que o Garrincha é o melhor jogador que já existiu e como São Paulo tem os melhores restaurantes do mundo. E tudo isso apenas pelo fato de que apesar do meu amor pela Austrália e minha eterna gratidão por tudo que este país incrível e seu povo extraordinário me proporcionou e proporciona, eu serei sempre Brasileiro e onde quer que eu esteja eu nunca vou deixar o Brasil sair de mim. Mas o Brasil que eu amo é o Brasil que eu vivi. Outra época em que eu também era outro. Hoje eu e o Brasil somos diferentes. É como um casal casado por anos que se separa e quando se encontram novamente percebem que mudaram muito e que já não tem mais tanto a ver um com o outro e assim fica cada um feliz do lado que decidiu ficar.

Mas ao mesmo tempo sempre Australiano de coração, amando e respeitando este país que me deu o imenso privilégio de morar e criar minha família aqui

Solicite Orçamento 160×160
SHARE
Previous articleA História de Jhonny e Talita na Austrália
Next articleQuanto Custa Viver em Sydney
Jerry Strazzeri
Jerry Strazzeri vive na Austrália com sua esposa desde 2006. Trabalha como Analista Digital na Austrália já tendo trabalhado em empresas no Brasil e Estados Unidos. Cidadão Australiano, junto com seu trabalho está concluindo uma graduação em Leadership. Junto com sua esposa Michelle, foi responsável por diversos sites na área de educação e TI e criaram o Brazil Austrália em 2006 para ajudar aqueles que estavam imigrando ou vindo estudar na Austrália. "Mas eu e a minha família serviremos ao Senhor" ~ Josué 24:15 Veja meu outro blog - Siga-me no Quora

396 COMMENTS

    • SIIIM! Ficou muuuuito muuutio incrível.
      Você está melhorando cada post que passo por aqui (pelo menos um ao mês, rs)

  1. Olha, desculpa mas tenho que discordar quanto ao RTA. Pessimo atendimento e cada pessoa diz uma coisa completamente diferente da outra. Mas, adorei seu texto, muito bom mesmo e divido o mesmo sentimento em muitos pontos.

    • Salve Larissa e Jerry, que bom que cada um diz uma coisa completamente diferente da outra! Mas quantos tem capacidade intellectual de ler criticamente um texto até o final?

      Cada um acredita no que quer, pois fato estatístico é diferente de crença pessoal. O ser humano tem a capacidade de racionalizar qualquer superstição mesmo confrontado a qualquer dado estatístico real. Os proselitistas usam o exemplo do Neymar ou da Gisele, para vender chuteira e baton para milhões como um bilhete de loteria, ou fazem terrorismo para de deixar com medo e vender uma apólice de seguro. Aí vc perde seu senso crítico por estar numa manada q só faz correr, just do it. Estas pessoas são conhecidas aqui como as “pessoas na casa de vidro” (Só procurar no google “People in Glass Houses”) que só conseguem ver o mundo cor de rosa e só aceitam as pessoas q vejam como elas.

      Respeito a opinião de cada um, pois só ditadores não permitem a expressão de idéias contrárias (Hitler queimava livros, pois n tinha argumentos contra eles). Mas na minha experiencia, a Austrália relatada no post é bem diferente da que foi vivida nos últimos 32 anos pela minha família aqui. É aceitável ser míope a visão de um jovem sem filhos com poucos anos aqui, pq pra ele fazer o picnic num parque ainda é o máximo. Muito normal, inclusive comigo nesta fase, nos autoafirmar continuamente pela decisão de morar aqui ao sempre comparar com a vida no Brasil. Mas aí passa o tempo e vc realize q não vive mais lá para fazer comparaçòes inúteis.

      É exatamente quando ao fazer comparações entre vc, q agora é legalmente um cidadão, e outros (true blue) bate a depressão da realidade: Vc vive num país aristocrático (lembre q agora vc é sudito da rainha) com mínima mobilidade social, portanto a única esperança de nós wogs é projetada no nosso filho “true blue”.

      Para mim o sonho Americano é no risk, no gain, onde vc tem oportunidade de ficar rico na fase mais produtiva da sua vida, dos 25 aos 45, para poder aproveitar uma aposentadoria com segurança e estilo. A maioria não consegue, mas volta pro Brasil pelo menos com um prêmio de consolação pelo risco de ter trabalhado “ilegalmente” lá.

      Já na Austrália não há sonho para o imigrante, só certeza. Pq vc como imigrante vai pagar alto impostos e tentar ter superavit durante 30 anos para quitar o financiamento da sua casa. Se vc não conseguir, volta pro país de origem, pq aposentadoria sem um imóvel vivendo num asilo na Austrália é muito mais triste q no Brasil.

      O fato é que enquanto o brasileiro leva a fama de malandro, aqui ve o australiano o que herdou a casa dos pais recebenho um bolsa família de Au$1000 (dinheiro do imposto q o imigrante paga), trabalhando algumas horas de cash in hand sem imposto para se distrair e o resto do tempo é sexo, drogas e surf. Portanto venham meus queridos brasileiros que repudiam a malandragem e se consideram puros e acima dela, mas que imigrarão graças ao skill adquirido nas universidades públicas brasileiras com dinheiro público (brain drain), a Austrália te quer.

      Outra questão do post q não concordo é esta estória romantica que o povo daqui faz tudo sozinho pq isso é uma virtude, não quer ver q há um óbvio fundo econômico pq é muito mais caro manter um ser humano fazendo domestic hospitality que comprar máquinas substitutas com baixo imposto. Nos padrões de hygiene brasileiros, eles são considerados porcos, preguiçosos e muito mais dependentes de máquinas importadas da China para substituir gente, já q no fundo eles evitam contato com gente, principalmente imigrantes.

      Por ultimo vem as contradições do post que incomodaram muito. Se o Sistema de saúde público daqui é tão bom, pq pagar plano de saúde? Se o Sistema de ensino aqui é tão bom, pq há escolas privadas q cobram caro e ainda selecionam quem entra? Enquanto é tão seguro para sair com dinheiro do caixa eletronico, pq não é para ter seu dinheiro (mais de 40.000 dólares) roubado direto da sua conta e ter meses para receber de volta(felizmente)?

      Portanto ficam estas perguntas para um próximo post.

      Obrigado e parabéns pela coragem de abrir democraticamente seu blog para posts dos leitores.

      Marcelo Silva

      • Marcelo, creio que seu problema, esta nos seus valores, e é claro numa visão elitista. Guarda aquele sentido de ser rei! Que se espalha por todo brasuca.
        Tem razão em dizer que fazem seu trabalho pois empregada custa caro.
        A Classe média brasuca, é absurdamente arrogante e má. Não me faltam pessoas reclamando que os programas e renda mínima (mínima mesmo, mal se come), tiraram suas empregadas baratas. E que agora elas ficam ainda querendo direitos.
        O Classe média brusaca, é assim, assim absurdamente arrogante, cospe reclamações de tudo, do governo principalmente,mas sonega impostos, fura fila, faz tudo de podre, financia campanhas de políticos ladrões e depois diz que é culpa dos políticos. O Brasuca, se acha acima de todos, tem sempre dentro de si a ideia que as normas são pros inferiores, coisa de pobre, que ele o superior esta acima das normas e pior isso é bem visto pela sociedade brasileira. Em países realmente desenvolvidos, ser um seguidor das normas faz parte dos valores.

        • Marcelo,

          Vou ser breve na minha resposta ao seu comentário.

          Estou morando há pouco mais de quatro anos aqui na Australia, tenho duas filhas nascidas em hospital público, fui operado de um joelho também em hospital público (apesar da minha empresa pagar o plano de saúde) e desde quando cheguei a minha renda quase triplicou!!

          Não só faço pique nique no parque, como vou de bicicleta pro trabalho e levo minhas filhas pra andar de caiaque no rio ( limpo) aqui perto…

          Peguei parte do financiamento da minha casa com juros de 4.90% ao ano… Quase a metade dos juros praticados no Brasil. Aliás eu aprendi a eu mesmo manter minha casa arrumada, limpa e impecável sem terceirizar este esforço a ninguém!! Minha casa é mais limpa e arrumada do que se eu negligenciasse este esforço e delegasse à uma empregada

          O fato de contratar um Handyman ou uma empregada ser mais caro do que no Brasil realmente contribui para vc assumir certas tarefas, mas isso vai exatamente contra ao que vc falou de pouca mobilidade social. um caminhoneiro de minas pode ganhar 150 000 por ano, um pintor ganha 8 000 pra executar o trabalho de 2 dias para pintar um telhado!! Muito trademans ganham mais do que eu que fiz faculdade.. Muitos!!

          Talvez estes 32 anos que sua família viveu aqui te fez esquecer o quão competitivo é o Brasil .. Um motorista de caminhão ou um pintor lá infelizmente tiram bem menos do que os daqui.. As escolas públicas, hospitais não tem qualidade e ninguém se sente bem em usar destes serviços, ou seja além de ganharem menos terão que pagar por serviços básicos que aqui são oferecidos gratuitamente.

          Amo meu Brasil, mas como o Jerry colocou brilhantemente, não mais para me relacionar 🙂

          Abraçao!!

      • Marcelo,

        Vou ser breve na minha resposta ao seu comentário.

        Estou morando há pouco mais de quatro anos aqui na Australia, tenho duas filhas nascidas em hospital público, fui operado de um joelho também em hospital público (apesar da minha empresa pagar o plano de saúde) e desde quando cheguei a minha renda quase triplicou!!

        Não só faço pique nique no parque, como vou de bicicleta pro trabalho e levo minhas filhas pra andar de caiaque no rio ( limpo) aqui perto…

        Peguei parte do financiamento da minha casa com juros de 4.90% ao ano… Quase a metade dos juros praticados no Brasil. Aliás eu aprendi a eu mesmo manter minha casa arrumada, limpa e impecável sem terceirizar este esforço a ninguém!! Minha casa é mais limpa e arrumada do que se eu negligenciasse este esforço e delegasse à uma empregada

        O fato de contratar um Handyman ou uma empregada ser mais caro do que no Brasil realmente contribui para vc assumir certas tarefas, mas isso vai exatamente contra ao que vc falou de pouca mobilidade social. um caminhoneiro de minas pode ganhar 150 000 por ano, um pintor ganha 8 000 pra executar o trabalho de 2 dias para pintar um telhado!! Muito trademans ganham mais do que eu que fiz faculdade.. Muitos!!

        Talvez estes 32 anos que sua família viveu aqui te fez esquecer o quão competitivo é o Brasil .. Um motorista de caminhão ou um pintor lá infelizmente tiram bem menos do que os daqui.. As escolas públicas, hospitais não tem qualidade e ninguém se sente bem em usar destes serviços, ou seja além de ganharem menos terão que pagar por serviços básicos que aqui são oferecidos gratuitamente.

        Amo meu Brasil, mas como o Jerry colocou brilhantemente, não mais para me relacionar 🙂

        Abraçao!!

      • Como diz o texto ” O jeitinho Brasileiro e um atraso de vida”
        Nunca senti o tal de preconceito contra imigrantes que voce disse. E se algumas pessoas passam por isso, tenho certeza que se deve ao fato de querer impor o jeitinho brasileiro na cultura australiana, como por exemplo falar gritando e fazer baderna em tudo quanto e lugar publico e tentar tirar vantagem em cima de tudo e de todos. Australianos detestam esse tipo de comportamento e me sinto envergonhada quando vejo brasileiros aqui, NO PAIS DELES, não respeitando a cultura que vieram viver. Quem vai viver no exterior, independente do pais que seja, precisa aprender a RESPEITAR os espaço do proximo e se adaptar a cultura e acima de tudo RESPEITA-LOS se desejam ser respeitados. O universo nos trás o que oferecemos, simples assim.

      • Olha, sou brasileira, moro na Austrália desde 2008.
        Fui e voltei sempre que pude de férias e isso não faz de mim uma patricinha, sempre trabalhei para poder pagar minhas passagens.
        AMO a Austrália e não nego. Mas não concordo com alguns pontos:
        De acordo com uma pesquisa feita alguns anos atrás, A Austrália era a número 1 em xenofobia, e isso eu vivi logo que cheguei aqui. (Não conseguia alugar Ap pq era brasileira);

        Vc vê estrangeiros em grandes cargos de empresa, pq os estrangeiros estudam para tal, enqto australianos são muito preguiçosos e empregos manuais são valorizados. Logo, eles acham que estudar é perda de tempo se vc pode ganhar dinheiro logo sem “perder tempo”. Muitas pessoas já me disseram que estudei e estudo demais.
        Minhas melhores amigas aqui são neozelandesas e/ou australianas.
        não ando com brasileiros, existe uma competição muito grande e um quer passar a perna no outro;
        Ngm tem empregada pq é caro, já que não há grandes diferenças sociais.

        Brasileiro gosta de status: carro do ano, faxineira em casa, festa no buffet mais caro etc… Enquanto o australiano valoriza mais o que e feito a mão.
        Existem gastos muito altos aqui tbm e impostos tbm altos. Qdo se é dono de empresa a gente percebe essas contribuições altissimas.
        não acho que tive sorte em não prcisar de sub emprego, acho que estudei bastante para poder fazer o que gosto.
        Acho que vc esqueceu de dizer que a MAIORIA dos brasileiros que vem para cá, vem pq quer surfar e fumar maconha quando bem entende; assim como é muito comum ver brigas em bares, ruas eo nível de álcool consumido é absurdo( vc falou rapidamente do álcool e algumas pessoas mencionaram as brigas);

        Vc tbm disse que as crianças são mais educadas aqui, eu discordo, e por conviver com muitas crianças poso falar disso com vivência: são mimadas, são egoístas e dão show SIM. E os pais acham normal esperar o momento da criança de “se acalmar”

        O Brasil tem muitos problemas e eu não consigo morar por lá, mas reconheço os prós e contras, assim como na Austrália tbm tem seus pontos baixos, e não são poucos. A questão é, quais pontos te incomodam menos e quais problemas vc suporta mais.
        Não dá para generalizar o Brasil pelo bairro que vc morou ou a Austrália pelo lugar que vc está: ambos tem o bom e o ruim,mas cada um enxerga aquilo que quer.

        • Ola Gente,sou brasileira e moro a 17 anos na Alemanha.Amo esse Paismais que tudo.Ja tive problemas com alguns brasucas aqui,mais tem cada brasuca tambem legal e humilde que Vale apena conviver.A vida aqui e muito agitada e fria,o sol aparece pouco mais Vale apena viver aqui.Bons alemaos e Bons brasileiros encontamos por aqui,apenas devemos evitar muito entra e sai nas nossas casas,entao conseguimos viver bem com todos.Brasil para mim e super lindo,mais quero ficar aqui mesmo,pois a seguranca que ainda temos aqui,infelismente nao existe mais na minha cidade Fortaleza.Abracos a todos e continuem se unindo,pois e o que nos precisamos aqui nos exterior;e nos unirmos como irmaos.

      • Mandou bem Marcelo! Nunca devemos esquecer que o melhor país do mundo é aquele onde nascemos e fomos criados, por mais aconchegante que seja um país estrangeiro, nunca será igual ao país de origem da pessoa em termos de amizade e fraternidade. Todo estrangeiro carrega em si um estigma, afinal “isn’t your own country”. Acredito que este estigma social é dado por natureza a fim de evitar tranferência de uma pessoa de um país para outro sem necessidade extrema, causando um transtorno à pessoa em face de uma adaptação que na maioria das vezes é sofrida. Claro que é importante também se buscar melhor qualidade de vida, quando num país como o Brasil, temos uma grave crise econômica, acometido de altos índices de violência, mas o mais importante é buscarmos meios de reverter este quadro. Lembrem-se brasileiros que estão vivendo no exterior (mais de 2 milhões). Foram os políticos que expulsaram vocês deste país, através de maus governos. Para se ter uma idéia, o Brasil vive ainda uma condição de regime de colônia, isto porque os políticos tratam em primeiro lugar deles próprios e o que sobra vai para o povo. Por causa disto me revoltei e lancei uma campanha para uma reforma geral no Brasil a qual se implantada tornará o Brasil um país de 1º mundo. Visite a página no Facebook: Reforma GERAL Brasil e terão meios de mesmo estando fora do país, lutarem por essa grande conquista colaborando com a campanha.

  2. Nao quero voltar mais para o Brasil!!!Quero aproveitar ao maximo esse ano por aqui. Depois que cheguei aqui, minha visao de mundo mudou completamente. Tenho que admitir que seu texto estah impecavel, cativante demais, nao sou muito fa de leitura,mas realmente me prendeu. Congrats mate!

  3. CARO AMIGO CONCORDO EM MUITA COISA QUE VOCE DISSE, MAS FOI INFELIZ COM A FRASE QUE VOCE DISSE QUE ROUBOU DE ALGUEM…“Todo brasileiro é um ladrão em potencial. Mas a frase não é minha, roubei de alguém aí..”. ESSA AFIRMAÇÃO EU NÃO ACEITO, NÃO PODEMOS CONDENAR A TODOS POR ALGUNS OU MUITOS, APESAR DE TUDO QUE É RUIM NO BRASIL, O POVO BRASILEIRO É LUTADOR, COLOQUE OS POVOS DOS MELHORES PAISES PARA MARAR AQUI NESTA TOTAL BAGUNÇA E CONCEGUIR COMPRAR CASA, CARRO E FORMAR FILHOS NA FACULDADE SOBREVIVER COM O NOSSO SALÁRIO, ELES NÃO FICAM AQUI UM ANO E VOLTAM . NÃO É BEM ASSIM SOMOS HERÓIS EM VIVER AQUI. APESAR DE TUDO

    • Todo e qualquer brasileiro sempre quer dar um jeitinho em tudo que se faz. Quer sempre sair na vantagem, não sabem perder e nunca respeitam as pessoas. O sentido do ladrão é mais amplo. Quem não compra CD ou DVD pirata? Quem não baixa filmes e jogos da internet? Além de sonegação de impostos, furar fila em banco, o famoso “gato” na energia, tv a cabo, e demais…

      Infelizmente essa é a condição do brasileiro. Somente de ontem para hj vi coisas absurdas como alguém que encontrou um Iphone 4s na sala do curso que faço e não devolveu, a pessoas que não evitam pisar na grama pq não querem fazer um desvio de 3 segundos.

      Concordo com tudo que foi dito acima. Luto há um bom tempo para sair desse país. Gosto muito do lugar, do clima… mas as pessoas que aqui vivem tornam esse lugar, a cada dia que passa, mais insuportável!

      • Caramba, gente… vocês dois aqui de cima foram muito extremos!

        O Douglas ficou muito revoltado com uma questão que é real, muitos brasileiros têm esse perfil “potencial ladrão” em grande parte por culpa da cultura da nação e às vezes pela própria educação que recebem em casa, infelizmente… mas ao contrário do que o Lucas disse, “Todo e qualquer brasileiro sempre…”, muitos brasileiros não dão esse jeitinho, não compram coisa pirata e nem furam fila em banco!

        Além disso tem muito gringo que faz tudo isso e nem por isso são generalizados desta forma… então só pra deixar clara a minha opinião, acredito que os brasileiros têm mesmo um grande potencial pra sempre usarem o “jeitinho brasileiro”, mas realmente não somos todos nós que agimos desta maneira.

        Grande abraço e apesar de não concordar ipsis litteris com o texto, o achei bem coeso e concordo que ele realmente retrata muito da realidade de quem passa por essa experiência! Parabéns ao Jerry.

      • É, LLucas. Parece que você se enquadra nesse estereótipo que você descreveu. Mas fale apenas por si mesmo. Conheço muitas pessoas (na verdade a maioria) que repudiam a “Lei de Gerson”. E eu sou uma delas. Sonegação de impostos?… A ÚNICA coisa que o governo faz com eficiência é cobrar impostos. E quanto à grama, fique sabendo que ela é feita para ser pisada. É melhor ter um bramado para pisar, deitar e brincar, do que um piso de cimento, asséptico e duro como uma vida sem sentido.

      • Nossa que vergonha.. conheci 2 brasileiras que fizeram o mesmo sobre o IPHONE.
        2 lindas meninas, super ricas de Santa Catarina. Vivi com elas num mesmo apto. Acharam um IPHONE na CAIXA, com recibo e tudo, e não devolveram … gracas a deus estas voltaram p o Brasil.

    • Douglas, a frase foi mal interpretada. A frase quer dizer que, tem tando ladrão no Brasil, que vc pode ter um ladrão frequentando o mesmo ambiente que vc a qualquer momento e, sendo assim, vc pode ser assaltado, furtado ao roubado a qualquer momento.

    • concordo em numero e grau Douglas,moro em Toronto mais sou brasileira,e a realidade do Brasil é cruel,pode sim se dizer que todo politico brasileiro é um ladrào em potencial,mais nào o povo,realmente é de tirar o chapeu para um povo que consegue viver com juros exorbitantes,infraestruturas caoticas,saúde 0,educaçao a beira do caos,segurança falida e salarios miseráveis,facil criticar dificil solucionar,e ja imaginou se todo brasiloeiro deslumbrace com o primeiro mundo?,teria-se que apagar a luz do Brasil quando o ultimo saisse,dificil,falta lideres no Brasil e nào gente honesta e trabalhadora.

      • Guara Rosa, muitos brasileiros não saem do Brasil pq não tem dinheiro, não fala outra língua ou não conhece um país organizado. Um morador do interior de alagoas que mora em casa de barro dificilmente sabe que no usa, australia, canada e tantos outros países a vida dele poderia ser melhor.

        E sim a grande maioria dos brasileiros se deslumbra com o primeiro mundo, não saem do brasil pelos motivos acima.

      • Claro, povo de tirar o chapéu! Só existe corrupção no governo, claro… Empresa privada roubando? Formol e uréia no leite(pra usar um exemplo recente)? TUDO GOVERNO,NÉ?! O povo É SIM ladrão. N]ao acredito que A MAIORIA seja, mas é SIM, e numa proporção muito maior do que em países de primeiro mundo, pode ter certeza.

      • As pessoas saem do Brasil para trabalhar em subempregos em outros países e só porque estão morando, muitas vezes mal, em paises considerados primeiro mundo, se acham os felizardos. Dá para ser muito feliz trabalhando e morando no Brasil. A vida é muito curta para fazer o sacrifício de ficar longe dos parentes e amigos, vivendo uma vida de saudades.Os filhos, sendo criados sem parentes (avós, tios, primos), por perto. O problema é que fora do Brasil, as pessoas se submetem a traballhar 10, 12,15 horas por dia, sem final de semana, mas no Brasil querem trabalhar 06 horas e ter todo o conforto que o dinheiro pode comprar.

        • Olha, quanto à questão do ladrão concordo com o autor do texto: estou fora do Brasil há um tempo, na Ucrânia (o país está em guerra, aliás). e algumas vezes entrei em pequenas lojas no “mercado municipal” daqui e não tinha ninguém, ninguém mesmo, só os produtos. a pessoa responsável ou estava fora conversando com alguém ou tinha ido ao banheiro, e a coisa mais natural do mundo é vir a pessoa da loja ao lado e falar “espera aí, ela já vem” e você fica lá, às vezes junto com outros clientes esperando. Na última ocasião a loja “vizinha” me atendeu, abriu o caixa, recebeu o dinheiro me deu o troco e voltou pra loja dela. Infelizmente a certeza no Brasil de que “no meio destes alguém vai roubar/furtar” acaba contaminando a imagem de todos.

      • Aqui no Brasil, mudei de residência e tive objetos roubados pelos transportadores da mudança, só fui me dar conta quando fui procurar as coisas… parece que aqui, infelizmente, roubar é uma questão de oportunidade…

  4. Olá!

    Parabéns pelo texto! Estou indo para Australia no início de Abril para estudar e lendo seus textos, já li quase todos, me imagino não querendo voltar! 😀

    Abs
    Ariane

  5. Vou ter que ser repetitiva, mas o final do seu post sobre os filhos foi realmente lindo e emocionante, do tipo que enquanto vc lê, as imagens passam pela sua cabeça e os sentimentos pelos quais vc passou são transmitidos ao leitor..=)

  6. Post sensacional, parabéns pelo blog, muito bom mesmo. Espero algum dia dividir os mesmos sentimentos e opiniões em relação a vida na Austrália. Abraços e tudo de melhor, sempre.

  7. Gostei muito do seu blog. Estive na Austrália por quase 2 anos (2008/2009). Eu e meu marido (nos casamos ai) sonhamos todos os dias em voltar. Viver no Brasil depois de morar ai tem sido muito difícil. Parece que a gente não se encaixa mais aqui (é mais ou menos o que vc descreveu). Estamos pesquisando como voltar para ficar. Queria manter contato e saber se vcs podem nos auxiliar ou indicar alguém. Parabéns pelo blog. Mariana

    • Também concordo. Morei nos EUA por 9 anos, voltei a 4 e até agora não consegui voltar a me acostumar com o ritmo de vida daqui. Sei que a maioria não vai entender, mas também estou pensando em sair do Brasil novamente.

  8. Acho que essa questão do atendimento está de certa forma relacionada a experiências pessoais. Na Austrália eu fui mais bem atendida do que jamais fui no Brasil. Mas também já fui muito mais mal atendida do que costumo ser aqui. No entanto, de maneira geral, realmente o atendimento é melhor aí. A qualidade no atendimento está relacionada de maneira direta à educação do povo, à sua próprio qualidade de vida, satisfação no trabalho etc. E nisso a gente tem certeza que a Austrália dá de dez a zero no Brasil (principalmente no Nordeste, onde moro. Atendimento em geral é PÉSSIMO). Tenho saudades de uma maioria educada, que respeita o espaço alheio, que respeita o direito dos outros, que não faz as coisas pensando somente em si, mas também nos impactos que pode causar nas outras pessoas…

    PS – Parabéns pelo Blog! Descobri ele faz pouco tempo e já li quase inteiro. Gostoso demais recordar do 1 ano maravilhoso que passei estudando em Perth =)

  9. Adorei o post! Concordo com o Marcelo: o final foi emocionante. Talvez porque o que mais me divide, quando penso em mudar definitivamente para a Austrália, é ter que criar meus filhos longe da minha família brasileira.

    Uma curiosidade: você e a Michele não ficam tristes em saber que os seus filhos mal conhecerão os seus pais, irmãos, etc? Eles moram no Brasil, certo?

    Abraços!

  10. Lindo texto!! Concordo em todos os pontos.
    O lance de “ser branco” no Brasil é algo que me incomoda lá (no Brasil). As pessoas fazem questão de falar que são “branquinhas”, se acham superiores. Muito engraçado que aqui no máximo somos “olives” raramente “brancos”. Fora no Brasil o preconceito com nordestino que é lamentável. Acho o máximo que aqui somos “todos iguais”.

    • Mas a maioria do preconceito em relação a nordestinos, vêm de São Paulo, não acho que o resto do Brasil tenha o mesmo preconceito, talvez vc sinta isso, por ter mais paulistas em determinados locais no exterior, claro não generalizando todos os paulistas, eu conheço muitos que são bons, mas infelizmente o Brasil é um país muito grande e o seu povo é desunido entre os estados.

  11. Ai menino, como você me emocionou com este post (leio todos seus).
    Tenho filho morando aí e neta nascida a 3 anos me Sydney.
    Sonho um dia morar para sempre aí (já passei férias de um mês).
    Tudo muito diferente e importante na Austrália.
    Sou aposentada aqui no Brasil e quero ainda conseguir morar aí pelo resto de minha vida, repito.
    Parabéns pela sua maneira de ver a vida aí e aqui ……….
    Felicidades sempre.

    • Olá Turquezza, Muito obrigada por sempre participar. Espero que de tudo certo e que vc esteja morando aqui em breve!

      É bonito ver como vc é apaixonada pela sua família. Felicidades e muita saúde e paz pra toda família.

      Abs,

  12. Oi jerry, se eu puder comentar seria interessante mostrar as desvantagens comparadas ao brasil? Por exemplo: sistema bancario e de cartao de creditos aussie q denora 3 dias pra aparecer as compras feitas no cartao, os sistemas das empresas de eletricidade, agua, luz, ja aconteceu comigo 2 vezes de cobrarem a mais sem direito a contestar, o sistema juridico extratamente complexo e caro, tente acionar um advogado pra qqer coisa, enfim tem uma lista de items q nao sao aquela maravilha como o seu texto so listou as coisas boas as pessoas tendem a ter muita expectativa…

    • Olá Bruno.

      Quando o Jerry escreve algo criticando o Brasil ou a Austrália muitos reclamam e falam que ele esta exagerando. Quando ele fala bem, mais um monte de gente reclama também…

      Nós já estamos com thick skin e nem nos importamos mais com os comentários negativos. Mas a vida é feita de coisas boas e ruins em qualquer lugar do mundo, né. Mesmo pq vc pode morar no paraíso, mas se sua mente não estiver em paz nenhum lugar vai prestar.

      Agente nunca teve problemas sérios com empresas de luz, gás e telefonia. Nem nunca precisamos contratar advogados, mas vou tentar procurar saber mais sobre isso.

      Obrigada por suas sugestões.

      Abs,

      • Alem disso, qualquer uma dessas questoes negativas da Australia citadas pelo Bruno, sao migalhas comparadas com as barbaridades e coisas ruins no Brasil. Em vez de tentar achar alguma falha lá para criticar e apontar que nao é perfeito, deveriamos aprender e resgatar as coisas boas mencionadas pelo Jerry para aplicar e melhorar aqui no Brasil. Mas esse tambem é exemplo da nossa mentalidade, vamos tentar tirar o mérito do outro para nao aceitar o desastre que temos em casa. Parabens pelo blog! Meu marido é australiano, aceitou vir morar comigo no Rio de Janeiro, este post me fez entende-lo melhor, a razao pela qual ele se frustra tanto e nao entende a má educaçao que vê no transito por exemplo e no dia a dia do Brasil.

  13. Emocionante! Voltei para o Brasil depois de um ano de Austrália, mas sempre sinto um gostinho de “quero mais” e uma saudade imensa desse país maravilhoso!

  14. Jerry vc já escreveu ou pensou em escrever um livro a respeito da sua experiência de vida? Eu leria numa boa !!!

    Muitas coisas concordo neste post e fico muito triste por que é vdd.

  15. Jerry, sigo sempre seus posts e/ou podcast e tá de parabéns. Quando li a parte do Senna, lembrei dele e fique arrepiado. Muito bacana mesmo. Se Deus quiser abril estarei chegando ai.

    Abrss

  16. Mais um post legal!! E a última parte foi emocionante, pois independente do período em que estiver fora do Brasil, seja 5 ou 50 anos fora, nunca iremos deixar de ser brasileiros. Eu realmente paro para pensar que o Brasil é o país mais diferente do resto do mundo, pois têm na sua cultura, pessoas, comidas, lugares, etc… coisas que nós nunca vamos encontrar em outros países.

  17. Cara, moro aqui na Australia desde 2010 (2008-2010 NZ) e tenho q concordar com cada virgula tua. Ainda adicionaria que o brasileiro-medio ao qual vc se refere (playboy/patricinha, independente da renda) eh esquizofrenico: quer poder abrir seu macbook em praca publica sem medo, porem nao aceita lavar sua propria privada, e nao consegue enxergar a relacao entre uma coisa e outra. Blog adicionado aos favoritos e abraco!

  18. Grande, Jerry! Mais um post excelente e passando muitos dos sentimentos que também já criei por este país! Quanto a polícia, gostaria de citar uma ocasião em que meu celular foi roubado dentro de uma das academias de uma grande rede daqui (para não citar o nome). Como o ocorrido se deu fora do horário de expediente, não pensei duas vezes em acionar a polícia, e me lembro que cheguei falando que provavelmente era um problema pequeno para eles mas importante pra mim, no que o Oficial de plantão respondeu que se era importante pra mim, eles iriam fazer o máximo pra ajudar. Pegaram todos os meus dados e detalhes minuciosos do celular como até mesmo “o plano de fundo que eu usava na home do aparelho”, e entraram em contato com a academia, onde conseguiram as gravações das câmeras e os dados do possível suspeito. O fato é que eles não só recuperaram meu celular, como também foram me entregar na porta de casa exatamente uma semana depois! Fiquei extremamente satisfeito com o serviço, uma coisa que infelizmente no Brasil já teria dado como perdido. Enfim, as coisa aqui realmente funcionam. A segurança como tu bem citaste, é uma das coisas que mais me faz pensar em ficar… Vamos combinar aquele café uma hora dessas, Jerry! Grande abraço!

  19. Morei dois anos na Austrália e não é nenhuma mar de rosas. Há muito preconceito contra os brasileiros por parte dos aussies, há escolas que pegam seu dinheiro em troca do visto de estudante (uma grande maracutaia também), sem contar a grande fonte de mão de obra barata que nos tornamos para este país. Enfim, muito fácil apontar os problemas sociais do Brasil aí de fora. Cadê peito para lutar aqui por nossos problemas. Muito fácil fugir e estufar o peito para criticar. E aí vai privar os seus filhos de saberem de verdade o que é ser brasileiro.

    • Os filhos dele não precisam saber o que é ser brasileiro por que eles não o são, eles são australianos e tenho certeza que sentem orgulho em ser o que são, não precisa morar no Brasil para criticar, pois os nossos problemas são tão gritantes que até mesmo quem nunca pois os pés aqui quando fala mal do Brasil está geralmente ao menos 90% correto, não sinto vergonha de ser brasileiro mas sinto vergonha do Brasil e suas desigualdades que são sim na maioria causadas pela população, pois culpar qualquer outro pelos nossos erros é sim verdadeira fuga dos brasileiros

    • Julia, eu poderia passar um dia escrevendo que o Jerry tem todo direito de citar os problemas do Brasil, mas vou só refutar suas afirmações. Primeiro ele viveu os problemas do brasil, ele é brasileiro, tem toda a base para falar sobre o que viveu aqui no Brasil. Segundo é que fica até melhor para perceber a gravidade dos problemas quando se vê de fora, tem-se uma perspectiva melhor depois de viver em outro país com outra realidade. E sobre lutar, nem toda luta precisa ser participar de protestos e tudo mais, pode-se lutar passando ideias, informando, educando, conscientizando. Fugir? você se esquece que todo dia, todos os brasileiros fogem dos problemas que temos, para viver melhor, ou você tem desejo em por seu filho na escola pública? Faz de tudo para ser atendida em hospitais públicos? Ou busca morar em lugares sem policiamento e sem saneamento básico? Porque todo mundo só busca uma vida melhor, independente se for no Brasil ou em outro lugar, mas isso não impede de citar o porque dessa busca e apontar os problemas que fizeram querer sair do lugar que estava. Acho que você não leu o final do texto, os filhos dele saberão o que é ser brasileiro, porque ele deixou claro que nunca deixará de ser e que os filhos dele conviverão com um brasileiro, o pai deles.

