Tenho ficado um tempo sem postar. Poderia dizer que foi o trabalho, a academia ou minha recente visita a festa Junina no domingo passado, mas não, foi apenas preguiça mesmo.Ao invés de mais um post com guia sobre como conseguir emprego, moradia, ou um marido na Austrália, este é apenas um update informal da semana.

O Brasil na Austrália

Esta madrugada o Brasil joga com a Austrália. Como futebol aqui é tão popular como desfile de lingerie de idosas, pouco se tem falado sobre o jogo, mas a SBS (um canal de tv aqui da Austrália) vai transmitir a partida à 1:45 da manhã para os corajosos que decidirem ficar acordados.

Por falar em jogo, qual deve ser o código de ética aplicado quando o time do país onde você nasceu joga contra o país onde você mora e pretende passar o resto da sua vida? Você se sente meio que vendo sua madrasta brigando com sua sogra, você não sabe pra quem torcer. (p.s: Eu amo minha sogra)

Mas por falar em Brasil, hoje eu li uma matéria sobre o Brasil no Sydney Morning Herald e eles elogiaram tanto o crescimento do país que você termina a matéria se sentindo importante por ser brasileiro.

Veja uma das frases do texto:

“Much of Australia’s recent prosperity has indeed mirrored Brazil’s, but being blessed with resources won’t sustain us forever – not when we’re confronted with a country that combines similar blessings with strategic forethought.”

Traduzindo

“Grande parte da recente prosperidade da Austrália foi de fato, espelhada no Brasil, mas ser abençoado com recursos não vai nos sustentar para sempre – não quando somos confrontados com um país que combina bênçãos semelhantes com planejamento estratégico”.

Isso não é nada, olha como a matéria começa:

“IF NATIONS were awarded trophies for great achievements, Brazil would need to build a new trophy cabinet”

traduzindo

Se as nações fossem premiadas com troféus pelas suas grandes conquistas, o Brasil precisaria construir um novo armário de troféus.

A matéria foi intitulada: We’d be nuts not to dance the Brazilian samba.

Festa Junina

Fomos à festa junina este final de semana. Não curto muito festa junina, mas como um amigo sempre faz, perguntei a minha esposa: “Amor, eu quero ir a festa junina?”. – Sim, você quer – disse ela. Então eu fui.

Foi legal para conversar os amigos. A comida não estava das melhores, mas o povo se esforçou e isso é que importa. Eu comi um churrasco no pão, mas o pão estava tão seco que eu dei pra pomba. A pomba deu uma bicada no pão, cuspiu e me mostrou o dedo do meio.

Festa junina na Austrália é engraçado. Cheio de brasileiros que não suportam mais o Brasil, mas estão em absolutamente todos os eventos brasileiros, de festa junina à batismo de criança. Dançam quadrilha, samba, comem coxinha, tomam Guaraná e falam do Curintia.

Mas foi muito legal, não tenho do que reclamar, gostei muito de ter ido, valeu a pena.

Notícias que vão mudar sua vida

Australiano registra novo recorde na resolução do ‘cubo mágico’

Já a segunda notícia é realmente curiosa

Australiana alimenta e faz carinho em tubarão branco

Por que o tubarão não arrancou a mão da velha fora?

1 – A velha tem um gosto de boneco de cêra.

2 – O que um tubarão não faz por um prato de comida.

3- A crise fez com que os tubarões se oferecessem como bichos de estimação.

Papagaio pega carona em carro na Austrália.

fonte: Ueba

A atendente mais simpática da Austrália

Esta semana eu e a Michelle fomos à Artarmon comprar luminárias para casa. Fomos à uma loja em um shopping de decoração e quando fomos ao caixa a atendente perguntou: De onde vocês são?

Como muita gente aqui é mais direta e não fica muito de papo estranhei a pergunta e respondemos que éramos do Brasil.

Ela disse o quando amava o Brasil, como queria conhecer ao Brasil e esta pequena introdução acabou virando uma agradável conversa de mais de uma hora.

A mulher tinha 35 anos (ela contou a vida toda dela) e era tão legal, engraçada e gente boa que queríamos ficar lá o dia inteiro apenas conversando. Ela era de New York e era casada com um Australiano, estava na Austrália há 4 anos e estava esperando um bebê.

Ela contou várias histórias, rimos muito, e ao final fomos embora na promessa de voltarmos lá novamente para continuar o papo.

Há muito tempo, na verdade (que eu me lembre), desde que conversamos na fila do RTA com o casal de velhinhos australianos que moraram por 30 anos no Brasil, não me lembro de ter uma conversa tão agradável ao acaso com alguém que nunca vimos na vida.

