Connect with us

Brazil Australia – Estudar e Trabalhar na Austrália

Como Vencer na Austrália

Dicas

Como Vencer na Austrália

Não precisa pensar muito para chegar a conclusão do que é necessário para vencer na vida. Estudar bastante, se dedicar, ser honesto, respeitar os outros, trabalhar e por ai vai. Para vencer na Austrália não é muito diferente, mas existem alguns pontos aparentemente sem muita importância que no final acabam fazendo toda diferença em como será a vida da pessoa aqui.

Como Vencer na Austrália

Nestes quase 6 anos de Austrália conheci muita gente (Muita mesmo, acho que mais do que conheci minha vida toda) e vi e ouvi todo tipo de história que se fosse colocar aqui no blog seria assunto para mais 300 posts, isso se eu selecionar apenas os mais interessantes. Baseado nestas histórias que vi e vejo todos os dias dá para ver a diferença na vida daqueles que chegaram aqui e venceram ou estão vencendo e na vida daqueles que pelo menos jogaram muitos anos de suas vidas fora. Baseado nesta análise segue abaixo alguns dos principais fatores que fazem alguém vencer na Austrália.

Mais uma vez meu foco é em estudantes que chegam aqui e não em residentes. Isso por que a maioria dos que chegam aqui como residentes ou no visto de trabalho já estão com a vida encaminhada, enquanto a maioria dos estudantes ainda está decidindo o que fazer da vida ou tomando um novo rumo.

Guarde a Sobremesa para o Final

A Austrália é um país muito legal e com muitas coisas divertidas para se fazer. Não é só isso, trabalhando bastante é possível ter um padrão de vida que lhe permita sair aos finais de semana, curtir e até viajar de vez em quando. Contudo 90% das pessoas que decidem chegar aqui e aproveitar as coisas que a Austrália oferece são exatamente aqueles que não as vão aproveitar por muito tempo. Sim, isso por que a vida passa e na Austrália parece que passa mais rápido. Tinha uma amiga que chegou aqui com 26 anos, cheia de planos e deslumbrada por tudo aqui e voltou para o Brasil com 31, um inglês mais ou menos e um diploma de um curso que não serve para absolutamente nada. Assim como ela muitos brasileiros seguem o mesmo caminho.

O ideal é pegar os primeiros anos de Austrália (e isso pode significar 3, 4, 5 anos) e se dedicar para conseguir algo melhor da vida. Trabalhar bastante para juntar dinheiro para estudar, fazer uma boa faculdade, pós graduação ou algo que vá lhe ajudar profissionalmente. É impossível fazer isso e curtir a vida, primeiro por que as boas faculdades aqui são muito puxadas e suas notas na faculdade vão influenciar bastante seu ingresso no mercado de trabalho aqui. Uma pessoa que estuda na faculdade do Zé e passa em cima da média tem muito menos chances e oportunidades do que um cara que estudou em uma boa faculdade e sempre teve notas altas. Para um recém-formado, as primeiras empresas para as quais ele aplicar para uma vaga (levando em conta mais empresas médias ou grandes) vão pedir para ver os scores. A maioria nem vai pedir, pois os melhores alunos já são procurados por grandes empresas pouco antes de se formarem.

Um casal, um dos nossos melhores amigos aqui, fez exatamente isso. Chegaram aqui e logo começaram a ver como aplicar para a residência. Juntaram dinheiro, se inscreveram em uma faculdade em um cursos que estava na lista de prioridade do DIAC e 4 anos depois estavam formados e com o visto de residência. Hoje já estão virando cidadãos australianos, possuem um excelente padrão de vida e poderiam até aproveitar a vida, mas foram além. Ele decidiu fazer outra faculdade e está novamente estudando, desta vez com um mega desconto que o governo dá para quem é residente australiano.

Assim como eles vi outras pessoas (a maioria casais) fazerem o mesmo aqui. Uma grande vantagem dos casais em relação aos solteiros neste caso é que na maioria das vezes eles sentem uma certa responsabilidade maior por serem um casal e acabam se dedicando mais aos planos e sonhos que tem aqui.

Detsa forma, aproveite a Austrália, bastante, mas faça isso depois que você conquistar seus sonhos aqui.

Cuidado com Quem Você Anda

Neste quesito posso dizer que fui bastante abençoado. Logo que chegamos aqui fizemos amigos que tinham um lifestyle bastante diferente do da maioria dos brasileiros aqui. Trabalhavam em suas áreas, a maioria já era residente ou cidadão ou estava se dedicando para isso. Isso por si só já nos fez nos preocupar cada vez mais em nos estabelecer e estabilizar aqui. Não que tenhamos deixado de aproveitar, mas certamente vivíamos uma vida bastante diferente da maioria dos outros estudantes aqui.