      • Ricardo, excelente resposta! Fiquei revoltada com o post da Julia, poi mais uma vez é exemplo do mindset brasileiro. “Ficar para lutar”…como? Da mesma forma que “lutamos” ano passado durante a Copa das Confederaçoes? Saindo as ruas a destruir nosso proprio patromonio? “Lutar” pagando um absurdo de impostos para nao ter saude publica, nem educaçao nem nada? Eu concordo sim em que devemos ficar no Brasil, mas devemos ficar para nao levar nossa mentalidade porca, nosso “jeitinho brasileiro” e nossos vicios (como a falta de educaçao no transito) para outros lugares e acabar destruindo paises como Australia. No Gold Coast os brasileiros sao odiados, pois se comportam no surf com a mesma falta de educaçao que se comportam quando pegam onda no Brasil ou dirigindo no transito (rudes, tentando ultrapassar, tirar sempre a vantagem do outro)… Por isso, concordo com a Julia que os brasileiros devemos ficar no Brasil pois assim paises que hoje sao maravilhosos para morar nao acabam parecidos ao Brasil.

    • Julia, você realmente está indo na contramão dos fatos. Jerry, Pedro e Ricardo estão certíssimos em suas colocações. Em 5 anos de Austrália, jamais diria que os aussies são preconceituosos com qualquer povo, vide a quantidade de gente que chega aqui todos os dias para ficar. As escolas não “pegam” dinheiro inadvertidamente e sim os ganhos com educação são parcela bastante alta da economia da Austrália. É o negócio deles! E quanto a ser “mão-de-obra barata”, vai da situação de cada um. Se você vem pra cá sem dominar a língua, sem uma qualificação ou experiência comprovada em algo que possa ser aproveitado aqui, etc, está querendo o quê? Milagre?? Será mesmo que os australianos são os maus da estória? Acho que não…

      • Eu morei na Austrália durante dois anos. Acho que ninguém precisa me dizer os prós e contras de morar lá. Conheço muito bem essas escolas, Paula. É, exatamente não há espaço para todos aí, talvez para uma elite de brasileiros que tenha o Inglês fluente ou a grana dos pais para se manter.
        Ricardo, sim eles não são brasileiros (e isso no texto de Jerry parece ser muito bom ou melhor). Também não estou dizendo que o Brasil não tem problemas, assim como a Austrália também tem. Não é um mundo encantado.
        Enfim, morar ou não fora de seu país de origem é uma escolha muito particular, nem vou entrar nesse mérito.
        O que eu quis dizer é que Jerry já está há muito tempo fora do Brasil, nem sabe mais o que caminhar pelas ruas daqui. Observar de longe pode trazer novas perspectivas, mas nem sempre reais. Acho muito pessimista algumas de suas afirmações.

        • Julia eu concordo com você. Não acredito em mundo perfeito… A terra prometida jà existe e estão escondendo só pra eles??!! Eu moro fora também. Vivo na Europa e o que eu posso dizer é que existem pessoas. Isso de que as crianças são mais calmas e que o casal americano não sei que… balela.
          Existem pessoas boas, pessoas ruins, pessoas geniais, pessoas gospistas…Pessoas. Existe país com história de crescimento e país com histórico de escravidão, exploração e diferença social. Um exemplo muito claro de toda essa mansidão da Austrália é um programa feito sobre a entrada na imigraçao no país que passa na Discovery Channel. Existem muitos imigrantes que tentam fraudar e muuuuuuuitos australianos também. Inclusive que fecham contrato de trabalho com umas pessoas lascadas da vida, onde não oferecem contrato de trabalho e pagam uma ninharia. Qualidade de vida?? Eu tenho! se conta apenas os pontos destacados como pegar um onibus com o ipad… Pfff! Sério???!!! Essa é a sua opinião sobre qualidade de vida?? Quando a vida é muito perfeita, as pessoas tendem a ser indiferentes com seu entorno. Não são educados para não te incomodar… são educados para não serem incomodados e apenas esperam que você faça o mesmo.
          Amo o Brasil apesar dos pesares. Tem muitos problemas… muuuuuitos! E muitas qualidades também. Brasileiro levanta quantas vezes for necessário. Brasileiro é solidário. Brasileiro é otimista…. Eu não sei como foram suas experiências no Brasil mas meus amigos não querem tirar vantagem de tudo e sonegam impostos. O Brasil é imenso, intenso, sofrido, explorado e politicamente incorreto em muitos pontos. Porém o Brasil não se resume a Rio e São Paulo!! há vida além de Minas! Uma coisa é certa… Brasileiro gosta de criticar… principalmente aquele que com 16 anos fez intercambio que o pai pagou. Com 18 ganhou o carro que a família presenteou. Estudou em escolas que os pais pagaram. Ganhou computador para abrir horizontes. Fez faculdade e estudou como bem quis com direito a pausas de carnaval… Cresceu, trabalhou e teve a oportunidade de morar fora… Parabéns pra você que se sente incomodado com a pobreza, a violência e por não poder falar no telefone na rua como gostaria. Deixo apenas essa música: “Seria eu um intelectual.
          Mas como não tive chance de ter estudado num colégio legal
          Muitos me chamam de pivete
          Mais poucos me deram um apoio moral
          Se eu pudesse eu não seria um problema social…
          É ruim acordar de madrugada, pra vender bala no trem
          Se eu pudesse eu tocava em meu destino.
          Hoje eu seria alguem…”

          • Flora, que bonitas suas palavras, acho que você é a nova Che Guevara revolucionária, volte e faça a diferença no nosso país em um país que ex-deputados julgados pelo mensalão saem da prisão para exercer cargos em hospitais e ganham quase 9 salários mínimos. Acho que você é a chave, só sinto só.

        • Julia, vista de estudante aqui é complicada mesmo. Se um australiano for para o Brasil estudar por 2 anos, ele vai sofrer e vai ter que ter grana para se bancar. Aqui na Australia nao é diferente neste sentido.
          Também moro aqui a 8 anos e posso te dizer que nao existe paraíso no mundo, mas pelo menos aqui nao existe comparação com o Brasil. Nos brasileiros somos todos grande parte filhos, netos ou bisnetos de europeus imigrantes do começo do século passado. Nao conheço famílias de brasileiros imigrantes aqui filhos de papai, pelo contrario, todos sao trabalhadores e vencedores, e muitos ja lutaram e continuam torcendo pelo Brasil. Minha filha é Australiana, e serei sempre Brasileiro. Nao vejo problem nisso, como no Brasil, convivemos com pais ou avos de outros países. talvez a sua geração ja esqueceu que o Brasil tambem foi colonizado.
          Pelo menos aqui estou vivo! Se voce ainda nao percebeu o Brasil vive uma guerra civil, com milhares de mortos todos os anos. E nao venha dizer que so morre marginal, que nao é verdade. Vou ao Brasil regulamente ver minha familia e amigos, apenas. E sempre rezo por eles!

          • Jorge, também não vejo problema nisso. Talvez não tenha me expressado bem. Só que no texto do Jerry a impressão que tive era a de que nascer na Austrália é uma dádiva e no Brasil, não. Esse discurso de que no Brasil vivemos uma guerra civil é muito senso comum. Vivemos um momento político muito interessante no Brasil, com governo cheio de problemas, mas que representa progresso diante de quadros anteriores. Sim, há violência, mas n do jeitam que pintam o jornais, a rede globo, o datena. Fique tranquilo.

    • Fugir não, nós apenas saímos do Brasil. Porque fugir, pra mim é quando você está sendo perseguido por algo ou alguém. Isso aqui é um blog para as pessoas que querem viver na Austrália, e não blog de revolucionários. Você está confundindo os pensamentos, e ninguém aqui vai querer mudar de opinião, por causa de um comentário seu que ao meu ver, não tem nenhum fundamento.
      Não se muda uma cultura de 500 anos em 10, 20 ou 50 anos. Você leva 1 minutos para bagunçar seu quarto, e vai levar 2 horas para arrumá-lo, entendeu a diferença?
      Eu tenho apenas uma vida pra viver, e não conte comigo para querer mudar o Brasil, porque eu quero aproveitar ao máximo a minha vida do que me preocupar com a qualidade de vida dos outros. Ninguém se preocupou comigo durante as vezes que fiquei desempregado, quando passei necessidade ou quando não tinha dinheiro pra pagar minhas contas, então, porque eu devo me preocupar com a qualidade de vida daqueles que nunca me ajudaram???
      Quando fui pra Austrália, ninguém me incentivou, ninguém me apoiou, ninguém me mostrou o caminho certo e/ou errado. Tive que ir atrás de tudo sozinho, não nasci em berço de ouro e mesmo meus pais não me incentivaram com nada. Por tanto, se você quer uma qualidade de vida melhor pra você, corra atrás dos seus interesses pessoais, porque o próximo vai correr atrás do dele.

        • Julia, não é senso comum, é a REALIDADE. Você quer que mudemos algo para o seu benefício. A opção da maioria aqui é viver fora do Brasil, e não estou vendo um respeito da sua parte. Como quer seguir em frente com seus pensamentos, sem saber respeitar a opinião do próximo? Você está em um blog aonde as pessoas tem pensamentos diferentes do seus, e por isso você quer fazer com que elas mudem o pensamento. Ninguém é igual a ninguém no Planeta, e é por esse motivo em especial que temos culturas, idiomas, aparências, leis, gostos diferentes, mas algumas vezes aparecem pessoas como você que querem que tudo seja igual.

        • Quem realmente estudou a nossa história, sabe que o Brasil é uma colônia abandonada. Fomos colonizados por católicos , presidiários e explorados pelo governo lusitano. Por mais patriota que alguém seja, deve ter noção de ridículo quando tenta colocar o Brasil no mesmo patamar de outros países com cultura , educação e tradição superiores .

    • Olá Julia.

      Nós graças a Deus nunca passamos por nenhum preconceito aqui na Austrália e digo isso pq o Jerry não leva desaforo pra casa e ia dar uma confusão enorme… Hhehehehehe

      Com certeza existem várias maracutais, roubos e até tráfico de drogas, mas a nossa experiência aqui foi muito boa e não passamos por isso. Mais uma vez graças a Deus!

      Talvez seja o tanto de tempo que passamos em oração e na igreja e rodeado de pessoas boas… Mas nós sabemos que pra mudar um país precisa mudar a mente de pessoa por pessoa e acho que o Jerry faz isso escrevendo esse blog. Você não tem ideia de como as pessoas nos escrevem agradecendo como eles foram transformadas e como o Jerry ajuda as pessoas… Até aquelas que nunca pisaram na Austrália, mas começaram a renovar a mentalidade delas.

      Espero que vc aí no Brasil esteja fazendo sua parte também, principalmente vc que vivenciou por 2 anos uma sociedade mais organizada e educada.

      E honestamente estou feliz de criar meus filhos aqui longe do Brasil e com a qualidade de vida Australiana. Claro que a nossa influencia vai ser muito forte, mas prefiro o mindset daqui. Tenho 2 sobrinhos aqui e minha família aqui até que é grande, somos em 8, então eu olho pros meus sobrinhos e vejo a diferença de respeito e como eles estão sempre falando: it is not allowed e eu fico admirada como eles são disciplinados e educados. Que mãe não sonha com isso? Hehheheheh.

      Muito obrigada por sua contribuição.

      Abs,

  20. Eu sou moreno, meu pai bem negro, Africano genuino e minha mae neta de uma india pega no mato. Mas infelismente, em conversa com brasileiros visitando a Australia muitos ja tentaram me convencer de que eu nao sou negro quando me identifiquei na conversa como de raca negra. Muito bem colocado por voce essa vontade de distanciar da raca negra que existe na sociedade brasileira.

  21. Vc vai me desculpar mas nao concordo com muitas coisas ai…vcs tem mania de mostrar a Australia como um paraiso o que nao eh.Saude muito igual a do Brasil, vc fica no hospital o dia todo e se tiver sorte vc sai curado mas se nao tiver vc volta doente do mesmo jeito.As criancas educadas essa eu ri,sim sao educadas qdo sao pequenas pq qdo estao com mais de 12 anos afff maria soh Deus,qdo estao longe dos pais entao nem se fale.No trem fazem as mesmas coisas que as do Brasil.Os fogos nas matas a maioria sao colocado por criancas ou adolescentes,na rua eles aprontam muito.Eu mesma ja tive varios problemas com as criancas do meu bairro.Qt a se ter empregada eh complicado mesmo vc nao ter um e isso nao por luxo e sim por nescessidade,eu sei o que passei ano passado estando doente e nao achar alguem para limpar a casa.Eles nao ligam mas tb convenhamos aki eles nao sao muito higienicos.Outro dia tive problemas com a internet aff pior atendimento vc demora uma vida ao telefone para muitas vezes nem resolver o problema.Qto a ser branco essa tb foi boa,eles sao super preconceituosos principalmente com alguns paises e qdo eu digo q sou branca eles me olham como se eu fosse louca.Vc ir ao caixa eletronico a noite nem pensar…vc andar sozinho a noite tb nem pensar…sim aki tem menos violencia , mas as coisas tem mudado e muito afinal sao apenas 23 milhoes de habitantes agora ve qtos habitantes tem no Brasil?.Enfim eu sinto falta do meu Brasil com todos os defeitos que ele tem, eh meu pais e sempre vai ser.Agora eu acho que vc foi infeliz nessa frase que todo brasileiro eh ladrao nao concordo com isso.Meus filhos moram no Brasil e nem pensam em morar aki e nao sao e nem nunca foram ladroes,sao homens de bem que eu criei com muito orgulho e como eles muitosss que eu conheco.Os Australianos nao sao santos e se vc morar em bairros *pobres* vc vai ver a diferenca de educacao que alias nao se tem.Outro dia onde eu moro os vizinhos fizeram de td para tirar uma mae solteira do bairro,pq ela simplesmente nao pertencia a classe do nosso bairro.Eu acho que qdo vcs falam da Australia vcs tem de ver muito bem o que eh falado pq cada um passa uma historia diferente e para cada um eh uma vida diferente.

    • Parabens Rosy! to com vc pelo post.. nao esse mundo magico que foi relatado pelos brasileiros australianos.. passeie pelo mesmo que vc e assino embaixo!

    • Olá Rose.

      Tudo Bom? Espero que estejas bem.

      1) Eu sei que tem pessoas que passam maus bocados aqui na área da saúde mas pela graça de Deus nós sempre fui extremamente bem atendidos, também não somos bobos, sempre que tivemos problemas corremos para o Royal North Shore que é o melhor da região. Não vamos ao hospital de Manly pois não ouvimos boas coisas.

      Mas minha família até que é grande aqui. Somos em 8 e nenhum de nós sofreu nenhuma injustiça com o sistema de saúde.

      E também temos um GP que é a perfeição de médico. Super humilde e já trabalhou e até hoje vai pra Africa e em vários países asiático pra ajudar os pobres. Ou seja um ser humano e médico fantástico. Que sempre nos atende com muito cuidado e carinho e sempre pede muitos exames.

      2) Sim, ele fez o relato falando das crianças, não dos adolescentes, pois se vc for explicar todas as exceções em um texto ele fica muito extenso… Ele se referiu as crianças não aos adolescentes ou jovens, ou adultos e velhos… Heheheheh

      3) Sim, empregada as vezes é necessidade e não consigo imaginar como deve ter sido difícil pra vc depender de alguém… I am sorry to hear that. Espero que vc esteja melhor.

      4) Eu acho tão engraçado como eles não são muito higiênicos em casa, mas as ruas são impecavelmente limpas e como no Brasil a maioria das casas são limpas e as ruas são imundas. Estranho, né!

      5) Eu acho que provavelmente vc não é branca para os padrões daqui. Eu também era chamada até de galega e aqui sou olive skin e uma famosa com olive skin é a Angelina Jolie. Já parou pra pensar que talvez a cor da sua pele seja amendoada (Olive skin)?

      6) Nós não saímos muito a noite, mas se precisarmos sair e sacar dinheiro não vamos nos sentir com medo.

      7) A frase que ele colocou de outra pessoa sobre: brasileiro é um ladrão em potencial é uma referencia que a qualquer momento vc pode ser assaltado no Brasil, aqui isso não acontece com a mesma freqüência. Isso não quer dizer que todo brasileiro é ladrão. Espero que compreenda isso. Ele não falaria isso…

      8) Isso é verdade alguns bairros pobres a vida é bem difícil e eles sempre querem que todos no bairro tenham o mesmo nível social.Isso é ruim…

      Muito Obrigada pelas suas contribuições e volte sempre ao blog do meu marido.

      Abs,

    • Rosy, entao volte pro Brasil! O que paises maravilhosos, como a Autralia, menos precisam nem merecem é ter pessoas como vc usufruindo da segurança, bem estar, qualidade de vida, e economia deles. Vc merece o Brasil que temos hj. Volte logo pra cá com seus filhos e deixe a Australia para os australianos, que com certeza sabem apreciar melhor o que eles tem de bom lá. Vc nao merece estar ai, faça o facor aos australianos e volte logo para o seu pais entao.

  22. Gostei muito do seu texto, me emocionei no final com as crianças, parabéns! Que Deus continue te abençoando e quem sabe eu vou ter uma historia como essa para contar um dia. Abraços

  23. Vou concordar com vc, depois que tu sai do Brasil, tudo muda mesmo. A gente aprende muitas coisas diferente e outras culturas, abre mais a cabeça e percebe as diferenças. Eu amo o Brasil mas desde que mudei pra US, percebi o tanto que eh mais fácil se organizar, atendimento, trabalho, saúde e educação! Mas tirando o fato que o Brasil tem muitos problemas, ainda acho os brasileiros o povo mais feliz do mundo, família sempre unida e sabe se divertir como ninguém. Aqui na América a vida eh trabalhar e consumir! Todo lugar tem seus altos e baixos, mas no Brasil sea mentalidade do povo não mudar, o pais nunca mudará!

  24. Muito legal o texto. Moro no Japao a 14 anos e vi a minha historia contada aqui. Meus parabens!!! Espero gostar da Australia assim como gosto do Japao. Estamos chegando em Maio em Gold Coast.

  25. Moro aqui a 5 anos e tenho uma linda daughter de quase 2 anos, meu marido é Australiano….
    Fomos para o Brasil ano passado ele adorou mas falou que não pretende morar la….
    Continuo amando o Brasil e sempre sera minha Patria Amada,mas não me vejo mais morando la..
    Qdo minha filha nasceu, deu graças a Deus de poder cria-la aqui, longe da minha familia, mas dando para ela o melhor que nos pais podemos ….

  26. Parabens Jerry pelo texto, descreve a realidade que vivemos… Eu como outros ameiii a declaracao sobre os filhos e vai ser assim que irei criar os meus …. Com a diferenca que eles vao jogar footy inves d rugby lol

    Tudo que vc descreveu e a mais pura realidade e olha q nesse canto da Australia (Perth) acredito que as coisas sao ainda Melhor, mesmo que algumas coisas citadas no texto eu nunca Tenha vivido pq venho do interior do Sul do Brasil onde a realidade e diferente das grandes cidades, mas cada vez que vou ao Brasil Volto mais traumatizada com a falta de respeito do povo..

    Anyway…meus parabens !!

  27. Bom post! Vivo na Austrália desde 2009 e fora do Brasil desde 2007. Este ano, eu e minha filha nos tornaremos cidadãs australianas. Sei bem este dilema de amar de detestar o Brasil… Sou uma grande divulgadora da nossa cultura por aqui – voluntária da Associação de Brasileiros em Melbourne, organizadora do festival de cinema brasileiro, e por ai vai… Mas nunca consegui me ‘ajustar’ ao jeitinho brasileiro, falta de segurança, respeito pelo cidadão, corrupção e burocracia do nosso pais, e depois de viver em países onde tudo funciona, ha segurança e respeito com o cidadão, voltar para passar ferias ja eh frustrante, imagina voltar de vez! Difícil de imaginar…

  28. Você merece ser reconhecido por resumir tão bem sua experiência aqui. Parece até que você está dentro da minha cabeça! Moro em canberra desde 1992 e infelizmente…concordo com TUDO no seu post. Parabéns mesmo.

  29. Parabens!! Gostei muito do seu texto, me vi nele. Moro na Australia desde 2001 e tudo o que voce disse e’ exatamente como eu me sinto e como eu penso durante todos estes anos. Somos abencoados por termos nascido no Brasil e depois mais uma vez abencoados por termos imigrado para a Australia. Duas experiencias de vida muito importantes para todos nos. Abracos!

  30. Great writing!! I really enjoyed reading what I say to my family in Brazil, but they can only see as far as their Brazilian Shore will allow them to and they don’t think there is any other place better then Brazil. Brazil is beautiful! I adore the place, but I love the fact that Australia is my home.

    It’s good to know that you appreciate all that there is to offer here and still able to acknowledge that there are still some flaws in Australia, but non the less this place still manages to put a sparkle in your appreciative eyes.

    I am half Brazilian and half Uruguayan, thanks to my parents I’ve lived in the USA and in Brazil, but my mum & dad will always love what Brazil was, however they will always love what Australia is, has been and will be for them and for my brother and I.

    Australia is the land of opportunity!

  31. Goethe disse “Nothing, above all, is comparable to the new life that a reflective person experiences when he observes a new country. Though I am still always myself, I believe I have been changed to the very marrow of my bones”… Resume tudo

  32. Amei seu texto e concordo com tudo, menos uma coisa: os australianos são altamente preconceituosos. Passei 45 dias em Brisbane e fomos tratados como lixo por estarmos apenas passando na calçada ou esperando um ônibus. Um cara ameaçou bater no meu marido e outro disse que morreríamos lá e isso só pq eu estava usando um telefone público. Nunca tinha sofrido preconceito de nenhuma espécie e isso me humilhou tanto a ponto de me arrepender de ter ido. Enfim, 6 agressões em 45 dias não é pouco. O que eu acho é que em todos os lugares há coisas boas e ruins, td depende do ponto de vista.

  33. Compartilhei seu artigo pois sei que explica e responde muitas perguntas dos brasileiros sobre morar fora, “abandonar” o seu país e se adaptar a uma nova cultura e língua.
    Quando fui para a Austrália em 2003, já chamei a viagem de “mudança” – tinha a intenção clara de construir minha vida em outro país. E como não gostar da Austrália?
    Durante 10 anos eu “mergulhei de cabeça” nas experiências que eu criei para minha vida na Austrália: me formei em Jornalismo, trabalhei como freelancer de fotografia, estudei trabalho comunitário, trabalhei com adultos, idosos e crianças com deficiências físicas, mentais e intelectuais… Em 2011 oficialmente registrei a Portuguese Language School e desde então compartilho a nossa cultura e o Português com australianos e pessoas de diversas nacionalidades. Muitos se apaixonam tanto que se mudam para o Brasil. Um dia questionei a uma aluna o que era essa atração pelo nosso país de origem que ela sentia. Ela respondeu com seu bom Português em nível intermediário: “Tudo no Brasil é um desafio, a língua, o trabalho, as atividades de rotina. Eu gosto disso, aqui tudo é muito fácil. E eu também adoro a música, as pessoas, a dança, o clima.”
    De desafio a desafio estou no momento passando uma temporada no Brasil desenvolvendo projetos e parcerias e na certeza de que é sempre bom calibrar a nossa “brasilidade” em doses generosas. Um abraço!

    • Oi Gabriela.
      Talvez você possa me ajudar. Esse texto me motivou a fazer um curso de Inglês na Austrália. Você pode me dar algum tipo de dica sobre isso?
      Que cidade é melhor para eu ir, qual curso é mais conceituado ou interessante, etc…
      Se puder, meu e-mail é orsini_paulo@hotmail.com. Através desse e-mail você também consegue acessar meu perfil do facebook se preferir.
      Obrigado.

  34. Tenho um déficit de atenção, portanto, se o texto que eu começo a ler não é interessante, eu logo desisto. O seu texto é extremamente interessante e muito legal e me deixou atento do começo ao fim.
    É uma pena que o Brasil seja essa porcaria que é hoje. Poderia ser bem diferente.
    Seu texto me fez ficar com vontade de conhecer a Austrália (e eu decidi por causa dele, que vou fazer isso).
    Não falo inglês muito bem, aliás, não posso nem dizer que falo inglês pois seria uma grande mentira, mas minha mãe era formada em direito pela USP e me ensinou muitas coisas de português.
    Uma delas (se me permite, e com toda a humildade) é sobre descendência e ascendência.
    Você escreveu “De fato tenho descendência italiana”, quando o correto seria, “De fato tenho ascendência italiana”. Seus ascendentes são Italianos e não os seus descendentes, a menos que algum dos seus filhos tenha nascido na Itália.
    É um erro bem comum e reforço que estou tomando a liberdade de escrever isso, com toda a humildade e também que esse detalhe não faz a menor diferença no conteúdo brilhante do seu texto. Parabéns!
    Obrigado por escrevê-lo.

    • Putz é verdade Paulo! É um erro bem comum e só agora lendo seu comentário eu percebi que cometo esse mesmo erro que o autor cometeu!!!! Obrigado por compartilhar essa informação com todos e ainda mais com tanta educação e simplicidade!

      Abraço!

  35. Olá Jerry, estou em Sydney e acompanho seus posts. Geralmente, gosto mto deles. Neste em particular, devo concordar cm muitas coisas e discordo de mtas tbm.

    Em relação ao Medicare, há uma contradição pois neste post vc diz:

    “Também tem o Medicare que é o sistema de saúde do governo que apesar de muita gente reclamar é um paraíso perto dos sistemas da maioria dos outros países”

    Porém, no seu post do ano passado ‘OS PROBLEMAS DA AUSTRALIA’ vc destacou:

    “Por ser brasileiro é até um pecado reclamar do serviço de saúde na Austrália, mas como cidadão Australiano eu posso dizer que ele ainda está longe do ideal. Aqui tenho o Medicare do governo + Plano de saúde particular que pago quase $400 dólares por mês (para casal) e mesmo assim tenho que pagar parte das consultas ao médico e outras coisas.”

    Afinal, é bom ou ruim? Pq na minha visão, se eu tenho acesso ao plano do governo e ainda tenho um particular (nada barato por sinal) e ainda tenho que pagar parte das consultas e ‘outras coisas’ nao vejo nenhum paraiso aí. O serviço pode ser excelente, ms vc esta pagando e caro por ele. Mudou tanto de Junho pra cá?

    Outra coisa, é impossível negar os problemas do Brasil. Agora, dizer que “todo brasileiro é um ladrão em potencial” é uma das frases mais infames que já li. Seria mto bom destacar que apesar de tds os problemas ainda existem pessoas que prezam por seu carater, levantam cedo pra trabalhar e seguem o BY THE BOOK, por mais que nao seja esta a escolha de mtos. Também seria bom destacar um grande problema do Brasil que é a disparidade de classes, o que se pode notar facilmente comparando os estados do sul com os estados do norte, por exemplo. Então não seria prudente utilizar uma frase como ‘malandragem mode on’ pq a realidade da sua localidade pode nao ser a mesma da minha, ou seja, nao se pode generalizar.
    Entendo que, no geral, o Brasil e o povo brasileiro são da maneira que vc descreve e não podemos negar nossa realidade. Porém, a maneira com que vc descreve dá um ar de que “nada presta” e “td está errado” em tudo e em todos.
    Acho que vc deveria destacar alguns pontos positivos também. Estando na Australia vejo o quanto somos atrasados, ms tbm consigo enxergar onde somos mto bons.

    • Olá Perkerson.

      O Jerry não esta dando conta nem de aprovar os comentários de tantas coisas pra fazer então vou responder por ele.

      1) Aqui na Austrália o sistema de saúde é totalmente diferente do Brasil. Levamos um bom tempo pra entender, mas vou tentar ser rápida e explicar.

      Aqui se vc tiver uma emergência ou doença grave o plano de saúde do governo o Medicare paga tudo. Ou seja quebrei a perna e vou correndo pro Hospital esta tudo coberto. Sou super bem tratada e me atendem rápido com a melhor tecnologia hospitalar que existe no mundo.

      Mas se vc tem um problema de saúde que não é grave e que não po˜e em risco sua vida, vc tem que ou entrar na fila do público que pode levar 1 ano e meio em alguns casos, ou vc tem o plano de saúde privado e vc marca a cirurgia pra quando seu médico tiver disponibilidade, por exemplo, em 20 dias. O plano só paga a parte hospitalar e o resto vc paga do bolso.

      Well,resumindo se vc estiver morrendo ou estourado o Medicare é ótimo, se vc precisa fazer uma cirurgia sem risco de vida ele é pior.

      Por isso o Jerry escreveu: Se vc tiver uma “Emergência” no texto. E isso dá uma tranquilidade enorme. Aconteceu algo grave? estamos cobertos! Isso é maravilhoso, não é mesmo?

      Agora quando eu fui fazer um check-up gastei uma boa grana. Mesmo tendo Medicare e Plano de saúde e isso é muito chato. Não gostamos!

      Espero que tenha dado pra entender o que gostamos e o que não gostamos do sistema de saúde daqui…

      2) Só pra deixar claro a frase não foi escrita pelo Jerry. E não é pra ler de modo literal, mas de modo figurado. (algumas pessoas não entenderam muito essa frase também, vc pode ver nos comentários acima).

      A frase quer dizer que vc esta sujeito a ser roubado a qualquer momento.

      O Jerry mesmo já se distraiu e nunca mais encontrou “objetos” no clube Pinheiros. Ou seja alguém que frequenta lá roubou e as coisas dele nunca mais apareceram no perdidos e achados. Vc nunca pode dar mole em SP, temos parentes em todas as áreas do Brasil do Ceará a Florianópolis e todos reclamam da violência.

      3) O Jerry já fez vários posts exaltando SP e o Brasil e o que aconteceu? Se ele fala bem um monte de gente critica, se ele fala mal mais um monte de gente fica brava. Mas é sempre assim, nem ligamos mais… E foi uma das melhores coisas que aconteceu em nossas vidas, paramos de nos preocupar com que as pessoas pensam de nós.

      E eu dou total força pro Jerry escrever o que ele quiser com total liberdade, é maravilhoso ver ele desenvolver um dom que Deus deu pra ele, e não importa o feddback… O importante é que mais de 100 mil pessoas leram o que ele escreveu e quase 30 mil likes no FB, mas eu sei que mesmo se 50 pessoas lessem e ninguém dese 1 like no que ele escreveu, mesmo assim, ele continuaria escrevendo, pois ele não tem medo de expressar o que ele pensa e adora escrever. E eu acho isso encantador nele!

      Com certeza o Jerry pode escrever milhares de temas sobre o Brasil e a Austrália e infelizmente ele não tem muito tempo pra escrever. Mas aos poucos vamos poder desfrutar de mais alguns textos maravilhosos do meu marido lindo.

      Abs,

  36. Concordo com muitos relatos mencionado nesse Post, mas acho que o Jerry algumas vezes fala de uma forma como se fosse tudo lindo, maravilhoso e perfeito na Austrália, que não é bem assim. As pessoas na Austrália se respeitam muito mais do que no Brasil, mas em relação aos adolescentes australianos eu discordo que sejam educados e tudo aquilo que foi dito nesse Post. Já cansei de ver bagunça dentro dos ônibus promovidas pelos adolescentes perturbando todos que estavam em seu interior. Quando vão aos Shoppings Centers eles fazem muita bagunça, principalmente dentro dos cinemas, já vi diversas vezes a molecada querendo arrumar confusão com desconhecidos sem motivo, porque eu já fui uma das vitimas. Querem a todo custo fazer o uso de bebidas alcoólicas, de cada 5 vezes que vou comprar bebidas, 1 eu encontro algum menor de 21 me pedindo pra comprar alguma bebida pra ele. A criminalidade está aumentando gradativamente, e isso é um fator importante para mencionar para quem está vindo pra cá. Porque lendo esses Posts você vai achar que está no paraíso e que não vai se preocupar com nada, mas não é bem assim. O número de furtos na Austrália, principalmente de invasões domiciliar, tem aumentado consideravelmente, claro que a polícia tem uma eficiência extraordinária, mas quando vier para a Austrália, tenha alguns cuidados que você tem no Brasil, não fique dando bobeira achando que nada vai acontecer que uma hora você é “premiado”.

    Uma coisa que eu detesto de brasileiro na Austrália (MINHA OPINIÃO), são aqueles que vem pra cá e querem ficar mantendo os mesmos costumes da cultura brasileira, e ficam quase que forçando outros brasileiros a terem esse costume, e geralmente vem com uns papinhos de “vamos espalhar nossa crença por esse país”. Na boa, quem fica com essas coisas são uns babacas, porque se você gosta tanto da cultura brasileiro que chega ao ponto de não mudar por nada, então volta para o Brasil e não ficha enchendo o saco pra que eu vá na sua casa assistir um filme brasileiro, ou querer fazer pastel e coxinha. Se a pessoa veio pra Austrália pra mudar de vida, é porque ela não quer continuar tendo os mesmos costumes do Brasil, porque ela veio pra MUDAR, mas parece que muitos brasileiros não entendem isso aqui e os australianos os acham um malas.

    • Denis os números informados não batem com essa afirmação de que a violência e criminalidade só tem aumentado. O Office of Crime Statistics and Research publicou as estatísticas mais recentes que mostram uma queda no número total de crimes de 6.366 para 4.344 entre 2006 e 2010 incluindo roubos, furtos e invasões domiciliares. Os crimes contra a propriedade caíram mais de um terço nesse quinquênio e os roubos de casas etc. baixaram de 771 em 2006 a 422 em 2010. A tendência é de queda, então não em que você se baseou para afirmar desse aumento na criminalidade.