By the way, quando estive em New York fiquei surpreso com a simpatia do povo por lá, a gente praticamente fazia amigos nos lugares onde íamos. Acho que só em Bangkok o povo foi mais simpático que lá.

Hillsong Conference.

A Semana na Austrália Conference3 ClickToEnlarge

Esta semana começa o Hillsong Conference. É uma das maiores conferências do mundo e a maior da Austrália. Queria muito ir, mas infelizmente por causa do trabalho não poderemos. Vai ficar pra próxima, mas quem puder ir, até semana passada acho que tinha uns 700 convites disponíveis do local anexo. Todos do principal venderam muito rapidamente. Acho que agora já devem ter acabado todos.

Ano que vem, se Deus quiser, vou com certeza, se possível como voluntário. A Michelle já foi há uns dois anos, eu ainda não fui.

Bom, é isso. Depois volto com algum post sobre a Austrália.

Abraços a todos.

Solicite Orçamento 160×160
SHARE
Previous articleO Dia em que um Brasileiro foi Aplaudido na Austrália
Next articleVerdades e Mentiras Sobre a Austrália
Jerry Strazzeri
Jerry Strazzeri vive na Austrália com sua esposa desde 2006. Trabalha como Analista Digital na Austrália já tendo trabalhado em empresas no Brasil e Estados Unidos. Cidadão Australiano, junto com seu trabalho está concluindo uma graduação em Leadership. Junto com sua esposa Michelle, foi responsável por diversos sites na área de educação e TI e criaram o Brazil Austrália em 2006 para ajudar aqueles que estavam imigrando ou vindo estudar na Austrália. "Mas eu e a minha família serviremos ao Senhor" ~ Josué 24:15 Veja meu outro blog - Siga-me no Quora

10 COMMENTS

  1. Ei Jerry!
    Muito legal o seu novo post. Achei muito interessante o fato do Hillsong Conference ser a maior conferencia da Australia, que Deus seja louvado.

    Seus posts são muito importantes para nós, eu sei que vc já vem blogando a muitos anos, mas não deixe de faze-lo ok?! Nem que seja só para dizer um oi!
    Fik na Paz!

    God Bless You today and ever!

    • Minha cunhada possui o mair evento de dança da Austrália, e quando ela alugou o Acer Arena, o responsável disse que o evento dela era o segundo maior que eles hospedavam ali todo ano, o primeiro era a Hillsong.

      Achei bem legal, a Hillsong conference é bem grande. Este ano vai ser realizada no Sydney Entertainment Center

      VAleu

      Abs

      Jerry

  2. Tive q comentar nesse post soh pra concordar ctigo, ja q tb concordou comigo… Ehehe! Tb axo q as pessoas em NY sao mega simpaticas. Morei lah por um, e nao foi nda dificil fazer amizades, tanto com americanos como com pessoas do mundo tdo. Nao gosto de comparacoes, mas qdo raramente as faco, dizendo q achei lah mais facil do q aki pra se enturmar, poucos acreditam. As pessoas tem essa imagem de q americano, nova iorquino em especial, sao mal humorados, estressados e carrancudos. Mas nao eh bem assim, ou pelo menos nem tdos sao assim, e olha q eles ateh teriam motivo pra ser com akele inverno rigoroso. Keep up the good work, Jerri. A nova releitura do blog continua otima.

    • Oi Rosângela

      Valeu por compartilhar sua experiência aqui.

      Eu também tinha esta imagem do americano, mas imagine o quanto fiquei surpreso ao chegar em NY e todo mundo ser super simpático comigo e minah esposa aonde íamos.

      Valeu

      Abs

      Jerry

  3. Jerry, tá bem legal o blog. Gosto de ler independente de planejar ir para Austrália. Porque como eu ja tinha escrito anteriormente: uma coisa é escrever, outra é escrever bem .

    Lembrei da antiga fase do blog essa semana, achei Tim Tam aqui em SP. Comi da forma correta, gostei do de vanilla e de chocolate, o de frutas vermelha não curti.

    Abs

    Marcelo

    • Oi Marcelo

      Valeu pelo elogio.

      Tim Tam de frutas vermelhas é ruinzinho mesmo. Tem o branco agora que é muito bom.

      Quanto custa um Tim Tam ai em SP?

      Abs

      Jerry

  4. Então, Jerry, o preço lá no Wal Mart é R$ 7,00 o pacote com 8 biscoitos.

    Um detalhe engraçado, ele é feito na Indonésia e tem um aviso que é proibido de se vender na Austrália e Nova Zelândia.

    É provável que na Indonésia sejam fabricados os que são exportados para o resto do mundo.

    Abs

    Marcelo

LEAVE A REPLY