Quando você anda com gente que não quer nada da vida você não somente tende a fazer as mesmas coisas, mas pior, tende a achar que você já faz o bastante. Por exemplo. Se a pessoa faz um curso que não serve pra nada e seus amigos não fazem absolutamente nada, a pessoa já acha que está fazendo mais do que a maioria. Ela acaba sendo limitada pelo comportamento do grupo.

Se esta mesma pessoa tiver ideais e começar a andar com pessoas que a impulsionam a buscar mais, ela naturalmente irá começar a querer atingir outras metas.

Porém a maioria dos estudantes brasileiros que chegam aqui, não importa a idade, querem apenas sair para beber, ir para balada ao final de semana, viajar, ir pra praia, conhecer novas pessoas e curtir a vida e fazem isso por 3, 4, 5 até 10 anos como eu já vi aqui sem conquistar nada na vida.

Outro dia conheci um cara de uns 37 anos que estava aqui desde os 26 e não tinha feito absolutamente nada. Já tinha se formado em uns 3 cursos técnicos que não serviam pra nada, não tinha condições de aplicar para residência, mas mesmo assim ainda era figura carimbada em todas as festas e churrascos brasileiros. Assim como ele vejo muitos brasileiros que estão aqui há 3, 4 anos indo para o mesmo caminho e “coincidentemente” são as pessoas que estão sempre andando juntos.

Muitas pessoas que estão aqui com a residência não tem nada na cabeça e vivem este lifestyle. Se você se juntar a eles em pouco tempo estará obtendo o mesmo resultado e vai acordar depois dos 30 anos de idade pensando no que fazer da sua vida.

Procure andar com pessoas que vão lhe motivar a crescer e atingir seus objetivos.

Deus Abençoe os “Doers”

Uma vez ouvi uma pregação na Hillsong que se chamava “God Bless the Doers”, ou seja, Deus abençoa aqueles que fazem.

Uma conhecida nossa chegou aqui na Austrália com 28 anos de idade cheia de planos. Ia estudar pra caramba, trabalhar mais ainda, fazer uma faculdade, pegar a residência, arrumar um emprego na área, trabalhar ainda mais, comprar uma casa, conhecer um cara legal, se casar… UFA..

Ela estava cheia de planos nobres… que duraram uma semana. Na semana seguinte já estava saindo todos os finais de semana, estudando mais ou menos no curso de inglês, depois desistiu de faze ra faculdade (Não tinha condições para isso), fez mais um curso que não serve pra nada, engravidou de um australiano casado, destruiu uma família e de tabela sua própria vida. Hoje com 34 continua com a cabeça cheia dos mesmos planos e nenhuma atitude.

Isso por que sonhar é lindo, mas colocar o sonho em prática é extremamente desgastante. Ontem à tarde estava um dia lindo aqui em Sydney e um amigo nos convidou para ir à praia. Já tinha descansado no sábado e domingo e na segunda (feriado aqui) não tinha jeito, eu tinha que estudar. Passamos o dia inteiro estudando. Às 10 da noite parei enquanto a Michelle continuou estudando até a 1 da manhã. Isso por que já somos cidadãos australianos, temos nosso trabalho e nossa vida caminhando aqui. Dois dias antes convidei este casal de amigos mencionado acima para uma volta na praia e eles estavam estudando.

Se você passar na sala de estudos da UNSW, Macquarie university, ou qualquer outra boa universidade aqui de Sydney sábado à noite vai encontrar a sala de estudos lotada. Isso que a maioria dos estudantes ali chega da Ásia com tudo pago pelos pais, imagina então quem precisa trabalhar.

Lembro-me que no meu primeiro dia de faculdade aqui tivemos uma palestra com uma menina sueca que estava no último ano e foi lá ensinar como fazer trabalho de faculdade. Ela passava todos os dias, de segunda à sábado após às aulas trancada na biblioteca até às 9 da noite estudando. Achei exagero até começar a notar que isso é bastante comum para aqueles que se destacam aqui.

99% dos brasileiros que me contactam tem milhares de planos. Vão chegar aqui e se dedicar bastante, estudar, trabalhar e começar a planejar seu futuro aqui. 90% destes (sem exagero nenhum) não mantém o discurso depois do terceiro mês. Ou pior, até mantém o discurso, mas não fazem nada para conseguí-lo.

A vida na Austrália é dura. Eu nunca, NUNCA, vi alguém que chegou aqui sem muito suporte que conseguiu qualquer coisa sem ralar absurdamente. Não tem como. De alguns tenho até dó. Tem cara que trabalhar o dia inteiro na obra para juntar dinheiro para a esposa fazer uma faculdade e a esposa trabalha o dia inteiro em cafés, restaurantes e ainda faz faculdade em tempo integral. Alguns fazem isso e ainda tem um filho para cuidar.