      • Miguel, estou me baseando nas notícias dos jornais. Os homicídios diminuíram, mas furtos e depredação ao patrimônio vem aumentando, a polícia como eu disse é ótima e eficaz. A violência noturna vem crescendo aos poucos, mas cresce. Em outro Post o Jerry mencionou que quem anda tal hora da madrugada está sujeito a crimes diversos, porque poderia estar em casa e tal, mas ele esqueceu de mencionar que muitas pessoas trabalham e/ou voltam para suas residências nesse período. Algumas vezes eu vejo que falta alguns pontos relevantes em algumas coisas que são ditas no blog. Gosto muito dos assuntos abordados aqui e vejo um grande auxílio para as pessoas se informarem bem antes de ir para a Austrália, mas algumas vezes ele fala como se a Austrália fosse super segura, e que você pode ter uma vida tranquila pegando suas coisas e se mudando para o país, mas não é bem assim. Já li a respeito do Jerry, e é um camarada que vem de família confortável financeiramente, então, vejo pontos que ele coloca às vezes, que não são simples assim. Tem muitas pessoas que olham um mundo lendo o blog e que quando chegam na Austrália é bem diferente. Outra vez um cara me disse “se você não gosta do blog faz um seu”, um comentário ignorante, porque não disse nunca que não gosto do blog, apenas digo que a realidade de quem não tem uma vida financeira confortável vai ralar muito mais do que o blog menciona. O custo de vida na Austrália é alto sim, mas é o mesmo desdobramento que você tem que fazer no Brasil, só que as recompensas são muito maiores e melhores, mas vai ralar da mesma forma como no Brasil. Outra vez um cara me disse que lê bastante o blog e disse que eu estava com a vida fácil morando na Austrália, e que ele queria ir pra Austrália ter um padrão de vida como o que ele lê. Eu sentei com ele e expliquei que não é um país fácil de se estabilizar, e que no começo ele iria ter que fazer várias coisas, depois da realidade que eu disse pra ele, o cara ficou indeciso. Então, vejo que aqui existem muitas informações boas para absorver, mas também a muita “fantasia” quando falamos em padrões financeiros.

        • Concordo contigo, eu ainda planejo ir para a Austrália, não pelo fato dela ser perfeita, mas porque sou formado em direito e somente a Austrália tem demanda na profissão de Advogado. E como sempre quis morar fora e conhecer novas culturas e povos, a Austrália se tornou a única escolha atual de moradia.

          Fiz umas pesquisas e você tem razão, tirando o estado em que fica a cidade de Adelaide, em que houve uma baixa em todos os tipos de crime e tirando as invasões de domicílio que diminuíram no país inteiro, as agressões, roubos e furtos aumentaram no restante do país, principalmente no horário citado por você . Outro dado interessante é que o número de novas vítimas tem diminuído, mas o número de crimes reportados aumentou, o que significa que as pessoas que já foram vítimas de crime, estão novamente sendo vítimas. O que condiz com o fato de ser na maioria das vezes no mesmo horário.

          É um dado importante para quem planeja ir morar na Austrália, se nós próximos anos não houver queda, mesmo com a eficiência da polícia, é um motivo de cautela.

          Mas entendi o que disse, realmente acho a Austrália muito cara, prova disso é que as cidades de Melbourne, Perth e Sydney estão entre as cidades com o maior custo de vida do planeta. Em contrapartida foi noticiado que Melbourne é a cidade com melhor qualidade de vida no mundo.

          Realmente é uma via de mão dupla, existem prós e contras, concordo mesmo que todos devem se informar bastante para não viverem na fantasia da perfeição de algum lugar. Mas pelo menos a Austrália é uma boa opção para quem quer morar fora do Brasil, junto com o Canadá e a Nova Zelândia.

          • Miguel, vá para a Austrália e tenha a mesma desconfiança que você tem no Brasil ao caminhar pelas ruas, sempre é bom estar precavido, mesmo que lhe digam que tal lugar é super seguro. Quando eu vou sacar alguma quantia acima de $400 ou andar com essa quantia nas ruas, eu levo um porta dinheiro que fica escondido no corpo. Nunca fui assaltado ou tive algo furtado na Austrália, mas já ouvi vários brasileiros falando dos seus objetos subtraídos, principalmente em festas. Meu desejo é ser policial na Austrália, porque quis isso no Brasil, mas era totalmente deprimente a vida de um policial no Brasil. Aqui o policial tem todo um preparo de qualidade, tem um ótimo salário e tem recursos excelentes para manter a profissão sempre com qualidade, você chama a policia e ele chegam rápido em qualquer lugar.

            Os adolescentes australianos são em grande maioria rebeldes sem causa. Fazem muita bagunça dentro dos ônibus e em shopping center. E eu já vi muitos deles arrumarem confusão com pessoas normais sem qualquer motivo, aliás, acho que o único motivo pra eles é querer se aparecer.
            A Austrália tem uma qualidade de vida espetacular, mas tudo tem seu preço, e para ter essa qualidade de vida você paga um custo de vida elevado, MAS nada que com trabalho e dedicação você não consiga levar numa boa. Se está no seu plano de vida viver na Austrália, realize que você não irá se arrepender. Logo nos primeiros meses seu modo de ver as qualidade irá mudar rapidamente, porque acontece com todo mundo isso, você estará em um país aonde muita coisa funciona.

            Sobre o direito eu não sei bem ao certo, mas eu acho que pra exercer a profissão aqui tem que ter o curso de direito daqui. Uma colega brasileira é formada em direito no Brasil e teve que fazer o curso aqui pra aplicar a residência aqui. Alguns cursos são aceitos aqui, na área de eletrônica, TI e cursos de engenharia e medicina você faz uma prova para checar seus conhecimentos.

          • Com certeza, quem é assaltado no Brasil já anda com cuidado, depois que fui, essa atenção só redobrou. Eu também me interessei em trabalhar como policial na Austrália, porque sempre tive interesse em participar ativamente e no Brasil isso se torna impossível porque nunca se sabe em que está se metendo.

            Quanto ao direito, na verdade depois que eles revalidam o diploma, é necessário estudar 11 matérias em uma universidade australiana, depois disso se provar experiência já pode entrar com o processo para se tornar advogado, se não provar, exige ou um ano trabalhando supervisionado ou um ano de algo similar a um estágio.

            Meu único medo é que a profissão de advogado saia da lista de profissões em demanda, mas acredito que não deve ter muita gente aplicando para ela.

          • Dennis, podemos conversar sobre essa possibilidade de ser policial na austrália. Sou Policial Rodoviário Federal no Brasil, mas aqui, como você sabe, não é muito respeitado pelo governo, mídia e sociedade. Gostaria muito de saber se existe esta possibilidade. Podemos nos ajudar neste processo. Entre em contato: felipemzeca@gmail.com

            Abraço

  37. Cara, sensacional o texto! Concordo com tudo o que escreveste.
    Vivo em Perth há 3 anos com minha esposa e só voltaria p o BR se OBRIGADO ou DEPORTADO!
    Só visito, por que tenho família lá!

    Grande abraço.

    Vinicius

  38. Jerry, a não ser que eu esteja redondamente enganado você deve te ASCENDÊNCIA italiana e não DESCENDÊNCIA. Fantástico post, espero um dia estar em condições de falar isso por mim mesmo, morando na Aussie! Parabéns!

  39. Em dezembro de 2013 voltei para o Brasil e estou vivendo em São Paulo há dois meses e meio, confesso que já estou arrependido e já comecei a planejar a minha mudança de volta para a Austrália.

    A falta de respeito da grande maioria da população e o constante sentimento de insegurança são duas coisas que eu não consigo mais suportar.

  40. texto bom, porem comparar um pais relativamente jovem, com um pouco mais de 20 milhoes e habitantes com o Brasil nao eh justo. Tambem moro na Australia ha anos e conheco inumeras pessoas q jamais deixariam o Brasil para viver nos sub-empregos oferecidos a grande maioria que tenta um lugar ao sol. Nao se usam empregadas domesticas?? o que seriam de 90% das brasileiras q trabalham ha anos como “cleaner” ou nanny e se acomodam ganhando seus $200 dia????nossa $200 por dia, quanto dinheiro neh? no Brasil seria um dinheirao, mas na Australia nao!! Sistema de saude e seguranca sao melhores sim, mas tambem tem muitos problemas, nao sao perfeitos como vc diz, em alguns bairros, jah nao se anda mais durante a noite e a policia nao eh tao eficiente como eh em Bondi Beach acabando com as “house parties”.. corrupcao na politica tbm existe por aqui!!assita mais televisao e vera noticias de assassinato, roubo de carros, escandalos, etc.. claro que nao eh como no Brasil, mas os numeros estao crescendo e rapido!! assim como atendimento em alguns orgaos como RTA, atendentes em grande parte sao Australianos, mas como todos nos, apenas no papel, e muitos sao bem mau-educados. Cara, no Brasil as pessoas vivem p ostentar, mas e na Australia? quando vc conhece alguem, logo surge uma perguntinha q incomoda e muito: “vc jah e residente?? ai vc enche o peito e logo diz, “jah sou cidadao!!enfim, imagine a Australia com 10x mais habitantes.. ricos, pobres, os q vivem bem e os que vivem mal sempre vao existir em qq lugar..e independente de sermos cidadaos ou nao, sempre seremos parte dos imigrantes q tentaram a vida na Australia, assim como os Indianos, os Chineses, os Libaneses etc..nao sou defendo o Brasil, conheco todos os defeitos, fui funcionario publico Federal por 10 anos antes de mudar p Australia, porem nao iludo as pessoas vendendo a Never land ou a vida de Peter Pan q nao existe p todos..

    • Hans, grato pelo comentários esclarecedor. Eu também sou servidor público aqui no Brasil e penso em me mudar para a Austrália. Gostaria de fazer algumas perguntas para você, se possível. Poderia me escrever e me adicionar , por gentileza? Meu email: aleferamalho@yahoo.com (do facebook também). Grato Alexandre

  41. Adorei o texto! Estivemos na Austrália por 50 dias e amamos tudo. Temos familiares que constituíram familia com pessoas australianas e já moram há mais de uma década no país. Também nos sentimos gratificados por cuidar nós mesmos da limpeza do apartamento que alugamos, oportunidade que no Brasil não temos, pois estamos “acostumados”ao sistema de ter sempre uma ajudante para tarefas domésticas. Entretanto, estávamos em férias e tínhamos tempo para isso! No Brasil, diferentemente da Austrália, a jornada de trabalho é mais extensa, eu e meu marido trabalhamos de 8 a 12 horas por dia e muitas vezes ao final de semana, o que nos obriga a ter uma assistente em casa, para ajudar com a rotina da casa e de nosso filho. E tenho que salientar também, que pelo que vi nas residências australianas, nossos hábitos com relação a limpeza doméstica são bem diferentes dos hábitos australianos. Nós prezamos a limpeza com primor e não conseguimos viver no meio de ácaros, cozinhas encardidas e poeira como eles, que culturalmente se importam menos com isso. Ricou ou pobre, brasileiro é mais caprichoso com a casa e isso é cultural.Tivemos que fazer uma super faxina ao chegar no ap que alugamos em Narrabeen e que o proprietário considerava limpo. A crosta de pó sob os móveis do quarto era tão grande que eu e meu filho tivemos uma crise alérgica que só melhorou com corticóides. A qualidade de vida dos australianos é sem dúvida excepcional! O lazer disponível e gratuíto e o funcionamento das coisas é maravilhoso. A segurança é tudo de bom! Mas algumas comparações não podem ser feitas superficialmente, pois podem incorrer em exageros ou caricaturas! Parabéns pelo blog, está sensacional, já estamos seguindo!

  42. Apenas não concordei com a parte do Mc Donalds, as pessoas comem fast food aqui na australia justamente por ser rápido e barato. Diferente do Brasil que os preços do Mc Donalds são absurdos e a galera compra só porque é Mc Donalds.

  43. A parte dos filhos foi a parte que mais me chamou a atenção e é assim que desejo criar os meus, com excessão da parte do Senna que infelizmente não pude ver, por ser um pouco mais novo que você Jerry, mas o fato de ter visto o tetra, o penta e provavelmente o hexa agora em 2014, terei um orgulho tremendo de falar que sou brasileiro e faço questão que meus filhos ouçam pelo menos como é a vida por aqui e se possível conhecerem o país do pai deles, mesmo por que deixo família aqui no Brasil pra encarar a vida na Austrália.

    Jerry, os teus posts me motivam cada vez mais a ir, sempre fico me perguntando se devo largar minha vida aqui, uma carreira em ascensão pelo total desconhecido, e cada vez leio os posts que tu escreve e a vontade aumenta.

    Obrigado mesmo!

  44. Este é mais um texto que me anima em querer ir para a Austrália, tenho conhecidos e amigos que moram ou já moraram lá (alguns australianos, inclusive) e todas as informações que me passam são animadoras. Só acho que o texto pecou na abordagem da questão racial, já que os povos aborígenes sofreram muito preconceito ao longo da história da Austrália e ainda sofrem (apesar disso já ter melhorado bastante pelo que acompanho); mas enfim, acho que a luta desses povos deve ser reconhecida.

  45. Jerry, passei 6 meses em San Diego e retornei ao Brasil tem pouos dias, estou com o sentimento muito forte de voltar para viver lá… não consigo me acostumar com a falta de segurança e educação das pessoas… etou a um passo de abandonar tudo pra viver por lá… e seu texto só me encourajou mais um poquinho… me identifiquei muito…

  46. Primeiramente Parabens pelo texto Muito bom mesmo. Sempre leio a respeito da australia e sobre diversas compracoes entre brasil e australia, que muitas vezes nao sao bem explicadas, diferente do seu artigo que explica seu ponto de vista com texto simples e claro!
    Morei tb na australia e posso afirmar tudo que vc disse eh verdade!

    Uma coisa que mais sinto falata na australia eh do povo educado. todo mundo acha q australiano eh marrento convencido e tal..ERRADO isso quem fala eh quem nunca foi pra la! Qtas vezes passei por pessoas na rua que nunca vi na minha vida e eles falavam Good day mate!
    E Outra o Jeitinho brasileiro que vc falou… Brasiliero eh ridiculo tinha amigo que usava moedas de 10 centavos da nossa moeda em bares na noite para passar por Dois Dolares… RIDICULO!!!

  47. Morei 3 anos em Sydney, e voltei no ano passado! Toco uma empresa de construcao, nao posso reclamar do financeiro durante esse espaco curto de tempo de volta.

    Mas certamente, ainda esse ano ou logo apos a copa do mundo, estou volta pra Sydney!

    Esse jeitinho brasileiro de ser daqui, ainda ira afundar de vez todo mundo!

    Absss all the best for u mate!

  48. Parabéns cara, que blog sensacional disse tudo, morei ai quase por 3 anos também e lendo esse seu blog quase chorei, kkk, de saudades, espero voltar em breve.

  49. Muito bom seu texto! Verdadeiro e simples! Fico feliz por ter meu filho na mesma situação. Ele adora a Austrália, já mora aí há 10 anos e nem pensa em voltar para o Brasil. Você tem toda a razão, mais vale uma qualidade de vida sem custo aí, do que uma fortuna aqui no Brasil.

  50. Ja morei no Brasil, Italia, Inglaterra e agora moro nos EUA.
    NUNCA, repito, NUNCA encontrei um pais perfeito, cada pais tem seus pontos altos e pontos baixos. Por esse motivo sempre fico desconfiada de pessoas que retratam o pais onde moram como perfeito ou quase perfeito(e geralmente somente as coisas ruins do Brasil).
    O nome disso eh DESLUMBRAMENTO, bem tipico de alguns brasileiros que encontrei em todos os paises onde morei. Nunca morei na Australia e nao tenho nada contra o pais, mas DUVIDO que seja essa perfeicao toda! E fica a frase de Nelson Rodrigues “Brasileiro é um narcisista às avessas!”

  51. O patético é que o brasileiro que aqui vive como “filhinho”, se recusando a fazer qqr coisa para ajudar em casa, pagando com prazer (e esforço dos pais que parcelam o cartão de credito) para ser servido, vai para a Austrália e se dispoem a fazer qqr coisa.
    Aqui a classe média tem vergonha quando não tem empregada, tem pena/desprezo de profissionais que não possuem maiores qualificações como empacotadores e garçonetes, por exemplo. Essa mesma classe média na Austrália tem orgulho de fazer qualquer serviço.
    Aqui também tem parques onde se pode fazer pic-nick, mas aqui isso é programa de pobre. Aqui a mesma pessoa de classe média que faz pic-nick na austrália prefere pagar fortunas por um café. Se na austrália vc andava feliz de bicicleta, aqui vc vai reclamar pq o ar condicionado não está refrigerando rápido.
    Aqui vc reclama da garçonete burra, lá vc tem orgulho de ser a garçonete.
    É incrivel como as pessoas que vão brincar de ser pobre no exterior se acham superiores.
    Se você é superior por ter morado na Austrália, vem ser superior no Brasil.
    Volta, sem mau-humor, aceita qqr emprego, respeita qqr um e não reclama, afinal vc acha q aprendeu a viver como pobre!
    Ou voltar ao Brasil te lembra que tu é só mais um brasileiro que se acha super a qqr outro brasileiro?

  52. FICO INDIGNADA COM PESSOAS QUE SAEM DE SEU PAÍS E VOLTAM QUERENDO MUDAR TODA UMA HISTÓRIA .CADA PAÍS TEM O POVO QUE MERECE JA VIAJEI PELO MUNDO,E CADA UM DELES TEVE SEU ENCANTO.MAS… FALAR MAL DO MEU PAÍS JAMAIS.SOU E SEMPRE SEREI BRASILEIRA

  53. Adorei seu texto! Meu esposo tem uma prima que mora na Austrália e nem pensa em voltar a morar no Brasil! E ela fala muito bem de lá (Sidney). Confesso que tenho muito desejo em morar lá. Depois de nossas conversas tenho cada vez mais certeza disso.
    Se meus filhos já fossem maiores eu iria com certeza! Ainda mais em nossa área que ela diz ser de muito futuro por lá….. somos cabeleireiros! Mesmo morando em Curitiba atualmente, não escondo o desejo de morar na Austrália! E isto que está no texto é como ela sempre conta pra nós! Simplesmente maravilhoso! Se pintar a oportunidade, com certeza iríamos!

  54. É uma paraíso ai né! Parabéns!
    (conheço alguns brasileiros aqui no Brasil que trabalham pra “burro” viu?, não têm empregadas, faxineiras, lavam a própria roupa, pintam a própria casa, fazem a própria comida, e você nem sabe…criam os filhos honestamente, ah, os filhos quando crescem, fazem faculdade a noite, depois de trabalhar o dia inteiro, chegam em casa meia noite, etc. )mas isso é coisa de outra classe social, talvez você não tenha tido muito contato com “esse tipo de gente” quando morava no Brasil.
    Ah…sabe, conheci um australiano (morei ai por quase três anos) que fez a vida aí de uma jeito…bem… deixa pra lá! (sabe essas coisas que não pode ficar espalhando) e olha!!!?? ele vive bem pra caramba, até parece um desses australianos super honestos! Abraços e boa sorte, você fez a escolha certa. Isso aqui (Brasil), “não é para principiantes”

    • Eu tinha feito um comentário exatamente dizendo isso (mas meu comentário não apareceu aqui, não sei porque).
      O círculo de convivência dele aqui no Brasil era bem diferente do meu.
      Até mencionei que moro com meu marido há 6 anos e nunca chamamos faxineira, nem tivemos empregada. Que pintamos todos os lugares que moramos, instalamos torneiras, fizemos tela protetora anti-mosquitos para as janelas!!
      E quando fiz curso de inglês na Austrália, conheci brasileiros que trabalhavam em lava-rápido, o que prova que alguém na Austrália não lava o próprio carro.
      Também não sei porque as pessoas acham lindo não ter empregada. Para mim, é uma questão de alguém querer pagar e alguém querer receber pelo serviço. Ninguém está sendo forçado à nada.

  55. Maravilhoso!!
    Eu amo a Austrália, sem nunca ter ido aí. Mas já planejo minha ida. Eu trocaria FÁCIL a nacionalidade brasileira pela australiana. Ao contrário de vc, o brasil não está em mim. Por um azar do destino, nasci aqui, mas não seria minha escolha ,se eu pudesse escolher. Austrália ou Nova Zelândia com certeza competiriam de igual pra igual na minha escolha de melhor país pra se viver.
    Adorei o texto!!

  56. Gostei muito do texto e parabéns pelo site!

    Uma coisa que você deixou bem claro logo no início do texto e que mesmo assim algumas pessoas (minoria) não entendem é:

    “…este post tem como ponto de partida minha visão e minhas experiências pessoais…”

    Com isso não estou dizendo que as pessoas não tenham direito em criticar o que você escreve, mas é que algumas vezes elas acabam se excedendo, esquecem que, o que você escreveu é de acordo com as suas experiências (e muito obrigado por compartilhá-las conosco!!!)

    Alguns brasileiros “fanáticos” perdem a razão quando leem críticas contra o seu país e querem defende-lo com unhas e dentes; gente, nós como brasileiros sabemos bem o que é isso aqui, não vamos tapar o sol com a peneira, o Brasil é um país maravilhoso (natureza), porém o que estraga são 90 ou 95% dos brasileiros e vocês sabem do que estou falando! Críticas construtivas são sempre bem vindas em qualquer lugar e devem ser feitas, porém perder a razão não é legal além de não acrescentar em nada.

    Mesmo sem nunca ter pisado na Austrália (estou em vias de ir para morar) eu sei que não será um país perfeito, pois não existe país perfeito, porém tenho certeza que mesmo com problemas a Austrália está muito a frente do Brasil, basta fazer uma pesquisa rápida sobre IDH, índice de homicídios, índice de mortes por armas de fogo, índice de mortes no trânsito, etc.

    Também sei que jamais a Austrália irá ser melhor do que o Brasil em alguns aspectos como calor humano, comida, futebol (sei que esse último importa para muitos), porém mesmo assim eu estou disposto à trocar essas coisas e muito mais pelo que a Austrália têm a me oferecer!

    Resumindo:

    A Austrália é um ótimo país e têm alguns problemas;

    O Brasil é um ótimo país (natureza) e têm muitos problemas.

    Agora vai de você por na balança o que é mais importante para si próprio.

    Abraços!

    • É isso mesmo, são experiências pessoais, portanto cada um tem a sua. Estive na Austrália visitando meu filho que mora lá há 5 anos. País organizado, povo educado, hospitaleiro. Com muitas coisas diferentes de nós, principalmente limpeza e afetividade, têm muita dificuldade em demonstrar carinho e amorosidade. Foi o que senti.Mas acreditem, cheguei até a sentir falta da “bagunça” do Brasil. Fico feliz em saber que meu filho mora em um país sem violência, com muito mais segurança do que aqui, mesmo que já haja alguma nem dá para comparar com o Brasil. Eu, particularmente, não moraria lá, mas aceito que ele tenha feito essa escolha. A pior coisa para nós brasileiros é a distância e o custo da viagem, a saudades é a maior desvantagem para quem mora lá ou para quem tem alguém que ama morando por lá. Não dá para ir sempre, nem mesmo uma vez por ano, mesmo trabalhando e ganhando o suficiente para lá morar. Enfim são escolhas que devemos respeitar. Mas brasileiro também é honesto, trabalhador e acima de tudo um lutador, disso não tenho a menor dúvida.

  57. Texto incrivel! Concordo com tudo! Moro fora do Brasil desde 89, morei tb em Bondi Beach nos anos 90, e sei exatamente como è a vida na Australia! Eles realmente nao tem preconceitos, esse paìs foi fundado por estrangeiros e acolhem de braços abertos tantas etnias! Morar fora do Brasil e amar a nossa terra, sentir saudades de tudo, mas nao abrir mao acima de tudo da segurança. Todas as vezes que volto prà casa esse sentimento se confirma.

  58. EI DOUGLAS, quando o autor do artigo escreveu “Depois de uns dias no Brasil você começa a ser tomado por uma credibilidade enorme por uma frase que eu ouvi outro dia que diz que: “Todo brasileiro é um ladrão em potencial. Mas a frase não é minha, roubei de alguém aí..”. ” ele estava citando algo que leu e não afirmando isso, ok?

  59. Adorei o texto moro na Austrália há 3 anos e meio, sou casada com australiano me indentifiquei muito com seu texto por que e a pura verdade. Faz 4 dias que voltei do Brasil fiquei por três meses é maravilho rever a família os amigos mas conviver com a burocracia brasileira não da mais, a telefonia é uma vergonha as pessoas tem que usar Whatsapp por que se mandar mensagem normal os créditos acabam em 2 dias. Para pedir cartão ou trocar a senha um horror pedi um cartão duas semanas antes de ir embora vim embora e não chegou, os correios estão de greve a meses um descaso, tudo demora tudo é complicado. Cheguei em Sydney fui ao banco pedi outro cartão em dois dias chegou. Aqui tudo funciona você vê a diferença quando chega no aeroporto fora a limpeza das ruas e praias. O que eu sempre digo eu sinto muita falta das pessoas do Brasil mas não sinto falta do Brasil que eu vejo hoje como pais da burocracia.

  60. Amigo, gostei do texto e concordo com a maioria das suas colocações. O que não concordo é você generalizar o Brasil, como sendo = São Paulo onde eu nasci e onde você morava. Hoje vivo em Santa Catarina e a realidade é BEM diferente. Não tenho medo nenhum de ser assaltado, o transporte funciona bem e a saúde também!

  61. Morei em Melbourne por um ano, que saudades… Atualmente estou em Portugal, em relação as crianças acredito que ai é bem melhor para se criar filhos, tb não me vejo mais no brasil, só mesmo para visitar meus parentes!!! muito bom texto !

  62. Excelente artigo!
    Parabenizo-o de ter publicado com tanto brilhantismo sua narração.
    Moro em Brisbane por 12 anos e temhonexatamente a mesma opinião sobre tudo que vivo e já vivi aqui.
    Qualidade de vida, totalmente desconhecida no Brasil.
    Assim,quando visito o Brasi, eu me assusto como você é sou interpretada como snob.
    Entendo perfeitamente seu sentimento.
    No seu texto, eu acrescentaria que tudo que você mencionou sobre Sydney, se aplica a todo país.
    Entendo, também que sua abordagem é específica para Sydney, uma vez ser a cidade onde você sempre morou aqui.
    Grande e abraço por sua publicação!
    Eliane

  63. Concordo com quase tudo, talvez menos a parte da “atenção” dos profissionais de saúde, pois lembro que quando precisei ir ao médico, em Brisbane, a médica ficou sentada numa mesa, não saiu para me examinar em momento algum, apenas me explicou algumas coisas e me “dispensou”. Enfim, ainda assim nós sabemos que infelizmente a qualidade de vida no Brasil está a anos-luz da Austrália. Acho que serei a eterna chata que repete “lá na Austrália isso jamais aconteceria”, ou “lá na Austrália eu podia fazer…”.

  64. Sou brasileira, moro no Brasil admiro o modo de vida australiano. Gostaria de ver isso no Brasil, mas acho impossível. No entanto, vejo a nós, brasileiros, tão “réus” dessas atitudes insanas como também vítimas. Isso vem de longe, está enraizado e muitos naõ agem assim porque querem e sim porque desconhecem outra forma de tratamento!

  65. Obrigada Jerry. Nao te conheco, nunca ouvi falar de voce mas seu texto me comoveu. No dia 11 de abril completam-se 11 anos que moro em Sydney. Brasileira de coracao e de sangue, casada com um australiano que conheci nas Filipinas, com duas filhas lindas, uma moreninha, tipica beleza brasileira, outra loirinha, de olhos verdes e embora tenha os tracos australianos mais evidentes pela cor e’ uma perfeita brasileira sapequinha. Hoje o Brasil e eu tambem temos diferencas mas o amo e o amarei sempre do mesmo jeito que aprendi a amar e respeitar este grande pais que e’ a Australia. Parabens pelo lindo texto.

  66. Puxa! É uma democracia maravilhosa essa tal de Austrália. Conte-me sobre quantos aborígenes bem integrados à sociedade, à conomia e ao mercado de trabalho você conheceu em todos esses anos. E sobre o que os australianos acham deles e como os tratam. Curiosamente, nesse longo texto não vi uma menção sequer aos verdadeiros nativos australianos, nem mesmo quando você fala de racismo e preconceito. Tão curioso, que é como se não existissem! Eu moro na Alemanha há 3,5 anos e também não nego meu dislumbre quanto à civilidade e à ordem social aqui. Mas longe de ser as mil maravilhas. Aprendi a ver também as vantagens do Brasil e as desvantagens daqui. Mas também admito que apesar de tudo, você tem razão, no que diz respeito aos aspectos da qualidade de vida. O estilo de vida aqui é semelhante ao australiano e melhor, sim, do que o do Brasil.

  67. Muito bom, capacidade de se expresser incrivel, concordo com tudo, (ou quase tudo – a medicina da Australia, e me refiro a mentalidade,nao e boa e isto e sabido de todos os brasileiros que encontrei ai) Morei quase dez anos e estou no Brazil por tempo indeterminado, (vivo muitos conflitos com sentimento de culpa por trazer as criancas para crescerem aqui.

  68. Excelente texto. Eu moro no Canadá e concordo com cada vírgula que vc empregou. Eu voltei a Recife/Pernambuco para visitar minha familia depois de 2 anos e foi lamentável o que encontrei. Um verdadeiro caos no trânsito, falta de educação nas ruas, muita sujeira.

    Tive a oportunidade de morar no Québec/Canada, irei completar 3 anos em julho e voltar para o Brasil está fora de cogitação. Amo esse pais que escolhi para morar e estou muuuuito feliz.

    Aqui o que não falta é atividade 0800 para fazer. Durante o verão, a cidade é viva, as pessoas são felizes, muita bike pelas ciclovias, Durante o inverno, temos algumas estações de ski perto de onde moro.

    O Brasil teria tudo para ser um lugar maravilhoso para viver, mas o problema são os brasileiros, infelizmente. A regra geral é tirar vantagem até onde puder, tudo mundo tem prioridade no trânsito e respeito ZERO.

    Acredito que na Austrália deve ser a mesma coisa. Aqui, quando temos um cruzamento com apenas placas de pare, é impressionante como todo mundo respeita a ordem de chegada de cada um. Não é necessário ter um policial para controlar o fluxo, isso é natural.

    São pequenos detalhes que fazem uma diferença enorme.

    Novamente parabéns pelo texto e podemos substituir a Austrália pelo Canadá facilmente porque é a mesma mecânica.

  69. Tristemente fico em dizer haver constatado pessoalmente que todos os textos tem uma total veracidade, de outro lado, tenho uma grande felicidades que meu filho,mulher e seus filhos tenham sido aceitos e abraçados por essa abençoada terra.

  70. E impressionante e triste ver um brasileiro perder a malandragem, não estou falando que ser brasileiro e melhor que o australiano nem nada ou vice versa,por que cada pais tem sua peculiaridade, agora engulir isso assim a seco( esse texto) sem um minimo de consciencia do que esta falando e foda,falo em termos historicos, relativizando a experiencia.Historicamente a conquista deste pais foi violenta,violentissima, um pais que dizimou sua população de aborigenes, caçando esse povo como verdadeiros animais,desnecessário continuar aqui esse tipo de pensamento, resta lembrar que e um povo que sofreu enormemente com os “aussies” que não são racistas,que ate umas decadas atras tinham um politica educacional destruidora para com esses povos retirando o direito de suas crianças comprirem o “walkbout” o rito de passagem para a idade adulta,pois ao chegar na idade de 15 ou 16 anos era tirados de seus pais e levados para uma escola para aprenderem a ser “aussies” que não tocam buzinas de madrugada. Vc não ve violencia ai pq eles são muito efetivos em suas politicas segregacionistas amigo,não viaja esse eum pais violento, se seus filhos são aussies,sei la como escreve,e importante relatar a historia desse pais,que como qualquer outro do mundo e violento em algum nivel,nada contra achar ai bacana, e tal, o ruim e que vc faz comparações,e ai desconhece tanto o brasil com o jeitinho brasileiro, por exemplo não sabe a historia e nem definição e como isso se encaixou na historia brasileira, principalmente nas populações pobres como meio de sobreviver, do seu atual pais desconhece a violencia institucional atual, pricipalmente com os filipinos, os indonesios enfim colega, se muna de instrumentos para fazer comparações

  71. Concordo com muitas partes (principalmente em relação ao respeito, que no Brasil anda escasso), mas você foi muito feliz em dizer que o relato era baseado em suas experiências pessoais. Sempre tive faxineira (faxineiro na verdade!!) em Sidney assim como a maioria das pessoas do meu convívio, e isso nunca foi um problema. Gostaria de acreditar que não existe preconceito na Austrália, mas infelizmente acredito ser um dos grandes problemas do país, principalmente por existir uma parcela grande de ultra-conservadores, que gostariam que as fronteiras fossem fechadas para sempre!! Sempre achei a Austrália um mar de rosas, próxima da perfeição, mas uma vez eu ouvi de um australiano que o país não era somente o “Northshore” (meio que equivalente aos Jardins em São Paulo) e que eu precisava sair da minha “bolha” e ver que existiam bairros bem menos abastados, onde as pessoas passavam mais dificuldades, muitas vezes imigrantes. Minha experiência pessoal na Austrália é realmente quase que perfeita, alcancei um cargo executivo mais rápido do que teria no Brasil e tantas coisas mais, mas tenho sã consciência de que não é a experiência de todos.

  72. Concordo plenamente com tudo que vc falou. Não vivo na Austrália, mas sou cidadã americana ah muitos anos.
    Infelizmente quando mais a gente se acostuma com uma cultura mais educada, mais a gente se incomoda com a falta de educação do Brazileiro. Gostaria que minha família pudesse ler este texto pois creio que ficaria mais fácil para eles entenderem a minha indignação com tantas coisas que me incomodam quando vou ao Brazil. Amo minha família, amigos e colegas Brazileiros, mas jamais gostaria de criar meu filho em São Paulo onde nasci e vivi por 29 anos. Hoje sou bem casada com um americano tenho um filho lindo de 13 anos e uma filha no Brazil de 30 anos e sou muito feliz e agradecida por Deus ter mudado a história da minha vida e de ter me colocado nesse pais que hoje chamo de minha pátria. Tbem seria sempre Brazileira, mas
    americana por escolha e com muito carinho.

  73. Olá,
    Confesso que não li todo o seu texto. Concordo em partes, já morei na Austrália e quando voltei para o Brasil só queria morar na Austrália. O Brasil tem muitas falhas principalmente no sistema político, educacional e de saúde. Mas, simplesmente comparar para poder fazer puro marketing, acho injusto. É difícil mudar uma história, mudar um país, mas tenho certeza, que se o Brasil tivesse os três pilares acima muito bem estabelecidos, você não estaria na Austrália, longe do seu país, da sua família, da sua gente. Nada é mais gostoso do que pisar na sua terra e falar, isso aqui é parte de mim, sou eu, sou do Brasil. Temos muito o que mudar, mas, indo pras ruas, tentando mudar o sistema político. Daí é fácil falar. Eu tô daqui, falando que podemos mudar. Posso não ser ninguém, mas quero mudar pois eu acredito que a cordialidade, simpatia, o sorriso no rosto e as belezas naturais, você encontra aqui de uma forma diferenciada. Aqui é selva de pedra, mas nem todos querem ir pro shopping e educam seus filhos sem limites. Muita gente aqui sabe o valor de tudo isso. É difícil, mas continuo amando isso aqui como sempre, apesar de já ter viajado para muitos outros países porque aqui é minha terra. Às vezes, fugir é muito mais fácil do que encarar de frente o monstro. Essa é a questão. Principalmente numa sociedade onde poucas pessoas se importam com a política e essa epidemia é mundial. Eu to aqui, na frente do computador, apenas comentando o seu post e tudo continua na superficialidade, sem muitas mudanças. Mas a AUS é boa, com certeza. Ainda quero voltar, mas ainda quero conhecer tantos outros lugares.

    Com muita paz e amor no coração,

    Bianca Weber

  74. Adorei o texto, moro em Sydney ha 3 anos, e infelizmente nao pretendo voltar para a Bagunca do nosso amado Brasil. A saudade e grande, mas a cada dia aumenta a falta de respeito ao proximo, seja no transito, em um servico e principalemente pelo politicos que nao respeitao se quer a quem os colocou no cargo… Parabens pelo texto, excelente!

  75. Tenho 37 anos e tô velho pra tentar a vida em outro país? O que acham? Boa aparência, qi 140, inglês intermediário, sem frescuras, sem medo de novidad, só não tenho coragem.

  76. Muito bom o texto.Estive na Austrália em 2011.Meu filho estudava lá.Não fiquei muito tempo.Fiquei apenas 15 dias.Claro que a Austrália é um país muito diferente do nosso.Sua população é bem menor que a do Brasil,o que minimiza também os problemas.
    Tem muitas coisas que realmente lá eles botam a mão na massa,sem recalques.Isso é uma cultura daquele povo.
    Claro que gostaríamos que o Brasil fosse assim,mas enquanto não mudarmos nosso sistema político,não veremos nosso país avançar em tudo o que foi colocado.
    Eu também viajei para + de 30 países, e todos tem problemas.Alguns são melhores que o Brasil,mas tem muitos que são muito piores que o Brasil.
    Aqui também falta atitude do povo,em querer realmente mudar o sistema.O Povo semianalfabeto e alguns que se acham intelectuais,apoiam sempre medidas paliativas e nunca fazem nada que realmente melhore as condições de vida do povo.
    Mas ainda assim,eu prefiro o Brasil.

  77. Morei 5 anos na Nova Zelândia e infelizmente tive que retornar ao Brasil no ano passado devido a um problema de saúde na família, mas não consigo me readaptar de novo aqui e sempre que leio textos como este choro muito de saudades da vida que tinha fora daqui.
    Apesar de amar minha família, não estou mais suportando ter que ficar aqui.
    Obrigada pq esse texto meu trouxe esperança.

  78. Olá! Eu gostei bastante do seu post e concordo com muito do que você disse, especialmente esse negócio de ter empregada. Acho muito engraçada a necessidade do brasileiro em ter alguém pra arrumar sua casa.
    Uma vez um brasileiro que fez um curso de inglês pra imigrantes comigo comentou na sala que a única coisa que achava difícil era que aqui a gente não tinha “maids”. A professora entendeu “mates” e disse que ele tinha todos nós como seus mates! Ele nem corrigiu ela, acho que ficou com vergonha…
    Eu li um post esses dias em outro blog e estou achando que essas situações comentadas são meio comuns em Sydney, porque aqui em Gold Coast tem muito australiano filhinho de papai que é de matar! Meu marido é de Melbourne e ele tem poucos amigos que nasceram em Gold.
    Também não acho que o preconceito seja apenas em casos isolados, pelo menos não aqui. Aqui em Gold, o mercado de trabalho é complicado, por isso estrangeiro sofre bastante pra arrumar trabalho em certas áreas. Uma vez eu estava voltando de Melbourne de avião e uma mulher estava sentada ao lado do meu marido. Ela estava analisando currículos no laptop e sem eu comecei a olhar disfarçadamente. Ela deletou todos os emails, sem nem abrir, de pessoas que tinham um nome incomum pros padrões daqui.
    A questão da educação é realmente fenomenal, as crianças sempre dizendo obrigado e desculpa, etc. Mas aqui em Gold o povo pode não buzinar, mas geral costura o trânsito, não dá a vez, dirige colado atrás de vc se vc está andando no limite de velocidade, além do que dirigem mal demais hahaha
    Só queria dar minha opinião mesmo. Acredito que a gente sempre acaba falando mal do comportamento dos brasileiros, mas aqui na Austrália tem muita coisa errada também. Enfim, parabéns pelo post! É sempre bom ler opiniões diferentes dos brasileiros que moram aqui!

  79. Oi Jerry,adoro ler seus comentários e concordo com todos os pontos que voce marca tão bem,Sou brasileira nasci no RIo de Janeiro,sou suburbana não nasci na Zona Sul como muitos se classificam por vergonha de dizerem que veem de um lugar pobre.Estamos na Australia fez ontem dia 20 de Março 33 anos,meu filho chegou aqui com 10 anos. Trabalhamos duro para dar à ele uma boa formação para o futuro,conseguimos nosso objetivo.Nesses 33anos fui ao Brasil duas vezes,uma em 1988 para rever minha mãe e irmãos e outra em 1998 para vender o pouco que tinhamos ali porque cada vez me disiludia mais com o mundo politico e com as pessos que parecem perderem o pouco de educação e respeito pelo proximo que tinham,é triste mas é verdade.Meu filho casou com uma brasileira de Campina Grande Paraiba há 12 anos,quando ela chegou aqui,tinha medo de tudo e de todos e um comentário peculiar que ela fez quando fomos visitar meu marido que estava internado foi “nossa aquí até os hospitais são cheirosos,não é como no Brsil que fedem tanto”eu não sabia se ria ou se ficava triste,porque no fundo a gente tem de admitir que é verdade.Bem encurtando a conversa,senão não paro,todos temos cidadania Australiana e meus dois netos são australianos de nascimento mas teem cidadania brasileira tambem porque aparte os problemas negativos a nosso sangue é brasileiro e isso faço questão de conservar e de ensinar à eles.Mas uma frase que eu uso muito e acho que é o que todos pensamos SE O BRASIL FOSSE BOM EU NÃO ESTAVA NA AUSTRALIA. Um beijo e um abraço para voce e sua familia.

  80. Legal o texto. Sempre morei fora mas voltei pro meu país (Brasil) para ajudar ele a mudar, apesar da tarefa ser enorme, e não ficar reclamando lá de longe contribuindo para outro país.
    Bjs

  81. Quando voce nao se sente parte do pais onde mora, acho que deve rolar este sentimento mesmo… de esta contribuindo para outro pais.. mas em muitos casos, no meu por exemplo, e aparentemente no caso do rapaz que escreveu este texto, este sentimento nao existe, a Australia tambem e’ o meu pais, e apesar de nunca deixar de me sentir brasileiro, aqui e’ onde escolhemos viver e sermos felizes. Nada mais justo que demos a nossa contribuicao.

  82. Sensacional.

    Eu quero sair do Brasil, quase preciso quero dizer… Esse pais aqui não é pra mim, não consigo aceitar como é. Eu e minha mulher pintamos nossa casa, limpamos nossa casa, educamos nossa filha e passeamos pela rua com ela… essas coisas que parecem ser o normal por ai, me identifiquei.

    Passei pela Australia em 2007/2008, por 5 dias em sidney, não posso dizer que conheci a cidade, ou o pais, mas pelo pouco que ví, arriscaria morar por ai.

  83. Parbens pelo texto, so queria compartilhar uma coisa, Sou cidadão Australiano,morei em Melbourne 10 anos Tive uma esperiencia de vida excelente. Estou de volta ao Brasil fez um ano e estamos felizes, eu a minha esposa e as minha duas filhas.

    Nem tudo na Australia e com voce disse, hospital por exemplo tem uma estrutura fantastica mas ja passamos diversas vezes mais de 3 horas para ser atendidos, assalto e tambem existe, Australianos burlando importos dando o “jeitinho Australiano ” ou chines, indiano, italiano… jeitinho não é so do brasileiro todos fazem tenho varios amigos ai na Australia de varias nacionalidades.

    Em fim, cada um é cada um, muita gente me pergunta “voçe voltou pra ca voçe e doido?” Eu digo doido e quem decide morar longe da sua familia, se um dia o “calo” apertar com um problema de saúde ou qualquer coisa parecida aí verão quem relmante vale pena esta perto.

    Bem tudo depende do ponto de vista de cada um, entendo perfeitamente varios pontos no texto de como algums brasileiros dão valor ao que não tem valor.

    Pessoalmente, dou valor a familia, amigos, cultura e viver feliz! Talvez as minha raizes nordestinas sejam tão fortes que fizeram eu voltar a Recife.

  84. Morei um ano na linda Austrália (2007-2008) e ainda não tive a oportunidade de voltar nem pra visitar. Você me fez chorar com este post. Sinto sdds da vida de brasileira na Austrália. Vida de não se preocupar com diversas coisas que para nós se tornaram “normais”, mas que na verdade não são nem nunc serão.
    Queria apenas compartilhar um triste episódio que vivi enquanto morei em Bondi Beach: eu e um grupo de amigos, todos brasileiros, sofremos xenofobia de Libaneses naturalizados Australianos. Foi uma cena de pura intolerãncia e covardia. No entanto, quando os policiais e a ambulância chegaram quando eu e mais uma amiga estávamos desmaiadas no chão por termos apanhados de 2 animais covardes, retomamos a consciencia e a polícia pediu milhões de perdões em nome dos cidadãos australianos e do proprio governno e, disseram que isso não era uma atitude aceitável [obviamente]. Resumo da ópera: depois de duas semanas voltamos à delegacia para reconhecer os meliantes e eles foram PRESOS.
    Uma lástima isso que aconteceu comigo e com meus amigos num lugar como a Austrália, no entanto agiram como deveriam agir. Ai me pergunto… E no Brasil? Como seria?
    Obrigada pelo ótimo texto e espero logo ter a oportunidade de voltar, nem que seja apenas para visitar!

  85. Haja paciencia. Concordo com voce em alguns pontos mas acho que voce deveria se informar bem melhor na area da educacao e saude antes de publicar esse texto. Tai o “jeitinho brasileiro” … Nao cuspa no prato que comeu. Nao esqueca que a sua familia ainda mora no Brasil . Milhoes de brasileiros sao de boa indole e educacao. Essa comparacao de comportamento que voce citou nao pertence a mesma classe social. Com todo respeito, esse texto nao passa de um false hope para aqueles que estao vindo pra Australia. A vida aqui nao eh um mar de rosas. Existem coisas boas e ruins como em qualquer lugar do mundo. Respeito o seu ponto de vista mas mostra um grande “gap” em muitos aspectos que talvez seja por pura falta de experiencia ou convivio com a grande maioria da sociedade Australiana.

  86. Legal teu texto, Jerry. Bem assim. Esquecer a filmadora na mesa do pub cheio de gente e voltar depois de horas e encontrá-la no mesmo lugar.E ainda tem os caixas de supermercados e grandes lojas, onde a gente passa as mercadorias no caixa automático, empacota, paga, tudo sozinha, nenhum fiscal, e -penso- todos pagam suas compras. Minha família que mora na Aus está tribem lá, sempre voltam ao Brasil para matar as saudades. O mundo não é tão grande como se pensa. Seria tão bom se não existissem fronteiras…Seria tudo igual? talvez…
    E as diferenças existem, é cultura, é educação.
    Ainda temos um longo caminho neste Brasil que amamos e tem tantos problemas.
    Sabes, Jerry? A gente é feliz onde se sente bem.

  87. Morei na australia um ano, em Gold Coast.

    Tem seus defeitos e qualidades como qualquer outro lugar. Sinceramente, australia não é esse paraiso como falado no texto. A verdade é que, bens materiais, celulares de ultima geração, carros ultra foda, eu diria que, qualquer um pode ter isso lá, em qualquer emprego, então existe uma igualdade em termos de BENS MATERIAIS.

    Mas, o outro lado da moeda, lá eu tive muito mais problemas do que aqui em relação as pessoas, tipo, discutir com o dono da pizzaria, pq ele achou ruin de ter reclamado da pizza estar demorando 50 minutos(??haha), entrar em um lugar pra comprar bebida, e o cara falar mal dos sul americanos, ver australianos jogando uma geladeira do 12 andar de um predio, alugar um lugar pra morar e o cara ser totalmente desonesto. Um colega meu tomou um soco na cara na rua de graça, andando pelas ruas aonde ficava as boates. Um sniper malucao, matou algumas pessoas inocentes perto de onde eu morava, um predio perto de onde eu morava, rolou briga e teve esfaqueamento. Ou seja gente louca vai existir em todo lugar.

    Eu senti que muito dos australianos se acham superiores, e muitos odeiam o fato de ter muitos turistas lá, pelo fato do sentimento de estarem roubando algo que é deles. Agora se relacionar com pessoas de outros paises, é muito legal e são muito receptivos pq muitos estão la por intercambio e estão aberto a conhecer novas pessoas, então nesse aspecto é uma experiencia incrivel. Agora morar definitivamente? sinceramente nao moraria. As pessoas não sao calorosas como aqui no brasil, diria que nao existe o jeitinho brasileiro, mas pelo outro lado elas são meio robotizadas no comercio, não existe negociar é aquilo e pronto.

    Um exemplo, fui jogar tenis em um clube grande, joguei uma hora, e queria negociar mais 30 minutos pagando metade, sendo que tinha 15 quadras livres, não tinha ninguem jogando, e o atendente falou que nao era possivel, que tinha regras e tinha q ser assim e pronto. Ou seja são bem secos e diretos, não tem aquela coisa do brasileiro, que vc conversa, cria as vezes até um laço com a pessoa.

    Acho que ambientes ruins e bons, vão existir em todo lugar, independente do país. Baseado na minha experiencia, eu diria que vivi os 2 lados, conheci pessoas incriveis, como conheci pessoas que não valem a pena. Eu viajei bastante por lá, conheci lugares onde as pessoas tinham a cara fechadas, eram metidas, como conheci lugares onde as pessoas eram receptivas e felizes.

    Agora o que mais faz falta são as pessoas queridas, familiares, amigos, quando vc está lá. Quando fiquei doente, parei pra pensar nisso tudo, não é a mesma coisa. Vc se sente isolado, não tem um familiar proximo pra contar, eu fui num primeiro medico indiano que me olhou em 4 minutos e me deu o diagnostico errado, tive que voltar em outro medico pra curar o meu problema.

    Acho que muita gente vai morar ai (não generalizando) como uma forma de fugir dos problemas daqui, mas acaba que ai talvez nao tenha os problemas que aqui tenha, mas vão existir outros com certeza, então tem que colocar tudo em uma balança e pesar. Sem contar que é muito longe, e a viagem é muito cara, ou seja, visitas de amigos ou familiares fica dificil… É uma vida dificil eu acho, mas acredito sim que tem brasileiros que se realizaram ai e conseguiram construir uma vida bacana, mas pra mim sinceramente, eu não troco o brasil por nada, apesar do governo que é uma merda, que rouba a gente na cara dura, eu nao trocaria, pq meu pensamento a felicidade nao esta relacionada com bens materiais, sei que na australia teria condição de ter um carro muito melhor, uma casa melhor, tudo que eu quizesse em termos eletronicos, mas as pessoas que tenho aqui, não conseguiria conquistar lá jamais, familia é muito importante.

    • Eu também acho que não existe um país perfeito. Nunca fui na Austrália ou no exterior, mas sei que em qualquer país desenvolvido que iremos visitar ou morar, sempre veremos os dois lados da moeda. Concordo sim, que no aspecto social, a Austrália está muuuuito mais a frente que o Brasil, mas isso não significa que o país seja 100% seguro, ou que absolutamente tudo funciona por lá. Inclusive vi alguns posts deste blog que expõem os pontos negativos do país, mas os problemas que podemos ver na Austrália pode acontecer em qualquer lugar do mundo, seja num país desenvolvido ou não. Enfim, não existe perfeição neste mundo, essa é a verdade.

  88. Bem, sobre o comentário da violência histórica contra os nativos australianos, Portugal também não foi muito caridoso com nossos índios e muito menos com os africanos obrigados a vir pra cá.

    Eu juro que tento atrofiar o jeitinho brasileiro e, se ficar por aqui, educarei meus filhos abominando essa prática. Acontece que ao abolir o jeitinho brasileiro num pais onde quase todos o praticam, fico me sentindo um idiota. Eu espero na fila, enquanto uma moça passa se dizendo grávida (só se fosse de 2 semanas). Pago 400 reais pra ver um show enquanto forjam carteiras de estudante para pagar meia… (se todos pagassem inteira, eu talvez pudesse pagar 300).

    Pior é suar pra comprar o iphone mais caro do mundo e não poder usá-lo. Porque 80% da população brasileira não tem nem renda digna para comer e morar e acha isso aqui maravilhoso.

    Vou pegar ônibus? tenho que esperar horar para ir parecendo uma sardinha… Saúde publica (tem gente reclamando de esperar 3 horas pra ser atendido? Aqui temos mães tendo filhos nos corredores…). Segurança? Moro num prédio com segurança 24h cameras, ando morrendo de medo. Educação? Espero ter dinheiro para pagar escolas, por que em SP por exemplo temos o milagre da progressão continuada(ninguém repete).

    Sobre a xenofobia. Imaginem-se construindo uma casa legal e depois essa casa é invadida por varias pessoas com jeitos diferentes que comecem a estragar sua casa…. É normal não gostar.

    E sobre subempregos, tenho um otimo salario no Brasil por ser um profissional altamente especializado e gosto do que faço. Mas trabalho com pessoas que odeiam e só o fazem pelo dinheiro. Minha esposa não consegue atuar na sua área de formação porque o salário é rídiculo (pouco mais de um salário minimo).
    Acho o máximo um lugar que pintores, faxineiras, marceneiros ganhem um salario digno para ter uma vida boa. Quem sabe no exterior, ao inves de trabalhar com o que trabalho hoje, só pelo alto salário, eu nao resolva virar Dive Master ou Instrutor de paraquedismo pra variar?

  89. Parabéns pelo excelente texto! Realmente o maior problema do Brasil é a falta de educação de qualidade, e infelizmente não há perspetiva de melhora no curto e médio prazo. Infelizmente não sabemos cuidar e valorizar o país que temos.

  90. Adorei o texto, chorei porque nunca vou poder viver essa experiência, porque nunca vou poder sai do Brasil infelizmente.
    Tudo que foi dito eu concordo lamentavelmente.
    Parabéns aos brasileiros que puderam sair e aqueles que tiveram coragem de sair.
    Que Deus nos proteja!

    • Nunca podemos dizer “nunca”. Eu também nunca fui para o exterior, tenho esse sonho de conhecer a Austrália por muitos anos. No momento estou estudando e ainda não tenho dinheiro suficiente para viajar para lá. E como diz o ditado: “A esperança é a última que morre”. Por isso ainda tenho esperanças de fazer isso acontecer. Mas fazendo um planejamento a longo prazo e conversando com pessoas que conseguiram ir para o exterior, é possível sim viver essa experiência. E esse blog é uma oportunidade de se informar e comunicar com pessoas que passaram por essa experiência. A dica deles são muito valiosos. É planejar, economizar e investir, que dá tudo certo.

  91. Cara gostei do texto. Morei por alguns anos na Autralia e vivi muito do que você cita em seu texto. Passei um ano na Gold Coast e 2 em Sydnei. Realmente a gente esquece de certas preocupações diárias que temos no brasil. Já estou há 5 anos de volta e, sinceramente, me arrependo de ter voltado. Quero um dia ainda ir pra nao voltar mais. Percebi que muita gente concorda ou nao com suas colocações, mas acho que as referência dão a sua visão para cada um. Acho sim que a Australia é do CARALHO, que por mais q tenha os seus problemas, estão MUITO longe dos problemas do Brasil. gde Abrs… Ce ya Mate!

  92. Post totalmente parcial, não dá pra comparar dois paises que tiveram histórias tão diferentes, paises proporções tão diferentes. Trocaria 3 carros de luxos, 2 lindas casas de praia por um abraço de minha mãe um papo com um amigo de infância. Outros paises são mto legais porém apenas se for de férias !

  93. Está na moda post de gente que mora fora (gringo ou não) metendo o pau no Brasil. Esses textos são todos iguais, sempre o mesmo argumento, mesmo discursinho. Realmente é muito mais fácil meter o pau, do que tentar entender o problema e tentar achar uma solução.

  94. Parabéns, amigo! Deu uma ótima visão do que é viver em um país organizado. Moro em Curitiba, considerada uma das capitais mais ‘européias’ do Brasil. Mas aqui a educação das pessoas passa ao largo comparado ao que foi relatado nesse post.

    Tenho muita vontade de conhecer uma cidade multicultural e verdadeiramente de 1º mundo como deve ser Sidney.

    Admiro o fato de afirmar sua brasilidade a plenos pulmões. Sem ser ufanista ou simplesmente andar na linha do politicamente correto.

    Felicitações!

  95. Acho que seu círculo de convivência aqui no Brasil é totalmente diferente do meu ou você pode estar desatualizado quanto aos hábitos da população brasileira.
    Eu e meu marido moramos juntos há 6 anos, também trabalhamos com TI, e nunca tivemos empregada, nem faxineira. Nós montamos nosso guarda-roupas, instalamos torneira elétrica, instalamos o filtro de água, varões de cortina, fizemos as telinhas de proteção anti-mosquito para janelas, trocamos as palhetas do pára-brisas do carro e pintamos todos os lugares onde moramos. Temos dinheiro para pagar faxineira? Sim!
    As minhas amigas têm apenas faxineira 1 vez por semana.
    Quando fiz curso de inglês na Austrália, conheci uns brasileiros que trabalhavam num lava-rápido, ou seja, alguém leva o carro pra lavar aí na Austrália…

  96. Achei muito legal. Só espero que faça um post invertendo o raciocínio. O Brasileiro tem síndrome de cachorro magro, complexo de inferioridade. Gostaria de ouvir alguém que, com sinceridade, coloque tudo aquilo que o Brasil exala de positivo, comparativamente a outros países onde vivem. Sem maniqueísmos. Abraço.

  97. Lá fora é bonito e maravilhoso até que aconteçam atentados e terremotos. Nessas horas um monte de brasileiros de primeiro mundo lotam os aviões de volta pra terrinha…

  98. Cara seu post foi simplesmente demais! Eu moro no Canadá, não tenho o calor que você tem aí heheheh mas possuo os mesmos valores e benéficios que você mencionou e isso não tem preço!

    Meus parabéns!

  99. Parabéns Jerry, muito bom texto! O único ponto que eu tenho que comentar é existe gente preconceituosa sim, assim como no Brasil. E me refiro por exemplo a alguns aussies anglo, que tem um certo preconceito inclusive com australianos nascidos aqui que são filhos de imigrantes, por exemplo. Antes eu não conseguia entender a diferença, mas algumas pessoas tem uma atitude ‘white’ que é ridícula. Não estou generalizando. Fora isso, a vida aqui é muito boa. Vim para Australia há 9 anos pela primeira vez, onde morei por um ano e agora estou ha quase 3 anos em definitivo. Não volto mais para o Brasil, mas apesar dos problemas que lá temos, amo o Brasil, sinto saudades e com certeza criarei meus filhos para que tenham orgulho de terem um pedaço do Brasil neles. Um grande abraço e parabéns pelo blog!

  100. Vou comentar em ” brasileires” mesmo, porque meu inglês e’ ininteligível heheheh concordo com TUDO exatamente com TUDO, e olha, nunca morei fora do Brasil, apenas poucos passeios para fora, poucos porque tudo passa, menos minha vontade de viajar e de uns tempos pra cá minha vontade de morar fora, se possível nos EUA, estou ” discutindo Relação ” com o Brasil, e vou te confessar, muito próximo de um divórcio , serei como voce , sempre Brasileiro, e terei orgulho do que daqui tem que se ter orgulho!

  101. “São caboclos querendo ser ingleses”
    Cazuza

    O texto procede em relação as coisas do Brasil colega. Mas morar na Australia não faz de voce um australiano, a despeito da documentação que provavelmente com muito esforço conseguiu. As noticias que ventilam aqui de incidentes envolvendo brasileiros não coadunam com o texto que voce escreveu. Encontros com violencia arbitraria por parte das autoridades, e até covarde sao noticiados de tempos em tempos por aqui.

    Eu sinto muito pelos problemas do brasil, mas morei muitos anos nos estados unidos, e uma das lições que la eu vi é que o americano comum sempre diz: I’ll shed blood for this country, no matter where or when.

    Eu pretendo fazer isso pelo Brasil, apesar do turbilhão de problemas que temos.

    • Andre, moro no Brasil também, sempre acompanho notícias em vários sites e na tv e só me deparei duas vezes com incidentes envolvendo brasileiros, não coincide com o que você diz sobre casos serem noticiados de tempos em tempos. E se formos ver os problemas por preconceito, ninguém moraria em lugar algum. No Brasil o que mais temos é preconceito contra nordestinos sendo noticiados frequentemente, além de preconceito contra negros, gays, mulheres. Se deixarmos de viver por causa das pessoas preconceituosas, deixaremos elas vencerem.

  102. Li seu texto através de um compartilhamento de um amigo que já foi à Austrália. Realmente deve ser muito bom morar na Austrália e se livrar desse Brasil que você tanto critica, aliás, deve ser muito mais fácil mesmo você sair da onde acha que é péssimo e viver em um país que goste. O difícil é continuar no país de sua origem, no país que você ama, pois nasceu ali e se identifica e enfrentar os problemas de frente, tentar mudar o país para melhor. Pense nisso, sair dele e falar mal é muito fácil, difícil é continuar em seu país de origem e fazer parte da mudança.

    • A verdade é que mudar o Brasil é mero clichê. Sempre falam em mudar o Brasil, mas no final das contas não muda absolutamente nada. Os brasileiros (exceto os que recebem o Bolsa Família, ou aqueles que ficam extremamente preocupados com o que vai acontecer no próximo capítulo da “novela das 8”) sabem dos problemas e das dificuldades de viver por aqui. Poderia listar inúmeros problemas, que são tão óbvios que nem dá pra falar aqui. Eu gostaria que o Brasil fosse diferente, mas por mais que eu queira, esses esforços ficam em vão. Muitos brasileiros foram a rua para protestar, e o que mudou? Quase nada. O governo diz que fez mudanças, só para dizer que fizeram alguma coisa. Mas os problemas ainda são os mesmos. Para muitos, isso é muito frustrante, lutar por mudanças e não vê-las. E isso é um dos motivos para alguns brasileiros irem para o exterior, que fazem muitos sacrifícios de ter que deixar a família e os amigos para trás e viver uma nova vida longe de sua terra natal. Muitos nem queriam morar no exterior, mas fazem isso por necessidade.

      • Falou tudo! A verdadeira mudança só acontece quando o caráter do povo mudar. A Austrália é boa porque o povo se respeita e não tenta passar ninguém pra trás. O Brasil é o oposto, aqui a lei é tirar o máximo de vantagem no menor período de tempo possível!
        Com essa mentalidade, as mudanças vão continuar sendo do jeito que vc disse…

    • Ramon Mesquita, o que vc define como “enfrentar os problemas de frente”?, “tentar mudar o pais para melhor”? Seria votar no Lula? Na Dilma? No Aécio Neves? Sarney, ou na Mãe Preta do Cerrado? Talvez vc tenha querido dizer, para virarmos Black Blocs e sairmos quebrando tudo. Qual é a sua idéia para “enfrentarmos os problemas de frente? Eu nasci pobre e contra todas as imensas dificuldades desse país, eu consegui vencer e ter uma família aqui no Brasil. Trabalho quase meio ano só para pagar impostos e ainda tenho que pagar plano de saúde, escola particular p os filhos, IPVA,IPTU,Seguro p o carro, casa etc E conheço muitas,muitas outras pessoas que fazem o mesmo que eu. Isso muda o Brasil? Esse país está pior que há 15 anos. A violência e a Corrupção encontraram a sua pátria. Você acha que um jovem cheio de sonhos, vai por fé nessa sua Lição de Moral fajuta? A vida é muito curta. A juventude é mais curta ainda. Parabéns aos jovens que vão atrás dos seus sonhos e não se acomodam nessa sociedade em formação e que só será desenvolvida daqui uns 100 anos ou mais.

  103. É exatamente assim que me sinto depois de er voltado para o Brasil, me sinto escravizada pelo sistema corrupto que aqui existe! Em breve estarei na Australia novamente!
    O blog é muito bom e vc se expressou muito bem!

  104. Gostei muito do texto e concordo com muitos pontos, principalmente em me sentir com medo no Brasil quando volto de ferias.
    Estou aqui há 6 anos e meio e convivi na maioria desse tempo com australianos mesmo, posso dizer que há sim bastante preconceito, eles não se conformam que ‘roubamos seus lugares na faculdade e seus empregos’ porém eles aprenderam muito bem a não expor suas opiniões e serem polite.
    Aqui também tem a cultura do álcool assim como vc mencionou e infelizmente é enraizada e tem a maior peer pressure! Crianças, adolescentes…andando nas ruas com muita maquiagem e roupas que mostram tudo…absolutamente TUDO…é super normal (dai vcs vem falar que no Brasil tb…sim no Brasil tb mas aqui é algo NORMAL enquanto no Brasil é uma minoria…).
    Meu melhor amigo tinha acabado de chegar aqui e um mês depois foi perseguido por uma 4×4 e 3 caras o espancaram com um taco de hockey porque naquela época estava na moda atacar estrangeiros…ele sobreviveu por milagre…
    Fiquei doente aqui, cheguei a ter depressão por passar a maior parte do tempo sozinha sem amigos de verdade, sem alguém em quem confiar…nunca pensei que um dia pudesse passar por isso pois sempre tive vários amigos onde quer que estivesse mas sim aconteceu comigo aqui e aquele tempo me fez pensar em varias coisas…concordo com você sobre todo o lado material que aqui tudo é possível…porém aqui também tudo é mais vazio e superficial. As pessoas aqui te sorriem mas na verdade não tão nem aí pra vc.
    Ah outra, venho de família simples no Brasil e já andei por tudo quanto é canto em São Paulo, Rio etc e nunca me aconteceu de quase ter sido estuprada…aqui já aconteceu comigo 3 vezes e eu poderia continuar essa msg dando muitos outros casos de pessoas que não tiveram a mesma sorte que eu é que foram sim estupradas…também é algo que acontece muito, que vira e mexe esta nos jornais porém é muito encoberto…
    Bom, gostaria de finalizar dizendo que Austrália e Brasil ambos tem seus lados positivos e negativos, cabe cada um ver o que pesa mais na balança.
    Abraços!

    • Sinto muito pelas coisas terríveis que passou na Austrália, mas realmente em termos comparativos o Brasil é um pais muito mais violento, acredito até que você deu sorte, eu que moro uma cidade com menos de 600 mil habitantes já fui assaltado, e todos que conheço também. Acredito que o fato de já temermos os crimes, faz com que tenhamos mais cuidado aqui no Brasil, enquanto em ouros países ficamos mais relaxados. Quanto a frieza dos Australianos, acho que é só educação, te respeitam, mas não se metem na sua vida. E no caso das roupas, o problema do Brasil é que além das pessoas regularem o que os outros vestem, muitos casos de estupro são justificados, por milhares de monstros que se dizem brasileiros, como culpa da mulher que se vestiu de determinada forma ou estava em determinado lugar, ou até mesmo bebeu demais.

  105. Me senti mto triste ao voltar ao brasil depois de 6 anos, o pais eh o mesmo nada muda, se muda eh pra pior
    Tenho pena da minha familia q, nao soh tem q viver longe de mim, do meu irmao e da familia q construi aqui, mas tbm tem q viver sem seguranca nenhuma no brasil
    Otimo texto parabens

  106. Parabéns pelo post ! muito legal, apesar de descordar respeitosamente de alguns pontos. Acho que cada um vive suas próprias experiências e tiram suas conclusões de formas diferentes. Moro na Australia desde 2007, junto com minha namorada. Minha namorada precisou de atedimento medico varias vezes, e uma coisa que posso afirmar é falta de bons médicos, eles te atendem com pressa, ao contrario do Brasil só lhe pedem um exame de sangue na terceira vez que vc volta ( ate la vc ja tomou varios antibioticos) a saude é um problema critico sim, isso estou falando de medicos privados os publicos nem se fala, já fui de hospital de cidade pra cidade devido mal atendimento, mas enfim vc nao vai morrer na fila do hospital issso te garanto. O Australiano é sim racista na sua maioria, principalmente com os aborígines que eles sao incoformados com os direitos que ele têem. Outro ponto que acho incabivel e já vi muito sao os pais praticamente expulsando os filho de casa com 18 anos ( ahuhauhau) claro que não é assim, mas é muito diferente de nos brasileiros que fazemos tudo pro filho ate que ele possa se virar ( nao vou discutir se é certo ou errado é cultura). E por último, brasileiros são muito mais unidos com a familia, nao vejo meus amigos aqui com saudades de ver os pais que moran do outro lado do pais ou algo assim, acho isso muito frio ( talves por terem saido de casa tao cedo). Mas os pontos negativos param por ai, concordo com tudo mais que disse de positivo e por isso que quando ponho na balança ainda pesa pra ficar.