Quem vem pra cá e acaba caindo na tentação da vida fácil (e vale lembrar que nem a vida de quem vai pra balada todo final de semana, sai, etc é fácil aqui), acaba obtendo resultados muito piores do que seus amigos que ficaram no Brasil, por pior que seja as condições que eles tenham. Isso por que a maioria das pessoas que acaba ficando no Brasil, em 4, 5 anos já estudaram, estão no mercado de trabalho e naturalmente com o tempo vão obtendo resultados.

Valorize o Brasil.

Esta semana estava conversando com uma pessoa que veio aqui fazer um pós-doutorado na área de saúde. Perguntei o que ele estava achando da Austrália e ele me disse que achou bem legal, mas não via esta diferença toda que falam para o Brasil. Disse ainda que o Brasil tinha um grande potencial e corrigindo as coisas certas poderia crescer ainda mais.

Uma coisa que notei desde que cheguei aqui é que pessoas com menos cultura e mais insatisfeitas com a própria vida vivem reclamando do Brasil, enquanto pessoas com mais educação e satisfeitas tendem a valorizar bastante o Brasil e não se deslumbrar com coisas simples.

Isso acontece por que pessoas com menos cultura tem uma visão mais limitada. Eles não entendem aspectos econômicos e sociais, para eles o país é ruim por que pegaram trânsito na Marginal Tietê e por que o filho do dono da padaria foi assaltado outro dia. Eles conseguem ver apenas até onde a sua vista alcança. Já pessoas com mais educação e inteligentes tendem a olhar tudo globalmente. Eles avaliam diversos aspectos antes de chegar a uma conclusão, mesmo por que sua formação acadêmica e social os condicionou a analisar tudo desta maneira.

Uma coisa engraçada é que a quase totalidade das pessoas que me escreve ou que conheço que reclamam do Brasil sempre mencionam o sistema de saúde. Isso é feito sem o menor conhecimento de causa por três motivos.

Primeiro que a maioria nunca usou o sistema público de saúde no Brasil, depois que a maioria pertence à classe média/alta no Brasil e possuem planos de saúde, e por último desconhecem totalmente o sistema de saúde na Austrália, Estados Unidos, etc.

Não vou nem entrar na questão do SUS que é um dos melhores sistemas de saúde existentes que atende grande parte da população, pois precisaria de uns 3 posts para discutir o assunto, mas vamos – como a maioria gosta – localizar nossa análise para a esfera pessoal.

A maioria dos brasileiros que vem para a Austrália pertencem à classe média e possuem plano de saúde. Pagam uma mensalidade e tem acesso à exames, consultas, hospitais, etc. No Brasil eu tive que ir para o hospital uma vez, fiquei internado uma semana num dos melhores hospitais de São Paulo, tive um quarto privado, atendimento excelente, vários médicos vindo me examinar e depois de uma semana sai do hospital sem pagar um centavo. O mesmo vale pelas diversas vezes que fui à médicos, fiz exames, fisioterapia e outros tratamentos.

Aqui na Austrália possuo o Medicare, que é o sistema público de saúde. Além disso sou meio que “obrigado” a possuir um plano de saúde privado, do qual escolhi um plano bom e consequentemente caro.

Contudo o plano de saúde aqui não cobre consultas, exames, etc e muito menos o Medicare os cobre integralmente. Desta forma toda vez que vou à um médico fazer uma consulta tenho que primeiro passar por um GP que me cobra cerca de 80 dólares pela consulta. Destes o Medicare me reembolsa $34. Depois sou encaminhado à um especialista que me cobra $250,00 dólares pela consulta. Destes o Medicare me reembolsa cerca de $70 dólares. O especialista pede uma série de exames que custam cerca de $300,00 dólares dos quais tenho uns $100 dólares de reembolso do medicare.

No final das contas, mesmo tendo plano de saúde privado, mesmo tendo o Medicare, uma consulta e alguns exames simples acabam me custando $426,00 dólares enquanto tendo plano de saúde particular no Brasil, dependendo da cobertura, não gastaria nada.

Agora, quem está aqui como residente pode sugerir que eu vá à um médico Bulk Billing, ou seja, um GP que vai me atender e não terei que pagar extras.

Ai entra um outro ponto. Uma grande parte dos médicos aqui na Austrália são MUITOOOOO ruins. Muito mesmo. Cometem vários erros, pedem exames que não precisam, e na maioria das vezes vão mandar você tomar um panadol para seu pescoço quebrado. Desta forma, para não piorar ainda mais nem me frustrar, sempre que preciso ir ao médico consulto um amigo brasileiro que trabalha na área de saúde aqui e conhece quem são os bons médicos (pois ele trabalha com eles diariamente) e me indica quais são os médicos de confiança com os quais tenho menos possibilidade de ter problemas. Só que estes médicos naturalmente são mais caros.