  107. Sou brasileira, nordestina, soteropolitana, amo meu país, amo onde moro, sou feliz com o pouco que tenho e devo isso a minha família. Conheço os lugares do mundo apenas pelo que vejo na internet, filmes, etc. Vejo que os brasileiros que moram no exterior só falam bem(mesmo quem não vive tão bem assim) de fora. Gostei muito do texto, mas sinto falta em saber o inverso disso tudo: que motivo te faria retornar para o Brasil? O que nosso país tem que poderia te trazer de volta, nada?? Sei que levamos nossas raízes para onde quer que a gente vá, mas deve existir algo lá bem no fundo do seu íntimo que deve trazer essa vontade. Caso já tenha esse texto ou não, conte e me mande o link, gostaria muito de ler sobre esse ponto de vista. Abraços, Cris de Salvador.

  108. Que pena, não vi ABORÍGENAS na sua postagem. Mas vi no google – Wikipédia… “Os ingleses trataram os aborígenes com racismo e foram violentos com eles. Praticaram massacres enormes, decretaram leis discriminatórias e a sua imposição religiosa quase acabou com seus cultos animistas. Em 1806, o racismo dos colonizadores e soldados os levou a violar locais sagrados aborígenes e a caçar aborígenes por prazer[carece de fontes]. Em meados dos anos 1900, com a Austrália já independente da Inglaterra, a discriminação racial contra qualquer indivíduo que não fosse de ascendência inglesa continuava. Entre 1910 e 1970, o governo da Austrália retirou 100 000 crianças aborígenes – a maioria de pele clara, ou seja, mestiços – dos pais e internou-as em centros educativos para incutir nelas a cultura ocidental. Recentemente, em 2008, John Howard, primeiro-ministro da Austrália, lamentou publicamente esse fato, mas não quis pedir desculpas oficiais, pois isto iria acarretar em milhões de dólares de indenizações para as famílias ou seus descendentes.
    Pois é, aqui no Brasil, acolhemos todas as raças, povos, culturas e essa convivência com a diversidade nos ensinou a ser humanos. Vivemos juntos e misturados,e a bandidagem daqui não é por preconceitos, são problemas sociais e econômicos ainda não resolvidos neste país continente todo habitado. Aqui se consegue colocar 3 milhões numa praia (Copacabana), festejando o ano novo, a caminhada pela PAZ com o Papa em carro aberto, show etc.

  109. bom acho que a materia falou tudo que a australia ganha do brasil, mas vou falar o inverso, o que o brasil tem de positivo em relação a australia.

    – A comida no brasil é infinitamente melhor, sim as casas de fast food na australia são muito mais eficientes que aqui, mas em termos de comida, variedades, restaurantes, o brasil simplismente da um show na australia. Eu rodei por diversas cidades na australia, e não consegui achar comida perto do nivel daqui, de sabor.

    – As pessoas aqui são muito mais calorosas

    – Aqui o indice de assaltos é maior, mas lá as brigas em bares, boates, rua são muito mais frequentes, sem brincadeira. Eu perdi a conta de quantas vezes presenciei briga lá na australia, e brigas muito feias. Coisa como 2 caras descendo a rua, e vinha um cara subindo, esse cara subindo destraiu e esbarrou em um dos dois, um pedido de desculpa resolveria nao? mas começaram a discutir, e quando eu vi, o cara que estava sozinho ja estava nocauteado no chão. Eles são muito agressivos nesse sentido, diria que mais pela influencia do rugby no pais, muitos são fortes, os seguranças então são GIGANTES.

    – Futebol >>>>> Rugby, uma coisa que faz falta é acompanhar o futebol como no brasil, rugby é interessante até, mas sei lá, nao chega nem aos pés do nosso futebol.

    – Shoppings lá na australia fecha muito cedo, se não me engano era 5 da tarde.

    – Querendo ou não, lá vc sempre vai ser brasileiro, e sim uma hora ou outra vc vai sofrer preconceito por isso, muitos vão te julgar pela sua aparencia ou pelo seu sotaque. Tanto que era raro ver brasileiro inserido em grupo de australianos, geralmente os brasileiros ficavam com outros brasileiros, ou sul americanos, como colombianos, mexicanos, etc.

    – As mulheres aqui são muito mais simpaticas, sem contar que o corpo da mulher brasileira da de 10 nas australianas, elas são mais bonitas de rosto sem duvida, mas de simpatia, as brasileiras dão um show.

  110. Fico feliz que a maioria concorda com o Jerry. No entanto muita gente se baseia no preconceito ou num suposto aumento da criminalidade para afirmar que a Austrália não é uma maravilha. Eu concordo que deve ter defeitos sim, mas esses dois são comuns no mundo inteiro.

    Vale lembrar que no Brasil ainda temos brigas regionais, nas quais os nordestinos são grandes vítimas de preconceito. além dos negros, gays e as mulheres. Deixar de ir para algum lugar ou viver, por causa de algumas pessoas que acham que tem o direito de decidir para onde devemos ir ou o que devemos fazer, é deixa-los vencer. Por isso o fato de existir pessoas preconceituosas na Austrália, não deve impedir alguém, mesmo porque não são maioria.

    E criminalidade, muita gente afirmou de um aumento, no entanto o Office of Crime Statistics and Research publicou as estatísticas mais recentes que mostram uma queda no número total de crimes de 6.366 para 4.344 entre 2006 e 2010. Isso no Pais inteiro.

    Concordo que não existe um país perfeito, mas cada um tem direito de buscar uma vida melhor, independente aonde for, e essa busca não faz com que fechamos os olhos para os problemas do mundo. O que o Jerry faz é conscientizar, toda vez que ele fala dos problemas do Brasil, ele abre os olhos das pessoas para as diferentes realidades que se tem no mundo, isso serve para percebermos a gravidade da situação que vivemos no Brasil.

  111. Inspirador. Eu morei na Inglaterra por um tempo e me identifico com muita coisa descrita aí. Minha ideia é deixar o Brasil mesmo, pra valer.
    Inspirador parte 2: Eu não sabia marolas sobre a Austrália. Muito bom saber como esse país funciona. E como diz Colin Hay: I come from a land down under, where beer does flow and man chunder”. haha 🙂

  112. Muito bom para ser verdade, será mesmo isso tudo ou será que este texto é ilusão de ótica de um brasileiro que viveu nas décadas perdidas em que o Brasil vivia uma inflação galopante e que naquela época toda tecnologia que temos hoje era ficção científica. Também temos que levar em conta como foi nossa colonização e porque pensamos assim e somos assim, vale lembrar que a população do Brasil é assustadoramente maior que da Austrália.

  113. Nossa, q perfeito!! Eu sou bolsista e ficarei aqui por 1 ano e 6 meses….e so de pensar em voltar fico triste….amo esse lugar…e olha q sou do RIO!!! PARABENS….TEXTO PERFEITO

  114. O Brasil esta longe dessas maravilhas e estruturas oferecidas em paises de primeiro mundo, lazer, saude, educacao, seguranca etc..nem da pra comparar…O que ele citou e a mesma coisa aqui no Canada, EUA e certamente na maioria dos paises desenvolvidos. ..E olha que morei 5 anos na Australia e tb nos EUA. Quando voltamos para o Brasil achamos um atraso em tudo..mas o autor do blog so esqueceu de falar que os australianos sao o povo mais racista do mundo na minha opiniao e existem varios relatos sobre isso…e o tal do ‘ olive skin’ e expressao preconceituosa sim…eles odeiam asiaticos tambem….Aqui no Canada a maioria das pessoas me confundem como canadense ( de quebec) ou europeia, jamais acham que sou brasileira ( so mesmo um brasileiro pra me identificar rsrs pela lingua e pelo modo de vestir )….Aqui no Canada, eles se interessam em ‘conhecer sua cultura’ , australiano, ao minuto que voce abre a boca pra falar ‘ sou brasileiro’ ou ‘america latina’ ..acabou o encanto, vc e inferior a eles.. na minha faculdade eu sentia total discriminacao.. “Australiano se vira para coisas que o povo no Brasil nem sonha em fazer”. Claro, a mao de obra e carissima.…nao e diferente dos EUA, CANADA. Mas por esse lado e bom, porque nos aprendemos a se virar como eles, viramos 1001 utilidades. Mas estrangeiro em geral e muito pao duro, por exemplo, nao vao pagar pra ter faxineiro se ganham ‘razoavelmente bem’..tem que ganhar ‘ super bem’. De toda forma, ter faxineira independe de ser rico ou nao. Tem muito rico que tem ‘do de pagar’ mesmo tendo condicoes financeiras. Acho que e o exemplo que ele citou da familia com 9 carros com Porsche..cruzes ! A opcao ‘desnecessaria’ e apenas uma opiniao. Ter faxineira no exterior significa economizar tempo para sobrar para diversao com a familia no fim de semana. Existe sim muitos australianos, canadenses, americanos que pagam faxineira semanalmente. ….Com certeza morar fora abre seus horizontes e te permite a ver os contrastes do Brasil e o mundo. .mas eu jamais moraria na Australia pra sempre ou novamente, as pessoas sao muito frias e racistas. No Canada, apesar daqui ser um gelo, as pessoas sao mais ‘quentes’ e abertas a novas culturas e no minimo, se interessam pela sua ‘historia’.

    Eu…CIDADA DO MUNDO – do CANADA

  115. Parabéns pelo seu post. O final foi sensacional!!!
    Já viajei por outros países (EUA, CANADA, ARGENTINA, URUGUAI, PARAGUAI) mas ainda não tive a oportunidade de conhecer a Austrália. Cara, até na Argentina, que está numa crise horrível, os mendigos leem jornal e após dormirem em baixo de uma marquise, retiram seu colchonete pois pessoas passaram por aquele local no dia. ISSO SE CHAMA CULTURA. Infelizmente vivemos no país do “jeitinho” e da “corrupção generalizada” , pois até quem recebe troco à mais em uma padaria, não devolve e se gaba de sair no lucro. Uma pena não ter condições ainda, mas se pudesse, sairia daqui com certeza.
    INFELIZMENTE a grande massa da população brasileira está sendo educada para gostar do que é ruim e se acostumarem com tudo de pior que se pode ter na vida.

  116. We need citizens of the world!
    Vivi 20 anos fora do Brasil (Ásia, Europa e América) e não existe lugar perfeito. Gostei do texto mas me parece muito dirigido a atrair pessoas, sem mostrar os problemas que vão encontrar! Estou a 5 anos de volta ao Brasil e concordo com quase tudo que esta escrito, infelizmente voltei para comprovar o que já sabia, a violência neste Brasil e preocupante (45000 assassinatos por ano)! Deveríamos melhorar a justiça e oficializar a pena de morte, pois ela já existe! Também estou pensando em sair outra vez e infelizmente creio que será para sempre, pois o relógio não para e a idade não me permitirá outra volta. O Brasil está cheio de oportunidades e de problemas, difícil solução a curto prazo. Uma mudança cultural necessita uma ou mais gerações. Educação deve ser a base de tudo, mas infelizmente não existem projetos sérios a médio e largo prazo nesta área.

    Sucesso aos empreendedores e que se arriscam a sair e voltar e sair de novo. Necessitamos destas pessoas para melhorar nosso planeta. Incentivo a todos a viajar e viver em outros países, pois somente assim nos tornaremos cidadaos do mundo, e necessitamos desta experiência.

    Felicidades.

    • Muito bom seus comentários.

      Os dados do crime estão no “MAPA DA VIOLÊNCIA”:
      – Em 1980 morreram cerca de 10 mil pessoas por homicídios. No ano, em cada 100 mil pessoas, 10 foram vítimas de homicídios.
      – Ano passado, cerca de 50 mil e a cada 100 mil, 27 foram vítimas de homicídios. Assim, proporcionalmente ao aumento da população, tivemos cerca de 150% de aumento…
      Saber q temos 6X menos poder de compra não eh nada… Saber q educação e saúde públicas aq são piada não eh nada… Saber q taxas de juros, desemprego, desigualdade social, inflação estão entre as 10 maiores do mundo não eh nada… IDH 79 no índice? “e daí?!”, MAS, MAS, MAS, saber q o maior “empreendedorismo” do Brasil eh o CRIME, daí num dá…

      Parabéns aos q desistiram do Brasil e já conseguiram imigrar!

      Jerry, parabéns pela dedicação e pela postura em nem “perder tempo” respondendo às críticas.

      Basicamente, cada um faz o q achar melhor.

  117. Jerry, gostei muito do seu post. Também morei 4 anos nos EUA e compartilho de várias ideias que você colocou no texto, principalmente em relação ao “jeitinho” brasileiro.

    Entretanto achei a sua visão sobre a “igualdade racial” bem ingênua. Não sei se você já estudou a história da Australia mas, diferentemente das cidades brasileiras, o governo australiano não permitiu que os índios viessem para a cidade e fez diversas limpezas étnicas. Por isso não existem favelas aí tal como existem por aqui.

    http://www.stolengenerations.info/index.php?option=com_content&view=article&id=140&Itemid=109

    Não precisaram trazer escravos da África pois quando houve a colonização de verdade (em 1800) já não havia mais tráfico de escravos!

    Entretanto existe uma crescente tensão por aí em relação a questão racial. Posso citar algumas fontes:

    http://ausfirst.alphalink.com.au/articles/whiteflight.html

    Até 1960, os aborígenes não podiam votar!!!

    Só conseguiram a independência real depois de 1930. Na minha opinião, a sociedade australiana não é essa potência toda por méritos próprios. Ela recebe até hoje inúmeros incentivos dos EUA e da Inglaterra por ser um grande “porta-aviões” do Ocidente na Àsia e ter bases americanas e britânicas por aí. Continuam sendo uma grande colônia e continuam a pagar tributos para o Império como a 200 anos atrás.

    Economicamente não estão tão bem assim. Para sustentar esse bem estar que você vê aí, eles estão com a dívida externa atingindo 50% do PIB

    Tal como nós aqui no Brasil…

    Saudações e continue escrevendo!!!

  118. Jerry, fiquei emocionado por você ter lido meu comentário e postado um trabalho tão primoroso, completo e inspirador. Um abraço e continue sendo uma ótima inspiração a tantos jovens.

  119. Querido, lamentavelmente tenho que concordar com vc, mas precisamos achar uma maneira de resolver o problema por aqui, começa pelo salário e benefício pago a político que é uma isca de atrair oportunistas, que ao invés de se preocupar em estabelecer ordem e direito ao cidadão, orgulham se em tirar proveito próprio do cargo, imagine ter 13.o, 14.o, 15.o salário enquanto um cidadão mau tem 13.o qdo tem, como pode ter ajuda de custo pra terno R$ 20.000, vale café R$ 159, um valor para comparecer a assembleia, que é obrigação do trabalho deles, e muito mais. Férias e recesso. Tem que acabar com tudo isso e igualar os direitos aos dos demais cidadãos. Quem for político e funcionário publico tem que ter plena conciência dos deveres para com o país e com o cidadão. E aí por onde começar.

  120. Parabéns pelo conceito corretíssimo do Brasil. Quando puder vendo tudo que tenho aqui e vou para um país melhor desenvolvido socialmente.
    Aqui as pessoas se matam ou de fato ou com crises de histeria e falta de respeito e educação. Te atropelam da faixa e ainda te xingam por estar ali.
    Vc não consegue contratar um funcionário sério para tua empresa.
    Te roubam ou lesam de alguma maneira em sua maioria.naoha seriedade com o trabalho, BEM Verdade QUE No País QUE Pior Se paga. Mas que não justifica tanta má índole.
    Há aqui uma degradação brutal da sociedade que nos aproxima do filme Madmax.
    Pessoa lesando pessoas o tempo todo.
    A pior política de todos os tempos com mais uma vez, pessoas lesando muito as pessoas.
    Quero ir embora deste Farwest da vida moderna de 3o mundo.

    Parabéns pela opção

  121. Sou brasileiro. Tenho nacionalidade portuguesa. Eu, mulher e filha (9 anos) insistimos, mas desistimos. Fomos assaltados em nossa casa, amarrados e torturados (laudos da perícia, instituto médico sobre nossos ferimentos, boletim de ocorrência, etc…) Processamos o Estado por ter falhado em nossa segurança. Cinco anos depois a juíza nos condenou a indenizar o Estado, porque não provamos onde o Estado falhou !!!!Estaremos embarcando para o Algarve em Dezembro de 2014 se Deus permitir.

  122. Sou Brasileiro! Não dou jeitinhos brasileiros, pago impostos, tenho família e creio em Deus. Fico feliz que tenha encontrado um lugar especial. Ok! Então, fique por lá mesmo! Porque os que estão aqui e são do “bem” estão trabalhando pra mudar as coisas ruins que você citou! Meu país tem tudo isso de ruim, mas EU O AMO! Um dia, vai começar a acontecer uma grande mudança e nós seremos tão bons como os australianos ou americanos.

    • Desculpe, mas nem de longe isso é verdade. Quem vive no Brasil procura passar longe de todos os problemas da mesma forma como quem mora fora do pais. Se a pessoa ganha muito dinheiro, ela procura viver em casa ou apartamento em regiões com melhor qualidade de vida, compra um carro porque o transporte público não presta, usa hospitais particulares já que os públicos não prestam e escolas particulares já que as públicas não prestam.

      Esse papo de dizer que nós temos fibra e coragem por morar no Brasil é ilusão. Todo mundo procura formas de não sofrer com os problemas do pais. Fibra e coragem quem tem são os brasileiros que não tem escolha e tem que bater de frente com os problemas, já que não tem outra opção, esses sim, que conseguem ser felizes mesmo nas piores condições oferecidas, mas da mesma forma eles desejam uma vida melhor.

      O que vejo muita gente aqui dizer é que ele só vê o lado bom e tudo mais, na verdade o Jerry descreve o lado que ele viu da Austrália, o que ele passou. Outras pessoas aqui passaram por outras situações e as descreveram, mas isso não diminui o que ele diz. O problema do brasileiro é que ele reclama de quem fala mal do pais ao invés de se preocupar com os problemas relatados, que são alarmantes e reais.

      As pessoas fazem guerra com quem fala mal do pais e esquece que nenhuma crítica é mentira e essas críticas que deveriam ser o foco das pessoas, e não quem as faz.
      Falta maturidade de muita gente para encarar isso.

      Ai vem um monte de pessoas dizer o que os outros fazem para mudar o Brasil. Não precisa de passeata, revolução, guerra civil e nem destruição. Só educação e consciência na hora do voto. E não falo educação escolar, mas respeito ao próximo e um senso de dever coletivo.

  123. Desculpe, o seu texto é bom e correto em quase todos os aspectos. Mas a impressão que dá é a de que é mais um brasileiro (uma brasileira) deslumbrado (a) por estar vendo um país diferente, uma cultura diferente. Claro que você tem razão e que poderíamos ser muito melhores. Claro que quem está no Brasil e não se acovardou deixando o país tem a obrigação de lutar. Mas eu, que morei mais de 12 anos na Alemanha e hoje sou funcionário público federal, tenho orgulho de estar aqui, em nossa pátria amada, lutando por nosso país, como milhares de outros colegas…..apesar das mazelas, das injustiças, apesar dos problemas, apesar de tudo que de fato existe, não somos piores que ninguém.

  124. Eu chorei no final do seu texto, os brasileiros que nunca sairam do Brasil nunca, eu digo nunca, saberao o que e viver fora do Brasil. Eu chorei por todas as verdades que acabei de ler, por todas as faltas da nossa cultura, pela saudade dos abracos calorosos da familia, pelas nossas mazelas, pela falta de educacao, pelo preconceito, pela diferenca social, pela injustoca de salario, por todas as vezes que me deslumbrei com uma coisa que poderia ter sido rotina naminha vida Brasileira. Eu so consigo ficar triste e sentie um pouco de inveja do que o povo australiano tem e que a gente nunca conseguiu fazer nem parecido no nosso pais…Obrigada por ter conseguido resumir em apenas um texto o sentimento de todos nos brasileiros que viveram ou vivem aqui…

  125. Ola, gostei muito do seu blog, mas sinceramente nao posso concordar com voce, pois eu moro na Australia tambem, mas nao moro em Sydney, em Canberra onde moro e extremamente chato, nao tem nada para fazer, acho que os Australianos sao educados as vezes, e preconceituosos, o salario nao e diferente se voce comparar em reais, ganhar 3 mil dolares ou 3 mil reais, vai dar na mesma… A Australia e um pais lindo, mas com pouca vida, pessoas completamente reclusas, e nem pense em pedir carona para um Australiano, acham absurdo, assim como ir dormir na casa de alguem caso voce perca seu onibus ou coisa assim… Solidaridade ZERO, como Brasileira, sinto muito pelo Brasil ser dominado Por ladroes, porque poderia ser muito melhor, uma pena mesmo, mas se for morar no sul e muito diferente, Curitiba, Santa Catarina, Porto Alegre , sao cidades limpas com pessoas educadas, e voltando para a Australia, sao totalmente desatualizados, dificilmente voce pode ver um Australiano formado em universidade, ficam na mesma vidinha ate morrer, e assim vai, pq realmente nao se gasta nada aqui, as casas sao muiiiito sujas, porque sao limpas apenas com aspirador, nunca vao jogar agua e sabao e lavar direitinho, mas voce tambem pode ficar sentado no Parque do Ibirapuera e nao aga nada, pode fazer churrasco no parques tem varios tambem, claro a seguranca aqui na Australia nao se compara, mas se um bandido matar, atropelar, se vc se sentir roubado, ou qualquer coisa,… Esqueca, as leis aqui sao pessimas, pedofilos entao nem se fala, sao aos montes, ja precisei de hospital publico aqui, eu ainda nao tinha meu med care, paguei 496 dolares por dia em hospital PUBLICO, isso somente para consulta , 396 dolares para um hemograma, sou biologa com formacao em analises clinica, e sei que um hemograma tem de custo maximo 10 reais, aqui nao e o paraiso, tem problemas como qualquer pais , e sem contar a falta de respeito com os animais, indo de Canberra para Melbourne eu pude contar mais de 100 animais mortos nas estradas, entre Cangurus, Wombat, Raposas, entre outros marsupiais, e ja ouvi muiiiitos Australianos falarem -” um a menos”… Exelente pais para passear … Mas meu marido Australiano nao ve a hora de mudar definitivamente para o Brasil, acreditem, ele e nascido em Melbourne, mas concordar que aqui nao tem LIFE!!!

    • Pois é, região sul é cheio de pessoas educadas, mas também é onde se concentra inúmeros grupos neonazistas. Todo lugar tem seu lado bom e ruim. Na verdade o que você citou é cultural. Lá as pessoas não se metem no seu espaço, mas também não vão querer que você se meta no deles. Dificilmente vê um australiano formado? O Brasil perde para o Paraguai na porcentagem de universitários em relação a população total.

    • Gisele, eu moro em Brasília que é igualmente chata como a Canberra onde vc mora. Também não tem nada para fazer e aqui também as pessoas são reclusas, não dão carona para ninguém que não conheçam e, pedir para dormir na casa de alguém se “perder o onibus”? Só há 1 onibus por linha aí? Foi um exemplo muito bizarro esse que vc usou para falar mal da Australia. Aqui também não há solidariedade. As pessoas estão frias que já se acostumaram com os “meninos de rua” e usuários de crack em todos os Faróis,esquinas e porta de restaurantes. Tenho família em Curitiba, Joinville e Porto Alegre e a situação lá não é diferente daqui. Se vc viajar de carro de Brasília para Goiânia, uns 140 km, você também verá vários animais mortos no acostamento ( tatus,tamanduás, corujas etc) Há também muito preconceito no Brasil e vc sabe. Se vc não tinha o Med care, não acha justo pagar? Muito injusto dizer que as casas são muuuuito sujas. Qual foi a fonte de dados que você extraiu essa informação? Por que a Australia é tão grande.. Definitivamente você só demonstrou que não se adaptou ao país nem aproveitou a experiencia de viver em uma outra cultura. Acredito que se você dominasse o idioma e tivesse uma qualificação profissional, o seu sentimento seria outro. Ser dona de casa é chato no Brasil, Australia ou qualquer lugar do mundo.

  126. Estive na Austrália por um mês há 15 anos atrás. Concordo com tudo que vc disse. M,as é necessário pontuar um ponto muito negativo. Eles são extremamente individualistas. Por exemplo, se você vai a uma festa e não leva cerveja por algum problema, ninguém vai te dar. Cada um tem a sua caixa, que fica guardada embaixo da mesa. Não existe dividir. Em relação a segurança vi uma agressão grave na rua….promovida por latinos.

  127. Acho que o autor conhece pouco o Brasil.

    Claro que o texto não é uma mentira… que o Brasil tem mesmo todos os problemas que foram relatados. Mas não é necessário viajar para o outro lado do mundo para encontrar civilidade.

    Moro no interior de São Paulo e tenho a mesma sensação de segurança que o autor tem lá . Aqui o pessoal se mostra muito mais educado e respeitoso do que nas grandes capitais e os serviços públicos também funcionam melhor. Claro, estou no Brasil e sei que ainda existe muita coisa a melhorar, mesmo em uma cidade de menos de 50.000 habitantes.

    Mas o ponto que quero chegar é que, numa comparação com a vida nas grandes capitais, o Brasil é quase um inferno, mas o Brasil é tão grande e tão diverso que existem muitas realidades… e não apenas aquela que aparece mais na mídia. Acho que as pessoas deveriam viajar mais pelo Brasil e conhecer melhor essas diversas realidades antes de generalizar e assumir que a vida que se leva no Rio ou em São Paulo seja o retrato do país. Não é!!!

    O Brasil é o país das desigualdades, mas não só na renda… quem mora mo interior de SP, MG, SC, RS, PR, MTS, GO etc…, principalmente nas cidades menores, vive uma realidade diferente… vive em outros Brasis!!!

    Claro, em nenhum canto os serviços públicos funcionam como na Austrália, mas você encontra nesses lugares, pessoas educadas, com uma cultura diferente, que abominam o jeitinho, que vivem com qualidade, que possuem valores e costumes baseados no respeito ao próximo.

    Sinto muito que sua experiência no Brasil tenha sido tão ruim a ponto de você querer distância daqui… mas você deu azar cara. Eu também, nascido e criado em Sampa, tive que esperar 40 anos para poder sair daquela loucura, mas não precisei atravessar o planeta como você fez. Achei um cantinho a menos de 200 km da capital… tá certo, não é o paraíso down-under que você descreve, mas com certeza é bem diferente do Brasil que você conhece e usa como parâmetro no seu texto.

    Abraços e felicidades… onde quer que seja.

  128. Amei seu texto! Estou fora do Brasil a 14 anos e moro em Brisbane a 11 anos e meio. Comentei
    Hoje com uma amiga; meu relacionamento com a austrália/ Brasil se resume: Brasil mãe que me deu a luz,
    Austrália: a mãe que me adotou me deu oportunidades, segurança e uma vida maravilhosa. Amo a Australia mais como vc nunca vou deixar de ser brasileira. Abraço.

  129. vontade louca de vender tudo e correr daqui……..não consigo ver um futuro bonito neste país enquanto o povo contnuar se vendendo a preço de banana, com bolsa disso e aquilo, já que os salários são vergonhosos………..
    Um dia, tomo coragem e corro.

  130. Adorei o texto! Muito sensível!
    Só queria dar uma sugestão: será que vocês poderiam trocar uma das imagens do tópico “Cada Um Lava Suas Roupas, Arruma Sua Casa e Cozinha Sua Comida” por um garoto ou um homem na condução da tarefa? Não dá muito trabalho e provavelmente ninguém vai reparar, mas transmite uma mensagem mais interessante de que afazeres domésticos não são apenas uma tarefa feminina.
    Bom é isso! 😉

  131. Adorei o texto. Consegui expressar o que senti e percebi em tão pouco tempo que fiquei com Marido e 2 filhos em Auckland-N.Z, e aproveitei cada dia, fazendo compras, cuidando de casa, comida, andando de ônibus, enquanto minha filha estudava. Com certeza não dá para comparar com Austrália, tamanha a grandiosidade, mas conseguir visualizar tudo isto que você escreveu. Não fui com fins turísticos, mas para conhecer a vida, o cotidiano de Auckland. Curtia e percebia tanta coisa. Voltei com uma sensação de que posso viver em um lugar melhor e dar uma qualidade de vida para meus filhos que jamais vou ter no Brasil. Muita gente reclama que em outros Países o povo não é tão caloroso. NO momento, nem podemos o ser tanto. Mal podemos sair de casa para ver nossos amigos calorosos! PARABÉNS PELO TEXTO.

  132. Moro na França e a vida aqui é praticamente a mesma da Austrália. Tenho as mesmas impressões.
    Só tenho uma ressalva a fazer: você e sua família não têm empregada porque a mão-de-obra australiana é cara, tal como na França. Muitas famílias têm empregada no Brasil porque a mão-de-obra é farta e barata.

    • Mas a cada ano está ficando mais difícil arrumar uma empregada boa com mão-de-obra barata, ainda mais depois que as empregadas domésticas passaram a ter os mesmos direitos do trabalhador comum. Hoje elas tem vínculo empregatício e benefícios que o empregador não era obrigado a pagar antes. No lugar onde eu moro, já não tem empregada fixa há muitos anos. Cada um se ajuda para arrumar a casa do jeito que dá. Sem falar que eu ouço com frequência muitas reclamações que as empregadas não fazem um bom serviço. Com isso, ou aturam a empregada que tem ou vive sem empregada. Viver sem empregada está se tornando uma realidade no Brasil também.

    • Tatiana, você parece não ver o que para mim é óbvio e que o Jerry deixa subentendido: Ter empregada na Austrália, EUA, Europa é sim caríssimo, sabe porquê? Porque não existe a desigualdade social que existe no Brasil, onde um médico ganha 50 salários mínimos e ainda RELUTA em pagar 1 salário mínimo para sua empregada. O fato de se poder ter empregada “barata” no Brasil está diretamente relacionado ao fato de toda uma classe social está condenada a este tipo de vida: trabalhar 10, 12 horas por dia, ganhar salário mínimo, morar em casinhas em favelas ou subúrbios longínquos e ESPERAR que um dia seus filhos irão ter uma chance melhor. Se algum dia for quase impossível um cidadão de classe média contratar uma empregada no Brasil será sinal que as coisas estão sim MELHORANDO e não piorando.

  133. Todos são livres para fazer escolhas e ir e vir quando acharem que devem, quanto as diferenças e problemas de cada lugar isso é normal no mundo inteiro e as histórias de cada um podem ser diferentes. Moro no Brasil a 52 anos nunca fui assaltada ou agredida, existe sim muitos, muitos problemas a serem resolvidos a curto e longo prazo, como em todos os países do mundo. Mas creio que se a Austrália é um lugar tão bom e você se adaptou tão bem isso é ótimo, se pretende escrever e divulgar o que você acha de bom deste lugar continue e ajude quem quer ter a mesma experiência, Mas por favor tenha respeito pelo seu pais de origem, pare com as comparações, pare de denegrir a imagem do povo brasileiro que continua aqui e quer estar presentes nas mudanças que virão com o tempo, Nem todo brasileiro tem potencial para ladrão trabalho honestamente pago meus impostos e vivo no pais que amo por opção, não o trocaria por lugar nenhum, Considero falta de respeito e falta de educação os comentários de varias pessoas aqui, Se não conseguem viver neste pais vão buscar seus sonhos e sejam muito felizes aonde preferirem, mas deixem o Brasil ser o que é, e mudar quando for possível, quem não tem fibra nem coragem não sobrevive em momentos de dificuldades nem aqui e nem em lugar nenhum. Obrigada pela oportunidade e boa sorte. !!

    • A frase sobre todo brasileiro ser ladrão em potencial não é dele, tem que prestar atenção. Criticar todos temos direito, serve para reflexão. Mas concordo que se não tem coragem e nem fibra, não enfrenta problemas em nenhum lugar. Mas como disse antes, procurar uma vida melhor todos procuramos, essa história de enfrentar problemas é ilusão mesmo para quem vive no Brasil, todos buscam uma melhor qualidade de vida.

  134. Conheco uma boa analogia para entender o sentido do Nacionalismo (pratica enfatizada e reforcada pelo estado na cabeca de seus cidadoes), o emprego.
    Voce aceitaria trabalhar, depois de estudar e investir por mais de 20 anos da sua vida, num emprego que nao te faz feliz, e mal tratado, paga mal e te faz conviver com idiotas o dia todo? Nao, voce muda de emprego. Afinal, e a sua vida que esta em jogo, e nao a da empresa. Vejo o mesmo com o pais que moramos – considerando claro que mudar de pais e bem mais complicado. Enquanto estou no meu emprego/pais, pago impostos, trabalho duro, luto e visto a camisa, mas se vejo que nao ha luz no fim do tunel, abandono mesmo o barco. Porque ficar? Ate hoje nao me convenceram do contrario. Hoje moro na Inglaterra, e se nao gostar mudo de novo, nao tenho gana de mudar o Brasil, nem a Inglaterra, nem pais nenhum do mundo, somente busco minha felicidade e da minha familia.
    Brasileiro ufanista e como “mulher de malandro”, gosta de apanhar, nao se divorcia e ainda fica brava quando falam mal do seu marido…acorda!

  135. super compreensível. relato até incentivador. mas fico na torcida q seus filhos australianos cresçam e queiram morar justamente no Brasil, país dos pais deles. Q eles tenham força, coragem, determinação e ética de sobra pra mudar essa história. Igual a voluntários mil pelo mundo afora, q saem da zona de conforto de suas casas pq sabem q podem fazer a diferença sim num lar muito maior.

  136. Ótimo texto!
    Mandei para a minha família no Brasil, pra ajudar eles a entender porque não quero voltar.
    By the way, onde foi tirada aquela foto onde a city aparence ao longe no fundo?

  137. moro na Alemanha e concordo com muitos dos comentarios.So acho que viver eternamente fora do Brasil nao e solucao,pois deixar familias, costumes, nosso clima, nossas comidas…talvez por isso procuramos brasileiros onde quer que va morar, para reunioes e bate papos. A saudade e imensa. devemos morar um tempo fora, cada um faz o seu tempo, vivenciar novas culturas, e mudar o Brasil. hj somos muitos testando este conhecimento e vivencia atraves de intercambio, empregos, etc . Se cada um fizer sua parte, as proximas geracoes terao orgulho do nosso pais, das nossas origens. Sair de la para sempre e como fugir do problema.

  138. Marcos Durval, pra sua informacao, eu domino o ingles, por isso me convidaram para trabalhar aqui, sou formada e mestrada, e nunca fui dona de casa, e nao falo com dados de nenhuma fonte, falo por experiencia propria, e por experiencia de ja ter morado ba Europa tbm, você ja ja saiu do Brasil? Acho que nao! Se coloco pontos negativos , porque são reais, e se eu fosse dona de casa, eu nao seria melhor e nem pior, esta sendo totalmente indelicado com as donas de casa. As casas são sujas sim!!!!!! As pessoas são individualistas sim!!!!! Como disse o amigo anteriormente, se nao levar a sua cerveja vc nao bebe,nao e o fato de comprar, as vezes nao se tem nada aberto para comprar, quanto a saúde, o Brasil atende estrangeiros gratuitamente, porque negligencia e crime!!! E temos otimos medicos no Brasil sim!!! pode ser que nao chegue na regiao que vc mora… e qnto dar carona, vc nao sabe o que acontece aqui, tem muitos indianos e chineses, que usam onibus que alias carissimo, e eu dou carona pra todos que trabalham na mesma empresa, e ficam muito gratos, e dizem que nunca ninguem tinha feito isso, e comparar Brasilia a Canberra???? nunca, aqui nao tem favela, como disse o pais e LINDO, para turismo!!! E o Brasil nao tem somente vagabundos, tem trabalhadores, e aqui nao tem só gente egoísta tem pessoas boas, assim como no MUNDO inteiro!!!!! E nao vejo a hora de acabar meu contrato de trabalho para voltar para meu bagunçado Brasil, para minha linda São Paulo, onde eu nasci , estudei, trabalhei, onde tem pessoas boas e ruins, e isso nao esta sendo experiência, porque esta e a 4 vez que venho pra cá, cada um sabe da sua vida, aqui e somente para colocarmos um pouquinho o que passamos, ou pessoas que gostariam de passar, nao e um confronto Marcos Durval, apenas achei interessante outros pontos de vista, assim como conheço Australianos que estão morando no Brasil e nunca mais querem voltar pra Austrália…Mas se você tiver oportunidade, vale a pena conhecer!!!!

  139. VIVI UMA EXPERIENCIA SEMELHANTE À DO AUTOR NOS IDOS DE 1990. E QUE SE ESTENDEU ATÉ 2005. FORAM 15 ANOS DE MUITA LUTA. CONHECI MINHA ESPOSA NO PAÍS A QUE ME REFIRO E MEUS FILHOS NASCERAM LÁ. ESTOU DE VOLTA AO BRASIL DESDE 2006 E NÃO ME ARREPENDO EM NENHUM MOMENTO EM DECIDIR RETORNAR PARA O BRASIL.
    MINHA FAMILIA TINHA CONDIÇÕES MUITO FAVORÁVEIS NOS IDOS DOS ANOS 80. EU TRABALHAVA, FAZIA FACULDADE PARTICULAR, TINHA MEU CARRO (DESDE OS 16 ANOS) E NAMORAVA UMA PESSOA MUITO ESPECIAL.
    POREM, HAVIA SIDO EDUCADO PARA SEMPRE ACREDITAR NO MELHOR OU NA MELHORA DAS COISAS. MESMO SEM TER NECESSIDADE ALGUMA, FUI CRIADO PARA TER AS COISAS BASEADO NA MEU ESFORÇO. NÃO NO QUE PODERIA RECEBER DE MEUS PAIS.
    EM 1990 DECIDI SAIR DE CASA PELA SEGUNDA VEZ (JA HAVIA FEITO ISSO EM 1986) E IR EM BUSCA DAS MINHAS COISAS, MEUS SONHOS. RESSALTO AQUI A PALAVRA “MEU”. RESSALVO ISSO PORQUE NÃO ME REFERIA AOS SONHOS DE MEUS PAIS MAS REALMENTE AOS MEUS. E O PRINCIPAL DELES ERA DE TER AS MINHAS COISAS COM MEU TRABALHO, MINHA LUTA, MINHAS VITORIAS.
    E DESDE AÍ PASSEI 15 ANOS VIVENDO FORA DO BRASIL.
    PASSEI MUITAS SITUAÇÕES QUE JAMAIS IMAGINEI E POR DIVERSAS VEZES ESTIVE PARA DESISTIR DE TUDO QUE EU ACREDITAVA. LEMBRE; ERAM MEUS SONHOS.
    MAS SEMPRE, A VIDA ME MOSTRAVA CAMINHOS E OPÇÕES. UNS CERTOS E OUTROS TOTALMENTE TORTOS. MAS SEMPRE, A OPÇÃO DA ESCOLHA ERA MINHA.
    TRABALHEI MUITO. MAS DIGO MUITO MESMO. ATÉ 16, 18 HORAS POR DIA. SEMPRE PENSANDO EM DAR EXEMPLO, SER COMPROMISSADO COM A EMPRESA QUE EU ESTAVA ETC. BUSCANDO SER JUSTO E PENSANDO, OUVINDO MAIS QUE FALANDO. SOFRI INJUSTIÇAS? SIM. ERREI? SIM. POREM BUSQUEI NUNCA PISAR EM NINGUEM. BUSQUEI SER JUSTO. SER HONESTO. SER BOM. MAS NÃO SER INGENUO. E ASSIM, CONSTRUI MINHA CARREIRA E MINHA FAMILIA.
    E POR ELA, MINHA FAMILIA, RETORNEI AO BRASIL. MINHA FAMILIA QUE ESTAVA AQUI E QUE JA HAVIA SIDO PRIVADA DE MINHA PRESENÇA POR 15 ANOS E DA PRESENÇA DE MEUS FILHOS. UM COM 6 E OUTRO COM 1 ANOS NO MOMENTO QUE DECIDI RETORNAR.
    CONFESSO QUE TIVE MUITA DIFICULDADE EM ME REESTABELECER NO BRASIL E REFAZER MINHA CARREIRA.
    E DA MESMA MANEIRA QUE PASSEI BONS E MAUS MOMENTOS LÁ, PASSEI TAMBEM AQUI. E TIVE QUE FIRMAR O PÊLO, COMO SE DIZ EM MINHA TERRA, NO SENTIDO DE NÃO DESISTIR E SABER ESPERAR POIS AS DIFICULDADES SERIAM SUPERADAS. POR DIVERSAS VEZES, PENSEI EM DESISTIR E SAIR DO BRASIL DE NOVO. MAS TINHA UMA META TRAÇADA.
    HOJE, FINALMENTE CONSEGUI RECONSTRUIR MINHA CARREIRA. TENHO CARGO EXECUTIVO NUMA GRANDE MULTINACIONAL E FAÇO USUFRUTO DO CONHECIMENTO ADQUIRIDO. E POSSO DIZER QUE SEM USO DE SUBTERFÚGIOS PARA CHEGAR AQUI.
    O QUE QUERO DIZER SOBRE O ASSUNTO: HOJE, COM 45 ANOS, POSSO DIZER QUE O MELHOR LUGAR DO MUNDO É JUNTO DE NOSSA FAMILIA. ISSO REFERINDO A ESPOSA E FILHOS E AOS PAIS, TIOS PRIMOS ETC. O TEMPO NÃO VOLTA E PRIORIZAR É FUNDAMENTAL. EU, PRIORIZEI A QUALIDADE DE VIDA, A CONVIVENCIA COM FAMILIARES, A FORMAÇÃO HUMANA. OUTROS PONTOS, DEVRÁ E DEVE SER MINHA OBRIGAÇÃO. E ISSO EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO. NÓS, BRASILEIROS, TEMOS A HABITO DE DENEGRIR O BRASIL. E ACHAR QUE TUDO LÁ FORA É MELHOR QUE AQUI. E REALMENTE TEMOS MUITO A MELHORAR AQUI. MAS É MUITO FÁCIL APONTAR O DEDO E FICAR DE FORA CRITICANDO. IMAGINE MOSTRAR TUDO DE RUIM QUE NAO QUEREMOS PRA NOSSA FAMILIA E VER NOSSOS PAIS E AS VEZES ATE IRMÃOS SOFRENDO COM O QUE CRITICAMOS. FICA ALGO COMO ” EU ME ARRUMEI. O RESTO…”
    DIGO ISSO POR EXPERIENCIA PRÓPRIA.
    EM RESUMO, DIGO QUE SEMPRE É MAIS FÁCIL CRITICAR QUE AJUDAR A CONSERTAR. E ESTANDO LONGE, MUITO MAIS SIMPLES.
    AQUI OU EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO EXISTE VIOLENCIA E TEM-SE QUE TRABALHAR MUITO PARA CONQUISTAR OBJETIVOS. EU TRABALHO MEDIAMENTE 12 HORAS POR DIA.
    PODE SER IDEALISTA MAS NÃO SAIO DO BRASIL PARA VIVER DEFINITIVAMENTE NO EXTERIOR.
    O CALOR HUMANO BRASILEIRO, ISSO SIM É ÚNICO. O AMOR DAQUELES QUE NOS SÃO CAROS, ISSO TAMBEM É ÚNICO. LÁ FORA ABRIMOS MÃO DE COISAS IMPORTANTES EM DETRIMENTO A OUTRAS. MAS SÃO ESCOLHAS.
    EU VIVI 15 ANOS NO JAPÃO, DOS QUAIS 5 COMO UMA PESSOA COMPLETAMENTE ANALFABETA E LIMITADA PARA EXPRESSAR. MESMO SENDO FLUENTE EM INGLES.
    NESSE PERIODO, SOFRI COM PRECONCEITO, DIFICULDADES, MOREI MAL, FALTOU COMIDA, ETC. MAS SOBREVIVI.
    QUAL A DIFERENÇA COM O BRASIL? AQUI, DEPOIS QUE RETORNEI, PASSEI POR MUITAS DIFICULDADES SEMELHANTES.
    GRANDE ABRAÇO A TODOS.

  140. kkkk o final do texto parece que fui eu que escrevi. Tenho um filho de 6 anos e estou no processo de imigracao para australia. Mas ja falo sobre o Senna para meu filho, conto pra ele histórias do meu avô (que me criou), histórias sem sentido pra ele, mas que pra mim são muito interessantes.

    Parabéns pelo texto. eu quero morar na australia mas admito que tenho medo pq nao conheço o pais, a primeira opção pra mim seria canadá mas eu odeio frio…. ai resolvi ir para australia…

    O Brasil é o país que eu amo, adoro ir pra praia jogar futebol com meus amigos, tomar uma breja… mas hj tá dificil…. não posso ter uma bicicleta legal pra andar no final de semana pq podem roubar, tenho grana pra comprar uma moto esportiva que é minha paixao e não posso faze-lo, pq o indice de roubos está nas alturas.

    os mais chatos dizem que posso comprar a moto e colocar no seguro, e nao faço isso pq nao tenho grana, mentira… eu tenho a grana pra comprar e colocar no seguro o que eu não quero é ter um revolver apontado pra minha cabeça.

    me irrita ter que pagar convenio médico e ainda ter um atendimento mais ou menos. me irrita ver a presidente falando na tv com dados mascarados, me irrita o desgoverno que meu pais atravessa… me irrita leis feitas sem pensar.

    Eu não tenho nada contra o povo Brasileiro mas sim, somos todos ladrão em potencial, se não formos criados bem, seremos sim “malandros”. Eu por exemplo, tive tv a cabo pirata, pagava um plano completo, reduzi para o plano basico, o valor foi reduzido mas os canais do completo funcionaram por 7 anos e eu fiquei na minha

    tb usava o windows pirata…. e assim vai!!! coisas que pra nós são comuns, mas no fundo estava levando “vantagem”

  141. Simplesmente amei este post. PARABÉNS!
    Sou paulista, morei por alguns meses na Australia em 1998 (qdo solteira) e vou confessar:
    Vira e mexe penso em voltar.
    Moro hoje em Salvador, com meu marido e filhas de 7 e 4 anos.
    Brasil tá feio…
    Tenho vergonha de tudo que acontece aqui.

  142. Achei seu post bom, é sem dúvidas uma visão sobre o brasil. Ainda assim, achei que traz alguns preconceitos até comuns a brasileiros que vivem fora e que meio que exigem demais de si próprio, especialmente quando se fala sobre a “educação” dos brasileiros, entendida aqui como o atendimento às regras de etiqueta. Vejo muitos brasileiros criticando o comportamento de brasileiros que falam alto, furam fila, querem tirar vantagem em outros países… já ouvi até, pasmem, gente que quando está fora finge que não é brasileiro (como se fosse possivel esconder) por vergonha do comportamento de seus patricios. Viajo bastante e não tenho essa visão dos brasileiros. Até vejo bastante brasileiros com comportamento inadequado, mas vejo muitos tambem com comportamento exemplares. Assim como vejo outras nacionalidades dando um show de deselegância: Já viram alemães furarem fila? pois é já os vi, vi também americanos, japoneses, espanhóis e italiamos… quanto aos chineses, eles simplesmente não sabem o que é fila. Já vi portugueses dando um calote num teleférico de praga e sendo detidos por isso, já vi americanos, espanhóis, italianos e algumas dessas nacionalidades cujos idiomas é impossível identificar bêbados e promovendo algazarras, já vi franceses, italianos e espanhóis roubando em lojas… Se fosem brasileiros alguns diriam, “tá vendo, são brasileiros”. Gente desqualificada existem em todas as nacionalidades. Agora, que os brasileiros vãos às compras nos estados unidos num frenesi espantoso isso é verdade, mas quem não pira o cabeção com produtos que custam 1/3 do que custa aqui no brasil. Muitos desses brasileiros indo para o exterior pela primeira vez? Perfeitamente compreensivel a euforia… não concordo quando se exige que o brasileiro se comporte como um sueco, por que não somos assim.
    Uma coisa que faria uma ressalva é quanto a empregada doméstica. Infelizmente no brasil a empregada e faxineira está mais associada à facilidade de se obter uma, pelas condições miseráveis do povo do que pela preguiça. claro que, uma coisa associada a outra potencializa o problema. Infelizmente ainda temos muitas pessoas que se submetem a baixos salarios para trabalhar como doméstica por falta de estudo e de qualificação para assumir postos de trabalho. Prova disso é que temos défcit de mão de obra na industria, e no setor de serviços. Fui uma vez a um hotel de brasilia deixar um profissional de outro país e o recepcionista do hotel não falava sequer espanhol. Estou falando de um hotel da capital do país! oh! tristesa.
    Quanto a segurança… INVEEEEEJO! vocês. Adoro fotografia e há lugares lindos no brasil para fotografar, mas não tenho coragem de sair no pelorinho com minha camera e lentes, nem em Recife, nem no projeto reviver de São Luís, nem no Centro do Rio de Janeiro, nem no Centro de São Paulo… Por outro lado, já fotografei sem medo Londes, Paris, NYC, Chicago, Bruxelas, Amsterdã, Lisboa, Roma, Istambul, BANGKOK (Gente, quer mais caótico que Bangkok?) Por que não posso fazer isso no Brasil? Que lástima!

  143. Eh exatamente como me sinto qndo vou ao Brasil, 10 anos morando fora, e meu coraçao eh e sera eternamente Canadense 🙂 Amooo demais e um dia vou visitar a Australia tenho certeza 🙂

  144. Adorei o texto e me identifiquei em varios momentos parecia estar lendo sobre Toronto. Eu vivo bem perto de tudo e muito raro usar carro pois ja estamos no centro da cidade mas todas as vezes que usamos o transporte publico sempre levamos nosso ipad,iphone etc… e usamos durante todo o trajeto e nunca fui roubada. A educacao daqui e excelente meu filho vai a escola publica fala ingles,portugues e esta aprendendo frances e em breve mandarim tudo de graca, no Rio eu lembro do cursinho de ingles p/ crianca custar 500R$ por mes,fora natacao,futebol etc… Haja dinheiro! Ja aqui a maioria dos esportea e de graca com otima qualidade menos o Hockey. Aqui nao existe racismo como no Brasil o que era uma preocupacao minha ja que 80% das pessoas aqui sao loiras dos olhos azuis como o meu marido e o restante tudo misturado chines,africano,caribenho,italiano,indiano etc…Eu sendo negra nunca tive nenhum problema relacionado a isso pelo contrario… Amo viver aqui a unica coisa ruim e saudade da familia e o frio no inverno ,fora isso e tudo otimo e nao penso em voltar a viver no Brasil.

  145. A realidade sua e de seus familiares do Brasil não condiz com a maioria dos Brasileiros, eu particularmente, faço todos os serviços domésticos em casa e nem por isso me acho o máximo por isso como você sou Brasileiro mas fazer isso não é coisa de outro mundo como colocou no texto.

  146. Obrigada pelo texto, muito bom. Um pouco generalista, talvez… mas repito, muito bom. E melhor ainda do que o texto são os comentários, uma variedade enorme de opiniões.
    Sou brasileira, casada com um colombiano. Fico triste quando penso na possibilidade de ter filhos e eles não terem a oportunidade de conviverem com seus avôs/tios/primos. Penso na infância feliz que tive ao lembrar das tardes de domingo na casa da minha avó e diversão com os primos(as). E isso me faz pensar, será que vale a pena?
    É uma troca difícil.

  147. Boa noite, ou seria dia?
    Morei 10 anos muitíssimo bem vividos na Europa. Inesquecíveis e maravilhosos que nem da para me alongar muito pois não foi por isso que vim aqui.
    Compreendo seus sentimentos e o de muitos que como eu se identificam com o texto. Fico feliz de saber o quão felizes vocês se encontram na Austrália. Este é um sentimento que pertence a vocês e ninguém tem o direito de tentar tira-lo.
    Aqueles que tem a oportunidade de viver num pais como a Austrália descrita por ti, ter amado intensamente as experiências de vida fora do Brasil, sabem que em algum momento a vida nos obrigará a fazer uma escolha muito importante. Voltar ou não a pátria.
    Essa é uma escolha muito importante e muito difícil. Ficar ou voltar ao Brasil? Afinal de contas, gostemos ou não, somos brasileiros expatriados, não pertencemos aquele lugar por mais que façamos de tudo para nos adaptarmos e curtir as coisas boas do local.
    Além disso temos nossas raízes, familiares e amigos no Brasil também. Será que eles não são importantes na hora de tomarmos a nossa decisão? Temos oportunidades de trabalho por aqui também. Vi que vocês trabalham com TI assim como eu, e posso te dizer que por aqui esta faltando mão-de-obra nessa área. Cargos gerenciais pagam muito bem e o custo de vida aqui e bem menor do que em Sydney, e olhe que eu moro em São Paulo!!! Com 8 anos de experiência na Austrália, será que vocês não conseguiriam uma oportunidade tão boa ou melhor por aqui? Por aqui existe um mundão de coisas a serem feitas para um dia chegar próximo da Austrália. Será que desejamos fazer parte disso, de entrar nessa barca?
    Torço genuinamente que seu coração tenha te guiado em sua decisão, pois creio só assim lá na frente você poderá olhar para traz e não se arrepender. E caso você mude de ideia, será sempre bem vindo, afinal de contas você sempre será de casa.

    Grande abraço a família Jonny

    • Tudo isso apenas para dizer que não existe certo ou errado. O que existe é o que nos faz feliz. Sentimentos são diferentes de “coisas” como por exemplo sistema de saúde, “equal opportunity”, sistema educacional, parques, usar i-pad no ônibus, e etc. Sentimentos são intangíveis, impossíveis de se medir, nem o Freud conseguiu, algo que esta lá dentro do peito e que por mais racional que sejamos, por mais que se tente medir, simplesmente não existe medida.

  148. NOSSA VOCÊ SE ESFORÇOU E SE DEDICOU TANTO PARA ESCREVER SOBRE ESSE PAÍS! PORQUE NAO ESCREVE ALGO OU FAZ ALGO PARA MELHORAR O SEU PAÍS? ABANDONAR O BARCO É FÁCIL , QUERO VER TRABALHAR PRA CONSTRUIR UM BRASIL MELHOR!

  149. AHHHH E NA MINHA CIDADE AQUI NO BRASIL, CURITIBA, TEM MUITA COISA BOA COMO NA AUSTRÁLIA ! SE EU LEVAR AO PÉ DA LETRA O QUE VOCÊS TAO DIZENDO PRATICAMENTE TODOS OS PAÍSES DESENVOLVIDOS E ALGUNS DO 3o MUNDO MESMO SAO MELHORES QUE O BRASIL! VEM PRA CURITIBA VER QUE NOS PARQUES TEM CHURRASQUEIRA DE GRAÇA TEM ONIBUS BOM E BARATO INTEGRADO COM A REGIÃO METROPOLITANA, TEM MUITO PRA MELHORAR MAS FAZ A GENTE VER QUE TEM UM CAMINHO! QUE COM CERTEZA NÃO É IR EMBORA!! LEMBREM-SE O CAMINHO MAIS FÁCIL NEN SEMPRE É O MELHOR OU MAIS CERTO!!!!

    • Morei muitos anos em Curitiba antes de vir para a Nova Zelândia e posso te garantir que você não sabe o que está falando. Mas eu não te culpo porque eu não sabia também, antes de vir para cá. Não dá para comparar a quantidade e qualidade dos parques da NZ com os de Curitiba. Eu morava perto do Barigui e me lembro o quanto odiava ir lá aos domingos quando um bando de zé mané colocava músicas altíssimas para tocar nos seus carros e o parque no final do dia ficava imundo, cheio de garrafas e lixo espalhado pelo chão. E a água do lago? Imunda!!! Aqui até a água do porto é transparente.
      Isso tudo sem contar que Curitiba está hoje entre as capitais mais violentas do mundo. Dá uma olhada na pesquisa publicada chamada Mapa da Violência no Brasil.
      E você não pense que mudar para o exterior é o caminho mais fácil, muito pelo contrário. Sofremos para nos adaptar ao novo idioma e à nova cultura. Mas definitivamente vale a pena.

  150. Cara, eu respeito muito sua decisão de viver aí, mas realmente não conseguiria viver o resto da minha vida em outro país, nem nos países que mais admiro no mundo, como os da Escandinávia e a Austrália também. Não gostaria de futuramente ver meus filhos sendo de outra nacionalidade, sem muita ligação com o Brasil. Compreendo completamente sua decisão, realmente o padrão de vida aí deve ser maravilhoso, até inimaginável no Brasil, mas sei lá, não é nosso, não somos nós, por mais ligado a outro país que possamos ser, sempre seremos brasileiros, e nosso país sempre será esse aqui, independente dos problemas. Eu sou carioca, vivo em Fortaleza há 5 anos, tenho 22 anos de idade, estudo Direito na Federal daqui, perdemos um colega assassinado essa semana, algo que sempre achamos que acontece com os outros, mas dessa vez aconteceu conosco, foi um baque muito grande, um jovem que teria uma vida pela frente, teria muito a contribuir com o país, e foi morto. Nesse momento pensei q ele teve muito azar d ter nascido no Brasil, pois se tivesse nascido aí isso jamais teria acontecido, uma coisa q jamais deve acontecer por aí, e aqui no Brasil acontece todo dia, somos o país q mais desperdiça talentos no mundo. Mesmo assim não me motivo a um dia viver fora, não conseguiria, poderia viver na Noruega, referência mundial em tudo q há d bom, mesmo assim não me sentiria confortável sabendo q aquilo não é meu, não seria eu, não seria meu país, q vive uma realidade muito diferente, embora sendo mudada a passos d tartaruga. O q quero dizer, e é uma opinião pessoal, não melhor nem pior q a sua, somente minha msm, é q eu prefiro passar minha vida lutando tds os dias para mudar a realidade do q é meu. Seria muito bom poder usufruir do q os outros já conquistaram, mas aquilo seria apenas emprestado, “doado” para mim, pois o q d fato seria meu estaria jogado às traças. Não posso deixar meu país para trás, tenho muito para contribuir, muito para fazer aqui, para um dia, nem q tenha 100 anos, ver o Brasil próximo do q hj é a Austrália, a Dinamarca… que nem sempre foram o q são hj, e sim precisaram d muita luta e muito esforço para chegar nesse patamar. Exemplo meu é ser ciclista num país q pouco conhece esse modal, mas de tanto lutarmos, tanto nos esforçarmos, as coisas estão mudando d forma cada vez mais acelerada, e hj em várias capitais do Brasil, inclusive Fortaleza, se fala frequentemente em mobilidade urbana, educação no trânsito, e cada vez mais isso cresce. Gostaria d viver em Amsterdã, referência mundial em ciclismo, usufruir d td q os holandeses conquistaram com muita luta, mas prefiro ficar por aqui e lutar aqui no Brasil a luta q eles luram lá, mudar a realidade do q é meu, para aí sim poder aproveitar plenamente sabendo q isso me pertence, não me foi emprestado. Não é fácil ficar parado no sinal no sol quente d bike por 2 min, nem andar pela calçada até a faixa d pedestres para atravessar, mas cada vez mais pessoas tem feito esse tipo d coisa simples por aqui para começar a mudar essa grande falta d educação presente no Brasil, e as coisas d fato têm mudado. Olho para 10 anos atrás e vejo como evoluímos, e olho para 10, 15 anos a frente, e vejo como teremos evoluído, mas isso tudo com uma luta incessante diária, seja dando o exemplo pessoalmente, seja orientando amigos e conhecidos, q começam a mudar aos poucos, seja divulgando maciçamente na internet e em campanhas educativas o que precisamos mudar, e isso vai dando resultado, e as coisas realmente estão evoluindo. Se eu fosse viver em um país melhor, com ctz levaria uma vida com muito mais qualidade, podendo usufruir d coisas muito melhores q aqui, mas isso nem se compara ao gosto d quando usufruímos d uma coisa q nós conquistamos e q muda a realidade d seu bairro, d sua cidade em determinado quesito, e isso eu falo por experiência própria. O gosto d ver a mudança q seu esforço e luta provocaram, para q outras pessoas passem a aproveitar aquilo para sempre não tem descrição, poder aproveitar e conquistar o q d fato é nosso, vai ficar para nosso país, nosso povo, isso é sensacional. Por isso q não deixaria o Brasil, não apagaria essa história nas próximas gerações, sei lá, prefiro viver aqui, msm q num padrão d vida inferior, mas deixar para as próximas gerações d brasileiros um país transformado, mudado, q no futuro acolherá seu povo como a Austrália acolhe os australianos por exemplo. Não me compreenda mal, não critico sua decisão, respeito muito, com ctz vc tem seus motivos, mas quis aqui mostrar o pq d eu não querer imitar o q vc fez, mas sei q essa decisão é melhor para mim, não necessariamente para vc. Convido vc a acompanhar a minha página “Prefiro ir de bike” no fecebook e ver as mudanças q estão acontecendo em Fortaleza e no Brasil no quesito mobilidade urbana e educação d trânsito. Abraço. Obs: Jamais conseguiria ficar longe do meu Vascão, já sofro aqui em Fortaleza, imagina na Austrália haha. Obs 2: Sou fã d F1 tbm, vejo toda corrida, como é a cobertura aí? As pessoas veem bastante? O q aconteceu com o Ricciardo deve ter repercutido pra caramba por aí.

  151. Muito bom o texto. Minhas filhas moram na Australia e certamente concordariam com quase tudo. Como brasileiro e que escolheu ficar, apenas lamento que você caia no erro comum dos paulistas – e dos cariocas – de achar que São Paulo e Rio são o Brasil. Desculpe, amigo, são duas cidades grandes, decadentes e de vida complicada e principalmente estão muito longe de ser O BRASIL.
    O Brasil são os outros 8 milhões de quilometros quadrados, um interior com milhares de municípios onde também há vida boa e tranquila e muitos deles poderiam te fazer pensar estar na Australia, se não falassem português. Não temos a homogeneidade cultural da Austrália, conseguida com forte atuação política, e por isso temos uma realidade muito mais ampla do que apenas São Paulo.
    Um pouquinho mais de informação sobre o verdadeiro Brasil poderia te fazer questionar muitos desses pré conceitos e conhecer alguns “Brasis” que também dão certo.

    • Maurício, eu particularmente respeito mas não concordo, SP e RJ são decadentes assim como todo Brasil e não venha me falar que no interior do pirapora de sei lá onde dá para pensar que se está na Austrália, para vai, em qualquer interior do Brasil existe explosão de caixa eletrônico só para te dar 1 exemplo. Lembrando que posso ficar o dia todo dando outros exemplos de coisas que se quer acontecem na Austrália ou acontece com bem menos frequência que SP, RJ e qualquer outro lugar do Brasil.

  152. Gostei muito de tudo que li e os comentários parabenizo pela excelente leitura de alguem que realmente sabe escrever!
    Gostaria de saber como é o sistema de aposentadoria e no caso de algum acidente ou alguma doença que voce não possa trabalhar e tenha que ficar de licença medica como se faz para viver sem trabalhar, se tem algum seguro saude.
    Obrigada

  153. Excelente texto.

    Infelizmente voces nao representam a maioria dos Brasileiros aqui na Australia.
    Moro em Melbourne, a dois anos e meio, e quando viajo para Perth, Sydney, Gold Coast, etc (cidades onde a concentracao de brasileiros é maior devido ao clima mais ameno), o que ouço é que os Brasileiros que moram aqui sao mal educados, folgados, brigões, arrogantes e querem levar vantagem em tudo (obviamente existem excecoes).

    A maioria dos conterraneos, talvez 90%, vem para Australia pois papai e mamae tem dinheiro, e ai “ganham” a oportunidade de “estudar” Ingles no exterior. Chegando aqui, é festa, putaria, brigas, bebida e drogas.. e obviamente, fazendo amizade com pessoas que compartilham “objetivos” semelhantes, irao ter 85% dos amigos brasileiros e irao falar portugues 90% do tempo. Ou seja, aprender Ingles, viver e aprender sobre a cultura local, desenvolvimento pessoal, enfim, construcao de algo ou pelo menos de carater, que normalmente é o intuito dos pais, geralmente é BALELA.

    Deixando de lado estatisticas ficticias, e a dicotomia entre o bem e o mal (ja que isto é uma observacao pessoal baseada em depoimentos de amigos), é mais ou menos assim. Brasileiros vem para ca para estudar Ingles, aprendem a falar 6 duzia de frases, destroem a imagem do Brasil aqui na Australia, e depois voltam para seus condominios fechados tupiniquims com a experiencia internacional de lavador de pratos no curriculo, almejando (e muitas vezes conseguindo), cargos de gerencia ou diretoria no Brasil, provavelmente na empresa do amigo do papai. (Nada contra lavadores de prato ja que eu adoro lavar louças e isso é parte da minha rotina domestica).

    Alguns desse grupo dao sorte na Australia, mas definitivamente, a maioria serao sempre filhinhos de papai mediocres e com posturas inapropriadas para alguem vivendo em um outro país ou nao.. Felizmente, uma minoria realmente absorve a cultura local, se dedica, adequa-se aos padroes de comportamento e efetivamente tem sucesso na construcao de uma familia ou de uma vida mais sensata, integra, honesta e rica (nao no sentido financeiro, mas as vezes, tambem monetariamente).

    Desculpem o excesso de moralismo, se é tenho alguma “moral”. Simplesmente sinto vergonha de ver Brasileiros com uma postura inadequada e criando um estereotipo negativo (que se comprova no Brasil), do outro lado do planeta.

  154. Lendo alguns comentários, vi que algumas pessoas falaram mal dos brasileiros que moram no exterior. Eu pessoalmente não tenho nada contra, acho que cada um tem o direito de decidir sobre o que vai fazer da sua vida. Vivendo com dignidade, nada mal. Se dá pra trocar o Brasil pela Austrália, ou Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, etc… isso é algo pessoal. Mas o mais curioso está à respeito dos imigrantes asiáticos que moram na Austrália, pois a grande maioria vêm de famílias ricas, e são sustentadas pela sua família enquanto estudam. Famílias ricas? Sim, ricas! Se eles tivessem a mesma mentalidade patriótica de alguns brasileiros, alguns poderiam até indagar: “Se ele(a) tem condições financeiras de estudar na melhor universidade do seu país, porquê vão estudar fora?” ou “Se eles(as) têm condições financeiras para viver bem e ter ótima qualidade de vida no seu próprio país, porque vão morar fora?”. Independente do motivo ou da condição financeira, devemos respeitar a decisão deles. Digo o mesmo para os brasileiros: Eles talvez não vão morar fora apenas para ter uma vida melhor. Alguns vão para estudar, trabalhar e adquirir uma “bagagem” profissional quando voltarem ao país (caso queiram). Isso não significa “cuspir no prato que comeu”, ou seja neste caso, renegar o país em que nasceu, mas buscar novos rumos e desafios para seu desenvolvimento pessoal e profissional.