Tenho uma amiga que precisou fazer uma operação recentemente e mesmo sendo cidadã australiana pegou um voo e foi operar no Brasil. Depois faço um post com mais detalhes sobre o sistema de saúde.

Resumo da ópera, não critique ou valorize nada sem total conhecimento de causa.

Outro ponto importante é não criticar o brasil para australianos e pessoas de outra nacionalidade. Se eu falo que na casa onde eu moro só tem gente porca e mal educada eu não posso esperar que os outros venham achar diferente de mim.

Mais Razão, Menos Emoção.

Amor… Vamos largar tudo e ir para a Austrália? Esta é a iniciativa mais comum de muitos casais que vem para cá. E ai, não adianta eles lerem milhares de posts, pegarem milhares de informações, no final sempre vão fazer a primeira coisa que der na cabeça.

Para vir para a Austrália é preciso planejamento. O que você vai fazer aqui? Vai chegar como estudante e tentar arrumar um emprego na área a esmo? Vai tentar a sorte? Ou vai vir com um planejamento?

Não adianta chegar aqui esperando o melhor. Pelo contrário, é preciso torcer pelo melhor, mas estar preparado para o pior. E se você não conseguir um emprego na área? E se você não conseguir fazer aquela faculdade? E se você não conseguir aplicar para a residência?

O relógio não para enquanto você estiver aqui. Como eles costumam dizer em inglês, You are not getting any younger.

Semana passada recebi uma mensagem de despedida de um casal que conheci aqui. Eles tinham por volta dos 30 anos. Ela estava estudando em uma das melhores escolas de culinária da Austrália e ele tentando desde que chegou um emprego na sua área (TI). Tentei ajudá-lo, mas o mercado aqui é sempre imprevisível. Acho que eles ficaram aqui um ano e agora decidiram voltar ao Brasil. Eu tive contato com este cara por um tempo e ele do primeiro dia ao último aqui tentou todos os dias um emprego na área sem sucesso. Isso que ele trabalhava em uma área em demanda e tinha um bom currículo. Por outro lado, tudo é relativo. Tem gente que chega aqui em uma área com pouca demanda, com pouca experiência e consegue um emprego na área. Não tem como prever.

Existem casos em que a pessoa consegue um emprego rápido, outros nem conseguem. Não tem como prever. É preciso estar preparado para se as coisas sairem diferentes do esperado e isso Não envolve apenas trabalho, mas até relacionamento, pois a pressão faz com muitos casamentos e relacionamentos terminem aqui.

Planeje bem, tenha um plano A, B, C e D e antes de construir seus castelos nas nuvens, comece a trabalhar a fundação.

Desenvolva um Coração Sincero.

Não falei para ter um coração sincero, pois isso é algo que se desenvolve ao longo dos anos e dá mais trabalho do que fazer faculdade de física em chinês e trabalhar lavando o mercado de peixe em Sydney de madrugada para pagar seu tratamento de canal.

Se seu coração for sincero você naturalmente começará a fazer boas escolhas na sua vida. Ajudará outras pessoas, casará por amor, trabalhará com honestidade, estudará com afinco e terá planos bons e íntegros para sua vida que certamente darão bons frutos no tempo certo.

Uma pessoa de um coração corrupto sempre tentará atalhos. Vai tentar casar com alguém para conseguir o visto, vai trabalhar em algo degradante moralmente apenas para conseguir mais dinheiro, vai passar outras para trás e se tornará cada vez mais egoísta e o que é pior, tudo isso sem perceber.

Pare um pouco e reveja as intenções do seu coração. Elas são naturalmente boas? Tanta gente aqui vive uma vida tão horrível apenas por que fizeram decisões erradas. Quantas pessoas não vi aqui se casarem apenas por causa de um visto de residência e depois vem a vida se transformando num inferno. Vou fazer depois um post com algumas das centenas de histórias que vi aqui, claro que mantendo o anonimato de cada um deles.

Ajude os Outros.

A bíblia tem um versículo que diz: “Lança o teu pão nas águas que depois de muitos dias o achará”. Isso é verdade para qualquer relacionamento humano. Antes de esperar que façam algo por você faça você pelos outros. Ajude outras pessoas aqui, torça sempre para o melhor da vida deles, e tenha um coração abençoador.

Think Out of the Box.

Esta á uma expressão comum da língua inglesa. Quer dizer pensar diferente do padrão.

Tenho um colega aqui que chegou como estudante como todo mundo. Passou o maior sufoco, foi abandonado pela namorada, enfrentou diversos problemas e decidiu abrir um business aqui. Quando perguntei para ele se ele já trabalhava nesta área no Brasil ele disse que não, mas consultou várias pessoas, pegou várias ficas, investiu no aprendizado e hoje seu business é um dos mais requisitados aqui na Austrália. Ele está abrindo uma filial em poucas semanas e sua matriz é em um dos pontos mais caros de Sydney.

O cara pensou além, saiu do padrão e decidiu fazer algo diferente que acabou dando muito certo.

Continue Reading
Advertisement
You may also like...
19 Comments

19 Comments

  1. Lucas Pina

    April 10, 2012 at 5:46 am

    Jerry, Bom dia.
    Te envie um e-mail… Podes olhar?
    Gostei muito desse post querido, me ajudou a mudar algumas concepções minhas e maneiras de pensar!
    Deus continue te abençoando

  2. Márcio

    April 10, 2012 at 10:14 am

    Parabéns Jerry,

    Sempre muito sensato e inteligente com as palavras. Acho que só te escrevi uma vez, mas acho que dúvidas como as minhas você recebe aos milhares..rs Mas esse comentário é apenas para dizer, que continue.

    Abs e saúde!

  3. Kátia Muller

    April 10, 2012 at 5:48 pm

    Oiii Jerry!
    Faz uns 5 anos que minha menina, que na epoca tinha 14 pra 15 anos, despertou para Australia. Como toda boa mãe achei que era passageiro, porem na verdade vi uma semente germinando, logo foi buscar informações e encontrei você!
    Ela esta com 19 e tenho acompanhado seu blog SEMPRE!!!
    É muito engraçado e estranho “temos” você com toda disposição, atenção e carinho trazendo informações na nossa casa, da mais pura verdade (acredito eu!!) de como é viver ai na Australia.
    E aqui ao meu lado uma garota tomando seus passos , planejados (Meu Deus ela ta crescendo), buscou sozinha seu curso de ingles, esta na faculdade (contabilidade) e reuniu a familia pra anunciar: “Estou decidida, preciso de tanto (R$), pra ir, vou no fim de 2013, quero ficar no minimo 6 meses…”
    E quando li esse post foi inevitável.
    A vida é real em qualquer lugar do mundo, comemos, cansamos, temos sede, fico feliz , fico triste…
    A vida real é essa Jerry, precisamos sim ralar muito pra conquistar algo.
    Então assim como na vida de muitos estranhos ,você no outro lado do mundo tem despertado e AVISADO das dificuldades e do quanto foi maravilhosa pra você essa experiencia, eu espero e torço por esses todos “estranhos” e por minha filha para que encontrem em seus sentimentos a razão e só ela irá leva-los a realização desde lindo sonho!! Planejamento SEMPRE!
    Obrigada Jerry!
    Deus abençoe grandemente sua vida, suprindo em tudo abundantemente mais!

  4. Dyego Cabral

    April 11, 2012 at 1:31 pm

    Olá Jerry!!!!

    Primeiramente parabéns por mais um excelente post!!! Sou leitor assíduo do seu blog e sempre me impressiono com a qualidade e sinceridade em cada um dos posts.

    Não vou entrar na questão emprego, pois estou bastante focado em estudar e melhorar meu Inglês. Sei que no começo os empregos serão de algo que nunca trabalhei aqui no Brasil, mas assim que “alcançar” meu objetivo do Inglês Avançado, ou se possível, Fluente, buscarei oportunidades em minha Área que é Engenharia de Processos ou Produção.

    Minha dúvida, na verdade, se dá com relação a compra de remédios em farmácias. Por exemplo, aqui no Brasil fiz uma consulta numa dermatologista e após alguns exames iniciei um tratamento. Comprei o mesmo remédio por 3 meses, através da receita obtida pelo dermatologista, no qual não paguei devido ao Plano Médico que cobriu todos os custos. Porém, no final do tratamento percebi que não havia tido 100% de melhora e resolvi ir por conta na farmácia e comprar meus remédios, sem receita. Comprei os remédios, sem precisar voltar ao dermatologista, o que me ajudou financeiramente…rsrs

    Como funciona a compra de remédios na Austrália?? Pra qualquer remédio vou precisar de receita? E como saber os nomes dos remédios que uso aqui no Brasil, para poder comprar similiares ae na Austrália?

    Obrigado desde já pela atenção!!!

    • Jerry

      April 11, 2012 at 5:23 pm

      Olá Diego

      A maioria dos remédios aqui são vendidos apenas com receita médica. Mesmo remédios que se compra sem receita no Brasil como anti-inflamatórios ou coisas do tipo aqui precisam de receita médica.