  155. Concordo que a Australia tem muitos aspectos positivos, mas tambem concordo com os que as descreveram ram como imperfeita. Tenho quase 7 anos morando aqui, e minha experiencia nao foi tao perfeita como os amigo escritor deste blog. E tambem nunca morei em Sao Paulo (onde, imagino, que Jerry tenha morando), assim nunca sofri nenhum tipo de violencia, gracas a Deus. Nao entrarei em detalhes mas acredito que para tudo ha o lado negativo e positivo. Por exemplo, no fato citado onde todo mundo usa iPad, iPhone, I… No onibus, na praia, no parque… O lado negativo que sinto nessa situacao e que ninguem conversa com ninguem, muitas vezes nem enxergam que tem um ser do lado. A depressao e um caso bem serio aqui… O que quero dizer e que o fato de poderem levar eletronicos a todo lugar faz com que interajam cada vez menos uns com os outros. Este e apenas um fato. Por favor nao me interpretem mal, acho a Australia um lugar otimo, mas acredito que o Brasil mesmo com os defeitos que tem, esta na frente de muitos outros paises e tem dezenas de caracteristicas positivas tambem. Por exemplo, acho que somos muito mais empreendedores que os australianos. (Desculpem a falta de acentuacao grafica)

  156. Emocionante,não pude me conter as lagrimas,fico muito triste quando leio textos que enaltece as qualidades de outros povos e nós aqui no Brasil ser conhecido por bater uma carteira,furtar um celular e ser roubados por políticos.
    Faço o possível para melhorar como pessoa e é lendo textos assim que posso fazer uma comparação e percebo o quanto eu tenho que melhorar para me julgar educado.
    desculpa-me,pela as palavras mal colocada!mas não fui a escola e nem sei meu tipo sanguíneo.
    amo meu país mesmo sabendo que isto aqui é uma um caos e fico feliz por saber que pessoas como você que conhecem os dois lados não deixou de amar este lugar.
    tenha certeza que quando estiver com sua camisa verde e amarela comemorando (gritando…rsrs)um gol ou uma vitória na formula 1 milhões de brasileiros também estarão fazendo o mesmo que você,incluindo eu.
    obrigado e muita saúde pra todos!

  157. Geralmente eu nao leio textos desse perfil, nem ao menos comento.
    Mais meu amigo, voce está de parabens.
    Descreveu em palavras o que me deixa cada vez mais desiludido com nosso pais.
    Principalmente a falta de cordialidade e educação em qualquer tipo de empresa, seja publica ou particular, restaurante ou loja.

  158. “No Brasil quem tem ética parece anormal”. Mario Covas. E Descobre-se que seu partido ROUBA o metro de SP deste os tempos de Covas. Não F**** Mario Covas.

    Esqueceu de dizer que nós brasileiros somos hipocritas pacas. Sempre acusando o outro.

  159. Na boa. Todo pais tem defeitos e qualidades. Não fosse isso e o Brasil não estaria sendo “invadido” por estrangeiros que querem morar aqui. Qualidade de vida vai muito alem de poder sacar dinheiro em caixa eletronico de madrugada.
    Sem contar que temos cidades do interior com ótima qualidade de vida.

    Detesto o jeitinho brasileiro. Mas detesto muito mais nossa hipocrisia.
    gente que abre a boca para falar de político mas na primeira oportunidade dá um jeitinho, leva uma vantagem.

    Aceitemos as diferenças!
    E se empregada ta custando caro no Brasil isso é muito bom! Prefiro isso a desemprego. Quem vende seu trabalho barato é porque tem dificuldade.

    um grande abraço e boa sorte na Austrália.

  160. Caro Jerry,
    Impressionante seu depoimento. Infelizmente, amo o Brasil, mas tenho que concordar com tudo que disse. Há também outros países semelhantes como Canadá e até mesmo algumas regioes americanas.
    Tenho trigemeos e tememos o Brasil de hoje, mesmo gostando. Temos um plano de curto prazo, já iniciado, de migrar um país desenvolvido.
    Tenho uma duvida apenas que eu gostaria muito de sua opinião. Um de meus funcionarios morou 2 anos na Austrália. ele refere tudo isso mas disse que havia preconceito a estrangeiros e que só ofereciam empregos com baixa qualificação para ele por ser estrangeiro (garçom, motorista, porteiro, etc). Também temos que pesar o fato que ele era muito jovem na época e com pouca qualificação profissional.
    Você acha que existe mesmo este “preconceito” contra estrangeiros?
    Um abraço e desejo que sua familia seja muito feliz aí.

  161. A pergunta é: qual caminho seguir pra ir viver na Austrália? É sério, as coisas aqui no Brasil estão de mal a pior, é hora de sair enquanto é tempo.

  162. Muito bom Jerry, é exatamente assim que me sinto também, só que eu vivo na Nova Zelândia o que não é muito diferente da Australia, exceto que aí vocês não tem terremoto e aqui nós não temos bichos peçonhentos. 😉

  163. O pior Jerry, é que é praticamente impossível explicar tudo isso para brasileiros que nunca moraram em outros países como a NZ ou a Australia. Fora muitos que ainda se sentem ofendidos. Parece que quando mudamos para outro país, perdemos o direito de falar mal do Brasil. 😉

  164. Como sempre, os brasileiros que querem provar que nos, os que saímos, estamos errados, utilizam a exceção para provar a regra. Enquanto no Brasil a regra eh ser malandro, e a exceção eh ser honesto, em países como Australia, a regra eh ser honesto e a exceção eh ser desonesto. Como em todos os lugares do mundo, sempre iremos encontrar coisas ruins. A GRANDE diferença eh que no Brasil as coisas ruins sao as regras. Mas, a grande verdade eh que as pessoas que estão habituadas a malandragem, sempre defendem o Brasil com unhas e dentes.

  165. Ótimo texto. Concordo 110%. Estou com planos de curto prazo para me mudar do Brasil, mas não ilegalmente como muitos fazem. Eu e minha esposa estamos empregados, ganhamos relativamente bem, moramos numa boa casa e temos uma filha em uma ótima escola. Mas quando vejo para onde este país está caminhando vemos que não é este o lugar onde queremos que nossa filha creça. Para os que jogam no time “violência tem na Austrália também”, segue uma estatística que é facilmente comprovada, bastando usar o Google: O índice de homicídios no Brasil era de 17 há poucos anos e anda na casa dos 20 (subiu mais de 10% em 2-3 anos). Na Alemanha é menos de 1, no Canadá é de 1,5 e na Nova Zelândia é de 1,3. Os EUA, que são considerados um país violento em se tratando de 1o mundo, tem 4,4. O Fantástico deste último domingo mostrou que Maceió, por exemplo, está com 66 – a quarta cidade mais violenta do mundo (que não está em guerra ou conflito armado aberto). Este número refere-se ao número de homicídios por ano para cada 100 mil habitantes.
    Para quem é ruim de matemática, vai o resumo: Se você tem o azar de morar em Maceió, a chance de você ser morto ou enterrar algum ente querido é 66 vezes maior que a de um alemão. Me diga sinceramente: É neste lugar que você deseja que sua família more? Você quer jogar na loteria da vida e morte e ter esta chance ENORME de acabar tendo que enterrar um filho? EU, definitivamente NÃO.
    Quem acha que “deve-se ficar e lutar” está sendo ingênuo e excessivamente otimista. Sem querer entrar em discussão política vai outro dado: uma em cada 4 famílias brasileiras hoje recebe algum tipo de BOLSA em dinheiro do governo. Ou seja, quem está no poder, vai se perpetuar no poder através de programas assistencialistas. 1 em cada 4 votos já estão definidos em TODAS as eleições. Quem está ganhando bolsa família, moradia, sei lá mais o quê, não vai querer mudança NENHUMA, pois tem receio de perder o pouco que recebe. Não estou dizendo que é certo ou errado dar bolsa família, mas só constatando que para muitos a mudança NÃO INTERESSA ou então É DUVIDOSA.
    Tenho amigos que têm família no norte de MG, uma área reconhecidamente pobre, e o que ele me conta de sua pequena cidade natal é que muitos chefes de família passam o dia no boteco ao invés de trabalhar pois recebem bolsa do governo. De novo, não estou dizendo que o governo não deveria ajudá-lo, mas é fácil entender que esta situação NÃO tem como melhorar.
    Além disso, o governo ELEITO pelos próprios acalorados brasileiros, gastou 1 bilhão para reformar o Maracanã e ao mesmo tempo a situação dos hospitais públicos do Rio de Janeiro, cartão postal do país, é de dar pena. Ou melhor, tenho pena de quem precisa deles!
    TODOS os governos que eu vi, desde que me entendo por gente fez exatamente a mesma coisa, então não se trata do partido A ou B, mas significa que o brasileiro continua votando em quem lhe rouba, lhe cobra um dos impostos mais altos so mundo e que lhe dá um dos piores serviços em troca.
    O (des)governo que vemos no Brasil hoje é relexo da sociedade brasileira muito bem exposta pelo escritor do texto.

    Tenho muitos amigos e conhecidos que “venceram” no Brasil, pelo conceito de vencer que têm-se aqui: “Ganhou dinheiro e está numa boa”. Alguns, talvez muitos deles, sonegam tudo que podem, pagam salário de FOME para seus empregados e ainda reclamam que agora vão ter que recolhar FGTS para as suas DIVERSAS empregadas domésticas, babás e etc. Na última vez que saí com um destes meus amigos, para minha surpresa ele levou a babá – em pleno domingo – para o clube para cuidar de seu filho de 4 anos… Lamentável e patético.

    Este é um outro extremo da situação que relatei do norte de Minas mas este tem alguma coisa em comum com o pai de família que passa a tarde no boteco: Ele também NÃO QUER MUDANÇA. Afinal ele “venceu” e vive sossegado atrás de um muro de um condomínio de luxo com segurança armada para manter os “maus” brasileiros do lado de fora.
    Então, a sociedade brasileira está dividida entre os que querem mudança, os que não querem, e os que não estão nem aí… E para piorar, os que querem mudança ainda se dividem entre os mais liberais e os outros que ainda acreditam que Cuba é um paraíso… No final te pergunto: Vai mudar? DUVIDO e DUVIDO MUITO. Nascer no Brasil é obra do acaso, mas continuar achando que aqui é o melhor lugar do mundo só porque o povo aqui é mais caloroso é de uma idiotice sem tamanho. Nenhum lugar é perfeito, nem a Austrália e nem a Suíça, mas aqui está bem mais longe da perfeição e o pior, caminhando para ficar ainda mais longe…

    Abraço

  166. SOU BRASILEIRA ESTOU MORANDO NA AUSTRALIA A MENOS DE UM MÊS, JÁ ESTIVE AQUI NO ANO PASSADO PARA FERIAS,TINHA MEU PROPRIO NEGOCIO E VIVIA BEM NO BRASIL APESAR DE TODOS OS PONTOS NEGATIVOS DO SISTEMA. MAS ALEM DO MEU NOIVO TER MUDADO PARA A AUSTRALIA POR CONTA DE CONTRATO DE TRABALHO, ME ENCANTEI COM O LUGAR E NÃO TENHO MUITO O QUE RECLAMAR DAS PESSOAS, PELOMENOS NO MEIO EM QUE CONVIVO SOU MUITO BEM TRATADA E AS PESSOAS SÃO MUITO ACOLHEDORAS, EU E MEU NOIVO MORAMOS EM UM LUGAR CALMO E CONFORTAVEL E AINDA NOS DEIXAM USAR O CARRO APENAS PAGAMOS NOSSAS DESPESAS COMO LUZ ÁGUA, COMBUSTIVEL, SOU GRATA A DEUS E AOS DONOS DA CASA QUE SÃO MUITO GENTIS, MORAM EM OUTRA CIDADE, MINHA MAIOR DIFICULDADE AQUI É O IDIOMA QUE POR SINAL COMECEI A ESTUDAR E TAMBEM NÃO PAGO PARA TER AULAS DE INGLES TODOS OS DIAS UTEIS DA SEMANA SE EU PREFERIR, SINTO MUITO PELAS PESSOAS QUE PASSARAM POR ALGUM INCIDENTE RUIM, MAS NO MUNDO TODO PODEM ACONTECER,E QUANTO A PESSOAS TE TRATAREM MAL EU CONFESSO QUE ESTOU MUITO DECEPCIONADA COM OS BRASILEIROS,DEUS ABENÇOE A CADA PESSOA E SUAS DECISÕES POR IR ATRAS DE SEU LUGAR, ONDE POSSA SE SENTIR ACOLHIDO E REALIZADO NÃO IMPORTA ONDE! VENDI TUDO E ESTOU AQUI, APESAR DE TER CARRO E ONIBUS E TRENS A DISPOSIÇÃO TEM ALGO AQUI QUE ME ENCANTA, PODER COLOCAR UM TENES E UMA ROUPA APROPRIADA PEGAR UMA BICICLETA E ATRAVESSAR A CIDADE PARA QUALQUER LUGAR REALMENTE NÃO TEM PREÇO AMOOOO. E TENHO APROVEITADO CADA POSTE E COMENTARIOS PARA OBSERVAR E APRENDER SOBRE ESSE LUGAR DE PAISAGENS EXUBERANTES E PESSOAS AGRADAVEIS, REALMENTE VEJO PESSOAS ANDAREM DESCALÇAS E OUTRAS COISAS E ME DIVIRTO MUITO,PARABENS JERRY

    • Parabéns ao Jerry! Sonia, muito legal ouvir sua experiência, estive na Australia em dezembro de 2013, amei, e volto em setembro para viver algum tempo por aí, gostaria de saber como é possivel fazer um curso de inglês gratuito. Por favor, me oriente.Desde já agradeço pela sua atenção, abraços!

  167. Prezado Jerry e Michelle. Excelente artigo.
    Justamente por sabermos do famoso jeitinho brasileiro e dos golpes em geral, tenho uma questão que peço ajuda a vocês. Venho recebendo semanalmente emails de uma empresa / “agente de imigração” chamado MQuality, que se diz o único agente de imigração brasileiro “reconhecido” pelo governo australiano. Vocês teriam alguma referência deste escritório? Vocês efetivamente prestam consultoria neste sentido?
    Obrigado.

  168. Preguiça de certos comentários, irei p Sydney em junho e o seguro saúde será o do governo, ja teve algum problema com ele? Gosto bastante dos seus posts, irei estudar na Navitas e de início morarei na house da agência.

  169. Só acho um modo tendencioso comparar o Brasil um país de terceiro mundo, com a Austrália, torna-se claro que temos e continuaremos a ter muitas mazelas provenientes de uma educação com objetivo político de alienação do seu povo, sim o ler e escrever ainda não tem o objetivo de formar pessoas para a construção de um Brasil melhor, o pensamento ainda é o imediato, pois aqui a educação está ligado a conseguir um trabalho, e não reflexão sobre a sociedade, nossa educação (ou a falta dela) vem refletida na nossa necessidade de viver e comparar isso com pessoas que podem estudar para reflerir sobre os problemas da sociedade, é no mínimo cruel. Não, não mesmo o Braisl não se compara com a Austrália, vivemos ainda em outro momento histórico, e isso é a nossa realidade, e não uma vergonha.

  170. Pensei em responder diversas pessoas aqui, contestando, discutindo… mas no final eu sempre pensava: do que adianta? Ninguém vai mudar de opinião com o que eu disser, cada um sabe o que sente e isso não muda. Cada um sabe o que o faz feliz e no final é isso que importa, seja no Brasil, na Austrália ou em qualquer lugar… Cada um tem sua experiencia de vida, suas prioridades e vontades. O que faz bem pra um, talvez não faça pra outro e PONTO FINAL. Não adianta discutir.

  171. Tá, agora vem cá….
    A Austrália seria um paraíso então?
    Acho que não né….sei que aqui tem muita bagunça….mas pontos negativos tem em todos os lugares…duvido que este país não peque em algo.
    Enfim, só uma coisa que não concordo, é que quando você fala do Brasil, fala de uma forma geral, mas utilizando como exemplos SP e RJ…
    Só que existem lugares muitooooooo bons de se morar, tranquilo, sossegados, qualidade de vida muito boa. Nosso país é enorme, tem muita coisa boa também.
    Enfim, mas me pareceu bem bom sim conhecer esta terra, quem sabe um dia.

    Abraço e felicidades!

    • A Austrália não é um paraíso mesmo: um dos grandes problemas é o álcool, bem como as drogas, exatamente como no Brasil.
      E talvez essa adoração tenha um traço de masoquismo: só ganha cidadania se se comportar…senão, neca de pitibiribas: volta pra casinha, já!
      Enquanto serve, fica…Desobedeceu, fora!!!

  172. Seu post é muito bonito até a parte 2… Morei na Austrália por 2 anos e em alguns pontos posso concordar plenamente, segurança, qualidade de vida… Mas, em tese tenho opiniões bem diferentes…. Os Australianos tem babas sim ( fui por muitas vezes) tem faxineiras sim ( limpei casas por 9 meses até conseguir ” algo melhor”)o fato é eles não são muito ligados a limpeza por isso se viram com uma faxineira 1x por semana ou sozinhos (no brasil temos “mania” de limpeza, apesar de tudo somos asseados sendo ricos ou pobres). Talvez algumas coisas fujam da sua realidade no Brasil pois sou de uma família classe média com mais três irmãos com pais que sempre trabalharam e nunca tivemos empregados e aos finais de semana nos dividíamos para limpar, lavar e passar. ( não, não somos dependentes de empregados). O fato é quem vai para Austrália e resolve viver ai para o resto da vida tem a tendencia a escrachar o Brasil, falar mau, mas esquecem que o Brasil é um pais com 198 milhões de habitantes contra 22 milhões da Austrália e por esse motivo tudo é mais mais difícil. Temos grande desigualdade social, fome, falta de saneamento básico, educação precária tudo que dificulta para ser um país melhor.
    O que eu percebo é que muitos dos Brasileiros que moram na Austrália e criticam seu país de origem, quando vem pra cá esquecem de tudo que “aprenderam” na Austrália ( leis mais rígidas, educação “internacional”)e agem como animais fazendo merda e tudo que não podem na Austrália só pq aqui tem a impunidade.
    O Brasil é um país em constante crescimento que precisa muitaaaaa coisa para mudar mas pra isso precisamos de mais atitudes de pessoas como vcs que estão longe mas que de alguma forma influenciam. Precisamos de palavras positivas não apenas comparando um pais com o outro pq é nítido que não da para comparar!

  173. Salve gente. Gostei do texto. Gostei de vários argumentos que li nas várias intervenções. Muita visão romântica também. Todo país têm problemas. E sempre enfrentaremos problemas em qq. lugar que vivermos.
    Da minha parte, por mais que veja problemas em viver no Brasil, ainda acredito que aqui é meu lugar no mundo. E enquanto puder, lutarei para melhorar a minha vida e a vida do meu entorno, a vida dos que também aqui vivem, e a vida dos que para cá vierem ou dos que para cá voltarem, nacionais ou estrangeiros. Mesmo que eu não aproveite o benefício das lutas atuais, mas as próximas gerações.
    Se vivermos somente para o “eu”, não importa em que lugar do mundo estivermos, estaremos sempre sozinhos e acuados.
    Abraços a todos.

  174. kkk…Eu amo quando leio esse tipo de coisa….Querido, o paraíso só existe porque a própria existência dele está ligada com o inferno! Países exploram e outros são explorados…é o caso do nosso. A rede de esgoto de Londres, por exemplo, só existe porque alguém foi explorado até a morte para que aquilo estivesse lá… a EXPLORAÇÃO de outros povos é que garantiu a existência daquilo…Nós no Brasil fomos explorados por Portugal, Espanha, Inglaterra, França e Holanda, que levaram nosso ouro, madeira e etc…Até nossa Independência foi comprada!
    Eu acho que gente que não teve oportunidades aqui devem ir pra fora mesmo, sem pestanejar! Mas falar mal, sem conhecer a história a fundo, já é covardia…Esses deveriam voltar pra tentar mudar; fugir do problema não muda nada, assim como meter o pau sem propor mudanças (e lutar por elas). É só comodidade mesmo!!! Melhor ficar calado e aceitar o próprio destino que teve suas vidas.
    E a Austrália não é, como nenhum lugar do mundo, uma maravilha: tem defeitos gravíssimos. Basta observar e sentir. Não vou enumerar para não ser simplista, mas garanto que no fundo, todos sabem.

    • Marcelo, eu acho que você desconhece alguns fatos históricos. Quem explorou o Brasil e tratou o país como presídio primeiro e depois como mina de ouro (entre outras coisas) foram os portugueses que são os ancestrais de boa parte da nossa população hoje. Como a aristocracia portuguesa era mantida com os bens de consumo que compravam quase todos da Inglaterra, o ouro que tiravam daqui ia direto para a coroa inglesa, mas o que a Inglaterra tem a ver com isto? NADA. Além disso, se não fosse por Napoleão ter tomado a europa quase toda, a coroa portuguesa não teria se transferido para o Rio de Janeiro e provavelmente a independência do Brasil viria muito mais tarde.
      O Brasil, depois de indepentente, foi um dos ÚLTIMOS países a abolir a escravidão e aí eu te pergunto: O que os europeus tinham a ver com isto? De novo, a reposta é NADA. O país já era idependente mas o império BRASILEIRO e a classe dominante BRASILEIRA mantinham a escravidão à todo custo pois seria “um absurdo um país agrícola” abolí-la.
      TODOS os países do mundo “descobertos” após a era das grandes navegações, incluindo EUA, Brasil, Austrália, Nova Zelândia, e todos os outros países americanos foram colonizados por povos que estavam sim a procura de riqueza, mas nem por isto alguns se tornaram o que o Brasil se tornou. EUA e Austrália são bons exemplos.
      Dizer que o Brasil tem os problemas que tem porque foi explorado é tapar o sol com a peneira. TODOS os povos tiveram que lutar para chegar a algum lugar. Alguns lutaram mais que outros e por isto estão hoje em situação melhor. Agora que vivemos em democracia, os brasileiros continuam elegendo LADRÕES condenados para o executivo e legistlativo e o que os “países exploradores” têm a ver com isto? NADA! Brasileiro não está nem aí para política em sua grande maioria e vota no candidato que promete mais vantagens para ele e está pouco se lixando se o cara é do tipo “rouba mas faz”.

  175. Olá Jerry/Michele…amei o blog…e este post, é fantástico…pena ter tido muitas interpretações…muitos talvez não tenham compreendido os “exemplos” que deu!Obviamente nem tudo deve ser um mar de rosas, mas creio que a vida que estão vivendo aí, veio de encontro aos seus sonhos…que Deus está abençoando! Muitos também têm esta vontade, mas falta coragem, é bem mais fácil dizer que se deve ficar no Brasil e lutar pelo país!hahah…chega a ser engraçado!
    Meu pai sempre dizia que a classe média é o ópio do povo…e realmente o é!Se acham os donos do mundo…querer exigir seus direitos, ser tratados como “reis e rainhas”, mas não cumprem com seus deveres.
    Graças a Deus minha família sempre teve uma boa situação financeira…mas não me importaria de sair do Brasil e trabalhar num “sub-emprego”, como disseram aí em cima…desde que esteja num lugar onde serei respeitada e poderei ver que meus filhos convivem com pessoas que se importam com o outro!
    Este ano estou trabalhando numa nova instituição particular( sou professora)…e estou horrorizada com os filhinhos de papai, que lá estão…os pais chegam na maior posse, em carros caríssimos…mas não educam os filhos! Adolescentes que t~em a coragem de dizer ao professor para calar a boca, porque o pai dele que paga o salário!(Não foi comigo, senão…não sei o que faria!).
    Então, como muitos disseram acima…ficar no Brasil e lutar pelo país???
    Devemos lutar por uma nova mentalidade e mais respeito ao próximo!!!

  176. Oi, sou Italo-brasileiro, naturalizado e crescido na Italia, sou de Londrina, Paranà.
    Eu me considero Italiano mesmo. Pois eu tenho minhas raizes, a minha educaçao, a minha formaçao, a minha cultura, a minha identidade cultural, etnica e a minha infancia na Italia. Provavelmente teus filhos vao passar por esta mesma experiencia que vou te dizer: nascer, crescer, viver, aprender em um paìs que te oferece, arte, cultura, historia, segurança, vida! esperança! futuro, tranquilidade, soluçoes a tudo e PROTEçAO! è uma coisa maravilhosa! Espero ir para Australia logo, ir nos arrancadoes de carros australianos, ir no v8 supercars australia e ir nos eventos de musica eletronica curtir ao ritmo de “Blutonium Boy”! E isso aì garoto! Quero que aproveites bem à Australia.

  177. Acho que a experiencia depende muito da cidade onde voce morou, nao? Vivi na Australia durante um ano, metade do tempo em Byron Bay e a outra metade em Brisbane, ambas em NSW. Vivi tambem durante 10 anos no Japao.
    Em todos os lugares posso apontar coisas ruins e coisas boas. Por exemplo, no geral nao gosto do sistema de transporte na Australia. As vezes, fazer uso dos onibus, vans, etc é a unica maneira de se chegar a algum lugar sem carro proprio. No Japao nao, voce pode utilizar o eficiente sistema ferroviario.
    Por outro lado, brasileiros no Japao nao tem vida facil ao procurar um emprego, a nao ser que seja ultra-qualificado e ainda fale o idioma fluentemente. Alem disso, o choque cultural pode ser grande.
    Pessoas bacanas e amigaveis existem em qualquer lugar do mundo. Pessoas “malandras” e mal-educadas tambem.

    O fato é que a mentalidade de quem vive no exterior muda, para o bem ou para o mal. No tempo que morei no Japao convivi bastante com brasileiros que se achavam os coitadinhos: “pessoal la no Brasil acha que a gente ta podre de rico! Mas tem que ralar aqui, po! Nao é facil nao!”. Entao eu pergunto: e no Brasil (ou qualquer outro pais no mundo) nao? A pessoa honesta nao tem que trabalhar pra ser bem-sucedida?
    Maior ainda foram os casos em que a pessoa continuava no Japao so por causa do dinheiro. Nao se interessava em aprender o idioma, nao se interessava pela cultura, nao se interessa em fazer turismo, odiava a comida local… enfim, e a qualidade de vida? Como fica? Vale mesmo a pena viver dessa maneira? Nao seria interessante sair da bolha que o cerca e aproveitar a vida?
    Talvez algo que contribua muito para o brasileiro no Japao ser tao relaxado e desinteressado seja a facilidade de viver no pais, mesmo sem falar o idioma. Explico: pra quem nao sabe, em cidades japonesas com boa concentracao de brasileiros é muito facil encontrar restaurantes, empresas voltadas a alocar mao-de-obra, supermercados, lojas de roupa e ate mesmo escolas BRASILEIRAS. Isso sem contar com interpretes na prefeitura e alguns outros orgaos publicos…
    “Pra que aprender japones se voce nao vai usar?”. Terrivel essa mentalidade, nao?

    Enfim, falei muito do Japao porque foi onde vivi mais tempo, e talvez tenha ate desviado do assunto…

    PS: o finalzinho do texto, falando do orgulho em ser brasileiro, me pareceu muito mais pra fazer media do que real orgulho, perdao. Por exemplo, por que decorar sua sala com motivos estadunidenses e ingleses se ama o Brasil? A unica coisa brasileira talvez seja o capacete que lembra o do Senna…
    Tudo bem que nao posso julga-lo somente por causa disso, mas é um detalhe que me chamou a atencao.

  178. Bem minha primeira opniao sem ler os comentarios eh que, sim, qualquer pais um pouco mais equalitario que o Brasil nos faz sentir muito melhor, eu moro em Londres e sinto o mesmo em diversos sentidos, nao quero voltar para o Brasil e a vida nao eh facil aqui, mas eh mt melhor do que la.
    De qualquer forma depois de ler alguns comentarios, Brasileiros tem uma visao deturpada da realidade, coisas q a gente deveria levar a serio, vai levando, um post falando dois lados da realidade de morar fora eh como apocalipse, “how dare you de falar mal do Brasil” ou tentando falar mal da Australia ou qq pais, gente, menosprezar um nao faz o outro melhor, qualquer pais tem problemas, corrupcao e coisas erradas, mas a questao eh que no Brasil eh gritante e principalmente por termos nascido e vivido la a gente ve melhor, ainda mais quando vc muda de pais e pode comparar com outro um pouco mais equalitario. (desculpe minha falta de acentuacao eh o teclado)

  179. Os “patriotas acéfalos” de plantão confundem “constatar fatos e realidades” com “falar mal”.

    Se o cara diz que no Brasil têm enchente, muitos assaltos, muita corrupção, muito jeitinho brasileiro, muitas brigas de torcidas, sequestros, muitas brigas e mortes no trânsito, explosões de caixas eletrônicos, propina, falcatrua, miséria, etc… Quer dizer que ele sabe apenas falar mal do Brasil, alguns aqui preferem dizer que o cara está falando mal do que reconhecer que ele está constatando fatos verídicos.

    Fora os que dizem o absurdo que quem vive fora do Brasil é porque abandonou o país e que deveria ficar aqui “lutando”, isso aqui não é uma guerra não cara pálida e tão pouco queremos desperdiçar as nossas vidas por outros brasileiros que não dão a mínima por isso!

  180. O engraçado são os comentários de gente que nem aqui está, “ama o Brasil” mas perde tempo visitando o blog e criticando o Jerry. É “pracaba”. Lendo os comentários negativos me faz pensar e agradecer novamente a Deus pelo privilégio de morar aqui. Essa mente de muitos brasileiros me da náuseas.

    • Qualquer texto pode ser importante, mesmo aquele com o qual você não concorda (até pra não afirmar a unilateralidade de alguns que se acham privilegiados). E, para suas náuseas, é só continuar aí, se aí você estiver. E, como você mesma disse, não perca seu tempinho “lendo os comentários de gente que nem aqui está”.

  181. Não li o texto inteiro, mas quase todo. Acho interessante uma descrição de outro país. Mas efetuar comparações com o Brasil é absolutamente injusto. Não podemos entender a realidade brasileira simplesmente comparando com outros países. Quantos anos de escravidão teve a austrália? Como foi a formação histórica? Como foi a colonização? Quem colonizou? que instituições há no pais colonizador?

    quero dizer, não basta criticar o Brasil, mas entender os porquês.
    Para analisar o Brasil, é preciso ler Floretan Fernandes, Caio Prado Júnior, Raymundo Faoro, Celso Furtado, Gilberto Freire, Sérgio Buarque. Isso no mínimo.

  182. Vcs estão loucos!! Nunca estivemos tão bem, hj no Brasil não existem mais pessoas passando fome, o analfabetismo diminuiu, a qualidade de vida do pobre melhorou sensivelmente, todo mundo tem condições de comprar sua casinha pelo minha casa minha vida e seu carrinho financiado, temos prouni, fies e amplo acesso ao ensino universitário, o pobre hj pode andar de avião pq as passagens estão mais baratas, temos desemprego em queda, o país só cresce, a cada dia um novo shopping é criado, o número de novas empresas nunca foi tão grande, todo mundo é empresário aqui. Problemas na prestação de serviços básicos como saúde e educação sempre existiram e quase sempre são no âmbito do Estados e Municípios que roubam a verba pública, olhe a qualidade das universidades federais e CEFETS..alto nível! Problemas de segurança são também de responsabilidade dos Estados, se as leis são brandas demais cobrem dos deputados e senadores, mas não esqueçam que Lula mudou o Brasil e Dilma dá continuidade…o socialismo irá nos elevar um novo nível. Com um tempo as coisas se ajeitarão e nós seremos uma potência em todos os sentidos graças ao modelo bolivariano adotado por nossos Presidentes, aí vem um classe média insatisfeito querer exaltar nações capitalistas estrangeiras? Vá embora que aqui não faz falta, deixe que nós e nossos irmãos bolivarianos construiremos uma nação melhor. vc pode assistir a copa e as olimpíadas que nosso amado Lula trouxe ao Brasil de sua TV australiana.

  183. Cara, bom, li seu texto e como brasileira que mora temporariamente (infelizmente 🙁 ) nos EUA eu me identifico com várias coisas que você escreveu no seu texto! Não me interessa ficar tentando entender porque o Brasil é assim até porque não vejo como poderia mudar, mas preciso fazer alguns pontos em relação ao que você diz:

    1 – Não acho que má educação seja restrita ao Brasil, talvez seja só em maior escala. Uma vez peguei um vôo entre Washington DC e Philadelphia que a criança foi chutando o vôo todo, os comissários desesperados e a mãe sorrindo como se nada tivesse acontecendo. Também tive minha bagagem roubada duas vezes no aeroporto aqui em DC, o que NUNCA me aconteceu em Cumbica/Congonhas. Talvez eu tenha tido sorte no Brasil ou azar aqui, mas o ponto é que coisas assim podem (e vão) acontecer em qualquer lugar.

    2 – Aqui nos EUA saúde não é um direito, paga-se caro e bem caro por isso. Polícia nem sempre funciona. E claro, educação não é pra todo mundo. A qualidade de vida pode ser melhor pra porção mais miserável, mas boa também não é. E duvido que tudo seja tao lindo assim na Australia tambem. Vamos ser razoáveis, ser pobre é uma b. em qualquer lugar, só que tem lugares onde é um pouco menos pior.

    3 – Eu tenho pós-graduação na minha área (ciencias exatas) e vou dizer, voce tem sorte de ter saído do Brasil e se tornado alguém em outro país. Na minha área, apesar de toda especialização que eu tenho, ninguém contrata estrangeiro. Se eu quiser sair do Brasil ou se dá um jeitinho (não sirvo pra isso) ou ilegal (muito menos faria isso). Ou seja, essa vida legal que você leva não é pra todo mundo. É como se a gente sabe que existe essa qualidade de vida em outro lugar mas não pode obtê-la porque não temos a característica X. Ou seja, se você interessa pro outro país, legal, senão, tchau e benção. Eu trocaria fácil a nacionalidade brasileira por várias outras, e nem por isso eles vão querer me dar haha. E nisso fico p. com o Brasil, que abre as portas pra todo mundo e não cuida dos próprios cidadãos.

    Enfim, como disse, eu me identifico com o texto, mas algumas reflexões mais profundas são necessárias.

    • Pois é, infelizmente até a “pós” brasileira é um jeitinho brasileiro e não conta nada. Aqui fora ou você tem mestrado ou não, quando você diz que tem pós eles perguntam “que raios é isso?”