      Além disso os médicos aqui são muito restritos em dar receita médica. Na maioria das vezes eles passam algo muito fraco. Quando eles passam receita será apenas uma para poucos comprimidos e depois você tem que voltar, fazer outra consulta (caso o caso não tenha sido resolvido).

      A maioria dos remédios são manipulados na hora na farmácia.

      Você não vai precisar de receita para aspirina, xarope, paracetamol (fraco) e outras coisas do tipo.

      Quanto aos nomes dos remédios o ideal é você consultar seu médico a respeito, pois o nome de alguns remédios varia aqui.

      Abs.

      Jerry

  5. Pamela

    April 14, 2012 at 8:10 am

    Excelente post! Sempre tenho lido o seu blog e acredito que tenho a mesma linha de pensamento seu e o da sua esposa. Cada coisa que a gente ve aqui nessa Australia (falando do nosso povo brasileiro). Me entristece muito. Pessoas ficam aqui, sem objetivo algum. Vieram pra ca e perderam o foco, esqueceram dos objetivos iniciais. Outros vem pra ca e se equecem da vida, e farra e mais farra. Claro que temos que nos divertir, isso e saudavel. O triste e ver o pessoal totalmente waste. Acabei de chegar aqui no meu predio e vi uma menina (cara bem de adolescente mesmo) no chao, totalmente embreagada. Parecia que estava em coma. O mais triste e conhecer gente do nosso Brasil que vem pra ca e acha isso lindo e quer fazer o mesmo. Outro ponto triste e escutar gente falando: “fulana (o) me ofereceu casamento e visto”. Meu Deus! Como pode isso? Isso me deixa totalmente envergonhada e triste de ver que isso existe. Meu namorado (e ate engracado) e aussie. Estamos juntos porque nos amamos e ele me RESPEITA. Nunca ficaria com alguem por toda a minha vida por interesse e por causa de um visto. Isso e realmente lamentavel e infelizmente tem acontecido muito. O cancer do jeitinho brasileiro sempre querendo se dar bem. Caraca, escrevi muito, desculpe! Abracos e que Deus continue a abencoar vcs dois.
    Pamela

  6. Paulo Vieira

    April 14, 2012 at 5:41 pm

    Olá Jerry

    Descobri seu blog há poucos dias e já li quase tudo. Parabéns pelo trabalho de informar realisticamente as pessoas.
    Suas dicas de comportamento podem ser estendidas para qualquer situação de mudança de local de residência.
    Eu mesmo me mudei de estado há dez anos, indo com minha esposa e filho para uma capital brasileira litorânea. Já perdi a conta do número de pessoas que conheci que vieram para cá achando que a vida seria uma eterna festa à noite e praia durante o dia.
    Alguns acharam que se sustentariam vendendo Herbal Life… Até podem existir casos, mas a realidade mostra que são uma minoria.
    Eu passei anos abrindo espaço no meu ramo de atuação, e hoje tenho um emprego legal em minha área. Detalhe, sempre atuei em minha área nos últimos 16 anos.
    Mesmo assim, eu e minha família temos o projeto de imigrar para a Austrália, sendo trabalhado e preparado lentamente. Quando tudo o que consideramos necessário for concluído, iremos colocar em prática essa nova mudança.
    Não foi uma ideia surgida ontem para irmos amanhã. É um longo planejamento pensando em vários detalhes.
    Apesar do planejamento, chegará uma hora em que precisaremos nos desapegar da vida que levamos agora e buscar essa outra que almejamos. Vai haver um salto, esperamos que seja para melhor. Sabemos que demandará muito esforço e dedicação.

    Portanto, obrigado pelos alertas e esclarecimentos de sua visão realística e não turística da vida de expatriado na Australia

  7. Mateus

    April 17, 2012 at 2:26 am

    Fala Jerry,
    primeiramente, parabéns pelo ÓTIMO post, contrário de muitos outros que já vi por ái e que simplesmente falam: “Ahh vai vir pra Australia como estudante e pretende trabalhar na área? NÃO VENHA”. Você explicou da melhor maneira possível que, com um bom planejamento, aliás não somente um, teremos sempre que ter um plano X, perseverança e determinação, é possível sim, vencer na Austrália. Morei por quase 1 ano e meio em Sydney, sempre tive vontade em aprender a língla e resolvi passar 6 meses, acabei renovando meu visto de estudante(curso técnico em TI, que é minha área) p/ praticar mais e melhorar o inglês. Contrário de muita gente que lá conheci, vi que continuar do jeito que estava, não me levaria pra frente, ficaria estacionado ou até regredindo. Foi quando voltei ao Brasil p/ terminar minha faculdade em Sistema de Informação. Voltei no final de 2006 e graduei em 2008, trabalho na área desde então, porém a vontade de voltar e trabalhar como programador, nunca sumiu. Estou a um tempinho fazendo planos p/ voltar, analisei bem a possibilidade de conseguir o visto de residente daqui do Brasil, mas além das mudanças das regras anuais da imigração, cheguei a conclusão que aplicando daí, teria mais proveito, pois faria um preparatório do IELTS(preciso de uma nota alta – 8) com uma qualidade melhor e já estaria em contato diário com a língua. Aqui vem a parte em que vi muitos criticarem, que é a ideia de enquanto eu não consigo aplicar pro visto pretendido, tentaria um sponsorship e trabalharia nessa condição até o objetivo da residencia ser conquistado. Enquanto não consigo o sponsor, estaria estudando e me aprimorando cada vez mais(levando dinheiro suficiente p/ alguns meses rs)Pelo que percebi, o motivo das críticas é que com o sponsor eu estaria fazendo uma tarefa de “senior” e sendo pago como “junior”, porém, como disse anteriormente, estaria nessa condição temporariamente. Não vejo problemas nisso, sendo que estou trabalhando na minha área, honestamente e sem passar ninguém pra trás.
    Bom Jerry, aí está um pouquinho do que quero fazer. Agradeceria que, se você pudesse, comentar o meu objetivo, se estou sendo muito fora da realidade, se não é bem assim que as coisas funcionam, o sponsor é realmente difícil de arrumar… Estou precisando muito dessas informações, estou naquele momento decisivo.
    Obrigado.

  8. Diego

    April 19, 2012 at 2:50 pm

    Excelente post, mas a minha critica no post onde vc diz à respeito das pessoas que criticam o brasil, pois eles tem pouca cultura. Isso ocorre de fato! Brasil é sim um excelente pais, em aspectos econômicos e etc. hoje somos a 6º maior economia, mas claro que devido a alta taxa de juros e tributos que nós pagamos absurdamente, temos o pior IDH creio quem 80º no ranking devido a péssima distribuição de renda no pais, preconceitos, diferença sociais e o principal na minha humilde opinião a falta de educação! Se vc é filho de pais que tem grana, consequentemente terá uma ótima educação, será mais culto mais intelectual, seu pai pagou para isso, quem não teve essas condições vão reclamar que a vida aqui é ruim por que de fato não terão uma educação de qualidade! e então vão dizer que a vida na Austrália é muito melhor.

    Na Australia não existe diferença sociais, pobreza e etc. a qualidade de vida é excelente, enquanto que no Brasil mesmo se você se dedicando aos estudos ainda contamos com a burocracia e diversos problemas sociais e de desvio de verba do governo que vão parar nas contas milionárias de políticos corruptos que quanto menos educação e cultura existir no pais mais eles poderão roubar das pessoas sem que eles saibam.

    Excelente post !

  9. Bruno Bacarini

    April 24, 2012 at 7:44 am

    Olá Jerry, primeiramente parabéns pelo post. Estou indo para Austrália mês que vem e tenho vários planos, mas a tentação são muitas (baladas, festas e etc) suas palavras “duras” são necessárias para colocar novamente o o pé no chão e seguir com meus planos.

    Tenho uma dúvida. Sou formado em Sistema de Informação e quero saber se meu diploma é válido e se eu preciso fazer alguma coisa para que seja ai na Austrália. Sabe me dizer?

    Obrigado.

    • Vinicius Reis

      May 8, 2012 at 10:53 am

      ta aí uma duvida que eu tbm tenho Jerry! também sou formado mas em redes de computadores(tecnologo superior) e queria saber se a minha formação no Brasil tem validade aí na Australia…

      Bruno, vou para a Australia em fevereiro do ano que vem, provavelmente… vc poderia chegar lá e me dar um feedback de como anda a nossa “amada” area de TI na terra dos Aussies né?! heheh

      abraços!

      • Jerry

        May 8, 2012 at 6:06 pm

        Oi Vinícius

        Tem sim, mas não é reconhecida como uma faculdade, mas como um curso técnico. Se você for aplicar para a residência usando seu tecnólogo acho que precisa de 6 anos de experiência comprovada. Fale com um agente de imigração que ele pode te orientar melhor sobre isso.

  10. Roberto

    May 1, 2012 at 7:42 am

    Como sempre um post muito bacana e completo. Acho que esses são os requisitos para se vencer em qualquer parte do mundo. Acho que por mais que pensemos que a cultura brasileira é assim ou assado, o esforço e determinação pessoal conta muito quando o assunto é vencer. Eu acredito que todos temos condições de vencer onde quer que seja o problema é aquela mentalidade de “deixa a vida me levar” ou cheguei, já tenho tudo planejado, agora vai acontecer. O problema mora justamente no vai acontecer. Acho que temos que pensar: “Agora eu vou fazer acontecer”. Arregaçar as mangas e ir a luta.