  184. Vivo na Australia já há alguns anos, meu marido é australiano, nossos filhos são australianos por descendência e, devo dizer que esta não é a minha mentalidade ( mente do brasileiro que mora aqui)! Cheguei aqui com visto permanente e cumpri todas as exigências do governo australiano para receber meu visto. Estudei no Tafe, no programa do governo de inglês para imigrantes AMEP, onde convivi com pessoas de vários países diferentes. Refugiados africanos e iranianos, asiáticos, etc…na maior parte adultos e daí vai. Sou parte dos 90% dos brasileiros que trabalham duro e honestamente para viver e educar seus filhos e que nunca tiveram empregads em suas casas, mas sempre conseguiram mantê-la limpa, eles mesmo. E eu não vim a Austrália para estudar inglês em uma escola particular, paga por meus pais ( sem querer desmerecer isso).
    Acredito que o amigo colocou muito bem a suas próprias experiências, expectativas e visão de estar vivendo aqui, e isso é muito legal!
    Gosto muito daqui! Sou Interior Designer e Decoradora formada aqui, com muito esforço. Não foi fácil recomeçar do zero, pois meu marido vivia no trasil e não tinha emprego aqui. Porém, temos sido vitoriosos, pois no temos medo de trabalho rsss.
    Mas não deslumbraria a ponto de negar o fato de que a Austrália não é um lugar perfeito. Tão pouco o compararia com o Brasil, pois são dois lugares diferentes, com diferentes backgrounds. A Austrália com pouco mais de 10% de toda a população brasileira apesar de ser pouca coisa menor que o Brasil e, por isso, bem mais fácil de administrar.
    Comparemos uma família com dois filhos e outra com oito! Com certeza o papai e a mamãe teriam que matar muito mais que um leão por dia para manter e sustentar a família maior. Imagina, se esses pais forem negligentes e corruptos! O futuro dos oito filhos estaria mais comprometido do que os da familia de dois. O resultado seriam oito problemas sociais e não só dois, né.
    Em um mês vivendo aqui, a nossa casa e a de outros vizinhos foram assaltadas. Uma conhecida, convencida pela ilusão de aqui não existe perigo algum, deixou a sua bolsa na mesa num restaurante bastante movimentado e perdeu para algum ladrão. A violência e abuso contra crianças e mulheres é exorbitante, as casas de alguns conhecidos foram arrombadas e roubadas. O índice de acidente de trânsito é altíssimo comparado ao contigente, ou seja, eles se acidentam sozinhos rsss…sem precisar do terrível tráfico lotado das ruas das grandes cidades brasileiras.
    Meus filhos estudaram numa escola particular, mas, por tbm acharmos q as escolas públicas aqui eram maravilhosas, trocamos eles de escola. Porém, as escolas públicas tem lá seus vários problemas tbm e alguns bastante graves. Mas, dá pra tirar de letra rssss
    Existem vários problemas sérios na sociedade australiana que poderiam afetar as nossas famílias aqui. Por isso, mantenho os meus filhos (enquanto posso, pois são novos) perto de uma estrutura familiar que resulta da minha vivência e da do meu marido. E isso não tem nada a ver com estar vivendo aqui ou em outro lugar do mundo.
    Meus filhos são bilíngües, falam português e inglês muito bem, pois queremos que tenham a cultura e ciência q os estão a disposição. Porque queremos que eles tenham uma consciência humanitária e não elitista. Fazemos a nossa parte.
    Não estou falando mal da Austrália, mas expondo tbm realidades que não são tão diferentes assim das de outras sociedades ( não só a brasileira), mas que são pouco percebidas quando viemos de nossos países com aquela mentalidade, comum a todos, de aproveitar as oportunidades, de viver melhor, e não a de dar tbm, de cooperar, de somar com essa sociedade.
    Sempre ouço os brasileiros se referindo a esse país falando do que ganham com ele, bem típico de nossa cultura rsssss.
    Conheço gente, aqui, de tudo quanto é parte do mundo ( o que é bem comum na Austrália), mas o único que mete o pau no seu próprio país e compara o tempo todo, é o brasileiro.
    Não acho que seja o seu caso, caro Jerry, mas realmente, estar sentada numa roda de amigos e ver o seu conterrâneo sentando o sarrafo no seu país ( como se não viesse de lá), na frente de todos os outros não-brasileiros é, realmente, vergonhoso!
    Será que não seria, realmente, essa “falta de educação brasileira” que alguns comentaristas aqui fizeram questão de ressaltar? Ou será que é baixa auto-estima mesmo?! Sei lá!
    De qualquer forma, esta tal ” falta de educação e respeito” está bem representada aqui nos comentários, por brasileiros, que atacam aos outros que fizeram comentários que pensam que o Brasil deveria ser tratado e não desprezado, só porque encontramos a nossa oportunidade de viver bem, na casa dos outros. Mudamos de nacionalidade, moramos na terra dos outros, mas nunca seremos eles.

    Valeu Jerry e esposa do Jerry! Algumas colocações no seu texto são reais (em relação a sociedade Austrália) , mas outras não. Contudo, o que vale aqui é compartilharmos de nossas experiências e informações, não é mesmo! Um abração. Paula.

  185. Adorei o seu texto, e muito do que você comenta é verdade, todavia eu jé tive, como você, oportunidade de morar fora do Brasil, but as you say at the end of text, o Brasil está dentro de mim. Essa é a pior parte e a vejo como uma confissão sua de fracasso, por não ter, ao menos tentado, mudar esse país, que você tanto diz amar, para que seus filhos pudessem ter qualidade de vida e ter seus direitos respeitados, ter cidadania. O que mais me entristece em todos os comentários que vejo sobre o Brasil, escritos ou falados por brasileiros em mídias pelo mundo é que se percebe claramente que o ESPORTE ex-nacional não é o FUTEBOL, mas sim, falar mal do Brasil, sem nada fazer para que essa situações em que nos colocamos possa mudar. Não sei dizer da Austrália, Nova Zelândia ou alguns outros poucos lugares, mas a grande maioria dos países hodiernamente ditos civilizados, já tiveram seus momentos de extrema violência qual vivenciamos hoje no Brasil.

    • Olá Luiz, concordo com você em partes. Mas acho que o maior problema do Brasil não é a violência em si, pois isso tem em todo lugar, mas é a OMISSÃO DO ESTADO. O caos da saúde, da educação e da segurança pública, da corrupção, entre outros… tudo isso é culpa das pessoas que estão no poder e nem se importam com o que realmente está acontecendo. A realidade deles é vista de uma forma diferente da nossa realidade. Mas como já havia comentado, não adianta eu, você e outras pessoas tentarem mudar o país de todas as formas, se o Estado (brasileiro) não está nem aí com a gente? Posso dizer que essas pessoas que tentam mudar o Brasil é apenas “um pequeno pontinho preto num papel em branco”. Eu ainda vivo no Brasil, mas compreendo essa frustração de não conseguirem mudar o país. Todos nós somos órfãos de um país que deixou de cuidar da gente. E mesmo sendo “órfãos”, nunca deixamos de gostar do Brasil.

  186. Lembro uma vez que estava no metrô em Londres em um dia bem chuvoso. Os trens começaram a atrasar. Nunca fui tão empurrado em toda a minha vida. Bastou algo sair do script para o comportamento do inglês ficar igualzinho a um cidadão de qualquer país. Quando Nova Orléans foi destruída em 2005, durou 3 dias a civilização. Após, anarquia, com saques, depredações, roubos. Seres humanos são iguais em qualquer lugar. Coloque-os nas mesmas condições e você verá comportamentos bem parecidos. Ainda acho os brasileiros heróis em muitas situações por conviverem com serviços tão ruins, mas, mesmo assim, ainda conseguimos extrair leite de pedra.

    • Luciano, muito bem colocado! Isso me lembra aquele experimento de sociologia em que pegaram pessoas comuns e colocaram em um ambiente simulado de presos x carcerários. No final os comportamentos ficaram bem parecidos das de situações reais.

  187. Estou há tempos com vontade de ir embora do Brasil. Eu, meu marido e nossa filha. Estamos profundamente decepcionados com muita coisa por aqui. O seu texto iluminou nossas ideias e reforçou essa vontade! Agora estamos mais dispostos a recomeçar em outro lugar, com o objetivo de poder criar melhor a nossa filha, dar a ela uma qualidade de vida e segurança que aqui não é possível! obrigada!

  188. muito bom!
    morei por duas vezes no Canadá, em mONtreal e quase tudo que voce falou é igual ou muito parecido… principalmente no quesito de segurança, qualidade de vida, educação, respeito, salários justos e preços justos…
    sem contar que em montreal o sistema de transporte público é super eficiente e barato!
    abç!

  189. Muito importante é quando chegar na Australia (ou em qualquer canto do mundo) é aprender se vira sem usar o jeitinho brasileiro.Porque fora do Brasil, lendo um texto irado que o Jerry tem a bondade de nos redigir, o entusiasmo fala alto : ‘ nao! Tudo sera diferente, eu vou ser uma ou um cidadã(o) de bem etc…dai, a saudade bate, o dinheiro encurta (ja que nos brasileiros somos ‘otimos’ com las finances) ai começa aquela coçeira de ‘como dar um jeito nisso e aquilo’.Nao basta ter vontade, mas forçar a positiva em cima da negativa e transformar isso em habito, assim como limpar os dentes os fazem saudaveis, cultivar uma mentalidade pura os trara dentro de uma vida saudavel em todos os campos desta.

    Muitos brasileiros nem sabem por exemplo que eh considerado rude escrever tudo em letras maiusculas…o respeito começa por seguir pequenas regras, mas nao somente as grandes.

  190. Gostei do post. Há anos penso em sair do Brasil, mas nunca me decidi. Em 2003 morei no Canadá por 9 meses e já havia viajado pelos EUA antes tb. Hoje acho muito difícil conviver com algumas coisas do Brasil.
    Temos impostos altos (41%) e quase nenhum retorno, crime alto (mais de 50 mil assassinatos por ano e muitos crimes bárbaros/hediondos), corrupção em todos os níveis da sociedade (não que todas as pessoas sejam corruptas, mas é algo cultural), impunidade (a justiça não funciona), nossos legisladores, na maioria são incompetentes (e/ou corruptos), as escolas públicas não são boas (educação no brasil ficou em 58 lugar entre 64 paízes em 2013). Existem muitos motivos para deixar o Brasil. Não consigo imaginar que existam muitos motivos para deixar a Australia. De todos, a segurança é o maior. Sair de casa sabendo que podemos ser sorteados por um assaltante ou assassino, realmente tira a vontade de morar aqui. Andar de bike aqui em Porto Alegre é coisa para os poucos heróis que querem se arriscar e têm mais experiência. Toda semana morre algum ciclista. Pra não falar do PIB per capita.

    Quer dizer, no Brasil, se ganha menos e se paga mais por serviços públicos (ineficientes, e aí têm de se pagar pelos serviços privados tb, quem puder).

    A Australia pode não ser Elysium, mas não dá para comparar com o Brasil.

  191. Olá Jerry, Michele e filhos
    Sinto-me angustiada com o nosso momento atual aqui no Brasil e especialmente em Salvador, onde estamos sofrendo com a greve da polícia .
    A nossa filha mora em Brisbane, onde faz uma Pós graduação na área de Administração e Marketing. Ela pretende se mudar para Sidney.
    Apesar da imensa Saudade, estou muito mais tranquila com ela aí!
    Eu e meu Marido somos Médicos e temos um outro filho que esta finalizando a faculdade de ADM.
    Conheci a Austrália quando a mossa filha estava fazendo intercâmbio.
    Fiquei apaixonada!
    Espero um dia me mudar para esse País Maravilhoso!
    Desejo-lhes muita Saúde,Paz e Alegria de Viver!
    Que Deus abençoe a todos!

  192. Amei seu post. Já algum tempo, eu, meu filho de 17 anos e meu marido estamos pesquisando sobre a Austrália, pois pensamos em um futuro irmos morar em outro país e, desde algum tempo, meu filho interessou-se pela Austrália.
    Você escreve muito bem, e com muita propriedade, expõe a respeito do país que adotou. Obrigada por ajudar-nos, a aqui, do outro lado do mundo, entendermos um pouquinho mais do que é morar aí. Um abraço. Clarice Rodrigues.

  193. É claro que dá pra entender as razões que fazem alguém morar fora do Brasil (eu mesma já fiz isso por 8 anos) mas também é totalmente compreensível entender as razões de quem volta.
    Achei um pouco preconceituosos muitos comentários do texto e uma necessidade exagerada de afirmar a sua decisão de ficar na Austrália. Parece até que os brasileiros que moram fora são mais educados, menos malandros e menos aproveitadores dos que ficaram. Será mesmo que os brasileiros que moram no Brasil abaixam a cabeça para os problemas do país? Será que nós brasileiros que moramos no Brasil não sabemos tratar bem uma empregada doméstica? Não saberíamos pintar uma parede se fosse necessário? Ou limpar a própria casa? Até parece que morar no Brasil emburrece as pessoas e as torna aproveitadoras e preguiçosas.
    Ok, qualidade de vida tem a ver com segurança e saúde. Mas também tem a ver com pessoas. Pra mim, que decidi voltar, de nada adiantava ter segurança se não tinha família. De nada adiantava ter atendimento médico gratuito se não participava de momentos marcantes da vida das pessoas que mais gostava. Pra mim, qualidade de vida e´estar perto da minha família, é estar aqui quando meus pais envelhecerem e precisarem de mim, é saber que uma amiga ganhou bebê e eu poder visitá-la no dia seguinte sem precisar organizar uma mega viagem, é poder comemorar e dar um ombro amigo (não virtual) quando necessário… Isso me faz aceitar a diferença social que há no Brasil? Não. Isso me faz não saber viver sem empregada? Não. Isso me faz tratar mal a minha faxineira? Não.
    E também é uma ilusão achar que eles não precisam de empregadas e babás pois, atire a primeira pedra qual brasileira recém chegada no exterior não trabalhou de babá ou de faxineira? E não teve carteira assinada nem nenhum benefício? Pois é.
    Então, acredito que seja interessante, principalmente pra quem está na Austrália, reafirmar as razões dessa escolha, mas não me venha esculhambar as pessoas que não tomaram a mesma decisão com se fossem “aproveitadoras, preconceituosas, preguiçosas e dependentes”, pois existem pessoas aqui que lutam sim diariamente para tornar o Brasil um pouco melhor.
    Não há problema em decidir morar na Austrália porque você pode usar seu MacBook Air no ônibus sem medo de ser assaltado, assim como não há problema em ficar no Brasil por acreditar que sair não é a solução. Afinal, familiares e amigos continuam aqui e há gerações que estão por vir, então seria egoísta da minha parte não pensar que o que eu faço hoje pode contribuir um pouco para que o mundo (todo) seja diferente. Não só o meu umbigo.

  194. Amigo, parabéns pelo seu post.

    Moro aqui em Santa Catarina e sou Analista e Desenvolvedor de Sistemas. Queria saber se tem possibilidade de conseguir um emprego por aí e quanto paga. Tenho 02 filhos e me preocupa a questão do custo de vida. Também queria uma indicação sobre um curso de inglês.

  195. A grande diferença da Australia para o Brasil é que a Australia foi colonizada por ingleses e o Brasil foi colonizado por portugueses , e portugueses deliquentes que fizeram algo errado em Portugal e como castigo eram enviados para o Brasil. Tudo começou errado, para consertar será dificil , 514 anos já se passaram, e tá dificil acertar.

  196. Parabéns pelo texto. Sou jovem, mas desde cedo conservo uma certa paixão pela Austrália. Ainda sou meio desconfiado. Amo o Brasil e estou ciente dos problemas daqui, como cidadão também passo por cada um deles todos os dias. Falo que, afora o Brasil, a Austrália seria o único lugar em que poderia cogitar viver permanentemente. Mesmo assim, não sou tão deslumbrado acerca de alguns pontos relativos ao texto. É de conhecimento comum que os países de tradição inglesa são geralmente bem separatistas etnicamente falando. Logo, duvido que a integração do imigrante latino-americano seja tão fácil. De qualquer forma, o texto está ótimo. Parabéns novamente.

  197. Oi, Jerry.

    Muito legal seu texto e realmente a experiência de quem volta tem muito disso aí. Eu quando voltei senti principalmente a questão da falta do respeito com o próximo no Brasil. A gente tem essa coisa latina passional e acaba sendo muito grosso às vezes. Tinha me desacostumado com isso.

    No entanto, preciso discordar de uma coisa. “Aqui você não é julgado pela sua cor ou pelo dinheiro que tem. Preconceito, existe sim, mas são casos isolados.” Os australianos são conhecidos – não só por eles mesmos, se você perguntar – mas fora da Austrália por serem extremamente racistas. Não foi pouco que eu vi australianos fazendo piadas pejorativas com chineses, indianos, aborígenes. Só o horror que eles tem a refugiados já delata. Talvez você tenha dado sorte. Já li bastante sobre o racismo australiano em artigos daí e recomendo que você faça o mesmo, é assustador. Acho inclusive que mereceria um post aqui.

    Na minha opinião, o racismo australiano é do tamanho do brasileiro, mas no Brasil ele é velado na forma de “preconceito contra pobre” e na Austrália ele disfarçado de “preconceito contra estrangeiro”, fora o preconceito e descaso com os povos indígenas. No supermercado mesmo você encontra tudo como “PROUDLY AUSTRALIAN MADE”, porque a idéia é que o que é importado é necessariamente pior. Enfim, é algo a se analisar com cuidado.

    abraço!

  198. Olá Jerry, eu e minha família estamos namorando já há algum tempo nossa mudança. O processo está em andamento. Recentemente li um post de autoria australiana que me intrigou, à respeito de pessoas deixando o país. Gostaria de saber sua opinião. Eis o link Abraço!

  199. Muito bem explicado a diferença entre 1º MUNDO e todo Brasil. o senhor sabe descrever a paixao

    por pais natal e a educação aliada a cortesia no MUNDO civilizado. Muito obrigado e bem aja amigo

  200. Fala Jerry! Tudo bem?

    Lembrei desse seu post ao ler essa matéria da globo.com publicada em 10/07/14 “Aplaudir pôr do sol, abraçar… Veja o que surpreendeu os estrangeiros – Turistas que vieram para a Copa listam o que acharam mais surpreendente.”

    Um Americano disse o seguinte:

    “- Achei estranho ver que muitas famílias de classe média têm empregadas domésticas. Nos EUA, só os ricos têm. Fiquei um pouco desconfortável de ver que uma estranha ia fazer minha cama, lavar minha roupa ou preparar meu café da manhã.”

    Me veio na hora esse seu post na cabeça hehehehehehehehe

    Link da matéria completa: http://g1.globo.com/turismo-e-viagem/noticia/2014/07/aplaudir-por-do-sol-abracar-veja-o-que-surpreendeu-os-estrangeiros.html

    Abraços!

  201. Olá, Jerry!
    Bela publicação! Lendo ela, me identifiquei muito, pois tudo que almejo é uma qualidade de vida melhor para meus filhos. Estou muito desejoso de ir embora desse país, sendo os três países que tenho desejo de ir é EUA, Canadá e o que você vive. Gostaria, se possível, de um conselho seu! Minha esposa é graduada em Enfermagem e eu possuo o ensino médio, você acha difícil tentar a vida aí! Minha esposa tem 25 anos, eu 33 e meus filhos 3 anos e outro 7 meses.
    Obrigado! Que Deus continue derramando suas bençãos sobre você e sua família!
    P.S.: Se puder responder no e-mail.

  202. Olá Jerry!

    Obrigado por sua dedicação em compartilhar suas experiências, ajudando-nos com tantas questões que envolve o sonho que é a Austrália. …
    Tenho um grande amigo que é deficiente visual; e gostaria muito de saber [ se tiver algum relato] como é a questão do deficiente que quer ir para a Austrália.
    No caso do meu amigo, ele tem formação superior, é funcionário público, é jovem e produtivo. Gostaria de saber se é o caminho é muito mais difícil, por ser deficiente.

    Abraço!

  203. Oi,
    Estou morando no Brasil com meu esposo. Somos recém casados e estamos pensando em morar na Australia. Sou advogada e claro vou ter problemas com minha profissão, já meu esposo também é de TI. Nossa maior preocupação é com o trabalho, ambos temos nível superior, mas acredito que ai, é bem diferente, pesquisei muito mais ainda fico com medo, o que você me aconselha a fazer, ir dar um passeio por aí talvez? Obrigado pelo post, me animou muito o fato de poder ter uma vida mais saudável, principalmente conosco que queremos ter filhos e poder criá-los de uma forma mais “saudável”. Obrigado mais uma vez

  204. Cara, maravilhoso relato! Eu sempre tive muita vontade de morar fora do Brasil, e tive muito interesse pela Austrália. Tenho que dizer que lendo esse seu relato e outros relatos, essa vontade vem crescendo cada vez mais e espero que ela se torne realidade em um futuro próximo. Sou novo, tenho 26 anos de idade, tenho muita vontade de ir pra aí e se tudo der certo irei. Obrigado pela ótima leitura, parabéns, obrigado!

  205. Muito parabéns Jerry! Seu post me inspira!

    Eu sou morador de Sampa City a 36 anos (sou de Fortaleza/CE e já morei no sertão da Bahia) mas hoje eu tenho 1.000% de certeza que o Brasil não é o meu lugar! Sim com certeza o problema e a solução do Brasil é o povo, povo explorado e malandro, honesto e ladrão! Difícil viver em um pais assim….!
    Nos últimos anos com o agravamento da violência (vou contar um pouco da minha experiencia), tive dois carros furtados em um espaço de um ano, uma bike furtada, tive a minha moto roubada a mão armada na frente do meu trampo, meu smartphone furtado dentro do meu estabelecimento de trabalho (sou um micro empresario da dança), minha mulher foi roubada e apanhou de dois ladrões a menos de 50 metros da 1ªDP de SP, e por ultimo tentaram entrar na casa da minha sogra! Fora outras coisa que me tira o sono de fato, moro em um lugar que em uma esquina tem uma cracolândia, e na outra uma biqueira, e tem etc, etc, etc…..(uma biblia não caberia os inúmeros problemas desta terra tupiniquim) não da mais!
    Se tudo der certo o ano que vem estarei morando em outro pais mais civilizado de verdade, quero um futuro melhor pra minha família, quem sabe estar morando no Brasil que deu certo, mas ele fica do outro lado do mundo! Sucesso!

  206. Meus Parabéns, ótimo texto,muito bem escrito.
    Estou indo para a Austrália em breve, e este texto me motivou ainda mais.
    Por um Brasil melhor, que Deus nos abençõe
    Abraços

  207. Caro Jerry, parabéns pelo site e pelo blog. Talvez vc tenha o melhor que eu já li sobre a AU, tudo ilustrado de forma a dar conteúdo do texto. Saudosista, de vez em quando eu procuro coisas sobre esse aquele País. Dessa vez, encontrei vc que fala do que conhece e entende, principalmente para os brasileiros que não têm a noção do que seja viver a vida em um país civilizado.
    Fui pra AU em 2009 e morei na maior parte do tempo em Brisbane. Tive de voltar, mas a saudade da Austrália nunca me deixa. Morei num apê com brasileiros, em backpackers hostels, mas tive a sorte de, na primeira, encontrar uma homestay nativa super bacana, que me mostrou muito da AU, das famílias, do povo e das festas e dos costumes australianos durante os meses em que estive na casa dela. Lá eu morava e comia muito bem. Como brasileiro acostumado com o sol, belas paisagens e terras férteis, na AU apaixonei-me, definitivamente, foi pela civilidade, educação e respeito às pessoas, o que está presente até nos pequenos detalhes das construções públicas e privadas.
    Vc descreve muito bem o País, e coloca com muita felicidade suas impressões sobre a AU, e de como a AU impressiona a nós tupiniquins que lá chegamos. Eu sei do que vc está falando. Seus ótimos textos e fotos me proporcionaram momentos de muita alegria, pois me fizeram reviver um tempo maravilhoso no meu sonho de País pra viver.
    Sobre isso, e pra terminar, transcrevo um trecho que coletei de um outro blogger que fala sobre a AU e de algo que me parece improvável que, um dia, os brasileiros venham a conhecer:
    “Aprendi muito nesse período. Conheci como é possível uma sociedade funcionar com seriedade, como é possível ter líderes competentes à frente de uma cidade e de um país. Vi como um planejamento eficiente e sério constrói um projeto vitorioso de um país e forma uma população educada e com um alto nível de consciência cidadã, inclusive em seus valores”.
    Parabéns de novo Jerry, não somente pelo site, mas também pela AU.

  208. Em relação ao que você citou sobre empregadas, eu concordo que no Brasil muitos de nós não são ensinados desde criança a limpar e organizar a própria casa. Mas acho que qualquer comparação que a gente faz entre dois países, há muitos fatores que devem ser levados em conta. Conheço muuuuita gente que aqui trabalha de 7 da manha as 7…8 da noite, pega ônibus lotado pra voltar pra casa e nesse calor, chega um bagaço em casa. Muitos ainda chegam, cuidam das crianças, fazem janta e lavam roupa. Agora na Australia a qualidade de vida e de trabalho é muuuuito diferente. Vi um video no youtube dos australianos saindo 5 da tarde do trabalho, numa das avenidas mais movimentadas de Sydney, muitos com a roupa do trabaho ainda mas de chinelo, com mochila pra ir fazer algum esporte, biquine por baixo… Saem do trabalho as 5 da tarde, poe um chinelo e pega um ônibus rápido e decente…na Australia se dá valor a qualidade de vida e o governo investe nisso! Aí fica de boa arrumar casa com essa qualidade toda, né, amigo? Mas no geral, o comentário que vc fez é valido, pq muitos sao folgados mesmo, mas acho que pra comentar algo assim nao se deve ser tao sucinto, sei la..De qlqr forma gosto do blog rss um beijo!

  209. Jerry, boa noite queridão!
    Sou brasileiro, moro em SP…
    Estou querendo ir embora para a Austrália…também sou evangélico e gostaria de ir para Sydney e participar da Hillsong Church!
    Você tem alguma dica que possa me dar?

    Abração, Deus te abençoe…

  210. Ola jerry…
    Amei o seu post.
    Eu sou enfermeira e meu noivo é engenheiro elétrico.
    Estamos pensando em 2016 mudar para Australia, e queríamos conversar mais sobre isto pois não temos nem ideia de onde começar, será que poderia nos ajudar?
    vc tem e-mail?

  211. Muito bom seu texto amigo!
    Sou da área de TI também e em Jun/2015 pretendo começar minha vida na Austrália, vejo seu texto como meu futuro, pretendo inicialmente ir para estudar e aprimorar meu Ingles, quero estudar muito, fazer faculdade, cursos e tudo que for possivel para conseguir um visto de residente e ficar pela Austrália, gosto do Brasil, mas nao tem mais como viver neste país, está cada vez pior !

    Abs.

  212. Olá Michelli e Jery gostei muito de tudo que o seu esposo escreveu sobre o país que vocês residem hoje,tem vários empregos ai na Austrália ,sou estudante de pedagogia estou indo para o 7° período e termino a minha faculdade esse ano de 2015….gostaria que vc michelli me ligasse….gostaria de uma oportunidade de emprego,tenho 30 anos e me formo em 2015 da aria de educação escolar o meu telefone é 27999128768.O meu email é manunascdeusefiel@hotmail.com

  213. Ótimo testo, isso só aumento minha vontade de morar na Austrália, quem dera eu ter essa oportunidade de poder trabalhar e pagar imposto sabendo que minha família vai ter segurança e saúde publica de qualidade…
    Por enquanto que não tenho a oportunidade fico por aqui.
    Cara parabéns pelo texto que deus abençoe você e sua família que possam cada vez crescerem mais…. forte abraço.

  214. Não era eu estar lendo seu post. Nem sabia que você existia. Confesso que não li muito, pois é tarde da noite. Mas muitas coisas me instigou a sonhar outra vez com uma vida de qualidade no exterior. Meu sonho sempre foi o american way of life. Mas o visto e as dificuldades impostas pela imigração me fizeram desistir. E o casamento e uma filha me fizeram acalmar por aqui.
    E neste momento que li seu texto ouvindo Stronger, Hillsong, eu sei que na força que vem do Eterno Deus eu vou poder dar uma virada em minha vida e poderei proporcionar uma vida com melhor qualidade para minha família. Quem sabe na Austrália!
    Ame muito sua família, pois família é projeto de Deus!
    Felicidades!

  215. Fiquei impressionada com seu texto, achei super empolgante. Eu e meu namorado estamos indo pra austrália no segundo semestre desse ano, mais pra mim esta sendo muito difícil em relação aos meus pais, agente é muito apegado e a cada dia que se aproxima da viagem um pedaço de mim fica triste por deixar eles aqui, apesar que sera 6 meses, mais depois desse seu post acredito que viemos ao brasil só para visita-los e depois voltar pra Austrália. Confesso que tem dias que penso em desistir por causa deles, mais hoje vendo todas essas informações me empolgou novamente.

    encontrei aqui nessa paginas vários brasileiros que vivem na Austrália, pessoal eu queria saber sobre o inglês, foi fácil a adaptação? só estou com medo em relação a isso!!

  216. parabéns pelo seu texto ! acredito que esse texto inspira muitos jovens como eu a planejar ou idealizar esse projeto de vida sensacional ! excelente !!

  217. Este post foi sensacional, obvio que sempre é uma opinião sua e quem se identificar, se identificou e quem não, não.
    Neste post foi legal que eu vi a perspectiva de uma pessoa que mora a anos na Australia e sabe dizer os dois lados da faca.
    Brasil x Australia.
    Postos fortes e fracos de ambos, e não apenas ilude dizendo apenas as coisas boas da Australia.

    Estou gostando muito deste blog, parabéns!

  218. Olá tudo bem?
    Li esse texto e achei ele lindo bem verdadeiro, eu estou me programando para ir para a Austrália .
    Sinceramente, não aguento mais o Brasil, a falta de respeito,segurança , saúde, agora que estamos em crise tive que trancar a faculdade, não consigo arrumar emprego , tive minha coisas roubadaS( cops) e a única coisa que conseguir sentir foi a incapacidade estar de mãos atadas sem poder fazer absolutamente nada ! Saiu nas ruas com medo, não temos oportunidade nada ! Cansei de ser tratada dessa forma aqui viver para ostentar a vida dos políticos Cada coisa que vemos que desanima mais e mais, sinceramente estou decepcionada tão decepcionada que não faço mais questão de morar aqui , e não sou só eu , acho q amor pelo Brasil eu nem sinto mais, as maravilhas os lugares lindos que tem aqui , não sei pq é mais caro viajar no meu próprio pais do pra fora ! Me desculpe mas meu patriotismo foi roubado! Entendi totalmente a frase que se refere a todos têm um potencial de ser ladrão pq é assim q me sinto quando sai na rua. ! Enfim um desabafo e seu blog é muito bom não vejo a hora de ir pra i , obrigada

  219. Oi Jerry, parabéns pelo seu texto, muito bem escrito e é exatamente essa a visão de quem vai para um país de primeiro mundo, não tem como não amar né.
    Clarooo que todos países tem seus probleminhas, nenhum foi considerado um paraíso até hoje, mas me incomoda muito verem pessoas nos comentários defendendo o Brasil e morando no exterior, acho muita graça, só digo uma coisa: “Venham embora! Venham morar no Brasil, se é tão bom assim”
    Ninguém que tenha morado fora (a não ser que for México ou Paraguay ou algum país com qualidade inferior ao Brasil) se acostuma a morar aqui novamente. Eu já morei fora e estou indo embora novamente, pois o Brasil só é bom de belezas naturais, povo mal educado e corrupto, é cultural, acredito que nunca mudará.

    • Sim, há evangélicos na Austrália. Pesquise no You Tube sobre o grupo de música cristã chamado Hillsong. Eles são de Sydney, e são conhecidos no mundo inteiro. Valeu

  220. Fiz intercâmbio na Austrália, morei em Brisbane a a maior parte do que vc diz no texto é verdade.
    Sinto uma saudade imensa de sair despreocupado de madrugada no centro da cidade. Aqui, fico tenso do momento que saio de casa até a hora que volto. Sem falar do lazer, a vida na Austrália é pública e ao ar livre, muito diferente daqui…
    Só não concordo com vc quanto ao preconceito… Fui maltratado por australianos e tive amigos asiáticos hostilizados também. Eles parecem crianças mimadas, são meio de lua. Alguns dias, tratam a gente muito bem; outros, não querem te ver nem pintado. Obviamente, a maior parte dos australianos não me trataram mal, só acho que os casos de preconceito não sejam tão isolados assim. Acho que ser australiano é excelente, mas ser um brasileiro na Austrália, não. Claro que isso é opinião minha, conheci brasileiros muito bem adaptados ao estilo aussie.

    Parabéns pelo texto.

  221. Tenho 31 anos, e sempre tiveo sonho de viver em outro país, e agora decidir com minha família viver em Melbourne! Sou casada e tenho três filhos menores, estou buscando o máximo de informações possíveis.
    Achei seu blog e amei todas as matérias que consegui visualizar, apaixonada pelos artigos. Parabéns pelo blg também, estou orando para que deus me direcione. Deus abençoe sua vida e sua família, me inclua no zap se puder.
    Ansiosa aguardando novos artigos

  222. No meu caso, o Brasil que eu amo é o Brasil que eu vivi, em outra época em que eu também era outro. É como um casal casado por anos que não se separam, mas passam a dormir em quartos separados na mesma casa e que já não tem mais tanto a ver um com o outro. Ficam na esperança que um dia as coisas melhorem ou um dia se separem.

  223. Amei seu post….Amei a Austrália.
    Meu sonho é ir trabalhar neste pais…como baba..empacotadora. camareira etc…sei que tenho duas primas neste país, mas não sei o nomes delas…
    Sou da família Bessa da cidade de Guanhães, Acesita, Amazonas, São Paulo, Amazonas…tenho muitos tios, sou filha de Pedro Oliveira Bessa , eu moro em Nova Lima, estado de Minas Gerais.
    Gente, me ajudem ir para Austrália…help…
    sou honesta, guardo segredos dos outros…caprichosa..
    MARIA CLARA BESSA

  224. Exelente Jerry Strazzeri! Me chamo Pedro e estou me programando para ir passar um tempo na austrália, não tem um dia que eu não acorde com isso no meu coração, tenho 19 anos e curso Educação física aqui no brasil, tenho alguns amigos ai, e esse r sonho não tem haver comigo, mas sim com Jesus, pode parecer besteira, mais o maior motivo de sonhar com a australia é pelo fato de poder fazer o Hillsong College, sou líder cristão aqui no Brasil na minha igreja local e quero poder viver isso ai intensamente me qualificar e voltar para equipar minha igreja, estou orando e entregando nas mãos de Deus, me programando e em alguns poucos anos se Ele me permitir estarei ai, Obrigado pelas suas publicações, lhe acompanho bastante e sou muito inspirado por tudo que você coloca sobre a Austrália. abraço.

LEAVE A REPLY