  11. Klaudiney

    May 3, 2012 at 7:23 pm

    Simplesmente um post corajoso, claro e verdadeiro, parabens

  12. Lenara Paixão Resend

    May 18, 2012 at 6:16 am

    Mais um post de tirar o chapeu Jerry, parabens…
    Como vc mesmo diz…nada sem direção de Deus vai pra frente…..
    Oremos e agiremos tbm….. Deus só faz o impossivel…. o possivel fica ao nosso alcance..
    Queria tirar uma dúvida…
    Essas agencias de emprego, que oferecem para levar estrageiros pra australia, são de confiança?
    Pois meu esposo é Instrutor de Curso de Mecanica Diesel, tem 9 anos de experiência nessa area de mecânica pesada diesel. E tem bastante oportunidade nessas areas… queria saber sua visão… Como é o mercado para mecanica diesel? São confiáveis essas agencias? É necessário ter o ingles fluente para ingressar no mercado?

    A paz do Senhor..

    Lenara & Thiago

  13. Fabio

    July 5, 2012 at 5:23 pm

    Oi Jerry,
    Fiz algumas perguntas em um outro post mas esse aqui já me respondeu. Vi que, mesmo com 38 anos, ainda tinha algumas ilusões com relação a mudar de país. De fato sempre tive vontade de passar por essa experiência, mas vejo agora que, na atual circunstância, não é nada viável. Quem sabe a passeio?
    Obrigado pela clareza e sinceridade ao relacionar o máximo de circunstâncias possíveis e que, geralmente, geram conflitos por aí. De fato não iria como um perfil estudantil, para me divertir, e sim para oferecer à família uma outra cultura e outro estilo de vida, um pouco mais no estilo “No Worries Mate”, que creio ser mais interessante do que essa loucura de acumulação a todo custo, mas vejo que os riscos são grandes. Minha esposa é nova, tem 24 anos, e está super disposta a fazer faculdade aí (a área dela é gastronomia), mas temos dois filhos pequenos (3 anos um e 3 meses o outro) e, pelo visto, não será nada simples eu conseguir manter a família por aí, até porque minha área não é nada fácil no Brasil e, imagino, também não deve ser na Austrália.
    Novamente, é a primeira vez que vejo tanta sinceridade em relação a esse projeto de vida. Vou indicar seu blog para muitos pretendentes da Austrália, assim poderão avaliar com maior lucidez.
    Abração e parabéns,
    Fábio Glingani

    • Jerry

      July 5, 2012 at 8:59 pm

      Olá Fábio.

      Não pense assim. Se você tiver esta vontade no seu coração, for determinado e puder arriscar venha mesmo.

      O que eu passo são as dificuldades antes para que estas dificuldades não peguem as pessoas de surpresa aqui, pois na maioria das vezes pegam.

      Assim eu acabo falando os problemas e dificuldades que geralmente se enfrenta aqui, principalmente quem vem mais velho e como estudante, mas ainda que a minoria que venha nestas circuntâncias realmente vença aqui, ainda assim é mais por uma indisposição pessoal do que pelo país em si, pois a pessoa chega aqui esperando uma coisa e encontra outra.

      Tem gente com filho aqui se virando como estudante. Não quero com isso dizer venha, mas sim, planejar com cuidado e vir se for possível e se quiserem muito.

      Vou fazer um post que estou querendo há bastante tempo sobre vir para a Austrália com filhos pequenos.

      Tudo de bom pra vocês.

      Abraços

      Jerry

  14. Marina Monaro

    February 23, 2016 at 5:36 pm

    Minha opinião
    Melhor post de todos… melhor tema; desenvolva um bom coração e ajude os outros. Você é incrivelmente simples e isso automaticamente faz com que esse site seja da mesma forma.
    Estou pensando em ir para Austrália com o meu namorado, pesquisando tudo que posso na internet, consultando agencias, e assim que descobri esse site, ele sempre me acompanha com uma janelinha aberta aqui. Até eu não ter mais o que ler. rs
    E acho que não demora muito, pois estou devorando cada informação, me conscientizando de questões um pouco além do que eu podia imaginar e também me divertindo bastante aqui. Muito obrigada!

    • Jerry Strazzeri

      February 25, 2016 at 11:09 pm

      Olá Marina

      Obrigado pela mensagem. Fico feliz que tenha gostado do site e lhe seja útil.

      Tenho certeza que dará tudo certo para vocês aqui.

      Um grande abraço

      Jerry

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

More in Dicas

Jerry Strazzeri no Youtube

Posts da Austrália




To Top
%d bloggers like this: